História Wild Girl - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Tags Drama, Drogas, Etc, Guns N' Roses, Romance, Sexo
Exibições 34
Palavras 10.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


falaaaaaaaa moçada linda....olha eu aqui de novo...ATUALIZANDO CERTINHO!!! finalmente eu sei o que é tempo livre de sobra....e aqui estou para atualizar essa fic ( se é que alguém ainda lê) Mas enfim....obrigado a quem tá favoritando, quem lê e acompanha, aos meus leitores fantasmas: apareçam! Please...eu juro que não mordo, a não ser que me peçam
Ps: Capa linda, maravilhosa, perfeita...feita é claro...pela @Linesilva....quero prova no mundo de que exista alguém melhor do que ela que manje desses paranauê aqui.....eu já comentei que ela e a @Melinacante estão com uma fic babado? Apois...elas estão...sugiro que vocês vão correndo ler...porque é duca...
Bjs da tia Logan...aproveitem o cap...

Capítulo 16 - Thinking out loud....


Fanfic / Fanfiction Wild Girl - Capítulo 16 - Thinking out loud....

Acordei com uma sensação boa, na verdade uma sensação gostosa de calor, por todo o meu corpo, era levemente familiar, era como um comichão que começava de baixo para cima e que envolvia todo o meu corpo, os pontos de tensão estavam se aliviando, eu podia sentir, Deus seja lá o que o senhor tenha feito no meu corpo durante a madrugada, muito obrigada! Porque eu realmente estava precisando, a sensação era bem singular e úmida, muito parecida com um...Epa! Isso parece com uma… Um gemido involuntário saído de minha garganta confirmou minhas suspeitas.

-Essa é a forma mais gostosa de ser acordada - falei com um largo sorriso

-Você estava precisando - Saul falou, sua cabeça abaixada entre as minhas pernas, a voz abafada, logo sua boca voltou a se ocupar, me chupando gostoso

-Isso é quase um estupro sabia? - falei - Eu dormindo, toda inocente e indefesa, e você se aproveitou disso.

-Não aja como se não gostasse disso - ele falou irônico - Além do mais - ele subiu o tronco e colou sua boca em meu ouvido - Você está prestes a ser castigada

-Posso saber porque? - falei ignorando o arrepio gostoso que se apossou do meu corpo

-Você me provoca demais garota - ele abarcou todo o meu corpo com os seus braços - Me excita demais - ele direcionou sua boca até o meu pescoço e começou a morder ali, ora fraco, ora mais forte - Me deixa de pau duro e some.

-Minha natureza é assim mesmo - sorri de forma provocante. De fato, eu tinha essa natureza, de provocar, as vezes ser provocada

-Mas eu gosto assim - ele me deu um chupão - Assim eu tenho mais chances de te castigar

-E eu com certeza, não acho isso uma má ideia - puxei o cabelo dele, virando seu rosto para mim e o beijei. Nosso beijo era barulhento e nada casto,as línguas se enroscando uma na outra, salivas se misturando, e mãos tocando os corpos alheios, logo senti seu pau duro encostando em minha coxa, o que me fez tremer de excitação, com um pouco de esforço eu inverti nossas posições e me coloquei no colo dele, exatamente em cima de sua ereção, o atrito entre nossas intimidades descobertas era incrivelmente maravilhoso.

-Você adora me montar não é? - ele puxou meu cabelo, e eu arqueei minhas costas, minha boca se abriu em um gemido mudo - Você não tem noção do quanto eu te acho sexy quando está vestida nesses blusões - sua mão beirava a barra do meu blusão - Sério, se você soubesse o quanto me deixa louco - ele levantou minha blusa me deixando completamente nua em seu colo

-E porque você acha que eu uso isso direto? - falei mordendo os lábios para o impedir os gemidos que saiam muito alto, Saul me levava a loucura quando ele me apertava de forma bruta.

-Você é uma vadia que adora provocar não é mesmo? - ele mordiscou meus seios, e eu arqueei mais ainda meu corpo buscando mais o contato de sua boca quente.

-E você é um safado que adora isso - pisquei pra ele, e comecei a rebolar bem devagar em seu colo, estimulando mais a sua ereção

-Ash, Ash, o que eu faço com você garota? - ele passou a lamber e chupar meus seios, e a dar mordidinhas, fortes o suficiente para me deixar gemendo sem parar

-Me fode - responde - Me fode gostoso, do jeito que eu gosto - rebolei mais rápido. Saul me pegou pelas coxas e me jogou novamente contra o colchão.

-Seu pedido é uma ordem - ele piscou pra mim e meteu com força dentro de mim, eu não consegui segurar o grito, ele era muito grande e grosso também, então toda vez que a gente transava levava certo tempo para me acostumar, e hoje deveria ser dobrado esse tempo dada as minhas condições, mas eu estava impaciente

-Mais rápido e mais forte - pedi, enlaçando sua cintura com as minhas pernas.

-Tem certeza? Não quero te machucar - ele falou dando lambidinhas em meu pescoço de forma carinhosa

-Não sou de porcelana Saul - revirei os olhos - Eu quero que você me foda com força - exigi

-Se é o que você quer - ele saiu de dentro de mim quase que completamente, deixando só a cabeça do pau dentro, e voltou com força, tanto que a cama rangeu, e continuou assim, indo e voltando com força, sua boca me mordia em todos os lugares possíveis, e minhas unhas arranhavam as costas dele. Eu gemia, e estava pouco me fodendo se os outros iam ouvir.  Ele tirou minhas pernas de sua cintura, e as abriu completamente, me deixando toda aberta e exposta para ele, ele voltou a meter fundo em mim, em seu ouvido eu falava coisas totalmente desconexas e muitas obscenidades, do tipo que ele gosta. Não aguentei ficar naquela posição por muito tempo e voltei a montar nele, uma de suas mãos veio para a minha cintura e outra veio para o meu cabelo me puxando para um beijo, eu rebolava rápido, subia e descia com força e ele me ajudava a ditar o ritmo, meu corpo já dava sinais que estava quase lá, então me empenhei mais no rebolado, Saul se deitou completamente na cama, e puxou minhas mãos para o seu peitoral, eu fiquei minhas mãos, unhas e dentes ali e fui mais rápido e mais forte, os gemidos dele também me excitava, era algo grave, quase como um urro, bem másculo, meu nariz exalava aquele cheiro maravilhoso que nos envolvia, suor e cheiro de sexo, isso era quase um afrodisíaco para mim, ele me apertou mais forte, e gemeu mais,  era o sinal que dizia que estava chegando para ele também, eu me comprimi o máximo que eu pude, ele me puxou pela cintura e me jogou na cama com brutalidade, se meteu entre minhas pernas e segurou meus braços com força, e meteu forte dentro de mim, e tão fundo que eu senti tocar em meu útero,  e logo nós dois gozamos. Juntos.

-Uau! - ele foi o primeiro a falar, ele estava deitado em cima de mim, e com seu pau ainda dentro da minha boceta - Caralho! Ash, a cada vez- ele aspirou forte em meu pescoço - Você se supera - ele desceu com mordidinhas pelo meu pescoço e seios, eu gemia baixinho e de um jeito manhoso, pudera! Ele me deixou acabada, e esse orgasmo então? Sem palavras.

-Você acabou comigo - falei fazendo um carinho de leve em seu cabelo

-posso dizer o mesmo de você, porra! essa tua boceta é uma delícia de se foder - ele saiu de dentro de mim deixando uma sensação de vazio

-E o seu pau é uma delícia de se montar - falei, ele segurou meu queixo e meu deu um beijo, esse era mais devagar e mais carinhoso, ele me puxou para deitar em seu peito e eu te bom grado fui.

