História Why You Love Me? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Incesto
Exibições 314
Palavras 2.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oin :3
Antes de mais nada eu gostaria de desabafar novamente:
CARALHO O DEBUT DO PENTAGON FOI FODA ESPERO QUE ELES NÃO FLOPEM PORQUE EU VEJO MUITO FUTURO NELES PUTA MERDA AQUELE ÁLBUM TA UMA MARAVILHA CARALHO. E O COMEVOLTA DO BANGTAN BOTOU PRA FUDER MESMO COM TODAS AS FORÇAS E ROLAS, QQ FOI AQUELE JIN BEIJANDO A ESTÁTUA QUE ERA O TAE???? AQUILO FOI DIVINO E O SAMAMBAIAS LOVERS ATÉ CRIARAM UMA TEORIA FODINHA PARA (se quiserem saber sobre é só me chamar na dm do tt: @MasoqUnicorno mesmo eu estando de hiatus, chama lá c:)
E outra coisa: Odiei aquelas tretas das armys com as exo-Ls, é muita infantilidade pra um fandom tão grande como o do bts. Quem começou foram as armys zoando o lay por ter desmaiado de cansaço porque a sm é filha da puta e não cuida deles direito porra, ai só da merda. E outra, quem acaba sendo prejudicado são os próprios idols.
Então um recadinho pra quem é army e exo-L como eu mas é infantil, as portas pra fora do fandom estão abertas para vocês porque nenhum idol gosta de ser prejudicado pelas fãs.
Por favor, não sejam infantis. Apoiem essa causa.

Hoje é aniversário do meu pai apskapdlapdlwpskaps
Feliz aniversário, appa que nem sabe que eu escrevo uma fanfic gay com direito a porno e mais casais gays *3*

Era só isso mesmo galero c:

Que toque What U Need para o capítulo.

Capítulo 13 - Amizades novas?




Um cara mais baixo que Chanyeol e dono de um cabelo rosa perfeitamente pintado e brilhante se encostou na parede e ficou o encarando com um sorrisinho sarcástico. O maior se encolheu um pouco com o olhar penetrante em si, pensando no curioso fato do cabelo dele não estar desbotado.

De repente Yixing começou a falar de um modo que Chanyeol não conseguiu entender, mas pelo jeito que estava sua expressão, ele temia ser algo ruim.

O homem de cabelo rosa voltou seu olhar para o chinês e o respondeu numa língua que Chanyeol pensou ser a de Yixing.

-Estão conversando em mandarim - explicou Minseok como se estivesse lido a mente de Chanyeol - Yixing fala assim quando ta nervoso porque ele não fala muito bem coreano.

Chanyeol concordou com a cabeça sem tirar o olhar dos dois. Yixing se encostou no ombro do colega e fez um biquinho ameaçando chorar, assim como Baekhyun fazia, enquanto o outro acariciava-lhe os cabelos e apertava sua bochecha.

Lembrar de Baekhyun era estranho para Chanyeol, já que ele fora o motivo de sua prisão. Ele pensava curiosamente em que o menor estaria fazendo naquela hora. Seu filho realmente tinha transado com ele, provavelmente estaria tocando em suas marcas e trazendo a memória do que viveram naquele momento.

Cada toque, cada marca roxa deixada na pele branca e limpa do menor, estas que Chanyeol não tinha certeza se foram feitas por desejo ou apenas por vontade de ambos os lados se sentirem.

Maldito seja Byun Baekhyun por ter me condenado a apodrecer na cadeia por longos 10 meses, amaldiçoou o filho.

Mas Chanyeol tinha que admitir que ficava louco quando Baekhyun lhe provocava e maltratava. Era como se ele fosse seu cachorrinho, que apanhava quando era malcriado.

-...esperando o último chegar para nos transferir. Eu sinceramente espero não dividir a cela com aquele estuprador que disse que ia me comer como ele comeu a ex.

Chanyeol pegou o fim da fala de Minseok e o encarou com o cenho franzido. Eles seriam transferidos? Qual seria o motivo?

-Espera - interrompeu quando o homem de cabelo rosa ia falar, fazendo-o fechar a boca em um biquinho - Vão nos transferir?

Yixing parou por um momento para entender a fala de Chanyeol e começou a choramingar novamente, agarrando os ombros do colega que o estava aninhando.

