História Why You? - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Jinkook, Sugav, Taegi, Vhope, Yoonhyung, Yoontae
Exibições 183
Palavras 1.604
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Dramas e uma borboleta alegre


Dramas e uma borboleta alegre

- Se você não me soltar eu vou começar a gritar – Antes de soltar meu braço, foi até a porta e a trancou, eu deveria ter medo disso? Porque minhas pernas estão tremendo mais do que duas varas verdes, ele tá sinistro.

- Tae, me desculpa, eu te machuquei? – Disse desesperado analisando meu braço que continha marcas de seus dedos, essa porra é bipolar por um acaso? Em uma hora está quase me esfaqueando para conversamos e na outra até entra na fila da hóstia procurando a salvação, como assim produção?

- Bateu um arrependimento agora não é? Não vai adiantar pedir desculpas, elas não vão apagar essas marcas, seu monstro! – Bati o pé no chão com força só pra fazer drama, mas doeu pra caramba, vou esconder minha cara de quem quer chorar.

- Me desculpe Tae, sei que está cansado de ouvir isso, mas agora não são palavras vazias, eu fui realmente um idiota, e estou sendo por ficar tão possesso quando você está com outra pessoa, abraçando, beijando ou até mesmo fazendo um singelo carinho, isso me doe demais, eu me repudio todos os dias, á anos – Sentou sobre a cama com as mãos em sua cabeça.

- Não tente me privar de viver Yoongi, não pode ficar assim só por eu estar com alguém – Permaneci em pé com os braços cruzados e ele tirou suas mãos para direcionar seu olhar ao meu, deu até uns arrepios,credo – Sabe o quanto foi difícil eu assumir quem eu realmente sou para tentar ser feliz? Sabe o quanto eu me arrependi por cada segundo que gastei te fazendo aquela maldita declaração? Textos e mais textos que escrevi Yoongi – Eu já estava chorando a essa altura e ele não estava diferente, minhas lágrimas de alivio eram leves, enquanto as suas carregavam um peso maior, culpa – Sabe o quanto eu me repudiava, me odiei por ser assim? Sabe por quanto tempo eu chorei porque quem eu considerava ser o amor da minha vida ter me humilhado na frente de todos por ser assim?

- Tae, por favor – Seus soluços impediam que sua voz saísse perfeita como sempre.

- VOCÊ NÃO SABE YOONGI! Prometeu me segurar a qualquer momento, quando eu precisasse, você prometeu estar sempre ao meu lado, mas quando eu mais precisei de amparo, apenas senti suas mãos me empurrarem pra dentro de um poço junto com a porra da sua promessa Yoongi!

 Se levantou da cama e em passos rápidos chegou até mim e abraçou forte minha cintura.

- Eu realmente espero que você seja feliz, e espero mais ainda que você não morra ao poucos, afogado em sua própria ignorância Yoongi – Fechei os olhos com força tentando parar as lágrimas que rolavam livres em meu rosto e agora iam parar em seus cabelos.

- Você vai me deixar Tae? Por favor, não faça isso, me perdoa, por favor – Se ajoelhou no chão ainda agarrado ao meu corpo.

- Você via as pessoas me xingando e até me batendo e você não fazia nada, não que os socos que levei tenham sido importantes, o que mais me doía era ficar lembrando de suas palavras, “Aberrações como você deveriam ser exterminadas da humanidade” – Relembrei as palavras que nunca pude jogar fora, e que saíram da boca de Yoongi naquele dia antes dele me deixar sozinho naquele corredor em que uma multidão jogava seus olhares julgadores sobre mim, um menino de dezesseis anos que apenas resolveu seguir seu coração. O mundo desapareceu abaixo de meus pés naquele dia, Min Yoongi era o único que conseguia me manter firme, me manter de pé, Min Yoongi era meu equilíbrio, era o meu mundo.

 Abaixei-me a sua altura bem rente ao seu rosto e lhe dei um singelo selo carregado de um gosto salgado de suas lágrimas se misturando com as minhas, antes de sair do quarto vi que ele continuava ajoelhado e com seus olhos fechados. A cena me cortou ainda mais o coração, mas ele estava recebendo o que merece.

- Ei, o que aconteceu Tae? Eu ouvi gritos e pensei em entrar, mas a porta estava trancada – O olhar preocupado de Jungkook caiu sobre mim assim que entrei em meu quarto.

- Não aconteceu nada Kook, não precisa se preocupar a toa, ok? – Acariciei seu rosto para passá-lo conforto – Que tal irmos ao shopping para esquecer todo esse clima tenso? As roupas que tenho não vão lhe servir – Não deixei o mais novo responder e já fui para o banheiro tomar um banho.

- Tem certeza de que você está bem Tae?  - Perguntou assim que terminei de me arrumar.

- Estou sim, vamos? Você vai ficar um gato, quer dizer, vai ficar mais gato ainda – Ri de sua vergonha repentina e tentei agir naturalmente, peguei em sua mão e sai saltitando pela casa até estarmos perto do portão, como eu disse antes, agindo naturalmente.