-Fiquei sabendo que te derrubaram ontem - brinquei, meus dedos traçaram linhas imaginárias no peito dele

-Você nem imagina - ele riu de forma anasalada

-Porque você fez isso? - perguntei

-Essa pergunta é idiota a níveis alarmantes - ele disse

-Ei, quantas vezes eu vou ter que te dizer pra não fazer coisas como aquela? - puxei o seu rosto pra que ele me encarasse

-Você estava desmaiada Ash - ele suspirou - Literalmente no chão, e ele… ele..ele estava lá com as mãos em você, o que você acha que eu deveria ter feito? - ele se endireitou na cama

-Slash!Slash! - um ser quase derrubou a porta com murros, me impedindo de responder

-O que é porra? - Saul gritou de volta, muito puto da vida

-Problemas! - pelo grito só podia ser Duff, agora era ele que era o empata foda

-Tô ocupado agora, se virem - ele resmungou

-Com o quê? - ele parou de esmurrar a porta - Quer saber de uma? Cansei - a porta se escancarou e a girafa passou por ela - Ui! Atrapalhei o casal? - ele disse debochado

-Porra Mckagan! - Saul jogou uma almofada na cara de Duff, mas ele conseguiu aparar no ar - Sai daqui seu viado de merda!

-E perder a chance de ver a Ash pelada? Não mesmo - ele correu e se jogou na cama, me causando dor, e quase derrubando Saul no chão

-Porra Duff! - gemi - Um pouco de delicadeza é bom sabia? - falei meio dolorida

-Desculpa minha deusa - ele sorriu safado - Mas e ai? Você ai, pelada e toda gostosa, e eu aqui de pau duro, como faz pra resolver isso?

-Faz isso aqui, ó - Saul pegou a caixa onde Clyde estava e jogou na cama, a cobra se desenrolou toda e se elevou completamente encarando o loiro, o que foi o suficiente para o loiro se levantar correndo da cama e ir para o outro lado do quarto

-Porra Slash! - loiro reclamou - Golpe baixo, será que dá pra você colocar uma roupa? Não quero ver esse pinto mole

-Ele não estava mole há uns cinco minutos atrás - eu falei enquanto observava Clyde subir em meu corpo

-Comentário desnecessário - o loiro revirou os olhos

-Eu não achei - Saul voltou pra cama, acendeu um cigarro, pegou Clyde e enrolou em seu pescoço - O que você quer Mckagan?

-Axl sumiu - o loiro comentou, eu me virei completamente pra ele

-E daí? - Saul deu de ombros

-Cara, tu fumou maconha estragada de novo?- Duff cruzou os braços - Mano hoje a gente tem um show importante, e o Alan quer falar com a gente de tarde, com todos nós, e você sabe que quando a puta ruiva pôe na cabeça de sumir no mundo não é menos de 4 dias até que ele ache que tá na hora de voltar, isso quando ele decide voltar - o loiro suspirou

-Como assim? O Axl fugiu é isso? - me levantei da cama, catei minha blusa e a vesti

-Ahh...a visão tava tão boa -  o loiro resmungou

-Sem gracinhas Mckagan - Saul falou sério, ele deixou Clyde de lado, e vestiu um short qualquer que estava jogado por ali - E agora?

-E agora? Agora a gente vai ter que ir atrás dele, sabe Deus se ele ainda está na cidade ou no estado ou no país - Duff puxou os cabelos

-Como se ele tivesse dinheiro pra isso - Saul debochou

-Sei lá - Duff deu de ombros - Ele é louco, talvez tenha roubado um banco

-Onde está os outros? - Saul perguntou

-Lá embaixo - Duff respondeu - Steven como sempre comendo tudo, e Izzy com aquela cara de paisagem, eu não sei bem se ele está disposto a ajudar a gente nessa, então eu liguei pro Del

-Vocês sabem pra onde ele vai quando ele some assim? - perguntei

-Não sei pra bares, pra casa de algumas strippers que ele conhece, mas não é nada fixo - Duff respondeu

-Acho que podemos seguir um ponto a partir daí - ponderei

-Não, não mesmo, nada disso - Slash começou a dizer

-O que foi homem? - estranhei

-Eu te conheço Ash - ele começou a andar de um lado para o outro - Eu sei o que está pensando, e eu não te quero envolvida nisso

-Oxe, você está louco por acaso? - revidei - Você não sabe o que eu estou pensando e nem o que eu vou fazer

-Sei sim- ele retrucou - Você quer ir atrás dele, e eu não quero isso, não quero vocês assim…. -ele parou de falar e mordeu o lábio

-Assim como Saul? - cruzei meus braços

-Só não quero você tão envolvida assim - ele suspirou

-Saul, ele tentou me matar, duas vezes, você acha que eu quero ficar próxima dele? - quase gritei

-Eu já ouvi isso antes - ele maneou a cabeça

-Olha...eu não quero interromper o drama familiar aqui mas… - Duff nos interrompeu - Nós realmente precisamos correr aqui...então vamos? - ele apontou para a porta

-Ta.

Nós descemos para a sala, Izzy estava jogado no sofá, Stee parando e comendo algo, e Del estava de pé na sala, olhando para o nada

-E então? - Duff se jogou ao lado de Izzy - O que fazemos

-Vocês, eu não sei, mas eu irei ensaiar o setlist de hoje a noite - Izzy respondeu

-Porra! Assim não dá - Dele começou a andar de um lado para o outro - Você o conhece melhor do que ninguém, você é pessoa certa

-Não, eu não sou, eu não tô com tempo e nem paciência para os ataques do William, vocês querem sair pelas ruas de Los Angeles sem rumo e procurar por ele? Okay, vão, mas eu não vou fazer isso  - o moreno explodiu

-Izzy, tenta entender porra! Hoje é definitivamente o pior pro Axl sumir, e você sabe disso, então colabora cacete - Duff gritou

-Okay - Izzy retomou a sua face estóica - Eu vou ajudar

-Ae Caralho! Finalmente - Steven gritou - Tanto cú doce pra nada

-Izzy - chamei o moreno - Isso é frequente? As fugas? - perguntei

-Ash,eu já disse pra não se meter nisso - Saul me puxou pelo braço

-Não se você percebeu mas… -  puxei meu braço de seu aperto - Eu não deixo que ninguém me fale o que eu tenho que fazer ou não, e isso inclui você - cutuquei o peito dele com força - Querido primo

-Perfeito! - Del exclamou - Quanto mais gente, maiores são as chances de achar ele mais rápido

-Finalmente! - exclamei- Alguém entendeu o meu ponto

-Então você vai ir? Mesmo eu dizendo que não? - Saul cruzou os braços

-Então assista de camarote eu sair por aquela porta - respondi irônica - Qual é o teu problema eu tô tentando ajudar porra! Vocês tem uma penca de coisa importante pra resolver hoje, e infelizmente o ruivo precisa estar presente com vocês, não sei do que você tem tanto medo, afinal eu e ele não aguentamos ficar no mesmo espaço sem nos matar - falei em tom de brincadeira

-Não foi isso o que eu vi naquele dia - Duff falou em tom malicioso

-Duff! - exclamei em tom de repreensão

-O que você viu? Do que você está falando? -Saul perguntou já desconfiando

-Nada! - falei primeiro - Ele não viu nada - o olhei duramente e o loiro engoliu em seco

-Okay….E como você acha que pode nos ajudar - ele disse irônico

-Não sei se você se esqueceu disso, primo - frisei bem a última palavra - Mas eu conheço as ruas dessa cidade como ninguém

-Conhece?! - Del falou meio surpreso

-Qual é me dá um tempo - falei meio impaciente - Eu nasci aqui, e me criei nessas ruas

-Mas você não esteve fora por uns anos? - Duff perguntou

-Sim, e por mais que as construções dessa cidade não param, as ruas continuam as mesmas - dei de ombros

-Perfeito! Vamos - Del falou

-Preciso de 5 minutos - subi a escada o mais rápido que eu pude, entrei no meu quarto, tomei uma ducha, e peguei uma roupa qualquer e vesti, e depois voltei pra sala

-Até que não demorou muito- Izzy riu com sarcasmo

-É o seguinte Isbell - frisei bem o sobrenome dele - Eu posso estar no momento em uma condição de não levantar o braço sem sentir dor, mas eu ainda posso socar o seu lindo rostinho sem reclamar - sorri “docemente”

-Sem perca de tempo - Del começou a bater palmas - Depois vocês se matam pode ser?

