História Wild Horses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bon Jovi, Guns N' Roses, Skid Row
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Jon Bon Jovi, Personagens Originais, Richie Sambora, Sebastian Bach, Slash, Steven Adler
Tags Bandas, Guns N' Roses, Hard Rock, Romance
Exibições 51
Palavras 675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Algumas vezes eu quero matar
Algumas vezes eu quero morrer
Algumas vezes eu quero destruir
Algumas vezes eu quero chorar
Algumas vezes eu posso superar
Algumas vezes eu posso desistir
Algumas vezes eu me importo
Algumas vezes eu nunca dou a mínima ... ♪

Capítulo 1 - Prólogo : Não Me Condene


Fanfic / Fanfiction Wild Horses - Capítulo 1 - Prólogo : Não Me Condene

   W.Axl

Um som de um estalo metálico ecoava sob meus ouvidos fazendo-me franzir o cenho , irritado por tal barulho infernal ter me acordado.

- Levanta daí , e pega suas coisas .

Abri os olhos , ainda deitado em posição fetal sob o chão duro , nojento e frio daquela cela . A cada segundo que eu passava naquele inferno , meu ódio só aumentava. Ódio pela minha vida de merda.

- Tá surdo , branquelo ? Pegue suas coisas e saia daí. – A mesma voz relinchou me fazendo franzir o cenho ainda mais.

Levantei com os olhos ainda fechados e franzidos. Abri os olhos carregados pela raiva e o fitei. Ele me encarava , porém senti uma ponta de “receio” vinda dele.

Peguei minha mochila jogada ao canto da parede úmida e pichada, atravessei o portão da cela encarando-o , deixando o filho da puta desconfortável.

- Anda. – Ele disse dando-me um empurrão , me impulsionando pra frente.

Aquilo só serviu pra atiçar a onda de raiva que percorria meu sangue. Virei-me ao maldito guarda e cravei minhas mãos em seu colarinho.

- Não toque em mim. Ser um policial de merda , não te torna melhor que eu . – Grunhi contendo a raiva. Ele me olhava com os olhos arregalados. Soltei-o e segui pelo corredor sozinho.

Eu estava finalmente livre da cadeia , mais uma vez. Mas dessa vez , eu não fugi , havia cumprido os malditos 3 meses.

Aquele tempo todo naquela cela com cheiro de urina , me fez pensar... Mas não serviram pra me arrepender. Idiota é aquele que pensa que cadeia concerta bandido. Eu tinha agora os sentimentos mais horríveis e insanos dentro de mim , e agora todos eles estavam misturados em minha cabeça. Eu agora era feito de ódio , rancor , mágoa, tristeza, solidão...

***

Eu não tinha muita coisa , e o pouco que me restou estava naquela mochila. Eu não pretendia voltar pra casa , já estava de saco cheio daquela merda de família. Uma mulher medíocre que abaixa a cabeça e fecha os olhos e boca pra tudo , e um velho nojento que nem é meu pai de verdade , o bom samaritano na igreja , o estuprador de jovens indefesos dentro de casa. Pobres dos meus irmãos naquela casa...

- Heey ! William ... Espera aí !

Parei de andar e olhei pra trás procurando pela voz que me chamava. Era Izzy , meu amigo de colégio , e durante uns tempos , meu companheiro de cela. Dividíamos a cela antes de me jogarem em uma solitária por ter dado “trabalho de mais” aos policiais.

- Então , você também vai pra casa ?  - Disse recuperando o fôlego.

- Não.

- Não ? E vai pra onde ? – Perguntou sem entender.

- Pra longe de Laffayete. – respondi voltando a andar.

- E onde seria esse “longe” ? – perguntou me acompanhando.

- Tanto faz . Vai pra casa , Izzy. – falei .

- Não posso. Meus pais disseram que outra vez preso , não precisava nem voltar mais pra casa.

- E vai pra onde ? – falei sem realmente me interessar.

- Sei lá , posso ir com você pra esse tal longe. – ele respondeu sem expressão .

- Nem pensar. – continuei andando.

- Qual é cara , olha pra gente , dois vagabundos , saindo da cadeia , sem rumo ... Por quê não? Somos amigos , cara .

- Então você quer fugir ? – parei encarando-o.

- Quero. – respondeu indiferente.

- Tá legal.

- Só preciso pegar uma coisa em casa antes...

***

14:00 p.m.

Estávamos na pequena rodoviária  de Laffayete , eu apenas com minha mochila surrada com poucos pertences dentro , Izzy com uma bolsa pouco maior , e sua velha guitarra.

- E aí , pra onde vamos ? – perguntou.

Eu não sabia bem pra onde iria , olhei pela pista onde chegavam os ônibus , um deles acabava de chegar. Li o letreiro reluzente indicando a cidade de qual vinha.

- Los Angeles. 


Notas Finais


Piquininim pq é só o prólogo , segurem a emoção. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...