História Wildfire - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Accola, Claire Holt, Ian Somerhalder, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Joseph Morgan, Misha Collins, Phoebe Tonkin, Supernatural, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Castiel, Damon Salvatore, Dean Winchester, Hayley Marshall, Klaus Mikaelson, Rebekah Mikaelson, Sam Winchester
Tags Darkfic, Drama, Romance, Supernatural, The Originals, Wildfire
Exibições 42
Palavras 2.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Mystic Falls


 

CONTINUANDO...

- Quem é Damon Salvatore? – Olhei a Aurora.

- É o amigo da mamãe e da Tia Caroline – disse ela subindo no meu colo – Ele uma vez me deu remédio vermelho que curou minha doença...

- O que você tinha? – Perguntou Castiel.

- Machucados no pulmão... – respondeu ela – Tio Sam ele pode curar a doença da mamãe também.

- Onde ele mora?

- Mystic Falls... – respondeu ela.

Comecei a procurar no computador a localização da cidade.

- Fica na Virginia... – disse olhando – Umas 19 horas de onde nós estamos.

- Você pretende ir nessa cidade? – Perguntou Dean. – Pedir um favor a esse cara.

- Sim...

- Você enlouqueceu? Acha mesmo que esse cara vai ajudar a gente em alguma coisa Sam?

- Dean eu não pedi para você vir comigo – rebati, o mesmo me olhou feio e foi em direção a cozinha. Olhei a Aurora que estava encostada em meu peito me observando. – Nós vamos salvar sua mãe...

- Eu sei...

Aurora se ajeitou no meu colo, ela tinha alguns traços que me fazia de lembrar de sua irmã. Eu continuei procurando mais sobre aquela pequena cidade na Virginia, enquanto a Aurora dormia com a cabeça encostada no meu ombro. Então percebi que naquela cidade tinha muitos registros de ataques de animais não solucionáveis, mortes e desaparecimentos sem explicações.

- O que achou sobre a cidade? – Perguntou Castiel.

- Pela minha teoria – me afastei da mesa, me levantando da cadeira segurando a Aurora. – Um ninho de vampiros... E esse tal de Damon Salvatore, parece que é a família dele é uma das famílias fundadoras da cidade.

- Então ele deve ser importante para aquela cidade – disse Castiel.

- É talvez seja mesmo... – dei de ombro – Você pode colocar a Aurora em algum quarto, vou ver como a Hayley está...

- Claro...

Entreguei ela ao Castiel e caminhei em direção ao meu quarto, ao entrar no mesmo; Hayley ainda estava em um sono profundo. Me aproximei dela tocando em sua testa para checar sua temperatura.

- Graças a Deus está na temperatura "normal" – falei baixo, suspirando aliviado.

Me sentei na beirada da cama, e acariciei o rosto de Hayley.

- Desculpa Hayley. – Suspirei – Eu nunca queria causar tanto dano e sofrimento na sua vida. Queria que você soubesse a verdade de tudo, eu sei quem matou seus pais, eu sei quem estragou sua vida. – Falo baixinho olhando ela. – Mas se eu te falar a verdade, tenho medo de você me odiar, na verdade você já me odeia por ser um caçador...

- Sam – ouvi Dean bater na porta e abrir devagar. Eu olhei para ele – Você está bem?

- Estou sim – suspirei – O que você quer?

- Eu vim pedir desculpa pelo meu modo de agir – disse Dean – Eu quero te ajudar a ajudar a Hayley...

- Por que resolveu mudar ideia agora?

- Só porque você gosta dela... – Deu de ombro – E também eu vacilei com você, quando estava gostando da Amélia...

- Você acha que vacilou?

- Eu sei que fiz mal – suspirou Dean – Mas qual é depois você ficou mais focado...

- É tanto faz – me levantei. – Só tenho que ver se ela aguenta a viagem toda...

- Vou ligar para a Caroline – disse Dean.

- Para quê? – Olhei ele.