-Foda-se - sai de casa e esperei pelos outros na varanda

-Pra onde você pretende ir? - Del perguntou

-Isso é você quem vai me dizer - dei de ombros

-E aquele papo de “ eu conheço todas as ruas de Los Angeles” - Duff fez aspas

-E eu conheço - revirei os olhos - Só não conheço o ruivo, a girafa loka me contou de alguns lugares que ele costuma ir

-E..? - Izzy perguntou

-Bom, normalmente uma pessoa costuma a ir para lugares que lhe são familiares ou que lhe pareça familiar pois esses lugares lhes fornece a sensação de segurança, e eu acho que isso é um ponto de partida

-Muito interessante - Izzy falou acendendo um cigarro - Mas você falou “normalmente” - fez aspas com os dedos - Mas acontece morena, que o Axl não é normal - suspirou - Então o que nós vamos fazer aqui é um baita de um tiro no escuro

-Porra -Steven falou - A puta albina pensou certo agora

-Vai se foder Popcorn - Izzy revirou os olhos

-Bom ...então somos… - parei pra fazer uma contagem - 6 pessoas pra procurar uma certo?

-É o que parece - Saul deu de ombros

-Okay...Você também tem um bom conhecimento das ruas Slash, então você vai com Duff e Steven, e eu vou com Izzy e Del - falei

-Seguindo essa teoria - ele disse de forma irônica - Ou Izzy ou Del tem que vir comigo pra servir como um tipo de bússola humana esquisita

-Até que faz sentido isso - Duff coçou o queixo

-Se for assim, eu quero ir com a Ash - Steven disse

-Aquieta o facho - falei - Vamos tirar na sorte os grupos então - olhei pro jardim, achei um graveto - Vai na sorte mesmo - quebrei o graveto -  Peguem aqui

-Qual é Ash, a gente não tem cinco anos - Duff revirou os olhos

-Existem certas discordâncias quanto à isso Mckagan - Izzy falou, encarando Steven que estava enfiando um dedo no nariz - Então peguem logo essa porra aqui - todos eles pegaram os gravetos na minha mão

-Quem ficou com os pedaços maiores vai com o Saul, quem ficou com os menores vem comigo - falei

-Eba!Eba! Eu peguei o pequeno - Steven começou a pular e dançar

-Droga! Eu vou com a moita - Duff reclamou

-Eu vou contigo Ash - Del falou

-Vou com a moita - Izzy falou

-Perfeito -falei - Entrem nos carros e vamos atrás da puta ruiva  - falei - Eu dirijo - sai correndo.

 

.....................................................................................................WG.........................................................................................................................

 

15  bares, 24  apartamentos  de  prostitutas, 3  hospitais, e 1  delegacia  depois,  nós ainda  não tínhamos nenhuma notícia do Axl, bom, não acho as estatísticas desanimadoras, mas sério, eu estava preocupada

-Você tem certeza que marcou com eles pra encontrar a gente aqui? - perguntei pro Del, a gente tinha parado em um posto de gasolina para esperar os outros

-Pela milésima vez, sim - Del suspirou - Agora será que dá pra relaxar?

-Como se eu conseguisse fazer isso - revirei os olhos

-Faz igual ao Steven - ele apontou pra dentro do carro, onde Steven estava dormindo, estava tão relaxado que até roncava

-Não consigo, e sinceramente - suspirei - Era ele quem deveria ficar assim, afinal foi o vocalista da banda dele que sumiu, e aqui estamos, em algum lugar de Los Angeles - dei a volta no carro e sentei no capô - Esperando os rapazes, pra ver se a gente consegue encontrar o Axl antes das...Que horas são? - perguntei pra Del

-Perto de meio-dia - ele respondeu

-Como é? - estranhei - Deixa eu ver isso direito - puxei o braço dele

-Ei! Calma ai porra - ele reclamou

-É...é perto de meio dia mesmo - larguei o braço dele - cara eu pensei que era super tarde, que horas que saímos de casa?

-Um pouco antes das sete

-Pera ai, vocês me acordaram antes das sete? - dei um tapa no braço dele

-Tecnicamente, você já estava acordada - ele deu um sorriso malicioso

-Você nem estava na casa, na hora que … enfim, você sabe - eu desviei o rosto

-Notícias correm - ele deu de ombros

-Mas ..uau! A gente correu pra caramba - deitei no capô

-Como você muito humildemente falou - ele falou irônico - Uma pessoa que conhece as ruas da cidade, faz realmente toda a diferença

-Quando é que eu não tenho razão? -fiz pose de convencida

-Pode ir tirando essa marra ai - ele começou a fazer cocegas em mim

-Para Del - comecei a rir e a me contorcer - Você é muito chato

-Magoei agora - ele se fez de emburrado

-Ei! Para de fazer drama - o empurrei de leve

-Comecei a escrever o novo conto - ele disse olhando para um ponto não muito fixo

-Ahh! Aquele conto, cujo eu não posso saber, mas o seu melhor amigo, best friend forever, o tão amável Axl Rose, sabe tudo? É exatamente desse que você está falando? - perguntei com sarcasmo

-Bom, não usaria essas palavras, e eu não contei pro Axl o conto inteiro, mas é sim, exatamente esse conto - ele deu de ombros

-Gente! Genteee! tô com fome - Steven, que pelo visto já tinha acordado, começou a gritar do carro

-Não é nosso problema Popcorn - Del respondeu

-Ahhh! Ashley - ele gritou manhoso

-Pelo amor de Deus Steven! Volte a dormir - falei

-Não dá! -ele saiu do carro - Minha barriga ta roncando tanto, que eu acho que vai criar vida própria,sério cara! Eu tô sentindo isso - ele se jogou no capô do carro

-Eles estão chegando Ash - Del apontou em direção a um carro que se aproximava, dada à velocidade do veículo, era eles de fato

-Tomara que estejam trazendo comida - Steven resmungou

-Não viaja Popcorn - revirei os olhos

-Caralho Slash! Como você conseguiu bater a porra do motor do carro? - Duff saiu do carro batendo a porta com força e abrindo o capô do carro - Cacete! O inferno é aqui dentro

-A culpa não é minha não, ô sua bicha punk - Saul saiu do carro batendo a porta de igual modo

-Mas era você quem estava dirigindo, logo a culpa é sim sua - Izzy saiu do carro, mas esse se comportou como gente civilizada, e não bateu a porta

-Foda-se, vão tomar no cú de vocês - Saul mostrou o dedo

-Vai você tomar nesse teu cú arrombado - Duff gritou com ele

-Ah Mckagan! - Saul deu de ombros e acendeu um cigarro

-É foda viu! - Duff fechou o capô com força

-O que aconteceu? - perguntei descendo de cima do carro

-Aconteceu que teu primo é uma anta, foi isso o que aconteceu - Duff falou com ares de indignação

-Já disse que a culpa não é minha - Saul deu de ombros

-Ajudou pra caralho - revirei os olhos - E ai tiveram alguma sorte? - me virei pra Izzy, já que ele parece ser o único capaz de me responder algo no momento