-Sim, vão nos transferir para uma penitenciária de segurança máxima - respondeu Minseok, ignorando os choramingos altos do chinês - Lá tem umas árvores boas para sentar e ler um livro, você se acostuma.

Minseok passou a mão nas costas do maior sorrindo e lhe trazendo conforto. Bom, na verdade não era conforto que ele estava lhe passando, mas sim desespero e ansiedade.

Sua respiração acelerou e seu coração quase saiu pela boca. Abraçou ainda mais forte os joelhos e pôs a cabeça entre o vão. Ele não podia ser transferido. Não para uma penitenciária de verdade. Não sem sair dali e arrancar respostas de Baekhyun.

-Junmyeon, olhe para o novato - Yixing se pronunciou, arriscando novamente o coreano.

-Você está bem, Park Chanyeol? - perguntou o cara do lado do chinês.

Yixing deu lhe um tapa na cabeça, bagunçando os fios rosa. Ele estava visivelmente bravo e o tal Junmyeon, visivelmente confuso.

-É claro que ele não está bem, Junmyeon - disse embolado, arrancando risadas de Minseok.

O chinês desceu da cama e andou até o maior, se agachando para ficar mais perto dele. O velho assustador no fundo da cela resmungou algo em um dialeto pouco familiar para Chanyeol.

O homem se virou em direção a janela e ficou admirando o único pombo que voava por ali. Ele suspirou e apertou os olhos, batendo a cabeça diversas vezes contra a parede.

-Eu espero que quando nos transfiram, eu fique longe dessas bixas que só querem usar o cu para servir de depósito para um pau, Senhor Deus - disse ele em voz alta o suficiente para que Yixing parasse e abaixasse a cabeça e fazer Junmyeon esconder o rosto entre as pernas.

Chanyeol ficou curioso pela reação dos dois, então levantou um pouco a cabeça e olhou de relance para Minseok, que o olhou de volta. Junmyeon levantou a cabeça e lançou um olhar um pouco triste para Yixing, que ainda estava paralisado.

-Se você não gosta dos gays, Sr. Oh, não deveria ter deixado seu filho ir para um colégio interno só para meninos - Minseok falou abrindo um sorrisinho irônico para o velho - Se Yixing e Junmyeon são felizes juntos, deixe-os, eles não estão lhe fazendo mal algum.

A boca de Chanyeol se abriu como se tudo fizesse sentido. Yixing e Junmyeon estavam juntos, mas ele não sabia se eram casados ou apenas namoravam. Olhou disfarçadamente para as mãos esquerdas dos dois e em ambas viu uma aliança de ouro, o que o impressionou, já que eles não podem usar nenhum tipo de objeto ou bijuteria na prisão.

As coisas se esclareceram mais para o novato, se o chinês era casado com Junmyeon, é claro que ele seria preso na Coréia. Caso contrário, ele seria mandado para a China para cumprir sua pena lá. Então o casamento com um coreano o fez ser preso naquele mesmo país, mesmo sendo estrangeiro.

Mesmo sendo diferentes, Chanyeol se lembrou dos amigos Kyungsoo e Jongin, e no quão difícil foi para eles criarem coragem de dizer que se amavam, nesse país banhado em preconceitos de diversos tipos, principalmente os homofóbicos.

Chanyeol estava tão focado em seus pensamentos que nem percebeu que a pequena briga que seus colegas de cela tiveram havia cessado. Yixing tinha voltado para os braços de seu marido, ainda cabisbaixo.

-Por que vocês estão aqui? - perguntou em meio ao silêncio para quebrar a tensão no ar - Vocês não precisam responder se quiserem - disse rápido quando viu a expressão sombria do Sr. Oh.

Minseok passou a língua pelo lábio inferior, parecia apreensivos.

-Dessa vez foi porque eu esfaqueei o filho do governador de onde eu moro - disse suspirando - Eu agi em defesa, porque ele queria me estuprar.

Chanyeol concordou passando a mão pelos fios morenos do menor. Ele não queria perguntar o porquê dele ter sido preso da outra vez.

-Tentativa de homicídio e castração de gays - Sr. Oh o respondeu simples sem tirar os olhos da janela.

Yixing se encolheu no braços do marido, que também parecia um pouco assustado com as palavras do mais velho. Até Chanyeol sentiu um arrepio na espinha pelas palavras duras.

-Eu roubei um banco - Yixing disse sem encarar o dono da pergunta.

