História Wings - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Kookv Sexo Anjo Demonio
Exibições 279
Palavras 2.062
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiie
Então eu sei que não atualizei as outras mas isso aqui foi só uma ideia que bateu, culpe Wings de BTS
*Corre das pedras

Capítulo 1 - Porque eu queria você, e consegui.


Fanfic / Fanfiction Wings - Capítulo 1 - Porque eu queria você, e consegui.

Eu era um Anjo, um dos maiores, um Arcanjo, todos no céu tinham respeito a mim, não amor, mais sim apenas respeito, isso me magoava de certa forma, porém meu Pai apenas dizia que eu devia ignorar isso, e eu como um bom filho o obedecia.

Mas, um dia, o inferno atacou o céu novamente, seria apenas mais uma guerra se eu não tivesse sido capturado por um dos demônios eu gostaria de ter morrido em batalha e não ter sido levado para servir de brinquedo na mão daquele demônio.

Tentei lutar com todas as minhas forças, porém ele sabia de nossa fraqueza, nossas asas. O demônio envolveu correntes trazidos do inferno em minhas asas e assim me derrubou quando alcancei o “chão” ele me segurou e sorriu para meu Pai.

-Olha só, mais um para minha coleção, você devia cuidar melhor de seus filhos, daqui a pouco o inferno estará lotado e o céu vazio –Disse o ser que me segurava no qual eu não olhei por nem um minuto, afinal eu estava ocupado tentando escapar.

Meu Pai tentou me salvar, mas um dos outros serviçais de Lúcifer voou em cima das crianças e o Criador ficou dividido entre salvar a mim ou a eles, e como esperado para um Anjo indesejado, Ele foi salvar as crianças, o demônio que me segurava gargalhou e começou a me puxar para o inferno.

-Está vendo, Tae. Seu lugar não é aqui, seu lugar é comigo, como devia ter sido desde o início.  –Ele sussurrou e colocou uma de suas mãos em minha boca –Agora apenas durma, Baby –E em seguida apaguei.

Comecei a despertar e logo me pus sentado pois estava em cima de minhas asas ainda acorrentadas e isso estava fazendo eu sentir uma dor insuportável, olhei em volta e percebi estar em quarto a cama na qual eu me encontrava sentado era vermelha os moveis marrons e o quarto da mesma cor, eu continuaria minha inspeção se certo ser responsável pela a minha atual situação não tivesse adentrado o quarto, mas já que ele estava aqui vamos apenas o encarar.

Começamos uma troca de olhares na qual ele me olhava estranho e eu o olhava como se fosse mata-lo a qualquer instante, algo que eu realmente queria fazer.

-Não adianta ficar me encarando, não vou te soltar, muito menos te devolver aos céus. –Ele diz e logo sorri –Você tem asas bonitas. –Comenta ele. Me encolho ele não estava pensando em arranca-las, né? Não! Tudo menos isso, um Anjo sem asas não tem mais casa, ou seja, eu nunca poderia voltar para os céus, nunca mais veria meu Pai. –Isso mesmo pequeno, Tae, eu estou sim pensando em arranca-las, mas posso deixar você com elas, basta implorar –Finaliza o demônio.

Eu nunca imploraria, pois isso seria traição, você implorar a alguém que não é o Criador, e eu perderia minha casa, suspiro e pela primeira vez levanto o olhar encarando aquele que me sequestrou, digamos assim, e me desculpe meu Pai, mas terei que usar palavras de baixo calão. Puta que pariu, como ele conseguia ser tão bonito? Os cabelos negros como a noite, os olhos de cor igualmente, a pele branca como a neve, os traços fofos, mas aquele olhar felino, o olhar de um caçador e eu sentia que seria sua presa.

Ele sorri ao ver que eu fiquei bastante tempo o encarando. –Primeiro pecado, cobiçar o corpo de uma pessoa do mesmo sexo que você, acho que o inferno já está tendo efeito sobre você, agora só falta tirar as asas e você será oficialmente um Anjo caído. –O mesmo diz e caminha até a mim agarrando nas pontas de minhas asas e as puxando levemente fazendo eu grunhir de dor, olho para ele desesperado, porém não imploro, o mesmo sorri. –Vai doer um pouco, Baby, mas vai ser por pouco tempo, a proposito me chamo Jeon Jungkook.