-Nem um pouco, alias a gente quase não saiu do lugar - o moreno respondeu

-Porque? -Del perguntou

-Porque no primeiro bar que a gente parou pra pedir informação, esses dois pinguços - apontou pra Slash e Duff - Estacionaram e ficaram de papo furado quase duas horas

-Falou o cara que só bebe água benta - Duff falou irônico

-Porra! - passei as mãos por meus cabelos - Okay, entendi, a boa notícia é que temos o tempo ao nosso favor, ainda é meio-dia, e eu e Del percorremos uma área considerável

-Ei! Eu tava no meio também viu, só pra lembrar - Steven protestou

-Não conta, você dormiu o tempo todo -  rebati

-Eu estava em espírito - ele respondeu

-Mereço! - bati a mão na testa

-Vocês tiveram sorte? - Slash perguntou

-Nenhuma - neguei - Fomos em todas as casas que Del conseguiu se lembrar, e ainda fomos nas casas aos arredores - suspirei - E nada, o cara tomou chá de sumiço

-Los Angeles é muito grande, ele está por ai - Del falou

-Ou ele pode estar em algum desses lugares em que nós já fomos, se divertido com a nossa cara de idiota, e gostando de foder com o nosso dia, nossa agenda e nosso psicológico - Izzy falou com certa raiva….e um pouquinho mágoa e ressentimento também

-Você sabe que o Axl não faz isso porque ele gosta de vê as pessoas atrás dele, é exatamente o contrário disso - Del falou olhando Izzy fixamente

-Você se esqueceu completamente tão quão maluco ele é, não é mesmo? - Izzy jogou o cigarro fora, o clima tinha ficado tenso entre os dois - Ele fazia isso direito, corria e corria, e as outras pessoas que se fodessem chamando por ele

-Qual é a tua Stradlin? Você mais do que ninguém deveria entender o lado dele - Del tomou a frente, dando passadas até ficar na frente de Izzy e o segurar pela gola da camisa que o outro vestia.

-Exatamente isso, eu mais do que ninguém entendo ele, ou tento entender - Izzy tirou as mãos de Del de cima dele - E cada vez que eu faço isso, eu sinto que vou ficar tão maluco quanto ele

-Axl não é louco! Você sabe o quanto ele é genial, ele só é incompreendido - Del avançou novamente pra cima de Izzy

-Faça-me o favor James - Izzy se saiu - Nós dois sabemos que existem provas do que eu falei, até Axl tem noção do que ele realmente é! Você acha que só porque ele te dá ideias sobre o que escrever ameniza a situação? Acorde desse teu mundo de purpurina e enfrente a realidade! - Izzy praticamente cuspiu as palavras no rosto de Del, que não se segurou e deu um belo de um soco no rosto de Izzy, que revidou, todos nós corremos e seguramos os dois

-Mas que diabos deu em vocês? - me meti no meio dos dois, que se olharam com uma raiva nítida, Duff segurava Izzy, e Slash segurava Del, Steven olhava tudo com a boca aberta - Hein? Me respondam!

-Não foi nada - Izzy empurrou Duff

-Idem - Del fez a mesma coisa com Slash

-Okay, querem agir como crianças? Perfeito! Vou tratar vocês assim! - coloquei as mãos na cintura, assumi uma pose mais autoritária, e “engrossei” a voz - Del você fica aqui, vocês três - apontei para Saul, Duff e Steven - Não tirem os olhos dele, e você vem comigo Stradlin - puxei Izzy para um canto mais afastado do grupo

-Porra Ash! - o moreno se soltou - Pega leve

-Pega leve é o cacete! Se você queria moleza, que ficasse em casa - respondi rispidamente

-Alguém aqui não deixou eu fazer isso -ele respondeu irônico

-Não me lembro de ter colocado a porra de uma corda ou faca em seu pescoço te obrigado a vir, eu pedi pra você vir por causa do seu amigo - cutuquei com força o peito dele com o dedo indicador - Mas pelo visto a amizade linda e inabalável dos dois amigos que vieram do interior com o sonho de serem músicos, não é tudo isso que eu pensava - cruzei os braços

-Nunca disse que tínhamos uma amizade inabalável, ou que ela era linda, e nós não viemos junto, eu vim primeiro, e ele veio depois, ficou me seguindo pela cidade até me encontrar - ele acendeu um cigarro

-Que seja! - fiz gesto de descaso com as mãos - Porra Izzy! O que foi que rolou ali? Porque um cara que conhece o ruivo a menos tempo que você, o defendeu daquele jeito e você assumiu essa pose de advogado do diabo? Qual é o problema?

-Essa é realmente a pior hora pra você bancar a psicóloga, Ash - ele riu sem humor e desviou o olhar do meu

-Não quero bancar a psicóloga Izzy, eu só quero entender isso - respondi

-Não é como se eu não me importasse com o Axl - ele soltou a fumaça do cigarro pelo nariz -  Eu me importo com ele, só não fico idolatrando ele, e posso não demonstrar,mas eu considero ele o meu irmão, passamos por poucas e boas mesmo antes de virmos pra cá, ele mais do que eu - ele cruzou os braços - Mas porra! Eu não sei como te explicar isso de um jeito fácil, aliás eu acho que nem existe um jeito fácil pra falar isso - ele me fitou

-Eu sempre gostei de coisas difíceis - dei de ombros

-Você fala isso porque não conhece ele - Izzy riu

-Eu bem que tento - suspirei, me lembrando dos meus momentos com o ruivo

-Eu percebo isso, desde o primeiro dia, você sempre tenta estudar e analisar ele, aqui vai uma dica: Desista, antes que isso foda com a sua mente, ninguém nunca conseguiu, não acho que você vai conseguir fazer essa proeza

-Não quero entender ele - me defendi

-É mesmo? - ele falou de forma irônica

-Não Izzy, eu só quero que ele me deixe fazer parte do círculo dele, como vocês, vocês me aceitaram, e eu gostaria que ele fizesse o mesmo - respirei fundo e passei a mão por meu cabelo, acho que essa é a primeira vez que digo isso em voz alta - Digo...eu aceitei a convivência dele, do jeito que ele é, não tento mudar nada nele, assim como eu faço com vocês, só queria que ele aceitasse a minha convivência, porque querendo ou não, eu já sou meio que parte da vida dele agora, assim como ele é da minha

-Isso se encaixaria uma situação normal - Izzy riu - Mas como eu disse, ele não é normal

-Você está fugindo do assunto - desconversei

-Bom….Eu não sei te explicar bem, como eu já disse, mas em suma, quanto mais você conhecesse o cara, mais você se impressiona com ele, mas ao mesmo tempo o odeia, é bem confuso na verdade - ele soltou a fumaça do cigarro

-Não tenho certeza se entendi isso - pendi minha cabeça pro lado - É confuso

-Isso! Essa é a palavra certa, porque você acha que a Erin e ele vivem terminando, mas ela sempre volta atrás? - ele perguntou olhando em meus olhos, eu desviei o olhar

-Acho que entendi o ponto - descruzei os braços e deixei os ombros caírem - É o seguinte, vamos continuar a procura - falei - Uau! Isso soou meio estranho...quer dizer...é como se ele fosse uma donzela em perigo - ri da minha própria piada

-Não é tão engraçado assim - ele deu de ombros

-Chato! Vem, vamos voltar - o puxei pela mão - E se você e Del voltarem a se estranhar daquele jeito, eu corto as bolas dos dois, entendido? - falei em tom de brincadeira

-Sim Senhora! - ele riu

-Ótimo! - um vento forte soprou e eu olhei pra cima, nuvens negras fechavam o céu e tampavam o sol - É, ao que parece vai chover forte

-Estava precisando de uma refrescada - Izzy caminhava ao meu lado

-Realmente

-Ei! Ai! Vocês dois! - Duff gritou - Parem de se agarrar e venham aqui! - nós voltamos para perto dos outros - Acho que Del teve uma meia ideia

-Oi?! Isso é possível? - Steven perguntou

-Depende do ponto de vista - Del falou - Mas é o seguinte, eu lembrei que tem um lugar que Axl sempre vai quando quer ficar sozinho, eu mesmo já o acompanhei algumas vezes

-Pera aí! - o interrompi - Você está dizendo que tem um lugar que é quase certeza de encontrar o ruivo e só decide falar agora? - falei com uma certa quase indignação

-Eu não decidi falar agora - ele revirou os olhos - Eu só lembrei agora, tem uma certa diferença ai

-Tanto faz - dei de ombros - Onde fica?

