História As duas faces da alma - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Jinhope, Mistério, Namjin, Romance, Yaoi, Yoonmin
Exibições 58
Palavras 527
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não sei mais o que dizer... Só chorar de alegria com essa fanfic e com vocês meus anjinhos.
Já quero pedir desculpa pelo capítulo se estiver ruim, hoje foi um pouco corrido e só tive tempo agora, tô morta de sono "Minam não ficará para madrugada"
Então mais uma vez desculpa gente T^T

Capítulo 7 - Eu vi coisas


Fanfic / Fanfiction As duas faces da alma - Capítulo 7 - Eu vi coisas

A noite caiu, fria e serena. O vento soprava suave, fazendo as folhas secas enfeitarem a grama molhada de sereno. Enquanto Min dormia tranquilo, Namjoon ainda estava lá, firme, com sono, mas firme. Folhas e mais folhas essas eram sua única companhia. Horas iam se passando, a madrugada solitária, o grande acolho da dor, olhava e praguejava-se por amar a quem não deveria, queria parar e sabia que de alguma forma conseguiria.

E foi assim, pensando nisso, que Namjoon finalmente adormeceu. Em cima de suas enlouquecedoras papeladas, dormiu, sonhou... Sonhou com o sorriso do irmão, e um borrão preto que segurava sua mão.

-Como é lá? Como é a casa dele?

-É calma, tranquila e bastante confortável. Você irá gostar.

Logo de manhã já seguiram em destino a casa de Jimin, o mesmo que já sabia da ida do "namorado". A viajem fora calma, sem falas e nem interações, se não soasse muito louco, diria até mesmo que Yoongi estava bem longe deste universo.

-Yoongi, pense bem antes de dizer alguma coisa. Palavras podem até se desfazerem no ar, mas nunca na cabeça de quem as escutou.

Min ouviu atentamente e analisou cada palavra, não queria ferir os sentimentos do irmão de seu psicólogo, mas morar com um completo estranho, com certeza, não seria fácil.

Kim foi paciente e ainda seria afinal Yoongi e Jimin precisariam dele. Abriu o portão deixou a mala, bateu a porta e se foi, foi embora deixando ali um Yoongi esperando para recomeçar.

Yoongi

Fui deixado a porta de um estranho, como uma criança, acho que fui abandonado. Ouço a porta, mas não me viro, ocupo minha mente com aquela bela rua, gramados verdes, tulipas esvaindo perfume e as lindas amoreiras seguindo por toda a calçada... Tão belo, tão calmo.

-Acho que irei gostar daqui...

-É ótimo ouvir isso.

-Olá Jimin, como vai?

-Bem obrigado, entre, por favor.

***

A casa de Jimin não pudera ser mais adorável, o cheiro doce e suave chamava a atenção, mas o que mais chamava a atenção eram os muitos quadros, nas paredes, prateleiras e estantes, avia muitas pessoas, avia fotos onde Min se encontrava abraçado a Jimin e fotos onde Jimin se encontrava abraçado com outro alguém.

-Quem é esse?

-Ah, esse, é um amigo. Jungkook, jeon jungkook. Eu o conheci quando você ainda estava internado. Ele me ajudou um pouco.

-Entendi.

-Yoongi...? Posso lhe abraçar?

-Você quer um abraço da única pessoa que não pode te abraçar...

Abaixou a cabeça pensativo, Yoongi não estava ali para abraçar Park. E por quê este sentimento estava presente? Por quê era como se houvesse alguém a mais ali...? Por quê?

-O amor é um ato de coragem numa guerra de desapegos e ilusões... É assim que se sente Jimin?

-Eu... Eu não... Yoongi, o que quer dizer?

Jimin não entendeu, não queria entender, tinha medo, medo de entender e se machucar mais.

"Pare... Pare... Por favor... Ele não merece sofrer."

A voz ecoou, sombria e baixa, ecoou na cabeça de Min e doeu, doeu como se alguém o tivesse espancado, esvaindo toda a raiva. A visão turva o avisava a beira de um desmaio, o corpo pesado antes de chocar-se contra o chão, pesou, pesou e delirou, pois pode ver a silhueta escura de alguém atrás de Jimin.




Notas Finais


Desculpa anjinhos.
Amanhã prometo que recompensarei.
Beijinhos 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...