- Ela me disse que nasceu naquela cidade.

Apenas assenti sem falar muita coisa para ele, me aproximei novamente de Hayley. E balancei ela de leve acordando a mesma.

- Olá – sorri quando ela acordou.

- O que foi? – Disse ela se sentando na cama – Por quanto tempo eu dormir...

- Se eu não me engano por umas três horas. – Sorri de leve. – Pedi para o Castiel trazer a Aurora para cá...

- Por que?

Respirei fundo.

- Karla Johnson mandou alguns homens pegarem sua irmã e matar a Elizabeth – Hayley olhou para mim assustada e seus olhos ficaram dourados e voltaram ao normal.

- Antes de morrer eu vou matar a Karla...

- Hayley....

- Não me fala o que eu tenho que fazer, Sam – suspirei, enquanto ela me olhava – Ela pode mexer comigo, mas com a minha irmã a situação é a outra.

- Você vai ter a sua vingança – olho tocando em seu rosto – Mas antes disso, Aurora mencionou alguém que pode te ajudar a curar...

- Ainda atrás disso?

- Não posso deixar você morrer. – Respondi.

- Tudo bem – suspirou ela – Quem é a pessoa?

- Damon Salvatore...

Hayley deu uma risada meio abafada pela mão.

- O que foi?

- Salvatore? – Riu ela – É sério isso?

- O que tem de errado nesse Salvatore?

- Nada – riu ela – É que eu e esse Damon não nos damos muito bem, mas acho que vocês vão se identificar bastante com eles...

- Por que? – Olhei.

- Ele também tem um irmão.

- E?

- Deixa quieto – riu ela. – Então nós vamos a Mystic Falls?

- Sim...

Depois de uma meia hora, Hayley já estava bem, ela parecia um pouco melhor depois da sua crise de febre, porém ela estava mais pálida e gelada. Aurora e Hayley ficaram o resto da tarde juntas e conversando, quanto eu e o Dean arrumávamos as coisas no Impala.

- Caroline vai vir? – Olhei para ele.

- É mais ou menos – Riu ele – Ela disse que está pegando um avião que vai chegar só daqui uns sei lá uma hora ou menos.

- Como ela conseguiu passagem?

- Eu não sei não – olhou o Dean – Eu só sei que ela está tão disposta a ajudar a amiga quanto você está.

- Hum...

- Você sabe que podemos esperar daquela cidade?

- Não – respondi – Mas pelo que eu li, acho que ela é dominada por vampiros... E tem lendas fortes sobre criaturas que atacavam civis a noite.

- Em que ano, isso aconteceu?

- 1863 – respondi – E teve a guerra da secessão em 1864, onde a história local disse que baniram os vampiros de lá.

- Nossa estudou bastante – riu o Dean.

- Tanto faz, só que as mortes não pararam. Uma mulher apareceu sem cabeça em 60, mais ataque que foram cobertos.... Depois em 92 mulher gravida morre no hospital depois de atacada por animal – fui falando o que eu li na minha pesquisa enquanto eu colocava as coisas no carro. – Momentos de calmaria, então quase 17 anos depois, um casal foi morto na rodovia da entrada da cidade e nunca mais parou.

- Então vamos entrar na cidade cheia de vampiros...

- Pode ser uma lenda.

Dei de ombro.

- Mas não é – disse Hayley entrando na garagem e se aproximando da gente – como anjos de sobretudo existe, vampiros também são reais. A história dessa cidade também real.

- Isso nós já sabemos – disse Dean. – Partiu estrada?

- Claro...

Durante o caminho a cidade, Dean dirigia enquanto o Castiel estava no banco do carona, eu e Hayley no banco de trás, enquanto a Aurora dormia deita com a cabeça na perna de sua irmã.

- Então deixa eu ver bem que eu entendi – disse Hayley – Vocês eram casca?

- Sim

Respondi.

- Você a casca do Arcanjo Miguel – então ela olhou para mim – Casca de Lucífer?