-Nos arredores do Mount Lee - ele falou

-Perfeito! Não basta ser esquisito e ser Axl, tem que ser um ermitão também - Saul falou irritado

-Ao menos isso é melhor do que nada - suspirei e coloquei a mão na cintura - Mas sinceramente..nas montanhas, porra! Los Angeles tem uma cacetada de parques bonitos, que ocasionalmente servem pra se refletir na vida, mas não….O pensador tem que ir pra porra d montanha mais distante da cidade - revirei os olhos

-Tem uma boa vista da cidade de lá - Steven falou

-Claro, claro - falei - E onde fica esse tal lugar?

-Antes do letreiro de Hollywood, você pega uma trilha que tem por ali e..

-Pera aí! Já saquei - falei tendo um “lampejo”

-Tem certeza? Essa é uma trilha que está abandonada, e quase não tem ninguém por lá - Del falou

-Como eu disse, eu conheço todos os lugares dessa cidade - entrei no carro - Ei vocês! Vamos logo, não temos o dia todo- buzinei

-Ei! Nosso carro bateu o motor - Saul gritou

-Então entra aqui cacete! - Steven gritou, sério, esse povo só sabe se comunicar na base do grito

-E esse carro vai dar? Só o cabelo do Slash ocupa o espaço todo - Duf riu abertamente

-Vai se foder! - Slash mostrou o dedo pra ele

-Entrem logo! - gritei

-Eita cacete! Alguém vai ter que no bagageiro ou então alguém vai ter que sentar no colo de alguém aqui - Steven falou ao mesmo tempo em que era espremido

-Para a porra toda! Que ideia do caralho foi essa Steven? - Duff olhou estranhou pro outro loirinho

-Eu tô sentindo algo duro aqui! - Izzy gritou - Que porra é essa Slash?

-Eu tô cercado de macho aqui, tu acha mesmo eu ia ficar de pau duro aqui? Nem se a Ash sentasse no meu colo eu conseguiria ficar de pau duro - Slash bufou irritado

-Ai você seria brocha - ri de lado

-UUUUHHHHHHHH! - todos riram da cara do Saul

-Porra Ash! Assim você fode comigo - Saul falou irritado

-Você não ajuda cara, como assim você fala que comigo sentada no seu colo seu ´pau não fica duro? - me virei no banco pra encarar ele

-Nossa como eu tô amando essa conversa que é ultra informativa - Del revirou os olhos - Mas já é 13:00 e tudo e sabe, eu acho que….

-Já entendi! Já entendi - me endireitei no banco - Segura a ereção rapaziada! - gritei e pisei fundo no acelerador

-Como é? - Izzy gritou

-Vamos atrás da puta ruiva!- Steven gritou também.

 

......................................................................................................WG.......................................................................................................................

 

Sem paradas, direto para o Mount Lee, 6 loucos dentro de um carro, para encontrar um cara mais louco ainda, tudo perfeito! Se não fosse…

-Porra Izzy! Esse teu nariz tá sugando todo o ar do carro - Duff se remexeu no banco

-Vai se foder Duff - o narigudo resmungou

-Falta muito pra gente chegar na porra da montanha? - Steven gritou, o coitado acabou ficando no bagageiro

-Cala a boca Steven! - todos os rapaze gritaram com ele

-Porra! Me joga logo pra fora do carro - o loirinho reclamou

-Não dá ideia Popcorn -Del revirou os olhos

-Chegamos! - dei uma brecada no carro

-Porra Ashley!- Duff gritou - Bati minha cabeça na porra do banco, acho que quebrei

-Culpa sua por ter nascido alto demais - dei de ombros e sai do carro - Pronto Popcorn, pode sair dai - bati no porta malas que se abriu e o pobre Steven saiu de lá saltando

-Ar puro! finalmente! - ele se ajoelhou - Obrigado meu Deus! - ele abraçou minhas pernas - Terra firme, nunca mais eu vou te abandonar! - ele beijou o chão, literalmente - Eu amo terra firme

-Levanta daí seu retardado - Duff deu tapa na cabeça dele

-Ei! Vai bater na mãe, seu punk brocha - Stee reclamou

-Tá bom crianças. já deu né? - falei - Onde fica esse lugar Del?

-A gente segue direto naquela direção ali - ele apontou o lugar - Com uns vinte minutos de caminhada, a gente vai chegar em uma bifurcação, pegamos a direita, e andamos por mais vinte minutos, e vamos chegar perto de uma construção abandonada, damos a volta e vamos chegar em um mirante, provavelmente é lá que ele vai estar.

-Okay - olhei pra cima, barulhos de trovões e relâmpagos já podiam ser ouvidos, assim como alguns pingos de chuva já caiam

-Porra! Essa chuva vai foder com a minha chapinha - Slash brincou

-Anda mais e fala menos - revirei os olhos - Vamos correr rapazes - falei

Nós andamos/corremos/voamos, seguindo as instruções de Del, sobre como chegar nesse lugar que Axl estava, a chuva caiu impetuosa sobre nós, parecia que o céu estava desabando sobre nossas cabeças, os meninos saiam na frente brincando e gritando pela chuva, já eu e Del iamos mais atrás, analisando algum sinal ou vestígio do ruivo, ainda que fosse impossível por conta da chuva.

Após todos os minutos de caminhada, graças a Deus chegamos no bendito mirante, e adivinha? Isso. Axl não estava lá

-Puta que pariu! - gritei frustrada, eu estava cansada, ensopada e dolorida por conta da caminhada, e levando em consideração todo o meu estado, a coisa não estava nada bonita - Porque esse cara nunca facilita as coisas?

-Porque assim não teria graça - Duff riu - Calma morena

-Calma é o caralho! - gritei de novo, a chuva não parecia dar trégua

-Eu acho que talvez seja melhor a gente ficar por aqui, enquanto a chuva não passa -  Steven falou

-Não - neguei - A gente veio procurar pelo ruivo, e devemos fazer isso o mais rápido possível

-Você está louca por acaso? - Slash falou - Ash, olha só essa chuva, você acha que tem condições da gente procurar o Axl nessa tempestade?

-Mas nós temos que… - comecei a falar

-Sim, nós temos que encontrar o Axl, e sim, a gente tem uma penca de coisa pra fazer hoje que depende dele - Izzy me interrompeu - Mas definitivamente, eu não vou enfrentar essa chuva por conta disso

-Sério isso? - cruzei os braços em descrença, esses viados precisavam encontrar o ruivo, mas estavam se cagando de medo de uma chuvinha

-Really! Eu não vou sair daqui - Duff se enfiou debaixo da cobertura do mirante

-Del? - olhei pra ele, pedindo ajuda

-Ash….vamos sentar, com calma, e analisar a situação - ele falou com um tom ameno

-Como é? Até você? - apontei o dedo pra ele - Mais cedo, você só faltou bater no Izzy porque ele não queria procurar o Axl, e agora você também quer desistir?

