História Wicked Game - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Davos Seaworth, Jon Snow, Melisandre, Personagens Originais, Samwell Tarly, Sansa Stark
Tags Jon Snow, Sansa Stark
Exibições 109
Palavras 1.879
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo curtinho pra terminar o dia rsrsrs. Boa leitura

Capítulo 10 - Capítulo 10


Sansa passou a semana seguinte instruindo os funcionários sobre o que era esperado no castelo, Podrick tinha muitas recomendações. Ela ouviu-o, vendo sua ânsia de agradar. O escudeiro tinha desistido de suas horas de formação, ele tinha se costumava a ser mandado por uma mulher; Brienne, só parecia lógico para ele procurar outra. Mas ela não era Brienne de Tarth. Ela não tinha nenhuma armadura para ele limpar, e não há espadas para afiar. Suas criadas iriam discutir com ele, dizendo-lhe para reservar tarefas da Rainha para elas.

"Você sente falta dela, não é?" Sansa comentou uma tarde.

"Vossa graça." Ele baixou a cabeça com cortesia. "Minha senhora se foi a muito tempo, minha rotina tem ido mal. Peço desculpas se eu te incomodo, quero apenas servir alguém que tem os laços mais próximos a ela."

"Eu também sinto falta dela." Sansa o examinou, o servo foi benevolente, mas, neste momento, parecia a ponto de desacordo com ela. "Bem, não há nada que possamos fazer agora, só esperar."

"Eu poderia buscar-lhe um pergaminho para escrever."

"Você é um escudeiro, Podrick, não uma criada, o que os outros escudeiros acha?"

"Eles não gostavam de mim para começar de qualquer maneira." Ele disse com toda a honestidade. "Vossa graça."

"Se qualquer um deles fazer qualquer coisa contra você, diga ao meu marido. Fantasma precisa de carne." Eles compartilharam um sorriso secreto. Ela ficou séria, olhando para a cama recentemente feita, Podrick seguiu seu olhar. Ele provavelmente pensou que ela estava pronta para comentar sobre a falta de roupas de cama e abundância do sono, mas sonhos estranhos... "Onde é que Agnes vai, quando ela não está aqui, Pod?" Ela lutou contra o desejo de fofocas.

Podrick parecia não ter esperado essa pergunta. "Agnes, vossa graça?" Ele olhou a fixamente. "Eu não sei muito, ela é capaz de andar no castelo de tal maneira, que nunca a vejo em qualquer lugar, mas aqui, e talvez no pátio, eu nem sei se ela tem seus próprios aposentos, muito menos se dorme. "

Sansa sentiu que algo deveria ser feito. "Será que ela conversa com alguém?"

Podrick estava curioso sobre o interesse da rainha em uma criada inofensiva. "Eu acho que ela fala com todos, você, as outras servas, me... o rei."

Suas orelhas se animaram. "Quando?"

"Quando ele está no pátio, eu costumava pensar que ela era seu mensageiro, e ela estava repassando as coisas para ele."

"Alguma vez você já ouviu o que ela disse ao Rei?"

Podrick parecia desconfortável
"Ela ... sussurra."

Ela colocou seu bordado em seu colo. "Que curioso." Sansa acreditava que Podrick percebeu seu tom.

"Mas eu não me preocuparia, ele é o mesmo de sempre, vossa graça."

Ela brincou com a agulha, estudando os pés de Podrick, ele foi cauteloso. "Podrick, eu vou pedir que você faça algo para mim."

"Qualquer coisa, mas eu tenho um sentimento que eu sei ..."

Sansa sorriu, puxando um ponto através de seu tecido. "Segui-la, faça amizade com ela, se puder, se ela está sempre com o meu marido, fique perto do Rei. Eu espero que eu não o veja por algum tempo."

Podrick balançou a cabeça. "Obrigado, Pod."

Ele saiu, e imediatamente sentiu falta dele, ele era agradável, sua única companhia durante o dia, além de suas criadas.

***


Sansa sentou-se na espreguiçadeira lendo uma de suas fábulas favoritas, ela ouviu o tilintar do aço de seu marido, juntamente com o farfalhar de seu couro, mas ele quase não fez um barulho com a boca. Era como se ele tivesse segurado a respiração quando entrou na sala. Ele tinha o ar de mau humor indomável.