- Ironia da vida. – Disse Dean.

- Mas porque vocês? – Perguntou ela.

- O céu precisava de dois irmãos, o mais velho que obedecia ao pai – respondeu Castiel – E o mais novo que não seguia a ordens de seu pai.

- Muito bíblico – disse ela – Então Sam virou o Lucifer, foi para o inferno e voltou sem a alma humana...

- Isso – suspirei – Depois eu voltei para cá sem alma, fiquei um ano caçando até resolver ir atrás do meu irmão...

- Que estava tendo uma vida normal e feliz por um ano – disse ela e o Dean fez que sim com a mão. – Então Sam você não deveria reclamar do Dean, de ter feito você ter terminado com a Amélia...

- Você reclamou de mim para ela?

- Na verdade eu apenas contei minha história – respondi ao Dean. – E outra não daríamos certo mesmo.

Dei de ombros.

Depois de respondermos quase todas as perguntas de Hayley, ela estava com a cabeça deitada em meu ombro, enquanto eu já estava quase cochilando no carro, senti ela segurar minha mão, eu a olhei meio sonolento dando um leve sorriso. Ela se afastou um pouco do meu corpo me encarando, depois senti seus lábios tocarem nos meus, eu retribuí meio sem jeito, já que tínhamos plateia no carro.

- Aí casalzinho, sem agarração dentro do carro – disse Dean.

Hayley deu uma risada abafada e se afastou de mim se deitando em meu ombro novamente. Depois de seis horas de viagem, Dean resolveu parar em um hotel perto da estrada, pegamos dois quartos; Dean, Castiel e Aurora ficaram em um; eu e Hayley ficamos em outro.

- Então essa é a sua casa – riu ela ao entrar no quarto.

- Mais ou menos, até acharmos o Bunker dos homens de letra – respondi colocando minha mala e da Hayley em cima da cama. – Então conseguimos achar uma residência local.

- Onde ninguém consegue rastrear vocês, e é contra anjos, demônios e espíritos?

- Isso – sorri olhando ela sentada na cama, então ela me chamou para sentar ao seu lado. Me sentei e virei para ela. – Como está se sentindo?

- Além da tontura e a fraqueza? – Perguntou ela me olhando. E eu confirmei – Estou com fome...

- Tudo bem... – Me levanto – Eu vou pegar algo para você comer...

- Sam – disse ela segurando a minha mão, eu a olhei. – Obrigado.

- Pelo o que?

- Por tentar me manter viva. – Respondeu ela sorrindo.

- De nada – sorri e sai do quarto e fui até a máquina de comida e selecionei biscoitos e uma lata de suco de maçã.

Ao entrar no quarto, ouvi o barulho de chuveiro ligado e a porta do banheiro aberta. Eu olhei para dentro e conseguia ver a silhueta do corpo de Hayley por trás do vidro embaçado do box, me virei de costas e olhei para frente encarando a minha mala. Então o chuveiro se desligou, eu ainda encarava a minha mala; quando senti uma mão úmida passar pelo meu braço até chegar em minha mão.

- Pode pegar minha roupa para mim Sam? – Disse ela bem atrás.

- Cla... claro – Falo meio nervoso e pego uma roupa que já estava fora da mala.

Então senti sua mão segurar meu punho de leve.

- A não ser que você me queira nua – disse ela, então ela me abraçou por trás e senti sua passar pelo meu corpo e ir até adentrar em minha calça. Naquele momento meu corpo todo estava arrepiado. – Bom pelo seu corpo, dá para ver que você me quer totalmente nua.

- Você não imagina o quanto – falei me virando para ela, então foi coisas segundos para pegá-la no colo e leva-la para a cama.

Fomos nos beijando e nos estimulando, enquanto as minhas peças de roupa foram diminuindo. 

A cada minuto que passava com Hayley, ficava mais preso nela; era como se tivesse algo muito forte me chamava atenção, assim como a Jessy. E também cada minuto que passava eu ficava com mais medo de perder a Hayley.

