História Wishes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook, Jiminweek, Kookmin
Visualizações 299
Palavras 3.700
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello~

Gente eu não costumo escrever Jikook, apesar de shippar, e por coincidência é incesto. Essa one estava parada faz século, desde de janeiro de 2015, época que shippava mais jikook que Vkook e Jihope era o otp '-’ é essa época ficou muito pra trás! :3

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo único


Era a primeira visita de Jimin a casa dos pais, há anos atrás o mesmo havia ido embora cursar uma faculdade e acabou dono de uma empresa de artigos japoneses, havia deixado tudo para trás em busca do sonho que ele finalmente havia conquistado, deixou seus pais, que eram amorosos, e também deixou seu querido irmãozinho, que na época tinha apenas 10 anos e era um viciado em doces.

Já havia matado a saudade com seus país, porém o mais novo ainda estava na escola, ele tinha seus 17 anos e estava terminando o colegial, sua mãe havia dito que ele continuava um viciado por doces e que lhe admirava de mesma forma se não mais do que antes, Jimin riu internamente, o que mais o preocupava era de ter recebido o ódio do mais novo, não queria que o mais baixo o acusasse de abandono, aquilo o magoaria demasiadamente.

Seus dedos tocavam a prateleira de livros do seu irmãozinho, lógico que ele não se interessava pelos livros mas estava admirado  o quanto apesar de entediado e energético ao mesmo tempo o mais novo era e mesmo assim parecia gostar de ler, provavelmente não teria um irmão burro, mas já imaginava um gordo por comer tanto, afinal estava curioso, não vira nenhuma foto dele crescido até então. Eram tantos títulos, tantas cores e espessuras diferentes, mas a maioria eram de ficção e havia muitos mangás também. O alaranjado  piscava devagar, como se quisesse fotografar tudo aquilo para guardar na memória.

— Oh Jiminie-hyung voltou? — Escutou a voz entediada em sua costas o chamando de mesma forma e o melhor sem nenhum deboche, estava severamente curioso para saber como seu irmãozinho estava.

— Jungkookie!  —  Sorriu abertamente se virando, mas o que via não era a criança de antigamente.

Era um homem feito, alto, os cabelos caindo sobre a testa, a mão na cintura enquanto a outra segurava a mochila da escola, estava vestindo o uniforme usual, mas claramente dava para notar as coxas grossas e a cintura magra, completamente o oposto do que imaginava. Em sua boca havia um pirulito ao qual Jimin  apenas via o cabinho branco para fora e o salientamento em sua bochecha  causada pela bolinha.  Jimin  nunca poderia imaginar que o seu irmão ficara tão... Não havia adjetivo para dizer o quão belo ele havia ficado. Jimin  lhe dirigiu um sorriso, porém não se sentiu no direito de abraçá-lo e limitou-se a ficar por apenas por isso mesmo.

— Como vai? —  Questionou-lhe alargando o sorriso.

— Com fome —  Acenou largando a bolsa em cima da cama puxando o pirulito da boca — Trouxe algo doce para mim? —  pergunto colocando o doce na boca novamente enquanto se dirigia ao seu guarda roupa, tirou a gravata e o blazer, pegou um saco de balas da gaveta e tirou os sapatos e meias com os pés se jogando na cama usando o braço esquerdo como travesseiro.

— Sim, um pacote de pirulitos, bombons de avelã e trufas — Jimin olhou pela janela superando baixo se sentando na poltrona.

— Oh sério Jiminie-hyung? Cadê? Cadê? — repetiu que nem uma criança fazendo o mais velho rir, e realmente parece que o garoto não tinha mágoa de si. Jimin se sentia feliz, agora mais do que  nunca, talvez naquele momento estivesse completo; satisfeito.

— Nas minhas coisas — respondeu-lhe passando a mão nos cabelos negros os puxando com as unhas curtas.

