História Wings (JiKook) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Birdy, Jikook, Jimin, Jungkook, Oneshot, Songfic, Wings
Exibições 125
Palavras 6.280
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


4 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE LER:

1. Essa oneshot é uma songfic baseada em Wings - Birdy e não tem nada a ver com o álbum do BTS (S2).

2. Todos eles têm a mesma idade e estão no mesmo ano letivo.

3. Eu não sei como funcionam as escolas na Coreia do Sul, então escrevi no modo High School (EUA).

4. Sou a louca das referências, então nada aqui é coincidência é tudo referência mesmo.

Agora vou deixar você ler kkk
Nos vemos lá embaixo

... Boa Leitura ...

Capítulo 1 - If these wings could fly


A luz do sol ia se arrastando ao fim, iluminando a clara pele do menino de olhos castanhos que observava o além pela janela. Ele fechou os olhos desejando que a luz que o iluminava e trazia calor a sua pele, também, iluminasse e esquentasse sua alma, mas isso não era possível e ele sabia disso. Ele sabia que só uma pessoa poderia trazer luz a sua vida e essa pessoa não estava mais ali.

Já escurecia, o dia tinha passado muito rápido, o ano passou rápido, tudo passou tão rápido. Só sua dor e a saudade que passaram lentamente. Ainda passa, ele se lembrou, ele lembrou de tudo, risadas, brigas, beijos, abraços, lágrimas (que não foram poucas). Ele lembrou das histórias que passaram juntos. Ele lembrou dele.

Jungkook se lembrou de Park Jimin.

Virou o rosto automaticamente e encarou sua cama, que estava mais para ninho de lembranças. Isso fez ele se lembrar daquele dia.


 

[Flashback On]

 

“-Jiminie -disse Jungkook quase implorando para o ruivo que estava com a cabeça deitada em seu ombro, enquanto o mesmo apertava os botões do controle da TV e passava de canal em canal na velocidade da luz. Estavam deitados na cama de Jungkook, como ele morava só com o pai e ele tinha saído (estava provavelmente em algum bar com os amigos de trabalho) tinham a casa só pra eles- se você não escolher um canal, não vamos conseguir ver nada. O que você quer exatamente?

-O que eu quero? -com um sorriso maldoso nos lábios perguntou o ruivo desligando a TV, jogou o controle em cima do criado mudo e levantou o rosto pra olhar o namorado.

Jungkook viu aqueles olhos, que devido a apresentação de dança que o ruivo e o Hoseok fizeram mais cedo na escola, ainda estavam pintados com delineador, lápis de olho e um pouco de brilho, o encarar com puro desejo. Sentiu um leve arrepio quando Jimin tocou sua barriga por baixo da blusa e começou a fazer carinhos. Ele já sabia onde exatamente isso iria parar, e ele não tinha como resistir, quando o ruivo o olhava com aquele olhar e mordia o lábio inferior com o mais claro sinal de malícia, Jungkook não ficava mais no controle, tudo que ele queria era o amado em seus braços, em seu corpo, em tudo. Como resistir a Park Jimin?

 

Ele não resistia. Não mais. Agora ele se entregava totalmente.

 

Os lábios se encontram, um beijo calmo que logo foi se intensificando. Quanto mais intenso o beijo mais forte Jimin apertava a barriga de Kookie. Em um movimento rápido Jimin já estava sobre si, sentado em seu colo fazendo o levantar para tirar sua blusa e jogá la para longe, assim que se viu livre de sua blusa Jungkook foi tirar a do ruivo, e logo depois parou para admirar aquele corpo perfeito. Jimin passou a mão no cabelo para jogá lo pra trás e de novo aquela mordida no lábio inferior. Aquilo enlouquecia Jungkook, o ruivo sabia bem como o provocar.

Juntaram suas bocas para mais um beijo cheio de desejo e fome, Kookie chupava a língua e mordia o lábio do ruivo enquanto suas mãos passavam pelo seu corpo. A mão direita de Jungkook se prendia aos cabelos cor de cereja do baixinho enquanto a outra segurava sua cintura. Jimin puxou a cabeça de Jungkook para o lado e começou a depositar leves beijos em seu pescoço enquanto o outro soltava pequenos gemidos, os beijos viraram mordidas e as mãos de kookie foram parar nas costas do ruivo onde começaram a marcar sua pele. Jimin sentia um leve ardor misturado com desejo, e ele queria mais daquilo, ele queria mais gemidos, então começou a rebolar em seu colo, e ele mesmo gemeu quando sentiu o membro rígido do outro, começou a dar chupões no pescoço alvo do namorado também marcando sua pele. Jungkook apertava ainda mais as costas nuas de Jimin, que não aguentava mais, já estava duro precisava se livrar do resto das roupas. Foi quando a mão do ruivo tocou o cós da calça de Jungkook que a porta do quarto se abriu brutalmente…”

 

[Flashback Off]


 

-Porra! -esbravejou o menino balançando a cabeça e se agarrando ao batente da janela enquanto uma lágrima solitária escorria pelo seu rosto- Para Jungkook. Já faz um ano, droga. Um ano…

 

O garoto suspirou virando e se afastando da janela. Limpou sua mente. Havia passado o ano assombrado pela culpa, pelas memórias e pelas lágrimas que não cessavam.