Acordei com ela no banheiro vomitando, eu me levantei rápido e fui até a mesma segurando seu cabelo, Hayley se levantou se segurando em mim e deu descarga.

- Não precisava ficar vendo isso – disse ela – É desagradável...

- Eu não ligo... – falo ajudando ela a se limpar.

- Eu acabei vomitando no quarto, não consegui chegar a tempo no banheiro...

- Não tem problema. – Suspirei – Se veste e vamos esperar os outros acordarem, no Impala.

- Uhum...

Tomei um banho rápido, me troquei, peguei nossas coisas e fomos para o Impala. Percebi que o dia passou muito rápido já que estava de noite, Aurora veio correndo em nossa direção com o Castiel atrás dela.

- Oi mamãe – disse ela abraçando a Hayley – Oi Tio Sam...

- Oi – sorri e percebi que o cabelo dela estava trançado – Quem fez esse penteado em você?

- O Tio Cass – sorriu ela.

- Foi a única coisa que deu para fazer o cabelo dela não ficar caindo no rosto enquanto ela come – disse Castiel.

- Ficou bem bonito – disse Hayley – Já pode ser pai de uma menina...

- Obrigado. – Disse Castiel todo sem jeito como sempre. – Aurora suas malas já estão prontas?

- Já sim tio Cass...

Castiel foi até o quarto do lado, olhei a Aurora e Hayley e sorri para elas.

- Está gostando de passar um tempo com eles? – Perguntou Hayley.

- Uhum – sorriu Aurora – O tio Dean é engraçado e gosta de música boa. O tio Cass é um bom contador de história e um bom cabelereiro... – Aurora olhou para mim – E o Tio Sam é bem bonito, inteligente e bem alto.... Se bobear ele pode alcançar as estrelas.

Não me contive, em não rir do que ela disse. Hayley olhou para e depois para ele.

- Você gosta deles? – Perguntou ela para a Aurora.

- Gosto sim – respondeu Aurora – Por que mamãe?

- É que a mamãe vai ficar um tempo fora, caso o remédio do Damon não melhore... – respondeu Hayley – E você vai ficar com eles...

- Hayley... – falei ficando sério.

- Mas você vai voltar né mamãe?

- Não meu pequeno anjo – disse Hayley, então Aurora abraçou a mesma chorando. – Eu sinto muito...

Me afastei delas indo em direção ao atendimento do hotel, para pagar a estádia e avisar sobre o meu quarto. Mais tarde estávamos na estrada de novo indo em direção a Mystic Falls.

- Sam você não pode deixa-la a maior viva... – disse Samuel segurando a bebezinha. – Mate ela...

- O que vai fazer com o bebê? – Olhei para ele.

- Vou marca-la com uma queimadura, pois se ela sair da linha já sabemos quem é a criminosa – disse Samuel queimando a criança com um ferro quente.

- Por favor – implorou a menina mais velha – Não matem minha irmã...

- Nós não vamos matar ela – ri – Ainda.

Então espanquei a menina até ela morrer.

- Sam...

"Sam... Sam..."

- Sam

- O que foi? – Olhei para Hayley que estava do meu lado.

- Você está bem?

- Estou – respondi. – Por que?

- Seu corpo começou a ter vibrações pesadas – respondeu – Como se tivesse angustiado...

- Relaxa Hayley – disse meu irmão no banco de trás. – Ele dá essa sensação desconfortável em muitas gentes...

Eu revirei os olhos com o comentário de Dean

- Quer que eu dirija? – Perguntou Hayley.

- Melhor não Hayley – respondi – Você pode acabar desmaiando no volante e isso não é legal e outra eu posso revezar com o Cass.... Não é?

- Claro – respondeu Castiel.