— Unh depois que eu acabar com esses eu irei querer — avisou dando um leve sorriso, mordeu o pirulito terminando de mastigá-lo jogou o cabinho no cesto perto da sua cama, abriu a bolsa, Jimin imaginou que ele iria tirar livros e cadernos, mas apenas tirava toneladas de embalagens de diferente tipo jogando uma a uma no lixo, jimin perdeu a conta depois da décima embalagem.  

— Hoje a professora me pegou comendo doces na sala, e acabei suspenso, novamente... Mas com você aqui a mãe relevou, que bom que voltou justo hoje Jiminie-hyung.

— Hmm — Jimin  soltou uma risada nasal negando com a cabeça — Não foi nada, bom te ver também —  soltou uma leve ironia em seu tom de voz.

Jungkook  ficou quieto, pegou  o saco de balas de chocolate o abrindo  e desembalando uma a uma levando na boca, hora mastigando, hora chupando de forma copiosa sem nem ao menos dar conta do que fazia, olhava para o teto sem pensar em nada, no fundo ele dava pulos de felicidades por poder ficar em casa, a escola era muito cansativa e chata.

Acabou lambendo os lábios que estavam ficando melados por estar consumindo os doces, Jimin acompanhava o trajeto da língua do irmão de forma lenta, na verdade em seus olhos tudo passa vagaroso, chegava a ser realmente sexy e se castigava por pensar isso. A perna esquerda de Jungkook  se levantou ficando dobrada, dando para ver de forma discreta sua nádega canhota e como ela era farta, aquilo fez com que Jimin  engolisse em seco.

— Neh Jiminie-hyung, como você está? — questionou, não recebia muitas notícias do irmão.

— Bem eu acho — Jimin  limitou a encolher os ombros, se sentia sozinho desde que partira, não tinha lá bons amigos.

— Hun... —resmungou mordendo o lábio inferior — Jiminie-hyung namora? Está meio velho já e não vejo aliança — indagou mais por provocar. Seu irmão já tinha vinte e cinco anos afinal das contas.  

— Não pretendo casar, é pegar e adeus — Jimin limitou-se a responder sem dar detalhes a mais.

— Nossa que vadio hen? — sorriu sua testa suava, levou a costas da mão limpando, mas enquanto não se livrasse da febre sabia que não iria parar de suar. Jimin apenas riu negando com a cabeça.  Jungkook  se levantou lerdamente tossindo indo até o irmão se sentando em seu colo como uma criança abraçando o seu pescoço beijando seu rosto.

— Jungkookie?  — questionou confuso.

— Fico feliz que Jiminie-hyung  tenha voltado estava me sentindo muito sozinho —sorriu calmo coçando os olhos com as costas da mão de forma sonolenta.

Jimin  sorriu mais uma vez passando os dedos sobre sua bochecha  sentindo a pele quente do outro, quente demais. Lhe beijou o alto da testa passando os dedos pelos cabelos negros, o pôs no colo de forma acolhedora se levantando lentamente, Jungkook  repousou sua cabeça sobre o ombro do irmão se sentindo ser erguido e carregado até  ser confortado na cama.

— Vou pegar um remédio pra esse seu resfriado —sussurrou para que o irmão caçula o soltasse.

— Nahn não precisa Jiminie-hyung, eu já tomei, só esperando o efeito — sorriu bocejando e o soltando, a verdade era que Jungkook  achava o gosto do medicamento amargo demais e preferia ficar da forma que estava. O outro riu, conhecia perfeitamente o irmão tanto que reconheceu o que estava por ocorrer, passou os dedos nos cabelos pretos  de forma lenta.

— É comprimido — disse o mais velho.

— Mas.. — Choramingou — está certo — emburrou cedendo em tomar o medicamento apesar de achar até mesmo que os comprimidos ficasse com um gosto ruim na garganta.

