História Wicked Game - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Davos Seaworth, Jon Snow, Melisandre, Personagens Originais, Samwell Tarly, Sansa Stark
Tags Jon Snow, Sansa Stark
Exibições 98
Palavras 599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Wicked Game - Capítulo 12 - Capítulo 12

Ela encontrou-se na escuridão, uma escuridão fria com muito vento que violou seus sentidos, e encheu sua alma com medo. Sansa gritou em voz alta para ver o quão longe a escuridão chegava, o som se repetiu, depois se perdeu. O lugar era uma imensidão. Ela caminhou firmemente tocando com suas mãos, tentando sentir as paredes, portas, ou pessoas, qualquer coisa. Ela não queria ficar sozinha. Em seguida, um rosnado baixo reverberou à sua esquerda. Ela olhou com um suspiro. "Lady."

Ela viu seu lobo gigante, ela brilhava com o luar, mas não havia lua. Lady não era a única a rosnar, mais seu rodando era o mais delicado de todos os lobos gigantes. "Lady." Ela disse docemente, e a loba escondeu os dentes e se arrastou para ela, seu rosto tornou-se gentil e cheio de afeto. Sansa acariciou seu torso. Como ela se lembrava, o cheiro ainda era o mesmo, cheirava a terra e, ocasionalmente, o perfume, que ela passava em seu pelo. "Graças aos deuses que eu tenho você." Ela penteou sua pele com os dedos. "Senti sua falta."


"Minha esposa deve estar ficando solitária."

Sua cabeça se levantou, o pânico se instalou. Era a voz de Ramsay ecoando. A escuridão começou a recuar. E ela correu para o lado oposto do vazio para fugir da voz. Se Ramsay estava lá, seu lobo poderia protegê-la. Mas então ela se lembrou. Lady estava morta. E, de repente, seu lobo gigante desapareceu, mas ela ainda podia sentir o cheiro dela. Ela não tinha ido embora. Ela cheirou na esperança de traçar seu caminho, e encontrar novamente seu lobo. Sansa vagueou pelos arredores do lugar que estava, as fronteiras eram escuras, mas ela entrou e gritou Lady? Ela não tinha voz, nada saiu, só um lamento. Foi quando ela percebeu que ela não estava andando... ela estava trotando, e ela não tinha as duas pernas, e sim quatro. Eu sou um lobo? O bom foi que, quando ela se concentrou ela pode ver através da escuridão. Havia silhuetas de árvores, e nada mais.

Até que ela aguçou os ouvidos, alguém estava em perigo, ele estava fungando, como se abafando um soluço. Ela trotou para a escuridão e por entre as árvores, até que ela avistou uma forma escura no chão em uma clareira, e logo que ela estava próximo, ela sabia que era um menino. Ele estava enrolado, tentando manter o calor, chorando na sujeira. Ela aproximou-se de costas com cuidado, mas ela pegou o seu cheiro ainda mais para trás. Couro e almíscar. "Jon?" Saiu como um gemido simpático. Ele caiu para a frente, surpreso. Oh senhor.

Ele voltou a sua posição curvado para cima para olhar para ela, limpando o nariz com a manga, ela percebeu que ele era muito jovem, jovem demais para ela conhecê-lo, teria sido na época em que ela era um pouco mais velha que Rickon.

Ele olhou para ela, assustado com sua presença. "Lady?"

Oh sim, ela ainda era um lobo, e seu próprio lobo. Mas ela não conseguia entender como ele sabia da Lady.

O lobo gigante não estava por perto quando ele tinha essa idade. Antes que ela tivesse tempo para compreender tudo neste mundo bizarro. O menino abraçou-a colocou os braços em volta da cabeça peluda e apertou. "Eu também morri." Ele murmurou em seu pelo, e sentiu gelar até as patas. "Você cheira bem."

Ficaram preocupados com os uivos e latidos de cães, e eles encontraram-se fugindo juntos de volta através das árvores. Suas perninhas não foram rápido, e ela cobriu um lote de terreno. "Espere por mim." Ele gritou.

Então, ela abrandou para ele alcança-lá. "Vamos, se apresse!" 


Notas Finais


O que é isso?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...