Ele foi andando até o espelho para olhar sua roupa mais uma vez. Não costumava a usar nem mesmo ternos quem diria uma casaca. Pra quem não queria ir, qualquer coisa já estava ótimo.

Ele não queria ir a merda da última festa da escola, mas tinha que ir. Tinha que fazer isso pelos seus amigos. Ficariam sem se ver por um longo tempo, pensou Jungkook, principalmente Taehyung que iria para uma faculdade de teatro nos EUA (uma decisão difícil, uma oportunidade única), Hoseok iria para uma academia de dança em Seul, Yoongi disse que iria pra qualquer faculdade, contanto que ele possa continuar a jogar basquete (e ele foi aceito em várias, o capitão do time mais inteligente de toda história do High School), Seokjin iria para uma universidade onde cursaria gastronomia, Namjoon iria para mesma universidade só que ele cursaria letras e Jungkook... Esse só olhava para a carta da Academia de Artes, a melhor da Coréia do Sul, e à ignorava.

Ele só queira que suas asas pudessem voar para o resto de sua vida. Voasse para longe de preferência. Ele não suportava pensar em um futuro sem seu ruivinho.

Uma mensagem em seu celular o despertou de seus pensamentos.

 

V:

Kookie!

Não se atrase

Eu não vou poder ficar até o final da festa

Vou pegar o vôo ainda hoje

Então venha logo u.u

 

Kookie:

Calma TaeTae

Já estou saindo de casa



 

***


 

Jungkook entrou no ginásio da escola, onde rolava a festa, e logo foi preenchido pela música alta. Ele olhava atentamente o salão atrás dos seus amigos, que estavam fantasiados, claro, todos estavam já que era uma festa a fantasia. Eles tinham escolhido as fantasias na sorte, ninguém sabia o que o outro iria colocar. Cada um colocou uma opção de fantasia e depois sortearam.

 

-Hey! -Jungkook ouviu um Zorro gritar, por causa da música alta, ao se aproximar- Jungkookie você chegou, finalmente.

 

-E-e... er… Hobi? -disse Jungkook meio desconfiado chamando o que ele achava ser Hoseok. Todos eles tinham esse negócio de chamar um ao outro por apelidos.

 

Chamavam Hoseok de Hobi/Hope por ele ser sempre tão otimista. Namjoon de Monster ou só Mon por sempre quebrar tudo que toca e por causa da voz grossa também. Yoongi de Suga por esse ser viciado em doces. Taehyung de V que vem de Vitória, por causa de seus troféus, medalhas e certificados, sempre foi muito bom em tudo que fazia. Já Jin era apenas uma abreviação de Seokjin e Kookie uma brincadeira com o nome Jungkook.

 

-Sim! E olha até que a minha fantasia foi de leve -disse Hoseok rindo- você tem que ver os outros. Vem!

 

O Zorro guiou Kookie até um bar improvisado no ginásio. Ao chegar quase soltou um riso ao ver a fantasia dos amigos. Eles estavam encostados no balcão do bar conversando entre si. Começando por V que estava de chinelo, blusa xadrez e jardineira (Jungkook supôs que ele era um fazendeiro), depois vinha Mon vestido de Freddy Krueger (essa era a fantasia que Jungkook escolheu), Suga que estava ao seu lado vestia uma meia calça verde e shortinho, ele era o Peter Pan (isso tinha cheiro de “Ideas de Taehyung”), por último vinha Jin, ele estava vestido de Princesa Léia. Quando os olhos de Kookie pararam nele, não aguentou e soltou uma risada. Era a primeira depois de muito tempo.

 

-Isso não é justo! -disse uma Princesa Léia revoltada- QUEM ESCOLHEU ESSA FANTASIA?

 

Todos olharam automaticamente para Hoseok que fez um aegyo como resposta e todos começaram a rir.

 

-Parem de rir dele. -disse o Freddy Krueger segurando o riso. - Foi difícil convencer ele a colocar essa fantasia e vir a festa.

 

-E o que você disse pra convencer ele? -perguntou Hope.

 

-Que a Disney comprou a franquia de Star Wars, então no caso a Princesa Léia é uma Princesa da Disney? -sugeriu Suga e os amigos começaram a rir.

 

-Não foi isso que ele falou. -disse Jin ficando vermelho- O que ele me disse tava mais pra ameaça.

 

-De qualquer forma, você está linda Jin. -Namjoon falou e recebeu na mesma hora um olhar assassino de Jin, o que só fez os meninos rirem mais.

 

-Está reclamando de barriga cheia -disse o Peter Pan com cara de sono- pelo menos você não está de meia calça. Tem noção de como isso é apertado?

 

-Eu queria ser o Peter Pan. -falou V totalmente sem expressão.

 

-Isso tem cara de ser ideia sua mesmo -falou Hope, e todos concordaram.

 

-Jungkook tá tão elegante. -disse Jin de braços cruzados e cara emburrada, mas não conseguia esconder o sorriso. Parecia uma criança muito fofa, pensou Kookie.- O único que ainda tem dignidade aqui.

 

-Fui eu que escolhi essa. -falou Suga.

 

-O que você é? -perguntou Hobi.

 

-Eu sou um maestro. Não tá vendo minha vareta de maestro? -respondeu Kookie levantando a mão e balançando a “Vareta de Maestro”.