Jimin se levantou e desceu a escadaria com calma meio preguiçoso, passou pela sala por onde estava os pais e foi na cozinha indo ao armário de madeira envernizada. Pegou o comprimido e uma garrafa de água voltando a passar pela sala, subiu as escadas e abriu a porta do quarto, levou um leve choque com o que viu.  O garoto estava apenas de boxer preta enquanto estava se enrolando todo para tirar a blusa em que usava, não se sabe como mas os braços dele foi preso para cima e quanto mais ele tentava se soltar mais enrolado ficava e soltava vários choramingos.  Jimin  fez um barulho com a garganta e riu como nunca tinha rido, aquilo lhe fora meio bizarro, iria zoar mas conteve-se. Colocou tudo sobre o criado mudo e foi até o irmão puxando a blusa a tirando.

— Não ria — brandou formando um beicinho desolado voltando a coçar os olhos virando de costas para o irmão enquanto procurava uma roupa confortável dentro do guarda-roupa.

— N-Não seja chato — arfou em meio ao riso indo ao criado mudo pegar o medicamento e a água para "cuidar do seu irmãozinho."

Jimin o puxou pondo um comprimido na boca do irmão empurrando contra os lábios rosados. O garoto fez um biquinho de contrariado, engolindo sem a ajuda da água. Pegou a garrafa a abrindo começando a beber lentamente em seguida.

— Jiminie-hyung  — sussurrou baixo separando a boca da garrafa chamando o irmão e de forma mais mimada do mundo esticou os braços para o mesmo.

— Hun? —questionou confuso.

—Quero colo — Birrou. Realmente Jungkook  não agia como um adolescente de 17 anos, não era respondão como a maioria, mas também não era educado como outros que imitavam a vida adulta.  Jimin suspirou baixo negando com a cabeça.

— Nem vem, minha coluna tá óh — fez okay com o dedo indicador e polegar da mão direita — Um cu, posso nem comigo vou poder com um consumidor de doces feito você?

— Não sou muito pesado — mostrou a língua pegando uma camiseta a vestindo - Velho chato o que custa pegar seu irmão  no colo?

— Custa o bem estar de minha coluna — estreitou os olhos se jogando na cama - Nhaa, seria bom ter um escravo que me fizesse massagem, sabe?

— Eu estou dodói, hyung sem coração! — Jungkook choramingou e Jimin fez um enorme bico não resistindo ao mais novo.

Se levantou na mesma hora para cuidar do irmão. Pelo visto as chantagens e as manhas continuavam efetivas. Todavia, Jimin não podia ser o culpado, era culpa de Jungkook ter continuado extremamente fofo daquela maneira! Sem escolhas dominado pela fofura do moreno Jimin o pegou no colo, notando o quão pesado de fato era, mas o aguentou ao menos até chegar na cama o pondo deitado.

Beijou a testa do mais novo antes de se deitar ao seu lado lhe abraçando para que ambos pudessem descansar juntos. Jungkook logo abraçou o mais velho o usando como travesseiro, colchão e urso de pelúcia ao mesmo tempo. Jimin sentia falta desse carinho, de estar com o seu irmãozinho e se arrependia por não ter mantido contato nem mesmo pela internet com Jungkook.  Porém,  sua vida era sobrecarregada. Todavia, se arrependia, Jungkook deveria ser prioridade.

[...]

Com o passar das semanas tanto Jimin e Jungkook voltaram completamente ao normal.  Havia conversado tanto que voltaram a se conhecerem perfeitamente.  Estaria tudo perfeito se não fosse unicamente o fato de Jimin não estar mais conseguindo olhar para o seu irmãozinho de mesma maneira. Jungkook não era mais uma criança, seu corpo, seu rosto e até o seu jeito estava lhe perturbando a mente. Fazendo-lhe ter cada vez mais pensamentos obscenos com o mais novo.