-Isso não é uma desistência Ash - ele tornou a falar- É pensar, do que adianta sair nessa chuva atrás do Axl, que pode estar em qualquer lugar nesse maldito parque com mais de 4 mil hectares - ele cruzou os braços

-Mas e ai? E agora? - cruzei meus braços, ventava muito, o que me fazia tremer até os ossos

-E agora a gente senta e espera, ou o Axl aparecer, ou a chuva passar -Izzy suspirou - Eu acho que o último é o mais provável

-Bem animador - entrei na cobertura do mirante, passei a mão por meu cabelo, para tirar o excesso de água - Estamos ilhados aqui - gemi de frustração

-A ideia foi sua de vir até aqui, para procurar o Axl, isso é só uma consequência - Izzy falou  com o seu tom característico, calmo e carregado de sarcasmo, enquanto tentava acender um fogo

-Se vocês não se importam com o futuro da banda - descruzei os braços, andei até Izzy e acendi o isqueiro para ele -  Eu me preocupo

-E quem te falou que a gente não se importa? - Duff falou de cara fechada

-Certas coisas a gente não precisa ouvir para saber - falei irônica,Duff me olhou meio magoado, nesse momento eu vi que tinha falado besteria

-Ash...Calma ai - Stee falou meio temeroso

-Eu tô calma - revirei os olhos, me voltei para a grade de proteção do mirante, um pouco afastada dos meninos, e tentei digerir minhas ações nas últimas horas. Eu tinha corrida praticamente toda Los Angeles atrás de Axl, e porque? Não tem muito sentido, tirando os dois beijos, e à quase morte dos dois lados,não tínhamos um contato mais aprofundado, então não tem nenhum motivo aparente para eu estar assim, morrendo de preocupação pelo ruivo...Ou será que tem? Não!Absolutamente não.

-Então...vamos pra casa?- Steven falou - A gente se vira com o Alan, e fazemos o show de hoje a noite sem a puta ruiva

-Meio impossível, como vamos nos apresentar sem o vocalista? - Saul falou de forma irônica

-Além do mais, hoje vai ser justamente o tipo de show que não se pode cancelar - Duff suspirou

-Como assim girafa? - perguntei

-Alan marcou o show de hoje pra ser na Geffen - ele respondeu

-Como assim na Geffen? - olhei pra ele

-A gente também não sabe, se a gente tivesse encontrado o Axl,e ido para a reunião com o Alan agora a tarde a gente saberia - Saul revirou os olhos - Só sei que Alan falou que é muito importante

-E vocês vão aceitar de boa isso? Meu Deus - bati em minha testa - Vocês já pararam para pensar nas chances que podem perder caso faltem esse show? - coloquei as mãos na cintura

-A gente pode chamar outro cara pra cantar então - Steven deu de ombros

-Cara, me diga ai uma pessoa que cante igual o Axl - Duff cruzou os braços

-É...eu acho que não tem - Steven coçou a parte detrás da cabeça

-Exatamente isso, não tem outro, ou é ele ou nada - Saul falou

-A gente ta fodido pra caralho - Izzy falou

-Porra!- comecei a andar de um lado para o outro - Mano…Que cacete! Porque ele tinha que sumir logo hoje? - comecei a puxar meu cabelo - Ele por acaso sabe desse show?

-Claro que sim - Izzy revirou os olhos - Ele é sempre o primeiro a saber do que acontece nessa banda

-Claro que sim - revirei os olhos - Eu deveria saber disso

-Gente...vamos pensar com a cabeça - Steven falou

-Não! Imagina! E a gente pensa com o que mesmo? Com o cú? - Slash falou irônico

-Vai se foder - Steven mostrou o dedo - Axl é louco, mas nem tanto, tá certo que é costume dele, fazer isso...Sumir e essas coisas, mas porra! Esse show é putamente importante, e nem ele é louco o suficiente de perder isso só porque deu na cabeça que queria sumir

-Porra!- Saul levantou em um pulo - Até que faz sentido isso

-NA verdade faz todo o sentido - Duff olhou pra Steven - Caralho Popcorn, você demora....mas quando dá uma sacada, é certeiro viu

-Obrigado - Stee agradeceu fazendo uma mesura idiota

-Ele deve estar por ai, vai demorar, mas ele vai chegar, a gente só precisa ir no horário marcado pra Geffen, enrolar o Alan, e vai dar tudo certo - Duff sorriu como se tivesse ganhado um Nobel por sua palavra

-Então quer dizer que a gente fez essa volta toda pra nada?! - gritei frustrada, afinal passamos um bom tempo na rua debaixo de sol quente, e agora estávamos debaixo de chuva forte, só para procurar o ruivo

-Se você tivesse ficado de boa, em casa, tranquila, a gente não estaria aqui - Izzy falou irônico

-Vai se foder Izzy - falei e dei as costas para ele, e me recostei novamente na grade de proteção do mirante, observando o horizonte, eu entendo o Axl por vir aqui, era de fato uma bela visão,ainda mais chovendo. Olhando mais abaixo na encosta, podia ser ver toda a reserva do Griffith Park, e um pouco do letreiro de Hollywood, mais acima, tinha o observatório e o anfiteatro, além de ser bem visível toda a subida em espiral que dava acesso ao mirante onde estávamos

-Então vamos para casa? - Stee falou já com seu entusiasmo característico

-Vamos Stee -  revirei os olhos e chutei a grade de proteção, quando eu fiz isso, ouvi um barulho metálico, como um tilintar baixo de correntes, olhei pra baixo e vi o que deveria ser uma corrente de um colar, o pingente era um crucifixo...Okay, eu tenho quase certeza que já vi isso antes - Isso parece familiar para vocês, rapazes?- estendi a corrente para eles

-É do Axl - Del falou, a primeira palavra dele depois de muito tempo

-Tem certeza? - perguntei - quer dizer….pessoas perdem coisas direito por ai, certo? -as chances de isso ser exatamente e especificamente do ruivo eram quase impossíveis

-Deixa eu ver - Izzy tomou a corrente de minha mão - Axl tem o costume de marcar os crucifixos dele

-Como assim? - Del perguntou

-Ele vivia perdendo essas coisas quando era mais jovem, então ele fazia três riscos na parte detrás do pigente, assim quem encontrasse saberia que era dele - o moreno respondeu, após olhar fixamente para a parte de trás do pingente ele levantou a cabeça e me entregou o colar - É dele

-Você tem certeza? - olhei a parte de trás do pingente e vi três marcas, coloquei em meu pescoço, para não perder

-Absoluta, ele definitivamente estava aqui - o moreno deu de ombros

-Mas e ai? Isso pode ter sido a horas atrás - Slash bagunçou os cabelos

-Ou a minutos - Duff falou, olhando para a encosta da montanha por onde nós tínhamos subido

-Como pode ter certeza? - Del o encarou, o loiro nada fez além de apontar o dedo indicador para algo na encosta da montanha. Nós nos achegamos perto dele e olhamos para a direção apontada, nós tínhamos uma visão clara do local onde o carro tinha ficado, podíamos ver um cara se aproximando do carro, e graças àquele cabelo cor de fogo, reconhecemos Axl  de cara!

-O filho da puta deve ter fugido quando nos viu chegar - Saul grunhiu

-Oxe! O que é que vocês estão fazendo ai? - Steven nos olhou

-Como assim Popcorn? - Perguntei

-Vamos atrás dele - ele falou antes de sair correndo chuva afora.

................................................................................................................WG...................................................................................................................

A questão não foi nem ter toda a dificuldade de sair correndo por uma área montanhosa, a chuva grossa que caia, ou os eventuais tombos que um ou outro levava, até a lama era descartada, a questão foi o que a gente já deveria ter imaginado. Quando chegamos no lugar do carro, Axl já tinha ido embora

-Puta merda! - Saul chutou a lataria do carro em expressão de sua raiva, o pé dele consequentemente ficou dolorido e ele saiu pulando e gritando segurando o pé ferido

-Caralho! Esse cara tem um sexto sentido fudido viu - Stee falou com uma leve irritação perceptível em sua voz

-E agora a gente se fodeu de novo - Izzy falou tirando o excesso de água de seu rosto, o vento estava de matar!