Depois de mais algumas horas dirigindo paramos em uma parada de caminhoneiro, onde tinha um restaurante e uma pequena pousada, ficamos todos em um quarto só com cinco camas de solteiros. Dormimos em questão de duas horas e depois caímos na estrada, faltava mais quatro horas para chegar a cidade de Mystic Falls.

Eram exatamente 2:30 PM quando atravessamos a entrada da cidade, dos dois lados da pista tinha apenas arvores, demorou em cerca de 10 min quando avistamos a primeira a casa. Ao chegar no centro da cidade e nós nos hospedamos em um pequeno hotel que tinha perto de tal de um Mystic Grill, fomos para a casa do tal Damon Salvatore enquanto Hayley, Castiel e Aurora ficavam esperando a Caroline.

- Que casa maneira – disse Dean encostando o Impala na calçada. Saímos do mesmo e avistei na entrada da casa um carro azul parado – Chevy Camaro 67.... Que coincidência não meu irmão?

- Não faço ideia do que esteja falando...

- Deixa quieto... – bufou Dean e tocou a campainha da casa. – Vamos ver quem é esse tal de Damon.

Então um garoto numa aparência de uns quase 20 anos de idade abriu a porta, ele tinha cabelos arrepiados e quase da altura do meu irmão.

- Olá – disse para o garoto.

- Estávamos procurando Damon Salvatore – disse Dean.

Então apareceu ao lado do garoto de um homem mais velho, com olhos azuis e um pouco mais baixo que o garoto que nos atendeu.

- Quem procura Damon Salvatore? – Perguntou o homem.

- Meu nome é Dean Winchester – disse Dean – Esse aqui é meu irmão Sam.

Os dois caras se entre olharam e voltaram a nos encarar.

- Nós temos uma amiga em comum – disse – O nome dela é Hayley Marshall, ela tem uma irmãzinha...

- Chamada Aurora – disse o garoto mais novo – Nós conhecemos ela.

- Por favor – disse o mais velho – Entrem...

Entramos na casa olhando em volta, era uma construção bem rustica por dentro, com detalhes de madeira por toda parte.

- Bom – disse o cara mais velho parando no meio do caminho. – Eu sou Damon Salvatore e esse aqui é meu irmãozinho Stefan...

- E aí – disse Stefan. – Desculpa a pergunta, mas o que te trouxeram aqui... Hayley está morando...

- Em Oklahoma – disse Dean – Já sabemos disso...

- Nós viemos para cá, pois Aurora disse que Damon Salvatore teria uma cura para doenças – falei.

- Está me achando com cara de médico? – riu Damon. – Eu não tenho uma cura.

- Ela descreveu como um liquido vermelho... – disse Dean. – Que ajudou a curar uma doença que ela tinha.

Damon e Stefan se entre olharam, e seguraram o riso.

- O que foi? – Disse olhando eles.

- Vocês já são grandinhos – disse Damon – Então eu preciso que vocês tenham a mente bem aberta.

- Claro – dissemos eu e Dean juntos.

- Bom vocês acreditam no sobrenatural?

- Sim – respondemos para o Damon.

- Lidamos com isso desde pequenos – disse Dean.

- Bom saber – Sorriu Damon de lado. – E se eu disser, que eu sou um vampiro vocês acreditariam?

Respirei fundo e olhei para Dean que já pegava sua arma que estava escondida em suas costas e apontou para o Damon.


Notas Finais


FINALMENTE OS WINCHESTER E OS SALVATORE SE ENCONTRARAM...

ENTÃO MEUS FANDAGOS? (VOU PASSAR A CHAMAR VOCÊS ASSIM.)

COMO VOCÊS ACHAM QUE VAI SER ESSE PRIMEIRO CONTATO DOS IRMÃOS MAIS GATOS? VAI SER BOA, VAI SER RUIM? OU VAI SER ALGO ENGRAÇADO CHEIOS DE IRONIA?
#ComentemMuito

UM BEIJO NA TETA ESQUERDA E ATÉ O PROXIMO CAPITULO

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...