 

Todos sorriram esperando uma piada suja e idiota logo depois, mas o que veio foi silêncio… O autor das piadas e brincadeiras idiotas não estava mais ali. E os sorrisos morreram aos poucos. Só se ouvia o som da festa, pessoas se divertindo. Taehyung foi o primeiro a se pronunciar.

 

-Eu queria vê-lo no hospital antes de pegar o avião, mas a família dele não deixou -falou o pequeno fazendeiro encarando o chão.

 

-Não se preocupe V -disse Hobi o consolando- logo ele vai acorda e vai voltar a perturbar todo mundo como antigamente.

 

Hoseok falou de uma forma como se quisesse convencer a si mesmo, e se ele já estava perdendo a esperança imagina os outros.

 

Jungkook soltou uma risada sem humor.

 

-Ele não vai acordar, já faz um ano. Não sei como a família dele ainda não desligou os aparelhos. -Jungkook disse amargamente aquelas palavras e se virou saindo de perto de seus amigos.

 

Eles o fizeram pensar nele. Eles fizeram ele se lembrar daquele dia.


 

[Flashback On]

 

A porta se abriu em um estrondo fazendo os dois meninos se assustarem. Parado na porta estava o pai de Jungkook com o olhar de puro ódio. Jimin na mesma hora agarrou Kookie como se o quisesse o proteger.

-EU SABIA! -esbravejou o Sr. Jeon- EU SABIA QUE ESSA “AMIZADE” DE VOCÊS NÃO ERA NORMAL!

-P-pai… C-calma… -falou Jungkook nervoso pegando sua blusa e se livrando dos braços de Jimin.

Jimin também foi atrás de sua blusa enquanto Jungkook ia até o pai, que estava visivelmente alcoolizado, tentando acalmá lo.

-EU NÃO TE CRIEI PRA SER UM VIADINHO! -gritou o mais velho dando um soco na cara do filho que se aproximava.

Jungkook foi pego de surpresa e quase caiu no chão. Nunca esperaria aquilo do pai. Ele ainda não tinha falado com o mesmo sobre sua opção sexual, porque esperava o momento certo. Pelo visto não teria momento certo de qualquer jeito.

A raiva subiu a cabeça de Jimin quando viu aquilo e logo se colocou na frente do namorado.

-QUAL É O SEU PROBLEMA?! -gritou o ruivo- O QUE PENSA QUE ESTÁ FAZENDO?!

-CALA SUA BOCA SEU GAYZINHO DE MERDA! FOI VOCÊ QUE FEZ ISSO COM O MEU FILHO, NÃO FOI? SAI DA MINHA CASA AGORA!

Jimin já ia revidar as ofensas do mais velho quando sentiu seu pulso sendo agarrado, olhou pra trás e viu Jungkook sem expressão. O menino entrou na sua frente encarando o pai.

-Você não tem o direito de falar assim com ele -disse Jungkook friamente indo em direção a porta- Jimin é meu namorado, eu gosto dele e é isso que importa. Você deveria estar feliz por mim. Gostando ou não ele vai continuar aqui, essa casa não é só sua. Agora saia do meu quarto.

Jungkook estava com a mão na porta e já ia fechá la, mas o pai esticou a mão agarrando no colarinho do filho e com uma incrível força começou a arrastá lo pelo corredor para descer a escada, tirando o menino do quarto.

-OLHA COMO FALA COMIGO MOLEQUE! EU NÃO TO NEM AI PRA ESSA CASINHA QUE SUA MÃE DEIXOU PRA TRÁS ANTES DE MORRER. MAS ENQUANTO EU VIVER AQUI ELA ME PERTENCE E EU NÃO QUERO NEM VOCÊ MAIS AQUI DENTRO. EU TENHO NOJO DE GENTINHA COMO VOCÊ!

Jungkook ficou chocado não por causa das ofensas do pai ou pelo jeito agressivo, mas pelo fato do pai ter se referido a mãe dele de tal modo. Uma mulher tão boa e gentil. Jungkook só tinha memórias boas da mãe, e mesmo o pai estando bêbado não era desculpa pra tudo o que estava fazendo. Ele jamais o perdoaria.

Sr. Jeon arrastava o filho pelo corredor enquanto o mesmo tentava se soltar do pai. Jimin saiu disparado atrás de Kookie pra tentar tirar o menino de perto do pai. Ele o levaria dali, não o deixaria naquele lugar, não o deixaria perto daquele monstro.

Sr. Jeon segurava seu filho pelo colarinho e Jimin empurrou o homem o fazendo soltar Kookie. O homem possesso de ódio voltou com tudo pra cima do ruivo que viu a vida passar diante de seus olhos enquanto caia escada abaixo até perde a consciência.

Jungkook ficou em choque vendo o pai empurrar Jimin da escadaria. Processou o que aconteceu rápido e então ele correu descendo a encontrando o corpo de Jimin caído ao pé da escada. Lágrimas de desespero começaram a rolar pelo seu rosto quando viu o baixinho desacordado e o corte em sua testa fazendo seu sangue se misturar com o cabelo vermelho.

-J-Ji… Jiminie… -gaguejou o menino trêmulo com a voz embargada pelo choro.

 

[Flashback Off]


 

Jungkook atravessava o ginásio, com sua mente carregada, em direção a saída. Foi um erro achar que ficaria tudo bem se ele fosse aquela maldita festa. Ele só queria estar ao lado do seu ruivinho.