Não estava sendo fácil psicologicamente para Jimin estar naquele estado.  Se sentia sujo e imoral. Queria até chorar por estar daquele jeito. Sentia-se culpado, oras, era o seu irmãozinho, como podia?

— Hyung, cheguei! — Escutou a voz do irmão e a porta se abriu. Ele tinha acabado de chegar do colégio e Jimin o achava tão atraente com o uniforme que toda vez que o via o trajando sentia-se ainda mais doente.

— como foi a aula? — perguntou  forçando um sorriso.

— chato, sentia sua falta, Jiminie-hyung. — Respondeu pulando em cima do irmão que estava deitado na cama.

— Também senti saudades — beijou a testa do mais novo afagando-lhe os cabelos com tenacidade.

— Eu tô cansado. — Bocejou olhando o mais velho diretamente nos olhos.

— precisa tomar um banho antes. — Advertiu.

— Eu sei, Hyung, mas eu tô cansado — Fez bico.

— Não me venha com essa, Kook. — Reclamou.

— Ah hyung, ficar sujo por um tempo não vai me matar. — Falou se deitando na cama de bruços o que deixou o mais velho de cenho franzido pela irritação.

De forma alguma o deixaria dormir daquela forma. O pegou pelos pés começando a puxar o moreno que se agarrava no colchão com força, choramingando e pedindo para que o mais velho não fosse cruel.

Jimin o pegou no colo jogando-o sobre seu ombro, Jungkook apenas não se debateu por não querer machucar seu hyung, sabia que havia se tornado pesado, culpa dos seus amados doces aos quais era um completo viciado.

— Precisa mesmo de tudo isso, Jiminie-hyung? — Perguntou inflando as bochechas tentando conter um palavrão, estava exausto, queria descansar, não ligava se estava fedendo a suor ou não!

— Precisa, tome um banho direito! —  Avisou só colocando seu irmão mais novo no chão quando chegaram no banheiro.

Jimin quase entrou em desespero quando Jungkook tirou a blusa em sua frente, começando a se despir, saiu a tropeços de dentro do banheiro como se estivesse bêbado, deixando o mais novo confuso com aquela cena.

—  O que deu no Jiminie-hyung? —  Se perguntou andando até a porta a fechando voltando a arrancar suas roupas, agora, estando extremamente curioso pelo comportamento do mais velho.

[...]

Após aquele incidente do banheiro Jungkook focou toda a sua atenção ao seu hyung em busca de descobrir o que estava havendo consigo. Percebera o nervosismo do mesmo quando se aproximava, o abraçava, ou qualquer coisa do gênero.

Isso não era o normal de seu hyung, não mesmo, sabia que algo de errado estava acontecendo, só não sabia dizer ainda o que era, porém estava completamentamente disposto a desvendar aquele mistério.

Só estava o esperando chegar, o mesmo havia saído para comprar alguns lanches, já que os seus pais haviam saído juntos para comemorar o aniversário de casamento e só voltariam na tarde do dia seguinte.

Para Jungkook tudo aquilo não era grande coisa, mas era o momento perfeito para confrontar seu irmão mais velho e descobrir o que estava havendo. Já Jimin até tinha saído de casa, temia não se controlar e atacar o seu irmãozinho aproveitando que estariam sozinhos.

Quando Jimin voltou, Jungkook que já estava todo inquieto no sofá, levantou-se correndo até o irmão, ignorando as  sacolas com os lanches em suas mãos, o abraçando, Jimin ficou tão nervoso que derrubou a sacola que continha a garrafa de refrigerante no chão.

Por sorte a garrafa resistiu ao tombo e tudo que Jimin tivera que fazer fora afastar o caçula, se abaixando pegando a garrafa andando até a cozinha, agora teriam que esperar um bocado de tempo para poder abrir o refrigerante se não quisessem tomar banho de espuma.

Mas que ótimo!

Jimin revirava os olhos, sentia-se irritado por não estar conseguindo sequer se autocontrolar naquela situação toda. Não conseguia compreender seu interesse em alguém que deveria ser visto por seus olhos como uma doce criança inocente.

