História Wicked Game - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Davos Seaworth, Jon Snow, Melisandre, Personagens Originais, Samwell Tarly, Sansa Stark
Tags Jon Snow, Sansa Stark
Exibições 98
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Continuação...
Boa leitura

Capítulo 11 - Capítulo 11



"Você está fazendo o meu cabelo em pé." Sansa comentou, então corrigiu. "Eu quis dizer... parado". Não querendo mencionar o quão relaxado ele estava.

"Talvez isso é o suficiente." Suas mãos enfiada através de seu cabelo. "Devolveria o favor?"

Era sua própria mente que o fez soar com um sotaque forte? mas ele disse normalmente. Mas os olhos...

"Você está pedindo um favor a uma rainha?" o tom de sua voz era rude, mais seus lábios estavam curvados em um sorriso.

"Eu vou te pagar."

Ela tentou segurar a risada. "Desde quando é que os homens têm o cabelo escovado, afinal?" Ela já tinha aceitado a tarefa à muito tempo, bastou um olhar no cabelo despenteado e ela só desejou brincar com ele.

Sansa se deslocou com falsa indignação para que ele pudesse compartilhar seu assento. "Se eu tiver que fazer, é uma bagunça." Ela mentiu.

"Certo." Jon estendeu a escova, e arremessou para a cama.

"Na cama, não posso sentar nessa coisa." E ele andou até outro lado do quarto. Sua rainha assistiu com medo quando ele começou a deitar na cama. Ela silenciosamente e, lentamente, se juntou a ele, não tinha certeza de ficar em pé, ou sentar-se com as pernas para o lado da cama. Os lençóis sussurravam e a cama rangeu quando ela procurou uma posição adequada, ele assistiu ela consumido com interesse. Sua decisão indicaria seu humor, e desde que ela resolveu ficar com as pernas fora da cama e atrás dele, Jon provavelmente sabia que ela iria fazer a tarefa.

***

A escovação... Não foi tarefa fácil, foi necessário duas mãos, e muita paciência. Não estava atado, apenas encaracolado, ela dividiu em partes e começou a escovar. O quarto caiu em um silêncio calmo, tudo o que ela ouviu foi o barulho da escova, e seus próprios murmúrios de trabalho. Depois de terminar ela queria acariciá-lo, brincar com a suavidade do seu cabelo que era macio o suficiente para colocar seu rosto. Mas ela não o fez. Quando as mãos contornou a testa, para escovar atrás das orelhas, ele virou para encará-la. Isto foi, provavelmente, para ajudá-la, mas ela achou difícil, porque agora ela sentiu como se estivesse sendo vigiada. Ele a sondou, e ela segurou todo o ar e mordeu o lábio. Sansa queria se levantar mais não parecia certo parar agora, então ela começou de volta, esquecendo-se de usar a escova. Os cachos estava entre seus dedos, seu cheiro invadindo o ar. Sansa acreditou que um encantamento tinha sido lançado, então ela parou. "Feito." Ela anunciou, e se contorceu para fora da cama para recuperar seu livro.

"Posso fazer o seu de novo?"

Ela ouviu, e realmente não se importava. Mas por que um rei faria trabalho de uma serva?


"Claro que você pode, suponho que poderia ler ao mesmo tempo." Ela tinha os olhos na espreguiçadeira, mas ela poderia ler na cama. Ela subiu, e percebeu que teria de se sentar longe da cabeceira para que ele pudesse chegar ao seu cabelo. "Você vai se cansar."

"Você gosta de ficar com nós?"

"Eu só estou dizendo que vai ser um desafio." Sansa cruzou as pernas e colocou seu livro lá.

"Escovação ininterrupta é hipnótico." Ele comentou, e ela não poderia concordar mais.

"Sim, acho que, tanto escovar... e ser escovado."

Ele deslizou a escova, a hipnose começou. Talvez fosse um encantamento, talvez ela deveria parar? Ela estava com medo de magia, e não estar no controle, mas, naquele momento, ela não se importava. Sem dúvida, se havia alguma força desconhecida, concerteza essa força tirou sua ansiedade. Sansa percebeu que tinha parado de ler, ela estava na mesma página durante 10 minutos. Quando voltou para a história, ela encontrou a princesa na história escovando os cabelos. Ela fechou o livro e deixou-a cair na mesa de cabeceira. "Eu acho que escreveria melhor." Ela recostou-se, apenas para saborear o momento.

"Por que não?" Jon disse depois de um momento de silêncio.

Sansa estava falando para si mesma, não era uma sugestão. "Oh, isso é uma noção boba, eu escrever histórias, para quê?"

"Pessoas irão escrever histórias sobre nós nos livros, por que você não escreve um livro?"