Ele já estava na metade do caminho até a saída quando as luzes se apagaram. Ele parou. O silêncio durou uns 3 segundos e logo depois veio o som de pessoas resmungando e gritando por todo lado. Ninguém entendia o que estava acontecendo. Agora estavam todos pegando o mesmo caminho que Jungkook. A saída. Ele suspirou e decidiu esperar aquele bolo de gente sair pra depois ir.

No escuro viu uma menina de cabelos curtos indo contra a multidão e entrando no ginásio. Jungkook a reconheceu, era MinHyo uma amiga e a parceira de biologia do Hoseok.

Biologia era a única aula em que os sete meninos ficavam todos juntos na mesma sala.

Uma vez quando o professor levará para sala sapos para que os alunos os desecasem, eles já sabiam que aquilo acabaria em risadas. Hyo estava toda empolgada em abrir um sapo morto, mas já Hoseok estava pálido. E Jimin ao lado de Jungkook estava apostando que ele iria desmaiar. E a sala toda apostaram na mesma já que o olhavam, todos conheciam Hope e sabiam como ele era e também sabiam quem era sua parceira. E MinHyo fez mais uma de suas brincadeiras, deu um grito assustando Hope e falando que o sapo tinha voltado a vida, ela pegou o sapo e aproximou perto do rosto do menino que viu estrelas. Todos começaram a rir, até Namjoon que estava na mesa do lado e foi segurar o amigo. Não era a primeira vez que isso acontecia, Hyo e Yoongi vivem pregando peça no garoto, que depois acabava rindo da situação.

Ela não estava fantasiada, usava suas roupas despojadas de sempre. E abriu um sorriso triste enquanto se aproximava de Kookie, que retribuiu com outro. E ela parou a sua frente.

 

-E aí? -Jungkook falou desanimado. Ele não queria bater papo, mas também não queria ser rude com uma amiga. Ele já estava se arrependendo de ter saído daquele jeito de perto dos seus amigos, os meninos não tinham culpa do que estava acontecendo, mas ele sim.

 

-Hey Jungkook -falou a menina- O que faz aí parado? Tá curtindo o escuro? Fiquei sabendo que esse apagão foi na cidade toda.

 

-Hmm... Não, só tô esperando todo mundo sair. Não estou muito afim de ser pisoteado hoje. E você? Não parece estar muito animada pra festa. -ele falou apontando para o visual da menina.

 

Ela riu, se virou para também observa as pessoas saindo e disse pensativa:

 

-Na verdade eu estou muito animada com essa festa. Afinal é hoje o dia em que vejo muitos colegas pela última vez e é o dia em que eu me separo dos meus amigos com a promessa de que nos veremos de novo. Passamos praticamente a metade de nossas vidas na escola e agora vamos embora. Algumas pessoas não ligam pra isso, mas outras sim e pra essas pessoas hoje será um dia inesquecível Jeon Jungkook. E eu só estou sem fantasia porque esqueci de pegar ela na loja hoje cedo e quando lembrei a loja já tinha fechado.

 

-Poético. Quer dizer, tirando a parte em que você é preguiçosa. -disse Kookie e fez a menina soltar uma risada e fazer uma careta. - Mas ainda não entendi por que voltou pra dentro?

 

-Vim ajudar o cara do bar a colocar as bebidas no isopor e levar lá pra fora. A festa não pode parar. -falou a menina apontando com a cabeça pra trás.

 

Jungkook olhou por cima do ombro e em meio a escuridão viu um menino vestido com roupas dos anos 90, com uma mão segurava a lanterna enquanto usava a outra para guardar algumas coisas. Ele também o reconheceu. O menino era da sua turma de História.

 

-Esse não é o Kwon Hyuk? Seu namorado?

 

-Esse idiota aí mesmo. -disse a menina com um sorriso nos lábios se virando e indo em direção ao bar improvisado- Até mais Kookie.

 

-Tchau. -disse Jungkook também se afastando e indo em direção a saída. Ele sentiu que esse “Até mais” era uma promessa de que eles se veriam de novo. Isso fez o menino se sentir um pouco melhor. Ele tinha que pedir desculpa ao seus amigos e também prometer que veria eles novamente.

 

***

 

Chegando do lado de fora Jungkook viu a escuridão. A cidade realmente parecia estar apagada, e tudo que iluminava era a luz da lua e das estrelas. O céu estava limpo e lindo, observou Jungkook. E ele também observou as pessoas fantasiadas indo em direção ao campo e os seguiu.

A festa realmente não ia parar. Não tinha música alta ou show de luzes, só o som de conversas e risadas, flashes de celulares ligados, e parecia que iam fazer uma fogueira. O campo de futebol ao lado da escola já estava lotado de palhaços, princesas, mágicos, guerreiros, fadas e um menino vestido de cachorro-quente. Tinha de tudo. E apesar da falta de energia e da mudança de planos, estavam todos ali, se divertindo sob um trilhão de estrelas. Ou quase todos. Ainda sim faltava alguém, faltava alguma coisa. Sempre faltaria.

Um nó se formou na garganta de Jungkook. Ele não queria pensar nele de novo, mas era algo tão inevitável.