— Hyung, tem algo de errado? — Questionou andando até a cozinha observando o irmão com atenção, este que coçou a nuca em uma clara demonstração de nervosismo.

— Nada.

— Não mente pra mim, Jiminie-hyung.  — Reclamou, com todo aquele nervosismo era mais do que óbvio que o mais velho não estava sendo sincero.

— Não estou mentindo, Jungkookie, vamos comer, sim? — Pediu.

O mais novo suspirou pesadamente, não teria outra oportunidade tão perfeita como esta, estavam sozinhos. Para descobrir a verdade teria que deixar Jimin completamente perturbado. Reuniu os fatos. O que deixava Jimin nervoso atualmente?

Jungkook com poucas roupas e contato físico com o mesmo.

Pensando nisso, Jungkook resolveu fazer ambas as coisas de uma vez. Primeiro tirou a sua blusa em sua frente, seguido do seu short fazendo Jimin arregalar os olhos com o que estava vendo.

— Para com isso, no que está pensando? — Jimin perguntou tampando os olhos com as mãos, entretanto os dedos ficavam um tanto afastado para que pudesse espiar livremente o corpo de seu irmãozinho.  

— Quero te entender, Jiminie-hyung.  —Respondeu tirando a cueca.

Jimin quase surtou naquele momento mesmo. Não estava entendendo nada do que seu irmão mais novo estava fazendo, apenas que aquilo estava o excitando.  Andou para trás querendo fugir do mesmo, quando este, passou a andar em sua direção. Quanto mais Jungkook ficava perto de si, mais  tenso Jimin ficava.

Jimin negava com a cabeça tentando dizer não, mas por mais que sua mente lhe implorasse para que Jungkook se afastasse, seu corpo não movia-se, permanecendo daquele jeito, começando a ceder aos seus instintos e desejos impuros. O mais velho sentia-se como um fraco, mas não resistiu quando as mãos do moreno seguraram em seus ombros. Já encostado na parede, Jimin, agarrou a cintura de Jungkook com ambas as mãos o puxando contra seu corpo.

Os olhos de Jungkook se arregalaram naquele momento, sentindo-se surpreso pelo ataque do irmão. Inesperadamente, para si, os lábios de Jimin colaram aos seus lhe deixando completamente sem reação. Seu hyung estava lhe beijando e pedindo passagem com a língua.  A situação era tão incivil que Jungkook apenas ficou imóvel buscando compreender o que ocorria.

Então era isso?

O motivo de todo o nervosismo de seu irmão mais velho era por ele o querer de uma forma tão condenável. Entretanto, por mais imoral que fosse, Jungkook não sentia nojo do mais velho. Quanto mais sentia os lábios dele sobre o seu, mais fácil desejava ceder.

Sempre admirou seu irmão mais velho, sempre o amou, para Jungkook tudo era simples, se amava Jimin e não sentia-se mal em beijá-lo, por que não? Poderiam ficar juntos em sua mente um tanto infantil. Nunca se interessou por ninguém, só sabia que amava seu irmão e jamais gostaria de o desapontar. Sempre gostou de ser cuidado por ele e não queria se separar nunca mais de si, queria para sempre os carinhos de Jimin.

Mesmo que para isso os carinhos mudem um pouco.

É errado para sociedade, não para eles.

Jungkook correspondeu o beijo deixando Jimin surpreso e empolgado, o ósculo fora intenso e ofegante, Jimin apertava a cintura do irmão, este que abraçava suas costas mantendo os corpos colados. O mais novo sentia-se arrepiado, as mãos do mais velho passeavam por suas laterais, lhe dando apertos, nunca se imaginou naquela situação, porém não desejava que ela se findasse tão cedo.