Sansa zombou. "Eu vou deixar os historiadores e meistréis escrever sobre nós." Ela brincou com a bainha de sua camisola, pensando sobre a sua história. "Eles podem fazê-la soar mais épica." Ela ia dizer com menos tragédia mas toda a sua vida foi uma tragédia. "Com batalhas e animais ferozes." Ocorreu-lhe que ela poderia ter insultado sua união. "Não é que não temos boas histórias para contar, é apenas..."

"Só não está terminada." Jon respondeu, e colocou a escova em seu colo. "Você pode fazer um diário, ou escrever uma história que não é sobre nós, uma obra de ficção?"

Ela se virou para ele, sem acreditar no que ele estava pedindo. "Parece algo que eu iria gostar, não só nunca passou pela minha cabeça, uma mulher escrever um livro, uma rainha escrever um livro." Ela enfatizou 'rainha' em seu tom doce.

"Você sabe o que eu gosto?"

Jon perguntou brincalhão, e isso assustou os sete infernos dentro dela. Não pergunte, não pergunte.

"Treinar!" Ela disse depois de uma tempo.


"Você Deveria escrever um livro sobre a formação." Ela pulou da cama, sua escova caiu no chão, e ela colocou na mesa. "Pode ser outro projeto para nós... entre ganhar a guerra, e..." Defender os reinos dos homens? "Reconstruindo Winterfell."

"Eu não tenho tempo para escrever um livro, há coisas que precisam da minha atenção." Esse tom estranho ainda persistia, e ela pensou que ela tinha conseguido esmagar todos as sensações ateriores. "Outro projeto para nós?..." Droga, ela disse mais cedo, e eles não têm sequer um único projeto ainda. Ele se arrastou de joelhos sobre a cama em sua direção. "Venha aqui." Foi muito jovial, como se estivesse falando com o lobo. Tão completamente inofensivo.

Sansa cruzou o vazio que ela tinha criado e estava diante dele, sorrindo educadamente. "Escrever um livro é uma boa idéia, e eu tenho muitos na minha cabeça ... Um conto de duas irmãs, uma boa e uma má, um homem que cozinhou homens em tortas." Ela ouviu Jon sorrir enquanto seus dedos dançavam perigosamente perto da barra da sua camisola.

"Ótima sugestão, obrigado pela idéia, ela vai me dar algo para fazer." Ele definitivamente queimou sua camisola, apenas olhando para ela  desafiando-se para levantá-la.

Ela olhou para a mesa. "É melhor eu escrever isso antes que eu esqueça." Ela recuou de volta para a mesa.

"As mulheres têm boas lembranças, você vai se lembrar, eu vou lembrá-la."

"Vou precisar de sono adequado, a fim de..." Quando olhou para trás, ele estava sentado, como se estivesse prestes a puxa-la.
Ela teria que parar qualquer coisa que estivesse em sua mente.
Sansa estudou-o, e ele simplesmente deu um sorriso.

"Você não tem reunião do conselho amanhã?" Ela estava tentando desesperadamente ser mais educada o possível, ela não poderia dizer abertamente tudo o que estava em sua mente. "Eu quero dizer cedo?"

Jon desviou os olhos dela. "Sim..." ele disse antes de deitar. "Eu suponho que você está certa."

Isso pode ter sido uma pequena vitória, mas ela se sentiu mal, e ela teve a sensação de que ele não estava de acordo com ela. Ele sabia o que estava fazendo. Ela viu o velho sorriso dele, o velho Jon solitário.

Quando ela subiu na cama, ela sentiu uma lacuna enorme, maior do que o normal. Jon foi o primeiro a apagar a vela esta noite, e tentar dormir. E ele conseguiu. Sansa ficou acordada, ouvindo-o respirar, até se torna muito lenta. As grandes pausas da sua respiração lhe deram medo, como se ele estivesse próximo da morte. Sansa olhou e viu a lenta ascensão e queda de sua cavidade torácica, ele estava do seu lado, de costas para ela.
Mais uma prova de que ele não gostou de sua atitude esta noite. Sansa estendeu sua mão para tocar seu ombro, parecia brilhar sob o luar, deslizou para baixo o cobertor para ver suas costas. Sua boca tremia, era como se ela estivesse prestes a chorar, ela ficou triste. Triste que ela não se sentia confortável, triste porquê Jon não estava feliz, triste pela dor e o sofrimento que ele suportou para ter essas cicatrizes. Ela se aproximou, e timidamente beijou uma de suas cicatrizes. Seu rei se agitou e ela rapidamente voltou a sua posição, e fingiu estar dormindo, antes de perceber que era apenas uma contração muscular noturna.























Notas Finais


E nada aconteceu... Ai ai ai


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...