Ele olhava para aquelas pessoa se divertindo, dançando e sorrindo, como se os vissem através de um vidro. Ele queria estar se divertindo com os amigos, mas ele não podia, ele não conseguia. Mesmo depois de um ano o menino não conseguia esquecer.

Todos os sentimentos daquele dia, eles sempre vinham à tona.

E ele não podia nem mesmo vê-lo no hospital. Os Park não o deixavam nem se aproximar do corredor. Família rica e com bastante influência na pequena cidade. Eles o culpavam, ele sabia, ele também se culpava.

O único jeito que ele tinha de saber sobre Jimin era através do irmão mais velho de Yoongi que trabalhava como enfermeiro no hospital.

Uma vez tentou entrar no quarto do menino com a ajuda dele, mas Jungkook foi pego e quase que o irmão de Suga também, mas Jungkook assumiu toda a culpa sozinho, claro, não poderia colocar o emprego do homem em risco. Kookie ficou avisado que se precisasse de médico deveria ir em outro lugar, porque se entrasse ali novamente eles ligariam para polícia.

Era torturante tudo aquilo, a culpa, a saudade, o vazio, as lágrimas. Jungkook não aguentava mais aquilo e se perguntava se algum dia à dor iria cessar.

E ele estava lá parado, em um estado estrangeiro, se lembrando de cada toque, beijo, de cada detalhe do ruivo. Enquanto as pessoas em sua volta riam e festejavam.

Jungkook queria gritar, queria colocar tudo para fora, mas seus pensamentos sumiram e sua palavras o deixaram como se tivessem pegado um avião. Porque ele pensou em Jimin.

Só porque ele pensou em Park Jimin.

 

-Jungkookie-ah…

 

Jungkook fechou os olhos se lembrando da voz doce de Jimin. Jungkook amava o jeito que Jimin falava. O baixinho tinha um jeito único, e Kookie achava isso adorável. Às vezes o menino era irritante, mas ninguém conseguia ficar com raiva, pelo fato do ruivo ser extremamente fofo. Todos relevavam suas brincadeiras.

 

-Jeon Jungkookie.

 

Jungkook prendeu a respiração. Aquilo não era uma lembrança, não podia ser. Ele ouvia a voz do ruivo nitidamente. Ele se virou na mesma hora. Era a voz de Jimin. Ele estava ali. Ele tinha que estar ali. Se sua mente estivesse pregando uma peça ele não suportaria.

 

-Ji-Ji… min… -sussurrou Jungkook.

 

Ao se virar Kookie dá de cara com um ruivo, baixinho, vestido com roupas de hospital, que fazia o eyes smile mais lindo de todos.

Jungkook abriu a boca, mas não conseguia falar, só sentir. Ele sentiu tantas coisas ao mesmo tempo, que mesmo se tentasse, não conseguiria explicar. Ele abraçou o menino a sua frente. Queria sentir ele, queria saber se era real.

E era.

E então ele voltou a respirar, sentindo alívio. Era como se uma luz tivesse se acendido dentro de sua alma. Ele o abraçava tão forte que parecia que seus corpos se fundiriam. Jamais ficaria longe de Jimin de novo. Não importa o que acontecesse.

Se Jungkook dissesse que manteve a esperança de que Jimin levantaria daquela cama no hospital e voltaria para ele, estaria mentindo. Ele achava que mesmo que Jimin acordasse, jamais o procuraria. Mas ele estava lá. Jimin voltou pra ele.

Jungkook ouviu uma risada abafada de Jimin contra seu peito.

 

-Quer me mandar de volta para o hospital? -disse Jimin.

 

Jungkook desfez o aperto e se afastou, mas só o suficiente pra olhar o rosto do ruivo. Ele analisou o rosto de Jimin, olhos, nariz, boca… ah, a boca, como ele sentia falta daqueles lábios.

Jungkook segurou o rosto de Jimin fazendo carinho em sua bucha com o polegar. Abaixou a cabeça e foi aproximando sua boca. Quando seus lábios tocaram com o do ruivo ele fechou seus olhos. Sentia seu coração disparado, sentia fogos de artifícios dentro de si, ele sentia os lábios de Jimin. Foi um beijo longo carregado de sentimentos. Era como se fosse da primeira vez, pensou Jungkook.

Eles interromperam o beijo por falta de ar. Jungkook encostou sua testa na de Jimin e sorriu. Ele sentia as lágrimas rolarem pelo seu rosto. Um doce sorriso se abrir nos lábios de Jimin enquanto ele limpava as lágrimas de Jungkook.

 

-Eu te amo. -falou Jungkook surpreendendo o baixinho- Desculpa não ter falado antes… mas porra Jimin, eu te amo tanto. Não me deixe, nunca mais me deixe.

 

Jimin abriu um sorriso tão grande que seus olhos fecharam. Sempre quis ouvir seu Kookie dizendo que o amava. Ele selou os lábios de Jungkook.

 

-Eu te amo, sempre te amei e sempre vou amar. -disse Jimin- E eu nunca vou te deixar. Até mesmo se você me largar e voltar a fugir de mim.

 

Jungkook riu e disse:

 

-Isso não vai acontecer.

 

E eles se beijaram novamente.

 

-JIMINIE!!!

 

Jungkook soltou Jimin interrompeu o beijo. Ele sorriu, conhecia a voz escandalosa de Hoseok. Eles se viraram e viram o Zorro se aproximando com um sorriso no rosto e braços abertos para abraçar Jimin.