Ao finalizar a frase Jeon puxa minhas asas de uma vez só as arrancando, grito de dor e começo a me contorcer, com muito esforço olho para trás e vejo minhas imensas asas brancas em suas mãos, elas iam desaparecendo rapidamente, bem devagar me aproximo dele e toco a última pena de minhas asas, assim que a pena some uma grande dor possui meu corpo grito mais uma vez e tento me contorcer mas o moreno me segura e pega duas pequenas barras de ferro colocando nos buracos aonde saiam minhas asas que agora sagravam bastante, aquele ato apenas acarretou em mais dor se possível, eu tentava me soltar dele, porém era impossível vendo que eu estava sentindo uma enorme dor, e ele estava normal, novamente minha vista ia embaçando e eu ia desistindo de me soltar e meu corpo ia cedendo, Jeon me abraça e faz um breve carinho em meus cabelos.

-Já passou. –Ele sussurrava repetidamente.

Não aguentando mais aquilo eu fecho os olhos e me entrego a inconsciência. Ao acordar eu estava no mesmo quarto, porém dessa vez eu estava solto e com outras roupas em meu corpo, mal sento na cama e o moreno adentra o quarto, ele olha para mim e solta mais um de seus sorrisos de canto.

-Como está se sentindo? –Ele pergunta

Nessa hora percebo que não disse nada desde que desci para cá, desde que ele me pegou, eu não soltei uma palavra sequer, apenas gritos de dor, foi a única coisa que pronunciei.

-Não te interessa como eu estou. –Digo

-Aquilo foi necessário.

-Para que? Para apenas me aprisionar aqui pelo resto da minha imortalidade? –Pergunto

-Exatamente, Taehyung eu queria.. Quero você e iria te ter para mim, nem que eu tivesse que fazer tudo isso. Eu te amo, Kim Taehyung. –Ele diz e eu acabo rindo.

-Conta outra, demônio. –Digo e o olhar do Jeon fica vermelho, um mal sinal, ele está com raiva, o mesmo caminha lentamente até a mim e agarra meus cabelos da nunca os forçando para trás fazendo assim minha cabeça tombar para trás e deixar meu pescoço imaculado amostra.

-Você é igual a mim agora, então não diga como se fosse superior, Anjo caído. –Ele diz e morde fortemente meu pescoço acabo soltando um gemido de dor e ele sorri com aquilo. –O pequeno Anjo está excitado? Que coisa feia, Tae. Você tinha que ser puro, mas parece que já tendo pensamentos e desejos impuros. –O moreno sussurrou no meu ouvido fazendo com que eu me arrepiasse. Novamente ele riu –Isso, Baby. Fique duro para o seu Daddy –Jeon me jogou na cama e prendeu minhas mãos a cabeceira, pegou uma faixa preta e colocou sobre meus olhos o que de certa forma me animou mais.

Eu odiava e amava aquelas sensações ao mesmo tempo, por um lado era ruim e errado, e por outro era bom, e foda-se ser errado. Com muita agilidade Jungkook retirou minhas roupas me deixando apenas de box.

-Seu corpo é tão lindo, Tae. –Ele sussurrou e começou a espalhar beijos por todo o meu pescoço, beijou e lambeu calmamente, demorando-se naquela área de propósito, eu não aguentava esperar muito

-J-Jeon.. –Chamei baixo em uma suplica, já estava banido do céu, agora eu me rendia a ele

 –Me cahame de Kook e talvez eu atenda ao seu pedido. –Disse o moreno e mesmo sem ver eu sabia que ele estava sorrindo

-K-Kook.. Por favor –Murmuro totalmente entregue

-Muito bem, Tae –Disse o mesmo e logo em seguida apertou meu membro por cima da cueca fazendo com que eu soltasse um gemido sôfrego, sem muita demora adentrou sua mão por dentro da única peça de roupa que estava em meu corpo e puxou meu membro para fora, começando uma lenta masturbação.

-Você ainda está de roupas? –Pergunto e ele responde com um murmuro –Porque? –Pergunto novamente e sinto que ele sorri

-Tire minhas roupas você então. –Diz e logo me desamarra e tira a faixa de meus olhos, aquela seria a minha oportunidade perfeita para fugir, porém do jeito que eu estava nem se me obrigassem a fugir eu não iria, eu preciso do corpo dele, é a única coisa que penso, que cobiço, que quero. –Entende gora, Tae? Eu te cobiço tanto que fiz isso. –O mesmo diz

-Apenas.. Conversamos sobre isso depois –Murmuro já tirando sua blusa social preta, assim que livro seu corpo dela, eu paro e o observo um pouco, o maldito era lindo! Seu abdômen bem trabalhado, não havia nem tantos músculos e nem poucos músculos era tudo na medida certa. Logo começo a tirar a sua calça e apenas o deixo de box, essa parte eu não conseguia tirar, apesar do desejo queimar dentro de mim, meu lado tímido não deixava que eu removesse essa última peça de roupa, o moreno sorri para mim e sobe em cima de mim, eu mal havia percebido que tínhamos trocado de posição.