Ela manteve os olhos em seu livro quando parou ao lado da cama, outra figura tinha entrado, seguido por outro. A última pessoa que tinha entrado estava ajudando seu marido com sua armadura. Pelos Deuses, ele está, permitindo que um escudeiro ajude-o? Quando ela finalmente olhou para cima para ver era Podrick, ela notou que a outra pessoa na sala era Agnes.

A ha, bem, ela disse a Podrick para segui-la e ficar com o rei. Agnes estava se aproximando da cama.

Sansa se divertiu ao ver Podrick examina-lá como um falcão durante todo o tempo que estava tirando a armadura de Jon. A rainha, enquanto estava sentada podia ver Jon reflexivamente olhando para a criada. O que na terra... Tinha Podrick falado com Jon sobre seu pedido?

"Vossa graça?"

"Agnes". Sansa olhou segurando seu livro, mesmo que seus olhos já estavam em seu marido.

"Devo ajudá-la com a sua roupa da noite?" A serva estava segurando seu urinol, como se esperasse que rainha recusasse sua ajuda.

Sansa ainda estava em suas roupas do dia, e Podrick ainda estava presente. Como esse seria um bom momento para ajudá-la com suas roupas? Ela enrolou uma mecha vermelha em torno de seu dedo, estudando a reação de todos com essa pergunta. Jon estava olhando para o espaço entre a cama e eles, e Podrick os observou abertamente. Ela esperava que ele teria a decência de virar seus olhos.

"Claro." Ela disse distraidamente, e o ar no quarto mudou. Podrick se escondeu atrás de Jon, virando o rei. Seu rei tinha fugazmente olhado para sua esposa, para avaliar a sua intenção antes de escolher olhar para qualquer outro lugar.

"Vossa graça?" Agnes estava claramente surpresa que ela tinha recebido o consentimento e sem jeito colocou o urinol no chão. Sansa surgiu como uma deusa da espreguiçadeira de braços abertos. "Claro, vossa graça." Era como se ela tivesse dado a bruxa uma chute no traseiro. Ela viu Agnes fazer um gesto para o divisor, mas Sansa permaneceu firme. Você consegue fazer isso.

"Tudo bem, vamos fazer isso aqui." Assim que ela disse isso, ela sabia que teria que seguir adiante. Encará-lo, ou virar as costas? Jon já estava sem armadura, Podrick estava retirando a cota de malha.
Eles não estavam atentos, mas era óbvio que eles não eram ignorantes para o que estava prestes a se desenrolar. "Vamos ser rápida com isso, eu não quero um espetáculo, obrigada." Sansa tentou parecer tão digna quanto possível, mesmo que ninguém fosse vê-la a não ser a bruxa.

"Certo." Agnes sacudiu o cabelo de sua rainha por cima do ombro e começou soltando o laço em sua cintura, o manto externo foi aberto, revelando seu espartilho. Sansa sentiu frio imediatamente, mas sentiu também pelo menos dois pares de olhos ardendo na carne do seus ombros nus, quando o manto foi puxado para trás e para longe. Agnes circulou para recolher o vestido que estava pendurado sobre seus braços. Ela perdeu um pouco de sua calma, pois Agnes não estava protegendo-a, então ela abaixou a cabeça para esconder seu rubor. Ela podia sentir Agnes fazendo um trabalho rápido nos laços do espartilho. Sansa perdeu a coragem e virou as costas para os homens. Agnes teve que virar em torno dela.

A bruxa deu um bom empurrão para baixo, e as roupas caíram no chão, ela estava agora nua como no dia em que nasceu. O frio atingiu seus mamilos, e suas mãos automaticamente cobriram seus seios. Rezando que sua criada estivesse bloqueando a visão do seu corpo nu do homem que ela havia se casado e seu escudeiro. "Tem certeza de que deseja vestir sua camisola esta noite, vossa graça?"

Essa bruxa não era seu conselheiro, ela deu-lhe um olhar muito condescendente. "Até que elas saíam de moda, eu vou usá-la."

Agnes saiu educadamente, e desapareceu atrás da tela para pegar a camisola, deixando deliberadamente Sansa exposta por um par de segundos, antes de voltar a puxar o vestido de algodão sobre a cabeça. Sansa ficou aliviada ao ser coberta mais uma vez.