-Caralho! Não tô acreditando que você tá aqui! -Hope falou soltando Jimin do abraço.

 

-Oi Hobi. -disse Jimin rindo.- Vocês estão xingando muito, quero ver se o Jin ouve isso.

 

-E eu ouvi sim! -disse Jin aparecendo ao lado de Hoseok. Junto dele estava V e Namjoon.

 

-Não morre mais… Ai! -falou Hope recebendo um tapa de Seokjin na nuca. E fazendo os outros meninos rirem.

 

Taehyung estava rindo quando pulou em cima de Jimin o abraçando. Estava muito feliz em ver seu melhor amigo ali, bem e acordado.

 

-Solta ele seu macaquinho eu também quero abraçar. -falou Jin puxando V.

 

-Depois sou eu, em. -disse Mon sorrindo.

 

Estavam todos muito felizes. E depois que todos o abraçaram, Jimin sentiu falta de alguém.

 

-Cadê o Suga? -falou erguendo as sobrancelhas.

 

-Ele foi ajudar o pessoal a acender a fogueira… Olha ele ali… -disse Hope e gritou Yoongi, que o ouviu e foi em direção aos seus amigos.

 

-Uuuh! Belas pernas Sr. Min. -disse Jimin enquanto Yoongi se aproximava sorrindo para o abraçar.

 

-Como você veio parar aqui? -perguntou Suga se soltando do abraço.

 

Todos ficaram curiosos. Era verdade, Jimin apareceu lá do nada. Eles ficaram tão emocionados ao ver o menino que nem se lembraram de perguntar.

 

-Quando você acordou? -perguntou Jin.

 

-E que roupas são essas? -perguntou V.

 

-Aish! Muitas perguntas. -falou Jimin.

 

-São só três. -disse Mon.

 

-Eu acordei já faz um tempo… Eu teria avisado, mas minha família… Vocês sabem. -Jimin disse soltando um suspiro.- E a roupa? Bem é uma festa a fantasia afinal… Eu ia aproveitar a cicatriz na testa e me vestir de Harry Potter, mas achei a roupa de hospital mais cômica.

 

Os meninos a sua volta reviram os olhos e riram. Ele estava de volta.

 

-Jimin você usou esse apagão para fugir do hospital? -Jungkook perguntou desconfiado.- Sua família não contaria sobre a festa, não tinha como você saber que era a fantasia.

 

-E meu irmão não me falou nada sobre você ter acordado. -falou Suga.- Então você só pode ter acordado hoje, já que ele tá de plantão e não tem como eu falar com ele. Na verdade não tem como eu falar com ninguém, não é mesmo Monster?

 

-Foi mal… -falou Mon.

 

-Ele quebrou seu celular também? -perguntou Taehyung.

 

Suga concordou com a cabeça fazendo uma careta.

 

-Espera aí… Park Jimin, não me diz que você saiu do hospital sem receber alta?! -exclamou Jin preocupado.- Sua imunidade está baixa. Você pode ficar doente e acabar ficando mais tempo no hospital.

 

-Então… é… complicado… -disse Jimin- Eu acordei ontem a noite e eu estou ótimo. O irmão do Suga me disse algumas coisas e também falou que hoje era o dia do baile. Aí depois teve o apagão e ele me ajudou a fugir.

 

-Aigoo!* Ele ainda vai perder o emprego. -disse Suga.

 

-Não, complicado vai ser quando a sua família colocar todos os policiais dessa cidade atrás de você. -disse Jungkook.

 

-Provavelmente, mas até eles chegarem aqui a gente podia aproveitar a festa e vocês podem me atualizar sobre esse ano que eu perdi. -sugeriu Jimin.

 

Todos riram ficando lado a lado e indo em direção a “festa”.

 

-Cara eu tava pensando aqui, você teve sorte -falou Namjoon.- Esse apagão te ajudou muito.

 

-Sem ele você provavelmente não teria saído tão fácil do hospital. -disse Jin.

 

-E todo mundo veria você vestindo isso pelo caminho. -disse Hope.

 

-Imagina se isso não fosse uma festa a fantasia e você aparecesse assim… seria mais engraçado. -disse Suga.

 

-Você tá usando alguma coisa por baixo disso? -perguntou Jungkook.

 

-Nossa que implicância com a roupa do hospital. E olha só pra vocês. É uma festa a fantasia e não halloween. -disse Jimin rindo.- Fugir do hospital não foi nada fácil, mas o apagão ajudou muito. E Kookie amor, pra você eu sempre estarei usando nada.

 

-Eca! Não comecem vocês dois. -falou V revirando os olhos. Depois de um tempo em silêncio ele olhou para cima admirando o céu estrelado.- Eu acho que há coelhos na lua.

 

No grupo alguns reviravam os olhos e outros riam, mas todos disseram em uníssono:

 

-Ok, Taehyung!

 

V sentiu que seus amigos não estavam o levando a sério, mas ele apenas deu de ombros e começou a contar para Jimin sobre o seu ano. E todos foram contando ao ruivo o que achavam interessante também.

Pegaram bebidas e sem perceber eles estavam tão envolvidos na festa quanto os outros alunos. Conversavam, riam, dançavam, tiravam fotos. Aproveitaram a festa como se não houvessem problemas para resolverem. Só havia eles, aquele lugar, aquelas pessoas e aquela fogueira.