Minseok o olhou com certa pena na expressão, mas era tão contida que Chanyeol não tinha certeza do que via. Junmyeon pareceu notar o olhar do colega e apertou um pouco as bochechas do marido.

-Eu matei um homem - Junmyeon disse - Mas o pior é que não era qualquer homem, era meu pai, o homem mais rico de toda a Coréia do Sul e se possível a do Norte juntas.

Após a resposta dele, um silêncio se arrastou por longos minutos enquanto todos revezavam seus olhares para cada canto da cela. Chanyeol pôde ver diversas marcas na parede, uns eram desenhos e outros eram apenas riscos que serviam como calendário dos presidiários.

-Ah, Park Chanyeol - Junmyeon gritou estalando os dedos sorridente - Eu sabia que te conhecia de algum lugar - pulou da cama e foi até ele - Foi você que se casou com a falecida e única herdeira da herança da família Byun?

Chanyeol estranhou a pergunta, mas assentiu mesmo assim. Ele sabia que Jiyung tinha nome em quase todo o lugar do país, mas o filho do ex-homem mais rico das Coréias reconhecê-la era novidade.

-Você chegou a ver os pais dela? - perguntou animado - Eu nunca fui com a cara do pai dela, ele era estranho e amigo desse aqui - apontou para o velho isolado da cela - Eu já vi o nome e algumas fotos da família dela diversas vezes nas revistas de “Pessoas Mais Ricas da Coréia”.

Chanyeol estranhou o que Junmyeon falou, afinal ele não se lembrava de ter tirado fotos para uma revista que só fala de pessoas ricas e suas vidas cheias de luxo que, provavelmente, custavam mais que a vida da maioria da população.

Franziu o cenho refletindo sobre o caso. Jiyung nunca tinha mencionado sobre essas coisas que fazia, muito menos com seus pais. Ele se perguntava o motivo de ela não ter revelado isso para ele. Talvez ela o fez para não falar do pai de Baekhyun.

-Aposto que ela era muito feliz com o ex-marido - respondeu para não deixar o colega falando sozinho.

Junmyeon fraziu o cenho para Chanyeol, rindo logo em seguida vendo seu olhar sério.

-Que ex-marido? - perguntou entre gargalhadas.

Era a vez de Chanyeol ficar confuso.

-O Sr. Byun que se casou com ela quando ela ainda era criança para salvar a fazenda dos pais - respondeu - Ele faleceu antes do filho dela nascer.

-Você está se confundindo, Mestre Yoda - respondeu Junmyeon rindo do apelido dado ao colega - Ela engravidou sem saber quem era o pai da criança e acabou, literalmente, matando os pais do coração - gesticulou dramaticamente - Você não conhece sua ex-esposa de verdade, certo?

Chanyeol abriu a boca para responder, mas foi interrompido pelo policial que jogou um garoto jovem dentro da cela. O menino estava algemado e chorando, implorando para o tirarem de lá.

Ele estava com o rosto vermelho e molhado de lágrimas e não importava o quanto chorasse, o policial o ignorava.

-Por favor - suplicou. Ele tinha um sotaque quase igual de Yixing - Eu faço qualquer coisa para você me tirar daqui.

O homem alto apenas olhou para o jovem que parava aos poucos de soluçar, chegou bem perto das grades da cela, sem desviar um segundo sequer o olhar do menor. Chanyeol já estava imaginando o grande soco que o menor iria tomar, ou a famosa cuspida na cara.

-Lembre-se do que eu te falei e sobreviverá aqui dentro, bichinha - ele falou num tom impressionantemente baixo e logo depois cuspiu perto das botas pretas do menor - Me dê suas mãos.

O novato estendeu os pulsos algemados, sem olhar para o poste que abria as algemas com toda a calma do mundo. Chanyeol quis saber onde ele conseguiu se formar para ser policial já que é tão calmo, apesar de ser assustador.

Era assim com ele quando estava na faculdade, a maioria dos universitários queria andar com ele para terem proteção, mas não sabiam que quem era o mais fraco entre eles era ele mesmo.

O policial saiu e o garoto novo se sentou no chão em frente a Chanyeol. Pelo ângulo bom que via, o maior notou que o garoto tinha traços tão delicados quanto de Yixing, o que o deixou curioso para perguntar quantos anos tinha e de onde era.

Minseok se levantou do nada e foi até o mictório. Chanyeol logo desviou o olhar para não ter a visão do colega urinando. O novato olhava apenas para o chão.