Ela virou-se para encontrando Jon ali de pé vestindo suas roupas de baixo. Agnes teve a audácia de olha-lo o que lhe rendeu um rugido de sua rainha. "Já está terminado agora, não é? Ou deseja ficar para se deleitar com meu marido um pouco mais?"

Agnes sorriu e saiu sem uma reverência. Ela viu o marido certificando-se a criada tinha ido embora, antes de passar um veredicto. "Fique atenta, ela está à procura do sapatos de mulher morta."


Ela tinha ouvido essa expressão antes, e só agora sabia o seu significado. A esposa de reposição.

"Ela seria a culpada." A bruxa provavelmente a queria morta. "É melhor ela manter distância." Sansa soltou, ficando onde estava. Sua armadura tinham sido despejada na poltrona como se Podrick tivesse saido com pressa.

Jon franziu a testa e seguiu seu olhar. "Eu... mandei ele embora, logo que o espartilho..." Ele fez um gesto, e percebeu que tinha admitido que assistiu enquanto Sansa era despida. "Não importa, não é?" Ele atirou-se profundamente na cama, abalado. Provavelmente, a única vez que ela vai ouvir isso dele. "Será que eu vi ciúmes?"

Ha! Sansa deu um único latido, incrédulo. "Ela é uma bruxa!"

"Nunca pensei que você diria uma coisa dessas." Ele estendeu suas mãos por trás de sua cabeça.

Ela estava certa de que era apenas uma desculpa para flexionar, ela podia ver todos os músculos salientes, uma exposição tão masculino. Sansa andou pelo quarto e sentou-se na frente de sua penteadeira, e começou a escovar os cabelos, ela ainda podia vê-lo no reflexo do espelho. "Você percebe que a menina não é apenas uma criada chamada Agnes, é a bruxa de vermelho disfarçada!"

A cabeceira sacudiu quando ele se sentou. "Melisandre."

"Oh, sim claro."

Finalmente ouviu o nome em voz alta da boca de seu marido, ela continuou a escovar o cabelo olhando para Jon no reflexo. "Ela me ajudou a tomar banho no outro dia e me apareceu como ela mesma." Ela ouviu um palavrão, mas ignorou. "Ela quer ajudar com os Deuses sabe o que."

"Isso é o que você entende por vir para o castelo usando bruxaria? Ela obrigou-se a trabalhar como serva? Você tem certeza que não era apenas uma criada?" Seus pés tocaram o chão. "Eu não sabia que ela tinha ficado aqui, isso explica por que 'Agnes' tem prestado muita atenção em mim. "

A escova de Sansa parou em seus cabelos vermelhos e ela retrucou. "Considerando o que ouviram, todo mundo tem prestado muita atenção em você, você é um homem morto andando."

Ele saiu da cama com velocidade, e sua escova caiu no chão. Oops. Suas mãos tinham perdido o controle devido à ansiedade que se espalhou por todo seu corpo.


"Desculpe... eu... não significa que você está morto" Ela tentou, enquanto se abaixou para pegar a escova, e quando levantou, Jon estava atrás dela. Sansa podia ver seu torso no espelho. Era uma visão familiar, ela tinha visto a cada manhã e noite. Por alguma razão o seu aperto aumentou na escova, como se fosse uma arma, embora pudesse ser simplesmente para não soltá-lo novamente. "Jon." O estômago se moveu no reflexo, por isso, ela sabia que ele podia respirar. Um homem morto não precisa de ar. Seu braço ficou à vista e ele pegou a escova de suas mãos. "Jon."

A rainha esperava ser atingida, mas em vez disso ele pegou para escovar seu cabelo. Ele colocou os dedos no topo de sua cabeça enquanto varreu seu cabelo, para segurá-la firme. As cerdas deslizaram calmante em seu couro cabeludo, e ele escovou o cabelo atrás da orelha. Ela sempre gostou quando alguém fazia seu cabelo, e foi uma experiência única ter um homem fazendo. Ela poderia dizer que isso foi esmagador para seus sentidos; o toque e aquelas mãos, ela podia sentir o cheiro dele também. O aroma inebriante de... Seus olhos estavam começando a cair.


Continua...


Notas Finais


Será que vai rolar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...