***

 Tentei me animar o máximo possível para não acabar por entristecer o humor em que Jungkook estava, uma grande borboleta negra e alegre.

- Que tal juntarmos todo o pessoal para assistir um filme? – Disse se admirando no espelho, pelos Deuses, o menino era a reencarnação de Afrodite, agora com os cabelos em um castanho mel e roupas novas, parecia até ser um fugitivo de algum filme de Hollywood – Vou ligar para o Jin.

- Tipo uma festa do pijama? Que gay isso Jungkook – Balancei a cabeça em reprovação – Tá esperando o que? Liga logo menino! – Bati palmas alegre.

***

 Queridos, vou descrever em tópicos a cena maravilhosa que estou presenciando agora:

- Eu e os meninos na porta do Jin;

- Jin abrindo a porta;

- Jin com os olhos arregalados;

- Jin tendo amostras grátis de ataques cardíacos;

- Jin com a boca em um formato perfeito de “O”;

- Jin babando no Jungkook;

- Eu dando uma de piriga louca.

- O que acha da minha mais nova obra de arte hyung? Está magnífico esse menino, nem parece que nasceu das trevas – recebi um tapa nada carinhoso de Jungkook por estar bastante envergonhado (raridade), mas quem não estaria? O senpai supremo está quase beijando os seus pés.

- Jungkook, é você mesmo? – Não imagina, encontrei o filho de Jesus Luz andando pela rua e resolvi trazê-lo para curtir uma festa do pijama – Caralho, você está muito lindo, tipo, sério, a personificação humana da beleza – Limpa o canto da boca menino, você está começando a molhar o chão.

- Obrigado hyung, é que eu resolvi mudar um pouco – Um pouco!? Tipo de Jungkook gato para um Jungkook muito gato, muito perfeito, sério, se ele não gostasse do Jin, eu dava pra ele – Aí eu pedi ajuda para o Tae, espero que tenha gostado – Abaixou a cabeça envergonhado e o meu radar de viadagem está quase explodindo.

- Gostou até demais, agora vamos entrar porque eu estou sentindo que vem fofoca por aí – Jimin disse empurrando todo mundo e entrando primeiro, abusado.

- Vamos Tae, comece do começo – Disse Jin tentando soar um pouco intelectual, todos já estávamos sentados no chão e comendo muita diabetes em saquinho.

- Do começo? Não sei muito bem dessas coisas, mas pelo o que eu saiba, Deus criou o mundo e logo depois veio um povo aí, acho que Adão e Eva e acho que tinha até uma cobr... – Minha apresentação sobre o começo de tudo foi interrompida com uma almofada na cara, então entendi o recado, vamos falar sério – Então...

 Vou poupar vocês dessa parte, porque já estão informados das merdas que tomam conta da minha curta vida.

***

 Acordei com lindos gritos vindos da cozinha e descobri que o Jimin tinha roubado o bolinho do Jin.

- Tomara que sua alma queime no inferno, seu pigmeu de rabo grande – Nunca vi alguém assim tão bravo, sério.

- Oi gente, então, um bom dia pra vocês também – Eu estava ali á uns dez minutos e estava todo mundo dando zero fodas pra minha presença – Jin hyung, compre outros bolinhos e para com esse fogo, ou vou ter que trancar você e o Jungkook em um quarto, ele apaga esse fogo rapidinho – Ia rir, mas fiquei com medo de ser atacado com uma faquinha de manteiga.

- Vou levar você pra casa antes que eu mate essa formiga tanajura – Jin foi buscar as chaves do carro.

- Tem certeza que quer ir? Não prefere dormir lá em casa por um tempo? – Jungkook perguntou e eu neguei, pois a casa também era minha – Se eu tivesse um boneco vodu daquele menino, ele iria estar estripado agora.

- Ok, invocação de Jack o Estripador, tenha calma, isso vai se resolver mais cedo ou mais tarde e se depender de mim não vai demorar tanto assim – Jin disse me arrastando para fora de sua casa.

***

- TAE! – Ouvi um grito no horizonte e recebi a visão de um Yoongi eufórico descendo/tropicando pela escada, pelos os Deuses, imagina esse menino cai e morre? Não deve ser fácil limpar sangue do chão – Achei que você tinha ido embora – Murmurou com as mãos nos joelhos ofegantes e olha que ele só desceu a escada, santo sedentarismo.

- Por que eu iria embora se tenho essa casa maravilhosa em meu nome? – Suspirei sarcástico, eu poderia até estar meio na bad, mas jamais abriria a mão desse palácio!

- Tae sobe para o seu quarto – Jin pediu/ordenou e eu como um bom admirador da minha própria respiração subi as escadas – Vamos conversar um pouco Yoongi – Olhei para trás e vi Jin arrastar Yoongi até a sala puxando uma de suas orelhas, não vou mentir, adoro.


Notas Finais


Sei nem oq flr, não gostei muito deste cap, sorry
Annyeong My Little Monsters


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...