Naquele momento eles estavam perdidos e achados.


 

***


 

Jungkook e Jimin estavam sentados no meio fio abraçados. Eles observavam o pouco movimento de carros, enquanto ouviam a música da festa.

Já fazia um tempo que a energia tinha voltado, mas ninguém queria voltar para dentro do ginásio, então colocaram as caixas de som do lado de fora e continuaram com a festa.

Jungkook olhou Jimin, reparando em algo que estava diferente nele. O cabelo.

 

-Seu cabelo está laranja. -Jungkook falou colocando a mão nos cabelos do baixinho e começando a fazer cafuné.

 

Jimin olhou pra cima jogando o cabelo na cara para poder ver. Jungkook acho que nem ele tinha notado a mudança.

 

-É, depois de um ano o vermelho desbotou. Acho que vou voltar ao preto ou ficar loiro. O que você acha Kookie?

 

-Eu acho que você acabou de sair do hospital e já ta pensando em pintar o cabelo. -Jungkook riu fazendo Jimin rir também.

 

Jungkook analisou o rosto do menino a sua frente notando a pequena cicatriz, que o cabelo tampava, em sua testa. Parou o cafuné e passou o dedo nela. Sentiu o ruivo se arrepiar.

Jungkook queria falar uma coisa, uma coisa que já o estava sufocando. Mas antes que conseguisse falar, o menino viu um fazendeiro se aproximando.

 

-Ei vocês dois venham me dar tchau! -falou V se aproximando junto com os outros meninos.

 

Jungkook e Jimin se levantaram sorrindo. Kookie percebeu que um carro vermelho conhecido estava parado logo mais à frente. Era o carro do pai de Taehyung.

É tava na hora, pensou Jungkook.

Ele e Jimin abraçaram V.

Todos sentiriam falta de V, mas Jimin e Kookie principalmente já que os três eram bem próximos. Mas apesar da saudade estavam muito orgulhosos. Taehyung até poderia ser meio avoado, mas era muito talentoso e estava indo atrás do seu sonho. E eles estavam muito felizes por ele.

Enquanto eles se abraçavam Hope se jogou em cima abraçando os três enquanto fazia sons estranhos, ninguém entendia nada, mas mesmo assim riam.

V se livrou do abraço em grupo. Olhou para seus amigos já sentindo saudades e deu seu famoso sorriso, aquele que mostra todos os dentes, e ouviu eles dizendo “Tchau TaeTae!” antes de entrar no caro e parti.

 

Os, agora, seis meninos  observaram o carro vermelho até ele virar a esquina e desaparecer de vista.

Todos estavam muito felizes. Tinham aproveitado a festa. E estavam finalmente saindo da escola. Cada um ali seguiria o seu caminho, mas nunca deixariam um ao outro, se encontrariam novamente. E Jin fez todos eles prometerem mandar, pelo menos, uma mensagem por dia dizendo como estavam.

Foi uma ótima despedida.

Eles lembrariam daquela noite para o resto de suas vidas.

 

-Eu vou indo. Vou ter que acordar daqui a pouco. Meu primo e eu vamos pegar o primeiro ônibus para Seul. Até mais gente. -falou Hoseok sorrindo, fez um coração para os amigos e foi em direção a sua moto que estava parada no estacionamento da escola.

 

-Tchau Hobie! -gritaram os cinco restantes que viram o menino se virar e acenar que nem um maluco fazendo todos rirem.

 

-Eu também vou pra casa. -falou Namjoon.

 

-Graças a Deus! Eu vou com você... Quer dizer… Não pra sua casa! Eu vou pelo mesmo caminho que você… Aish! Você entendeu e para de rir Namjoon! -disse Jin parecendo um tomate enquanto os meninos riam- Vamos indo. E vocês não fiquem por aí até tarde, Ok?

 

Jungkook, Jimin e Suga concordaram com a cabeça.

 

-Até mais meninos. -disse Jin se juntando ao lado de Mon que acenou para os três restantes.

 

-Tchau Monie e Jin Omma*. -disseram os três e viram Seokjin revirar os olhos antes de se virar e começar a caminhar em direção a sua casa com Namjoon ao seu lado.

 

Jungkook supôs que Mon estava contando alguma piada porque Jin não parava de rir e ele podia jurar que viu eles dando as mãos ao virarem a esquina.

 

-É... Só sobrou a gente. -falou Jimin enquanto enfiava a mão dentro do saco de balas de mascar que Yoongi tinha acabado de abrir.- Você esperou o Jin ir embora pra abrir isso?

 

-Ele disse que eu ia acabar tendo cáries e diabetes se continuasse a comer tantos doces. Então eu parei de comer... -falou Suga colocando balas na boca que nem uma criança- ...na frente dele.

 

-Você sabe que ele vai descobrir, ele sempre descobre. Não é atoa que a gente chama ele de Jin Omma*. -disse Jungkook.

 

-E quando ele descobriu que você tomou Vodka na festa do Jinyoung, Kookie. -Jimin se lembrou rindo.

 

-Ah, nem me lembre. Ele me deu um sermão de 3 horas e falou que o Junior era uma péssima influência. -Jungkook falou revirando os olhos.- Enfim, vamos indo, você tem que voltar para o hospital.

 

-Aah, Kookie-ah. A festa não acabou ainda. -Jimin falou fazendo bico.