-Então, novato - Minseok chamou a atenção do garoto que estava chorando - Qual é o seu nome?

O jovem engoliu em seco olhando para Minseok de braços cruzados esperando a resposta. Às vezes ele parecia ser assustador.

-L-luhan - disse trêmulo por causa do choro.

Sr. Oh bateu a cabeça na parede de novo e encarou Luhan com um olhar feroz. Todos ficaram assustados com o olhar dele ardendo no mais novo.

-Foi você - ele disse entre dentes - Você que fez meu filho virar gay!

Chanyeol arregalou os olhos e desviou o olhar do clima tenso que se estendia pela cela, logo percebendo que os outros também o faziam.

-Ele me ama - Luhan disse se levantando e secando as lágrimas - E eu o amo mais do que o próprio pai dele.

Sr. Oh não o respondeu, apenas desceu da cama e encarou o mais novo cara a cara. Ele cheirava a cigarros; outro fato curioso que fez a cabeça de Chanyeol se confundir um pouco.

-Ele não era gay, seu chinês prostituto - ele disse tão baixo que todos precisaram de um tempo para entender.

De repente Luhan começou a falar em chinês, fazendo Chanyeol desviar sua atenção da conversa pois não entendia um traço da língua chinesa. Logo depois o mais velho lhe respondeu na mesma língua que ele.

Todos os outros prestavam atenção na conversa e Chanyeol percebeu que ele provavelmente sabiam muito mais chinês que ele.

Sr. Oh prensou Luhan na parede e levantou os dois punhos, ameaçando bater nele. Mas felizmente o guarda do corredor abriu a cela e puxou Chanyeol e Luhan para fora. O maior não sabia porque tinha sido puxado junto.

-Você não passou nem quinze minutos aí dentro e já comprou briga, Bichinha? - debochou o policial - Para a sorte, ou azar de vocês, a fiança foi paga para você, Orelhudo - puxou as orelhas de Chanyeol - E para você, Rei das Flautas - bagunçou os cabelos do chinês.

Chanyeol suspirou aliviado, agradecendo a todos os deuses por uma boa alma ter pago a fiança a tempo. Ele até tinha ignorado o fato de ainda estar parado no corredor das celas, na frente dos seus ex-colegas de cela.

-Obrigado - disse sorrindo - Mas quem pagou a fiança?

-Um garoto baixinho, mas assustador - o policial deu de ombros.

Chanyeol mordeu o lábio inferior para conter um sorriso. Kyungsoo tinha o tirado da cadeia, ele devia muito ao amigo.

-Ah, e quem pagou a sua fiança, Flauta, foi um garoto com uma cara estranha que estava junto do garoto demoníaco - se lembrou o policial.

Chanyeol estranhou um pouco a descrição que o policial fez de Jongin, e principalmente o fato deles terem escondido o fato de terem um amigo chinês.

-Ele ainda está aqui? - perguntou Chanyeol.

-Não, mas mandou lhe entregar isso - o policial respondeu retirando do bolso uma carta - Ele disse que era para você ler quando estivesse sozinho - lhe entregou a carta - Aproveite sua liberdade, Yoda.


Notas Finais


DESCULPA ESSA DO LUHAN FOI PODRE PASKAPDKAOKDPAKDPADKAPDKAPSKAPDKAPDKAOSK
antes que me perguntem: Sim, Sr. Oh é o pai do Sehun ~le spoiler

Vão ouvir pentagon gente, o álbum deles ta maravilhoso, pesquisem no YouTube e no Google sobre eles já que quem paga a internet não são vocês mesmo vagabundos sz

ATENÇÃO!!!!

LEMBREM-SE QUE COMENTÁRIOS AJUDAM A ME MOTIVAR A ESCREVER PORQUE ÀS VEZES EU PENSO QUE VOCÊS NÃO TÃO GOSTANDO MAIS DA FANFIC E NÃO TÃO COMENTANDO ;-;

Eu só postei o cap agora porque eu vou sair pra comer com a família pra comemorar o niver do meu velho, eu nem iria, mas tem comida então já to quase pronta pra sair apdkaldkapdkapdkaok

Eu ia falar como o luhan foi preso e o motivo do puliça ter chamado ele de flautinha mas decidi falar sobre isso no próximo cap

Amo vocês paezins de mel sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...