-Que horas são? - perguntei

-Oração é só na igreja gata- Duff falou com uma piscadela, e eu juro por Deus que eu senti uma leve vontade de esganar ele

-Duff, cala a boca - revirei os olhos

-16:30 - Del respondeu

-Okay….nem vi o tempo passar- passei a mão por meus cabelos tirando a água, senti as gotas descendo sobre a minha pele, olhei ao redor, eu estava meia perdida, comecei a andar de um lado para o outro, sentia os meninos me olhando,esperando de mim alguma palavra, ou alguma ação a ser feita, eu estava pesando as possibilidades do ocorrido, seria viável sair dali e ir pra casa me enfurnar em uma coberta e uma caneca de chocolate quente? Seria bom para os rapazes aparecerem em um show obviamente importante, sem o vocalista?

-Morena! - Duff me segurou pelos ombros - Para de andar! Tá me deixando tonto, e eu já tô ate sentindo um cheiro de fumaça saindo da sua cabeça - ele riu

-Olha - falei - Tenho uma ideia, e vocês não vou gostar nem um pouco dela - olhei para cada um deles

-Já tô sentindo que não é boa coisa - Saul maneou a cabeça

-E você está certo - afirmei - Vocês vão pro show, diga pro Alan que eu levo o Axl...sei lá inventa uma desculpa, e o enrolem ao máximo, eu vou ficar, e procurar pelo Axl - falei, não deixando brechas para discordações

-Mas Ash….isso é...isso é loucura! - Saul gritou logo

-Eu sei, e eu já pensei nisso, mas me diga, que outra escolha eu tenho? - coloquei as mãos na cintura

-Mas...Ash! O cara ainda tá puto da vida com você, procurar por ele, sozinha, e logo aqui - Duff gesticulou - Não é uma boa ideia

-Eu falei que não era uma boa ideia -falei irônica - Mas vocês precisam fazer esse show, é importante pra vocês, vocês ralaram para chegar aqui, e não merecem isso, por isso eu vou atrás dele, e vou levar aquele ruivo filho da puta, nem que seja o arrastando pelos cabelos

-Eu gostaria de ver isso - Stee riu.Nenhum deles demonstraram muita resistência afinal, sabiam que eu estava certa, e ficar discutindo seria só uma perda de tempo inútil

-Porra! Só se cuida tá legal? - Saul segurou meu rosto em suas mãos, e me olhou nos olhos, e beijou minha testa

-Pode deixar - peguei a chave do carro em meu bolso e joguei pra ele, todos entraram no carro em um silêncio mortal e desceram a montanha, quando eles estavam em uma distância boa, eu arrisquei e gritei bem alto - Você vai sair pra falar comigo? - olhei ao redor procurando um mínimo sinal de movimentação nas matas

-Porque você quis ficar? - olhei para a esquerda e lá estava ele, encostado em uma árvore que servia de abrigo contra chuva, a verdade é que, quando estávamos descendo, eu tinha visto o exato momento em que Axl tinha se afastado do carro, mas ele não havia fugido, ele só tinha entrado na mata e ficado escondido, provavelmente esperando o momento em que fossemos embora.

-Queria conversar com você - respondi, fui para debaixo da árvore, Axl permaneceu parado, me analisando como sempre

-Sou todo ouvidos - ele respondeu, sua voz não tinha nenhum traço de sarcasmo ou zombaria, coisa que eu já estava esperando

-E-eu...bom… - respirei fundo antes de continuar, era difícil pensar com Axl me olhando, me analisando daquele jeito, aqueles olhos...ahh! Aqueles maravilhosos olhos verdes me desconcertam de uma maneira surpreendente, desde o primeiro momento...maldito momento...em que pus meu olhar sobre eles - Acho que você já deve saber - desviei meus olhos, eu não conseguia encarar ele por muito tempo, era difícil de sustentar o olhar.

-Não sou adivinho Ashley, fale o que você tem a me dizer, e de forma que eu entenda - ele disse, o tom de voz era sério, as palavras eram duras, céus! Eu estava paralisada

-Nossa situação - falei em um quase sussurro,  tenho até dúvidas de que ele não tenha ouvido

-Olhe para mim - a voz dele continuava séria, mais abrandada, eu continuei com o meu olhar longe, fixo em um ponto qualquer - Vamos lá, sweet, olhe para mim - ele puxou meu rosto com uma delicadeza inesperada por mim, eu jurava que a reação dele ao me ver, depois de tudo aquilo,seria pior do que a noite passada e mais tempestuosa do que a chuva que caia - Agora, repita

-Nossa situação - falei um pouco mais alto, agora o olhando - O que aconteceu com a gente? O que foi tudo aquilo? O que…. - respirei fundo - O que é isso, Axl?

-Você estava lá, tanto quanto eu, acho que você deveria saber a resposta - ele me olhou, era como se ele me perfurasse com os olhos, sabe… é uma sensação um pouco agonizante, minha respiração já estava pra lá de irregular, mesmo com o corpo encharcado, me sentia em brasas, e não é do tipo desejoso, queria me esconder, as mãos dele em meu rosto queimava como o inferno, tudo estava insustentável ali

-Sim, eu estava, mas,eu não sei bem se eu consegui entender - desviei os olhos novamente

-Então porque pergunta para mim? - as mãos dele saíram do meu rosto, e vento castigou mais ainda minha pele, e eu já estava pedindo pelo contato novamente

-Eu não sei, acho que você deve saber de algo que não entendi, ou não sei ainda - confessei - Só quero entender tudo isso, isso é ...relativamente novo para mim - falei mais para mim do que para ele, ao levantar meus olhos, e ver a expressão no rosto dele, percebi que tinha falado demais

-O que exatamente é relativamente novo para você? - os olhos curiosos, vasculharam meu rosto, eu amava a forma como o olhos dele podiam dizer muito mais do que palavras ou expressões faciais, eles sorriam, se irritavam, apaziguava e ….Pera aí...desde quando eu fico observando isso, ou melhor, porque eu pensei isso?

-Não vai responder minha pergunta? - virei de costas

-E você não vai responder a minha? - o tom já estava meio divertido

-Eu perguntei primeiro - o olhei por cima do ombro

-Okay...eu respondo e você também - ele deu meio sorriso

-Pode ser - falei

-Isso - ele gesticulou com as mãos - Eu também não sei o que é

-Como não?! - me virei para ele

-Você esperava que eu tivesse uma resposta para isso - ele arqueou as sobrancelhas

-Claro que sim - falei

-Porque?

-Ora, porque...bom...porque - fiquei sem palavras - Eu não sei

-Porque você está criando caso por causa disso? - ele perguntou sério -Nos beijamos, sim, e ficou obvio pelo menos para mim que temos atração um pelo outro - ele deu de ombros, e pela forma que meu rosto estava quente, eu corei

-Bom...é isso, meu ponto - falei

-O quê, o tesão? Ash, você é uma garota muito bonita, seria normal sentir isso, ainda mais quando você vive provocando a todos naquela casa - ele disse, e pra ele dizer aquilo foi como falar de algo habitual, corriqueira, mas para mim….a história foi diferente

-Ah...bom, então é isso - falei um pouco decepcionada, Axl uma vez havia me dito que eu era diferente, e quando eu estava perto dele eu me sentia diferente,nas poucas conversas que nós havíamos tido eu me senti….diferente, eu realmente esperava que ele falasse qualquer coisa menos isso. Eu escuto isso o tempo todo, todos os homens com quem eu já me deitei, falavam que era fácil sentir tesão por mim por conta da minha aparência, Axl homem, então porque diabos eu esperava que ele falasse algo diferente do habitual? Não que eu esperava uma declaração com direito a flores e essas baboseiras, mas …..enfim.