-Sem mais ChimChim. -disse Jungkook firme. O ruivo era teimoso.

 

-ChimChim é nome de cachorro. -observou Suga e recebeu um olhar de interrogação de Jimin. Suga fez uma careta e disse- Meu irmão está saindo do plantão e eu vou ir pegá lo. Eu estou com o carro dele e tal, se vocês quiserem uma carona...

 

Antes que Jimin pudesse dizer alguma coisa, Jungkook falou primeiro;

 

-A gente vai sim.

 

-Ok. Vou esperar vocês no carro. -Suga falou indo em direção ao estacionamento.

 

O ruivo olhou para Jungkook com cara de cachorro abandonado.

 

-Eu quero ficar com você mais um pouco antes de enfrentar a minha família e provavelmente ser expulso de casa, Kookie. -Jimin falou implorando o namorado.

 

Jungkook suspirou. Ainda tinham esse problema. Os Park. Jungkook sabia que Jimin tinha que voltar para o hospital. Jin estava certo, o menino acabou de acordar de um coma, ele precisava de tratamento adequado. Mas voltar ao hospital seria o mesmo que enfrentar os pais de Jimin.

Jungkook sentiu de novo o nó em sua garganta. Ele sabia que era tudo culpa dele. Jimin perdeu um ano de sua vida e quase morreu por causa dele, arrumou problema com os pais por causa dele. Era tudo culpa dele. Ele sentia que tinha arruinado a vida de Jimin e se sentia um lixo por isso.

 

-Me desculpe. -falou Jungkook finalmente.

 

-O que? -Jimin perguntou confuso.

 

-Me desculpe por tudo que aconteceu. Foi culpa minha. O meu pai… ele…

 

-Você não tem que se desculpar Jungkook. -Jimin o cortou se aproximando mais dele- Não foi culpa sua. Eu te amo e entraria na frente de um trem por você. Se eu caí daquela escada foi tentando te proteger e eu sei que você faria o mesmo por mim. Eu não poderia suportar a ideia de alguém te machucando. O único culpado é aquele cara. Eu imagino como esse ano deve ter sido difícil pra você e eu sinto muito por isso, mas eu não vou mais te deixar. Vamos ficar juntos por muito tempo, meu anjo. E não vai ser a minha família que vai nos separar, não depois de tudo que passamos. E se quiserem me colocar na rua, me deserda… tanto faz, eu não me importo. Eu só quero ficar com você.

 

Jungkook sentiu Jimin segurando suas mãos e entrelaçando seus dedos. Ele sentia as palavras de Jimin sobre sua pele. Queria chorar, queria dizer ao menino como foi difícil suportar sua ausência, queria dizer tudo.

Mas não ia.

Ele passou o ano todo chorando e sofrendo. E agora que Jimin estava ali, finalmente estava ali na sua frente, ele não queria gastar seu tempo com o ruivo falando sobre o passado. E se teve uma coisa que Jungkook aprendeu nesse ano que passou, é que o tempo é muito cruel.

Jungkook segurou o rosto de Jimin, olhou no fundo de seus olhos e disse:

 

-Ele foi preso por tentativa de homicídio. Vai ficar por bastante tempo na cadeia. Ele nunca mais vai chegar perto de você ou de mim de novo. Eu prometo. E você vai ficar na minha casa onde é o seu lugar. Ficaremos juntos para sempre.

 

Jimin abriu um sorriso.

 

-Me diz que eu tô louco e fala que essa última frase não saiu como um pedido de casamento. -disse Jimin rindo.

 

-V-Vo… Você… N-Não está louco… -gaguejou Jungkook ficando vermelho.- Agora eu por outro lado… Acho que sou completamente louco. Louco por você. E pode ser um pedido… quem sabe… se você disser sim.

 

Jimin não estava acreditando no que acabara de ouvir. Ele chegou achar que estava delirando. Era isso mesmo? Jungkook estava o pedindo em casamento? O seu Kookie?

 

O ruivo não falou nada apenas beijou Jungkook. Beijo esse que às vezes era interrompido por sorrisos de ambos.

 

~THE END~


Notas Finais


Omma = Mãe
Aigoo = Expressão usada particularmente para demonstrar surpresa.

Primeiramente eu queria pedir desculpa por qualquer erro (é minha primeira fic).
Eu tenho que admitir que gosto de escrever finais diferente dos normais e tals, mas tive a necessidade de dar um final feliz para essa história (mas depois de tudo eles merecem né).
Deixei o meu, o seu, o nosso lindo OTP Namjin bem explícito mesmo (adoron) kkkk
Eu queria agradecer a minha Parabatai ~LovelyHoran pq se não fosse por ela eu provavelmente nunca escreveria nada (por preguiça, pq história é o que não falta) então OBRIGADA MARI SUA LINDA.

Obrigadaaan por ter lido e se gostou não esquece de comentar (dizem por aí que comentários deixa a autora feliz, principalmente aquelas que estão começando).
E se você não gostou comenta também e depois reclama com a Mari por ter deixado eu postar u.u

E você que não conhece a música, o que eu acho bem difícil, tá aqui (Wings-Birdy)
https://www.youtube.com/watch?v=WJTXDCh2YiA

Se quiser falar comigo melhor
Twitter: @letycialira

Até a próxima …

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...