Sou acordado de meus pensamentos com dois dedos em minha boca e uma mão atrevida em meus pênis, já tendo uma ideia de para que servia aqueles dedos eu os lambuzo e logo Jeon os remove de minha cavidade bucal, levando-os em direção a minha entrada, introduziu os dois de uma vez o que fez eu soltar um gemido de dor um pouco alto, o moreno ficou com os dedos parando por um tempo, passado determinado tempo Jeon começou a move-los, fazia movimentos de tesoura, vai e vem, me preparando para recebe-lo, a preparação não se prolonga muito pois estávamos apavorados.

-Vai doer um pouco, mas logo passa. –Ele diz e como um déjà-vu me lembro do momento que ele arrancou minhas asas, logo o moreno começa a entrar e a dor era imensa, porém quando perdi minhas asas a dor foi pior.

O moreno se manteve parado por um tempo e após determinado tempo ter passado, Jeon começou a se mover, seus movimentos eram fortes e curtos, ele metia como se fosse me quebrar a qualquer momento, e bom eu queria que ele me quebrasse, ficamos naquele ritmo até que Junkook acerta um ponto dentro de mim que me fez ver estrelas, ondas elétricas sendo enviadas pelo o meu corpo, arrepios me acarretava a cada instante, a cada vez que o moreno me estocava era um gemido meu que escapava.

-K-Kook mais rápido.. –Imploro e ele sorri

-O que foi? Repete, Baby –O mesmo sussurra, eu sabia que ele tinha ouvido. Murmuro xingamentos baixinhos, dizer isso já era bastante constrangedor uma vez, imagine duas!

-Kook mais rápido! –Falo mais alto e novamente ele sorri expondo seus dentes brancos e certinhos.

-Seu pedido é uma ordem. –O moreno sussurra e aumenta drasticamente seu ritmo, Jeon sempre alcançou um ritmo forte, certeiro e rápido. Com esses novos movimentos não tardou muito para que eu chegasse ao meu limite o que acarretou nas minhas paredes internas comprimindo-se e esmagando o pênis de Jungkook, fazendo-o gozar também, me preenchendo com o seu liquido.

-Porque você fez isso? –Já mais calmo eu consigo pronunciar algo

-Porque eu queria você, e eu consegui –Ele diz.

Resolvo não ligar muito para aquilo e apenas aproveito a sensação logo adormeço.

 

2 anos depois

 

Com apenas um pano fino e transparente eu cobria o meu torso nu, chego perto de Kookie na cama e ele sorri, retirando o pano, deixando amostra o meu torso nu e a minha cicatriz nas costas aonde devia estar as asas.

-Você sempre vai estar lindo. –Ele murmura –Sabe, Tae, dizem que demônios não tem sentimentos, mas eu tenho. Eu sempre te observei desde quando você era um anjinho, e mesmo sendo anormal, eu nutri um sentimento por você. Eu amo você, Kim Taehyung. –O moreno diz

Sorrio abertamente –Bom, eu criei sentimentos por você dá forma mais bizarra possível, eu devia te odiar, mas não consigo, você tirou minhas asas, tirou minha casa, tirou minha pureza, minha dignidade, me humilhou em várias ocasiões, me possuiu sem que eu queira, porém invés de eu te odiar, eu te amo –Digo sorrindo –Isso deve ser loucura, eu devo ser louco né? –Digo

-Você quer saber de uma coisa, Tae? Os loucos se completam –Jeon diz e eu sorrio.

A partir do dia no qual eu fui sequestrado, Jungkook se tornou minha casa, eu podia viver no pior lugar do mundo se eu estivesse com ele eu estaria feliz.

-Demônio maldito. –Sussurro e ele ri

-Anjo caído. –O mesmo reponde


Notas Finais


Então como ficou?
Mereço comentários?
Pedradas?
O final ficou bosta eu sei :/
Espero que tenham gostado
Kissus '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...