-É - ele deu de ombros

-Então estamos meio que resolvidos aqui - me virei para ele, mas sem o encarar, preferi olhar a chuva, Axl é muito sensitivo e esperto demais, não queria que ele percebesse minha frustração - Voltaremos para nossa rotina usual?

-Não, não quero isso - ele se encostou ao meu lado.

-E o que você quer, Rose? - o olhei, já estava cansada, quer dizer….okay, o cara admite que tem tesão, na verdade que os dois tem, pra Axl Rose isso deve ser normal, tipo….o estilo de vida dele é esse, sexo, drogas e Rock n’ Roll, certo? então admitir que sente tesão por alguém é normal, para mim é muito mais que normal também...ainda assim…

-Eu não sei direito - ele deu de ombros, puxou um maço de cigarros do bolso da calça e um isqueiro, e acendeu o cigarro - Aceita? - ele me ofereceu, eu cocei a cabeça e peguei o cigarro, rejeitei o isqueiro, roubei o cigarro da boca dele e acendi o meu, em seguida devolvi o cigarro para o seu devido lugar - Você é realmente...inexplicável - ele riu

-Eu deveria saber do que está falando? - falei irônica...não consegui me controlar, quando eu o vi, eu tentei ao máximo ser sincera em minhas palavras, mesmo que eu não tenha sabido muito bem como colocá-las, ser irônico ou sarcástico com Axl pode ser meio….perigoso

-Provavelmente não, ainda não - ele riu, Axl falava por meio de charadas sem ser charadas, é meio complicado, mas é como se ele falasse algo que somente ele entendesse o significado, se você demorar um certo tempo talvez você descubra o significado também, então é tudo meio que uma charada

-Tá - soltei a fumaça do cigarro - Eu não sei que porra tá acontecendo aqui, você não sabe que porra tá acontecendo aqui, e agora como fica? - me virei totalmente para ele, a distância mínima, ficou inexistente, chorei internamente por não estar de salto alto, assim eu poderia o encarar de frente, acho que o único jeito de olhar direto nos olhos dele sem desviar, é assim...quando estou com raiva. Axl riu e me puxou pela cintura, eu tentei me desvencilhar do abraço

-Porra! Me solta - falei meio irritada

-Calma, ei, ei, ei - ele me segurou com mais força, um braço me prendia pela cintura, enquanto a sua mão livre subiu para o meu rosto em uma certa carícia cálida - Me desculpe - ele falou um tom baixo

-O-o que? - exclamei em surpresa - Desculpar pelo o que?

-Por isso - ele subiu os dedos para o meu olho que ainda estava roxo, e desceu até o pescoço onde ainda tinha marcas de sua mão - Eu realmente não queria, mas…- ele respirou fundo e pela primeira vez desviou o olhar

-Ei! - puxei o seu rosto para mim - A culpa não foi sua - falei, e ele já ia contestar, mas eu repousei um dedo em seus lábios - Não totalmente, eu que sou muito atrevida, e falei o que não devia

-Na verdade foi eu quem disse o que não devia - ele retirou o dedo de sua boca - Me desculpe por ter te chamado de vadia e tudo o mais

-Está tudo bem - sorri, esse pedido de desculpas fez meu dia! - Me desculpe por isso também - levei minha mão até a parte detrás de sua nuca e acariciei o lugar do corte - Eu exagerei, eu poderia ter te matado

-Mas em contrapartida fez um ótimo trabalho dando pontos

-Como você sabe… - olhei surpresa

-Que foi você? - ele sorriu maroto - Eu não estava completamente apagado

-N-não...não estava? - fiquei de boca aberta

-Não, apesar de ter doído, gostei de saber que você cuidou de mim - ele sorriu de lado

-Obrigado - sorri e olhei em seus olhos. Aquele abismo que me puxava, os longos cabelos ruivos que escorriam como uma cascata de fogo por seu rosto, molhados, mas não menos brilhantes, a pele branca dele em um contraste com a minha pele morena, apesar de estar encharcado, ele transmitia calor, me aquecendo, o abraço dele era confortável , aconchegante, o meio sorriso em seus lábios, desprovidos de sarcasmo ou zombaria, era lindo. Axl era lindo, e em absolutamente nada me lembrava aquele cara que tinha me atacado nas noites anteriores

-Ashley- a voz baixa, quase em sussurro, me despertou do transe - Escuta, eu sei que o que está rolando entre a gente é mais do que mera atração, eu posso sentir isso - ele levou minha mão até o seu coração, o qual batia incessantemente contra o seu peito, em um ritmo alucinado - Talvez seja errado, talvez seja certo, não sei o que vai ser, de uma forma ou de outra eu quero mais disso - ele cobriu a minha mão com a sua

-Mas Axl, e a sua nam… - ele me interrompeu com um breve selinho

-Sim, eu sei, tem esse detalhe, mas eu não quero abrir mão do que eu sinto quando estou perto de você - ele disse sincero, um calor amistoso se espalhou por todo o meu corpo, os ventos e a chuva não me castigava mais - Acredite, eu estou perdido nessas sensações, e posso ver que você também.

-Estou muito perdida, mas Axl, temos que rever essa situação toda, é errado - falei

-É errado se sentir bem? É errado se sentir assim? - ele apontou para o seu coração e levou sua mão livre para o meu

-Não - suspirei, esse filho da puta tinha argumentos que me desmontava

-Escuta, não sei o que vai acontecer amanhã ou daqui a 5 minutos, eu só sei que quero ficar exatamente aqui, lá fora tem um mundo que exige que façamos coisas que não queremos, mas estamos aqui agora, então vamos aproveitar isso - ele sorriu abertamente para mim…..meu coração falhou uma batida, não teve declarações ou nada parecido com isso, mas….

-O que você sugere? - perguntei, ele sorriu mais ainda, se sentou e me puxou para baixo, eu me acomodei entre suas pernas, e ele me acolheu em seus braços, não teve beijos ou nada sexual, éramos nós dois ali, queríamos ficar perto um do outro, em um momento de paz, e apreciar a bela vista que tínhamos - Você ainda tem um show para fazer

-Podemos pensar nisso mais tarde, sweet - ele piscou para mim, eu não iria cobrar mais nenhuma explicação dele, afinal nem eu estava esclarecida do que se passava entre nós, e no meio de suas meias palavras,eu captei um ou dois pedidos e declarações ( acho eu) implícitas, mas estava bom assim, da minha parte, eu iria deixar o rio seguir o seu curso natural, Axl não iria sair dali correndo para terminar com a Erin, e muito provavelmente eu não iria parar o meu estilo de vida, mas isso era um ínicio, moramos na mesma casa, e agora iremos partilhar de uma plena convivência, sadia e estável, eu diria que isso é uma trégua, e essa intimidade não ´r muito diferente da que eu tinha com os outro meninos …..certo?...Se meu coração parasse de bater desse eu jeito, eu até que diria que sim


Notas Finais


EITCHA.......so honey nowwwww...take into your loving arms....kiss under the lights of a thousand stars...place your hands on my beating heart.....devo confessar.....eu estava muito melosa, dengosa, quando escrevi esse cap, com os pensamentos todos povoados pelas músicas do Ed Sheeran ( meu segundo ruivo favorito...o primeiro vcs já sabem)...tirando a parte da putaria...mas enfim...uau...se alguém se sentir meio confuso...por favor podem me perguntar e tirar todas as suas dúvidas, eu mesma tive que ler e reler essas parte um zilhão de vezes pra deixar menos complexo, de fácil compreensão.....enfim é isso...até o próximo cap amores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...