Quando o ar se fez necessário, ambos já estavam ofegantes, Jimin desceu sua boca para o pescoço de Jungkook, distribuído beijos, chupões e mordidas. Colorindo a pele pálida com as suas cores; seus sentimentos.

Andaram pela casa, conseguindo chegar até o sofá, Jimin derrubou o mais novo nele, ficando por cima, entre suas pernas, o tocando, o amando. Todos os suspiros de prazer que o mais velho arrancava de Jungkook lhe deixava ainda mais fora de órbita. Jimin foi se abaixando, mordendo sua pele, brincando com seus mamilos até chegar perto de sua intimidade, Jungkook gemia e suspirava não acreditando em todas as sensações novas que estava descobrindo.

Jimin aproveitou do estado de entrega do mais novo para lhe pôr na boca, sugando sua glande, descendo com a cabeça o acariciando com os lábios, iniciando uma felação lenta e prazerosa. Jungkook levou sua mão na boca, contendo-se. Suas pernas se abriram pelo prazer, seu corpo se contorceu e finalmente sua mente ficou em branco, ainda mais entregue ao momento.

A adrenalina e o calor do momento o fazia querer ainda mais, mesmo sabendo que de qualquer jeito não teria mais como voltar atrás depois daquele ponto. Estava tão imerso em seu próprio prazer que mal sentiu quando Jimin rodeou sua entrada com um dedo. Apenas deu-se conta quando o dedo médio forçou-se, mesmo que incomodasse, apenas suspirou pesadamente, sentindo-o adentrar sua cavidade até então virgem. Era excitante e mesmo com a ardência do segundo dedo, Jungkook não deu para trás, ao contrário, se remexia, suspirava e gemia abafado. A boca de Jimin lhe distraia de qualquer incômodo

A preparação foi lenta e calma, Jimin era extremamente cuidadoso, afinal, amava Jungkook, era a pessoa mais importante de sua vida, não somente isso, afinal era óbvio para qualquer um que visse, tinha um completo abismo pelo mais novo. Parou o que fazia, Jungkook resmungou em protesto, entretanto observou o seu hyung sorrindo de lado começando a arrancar suas roupas em sua frente, não havia como negar, Jimin era a perdição em forma de gente.

Mesmo que Jungkook nunca tenha se imaginado estando a fazer aquilo, era inegável que estava excitado, que queria o seu próprio irmão, que sentia-se ansioso para ser penetrado, queria sentir todo o prazer que Jimin podia lhe oferecer.

A penetração fora vagarosa e cuidadosa, Jimin jamais gostaria de causar dor em seu irmão, o corpo de Jungkook tornou-se um tanto tenso, mas fora relaxando com os carinhos que o mais velho lhe davam. Eram beijos no rosto, uma mão lhe masturbando, ele ficando parado lhe deixando ficar pronto e acostumado.

— Jiminie-hyung, se move —pediu suplicante ao se acostumar. Aceitando o seu pedido o mais velho sorriu, os movimentos começaram fracos e superficiais.

Os movimentos dos quadris se tornam cada vez mais repetitivos e intensos; enlouquecedor. A pélvis de Jimin chocava-se contra as nádegas de Jungkook repetidas vezes lhe arrancando gemidos altos e sem pudores de prazer, sentindo as unhas encravarem em sua pele conforme aumentava o ritmo, os lábios tentaram um beijo, que saíra deveras bagunçado e desorganizado na opinião de ambos, mas não era algo realmente relevante naquele momento. A cada estocada a próstata do mais  novo era atingida com força, provocando ondas de prazer e tremores pelo corpo.

Um apertava o corpo do outro gemendo em sincronia, Jungkook não resistiu tanto tempo acabando por gozar entre os corpos sem ao menos obter algum estímulo em seu pênis. A pressão na cavidade do outro fora o estopim, Jimin se liberou em jatos quentes de sêmen e os tremores percorriam os corpos de ambos, não ousavam se mexerem, pois se o fizessem, cairiam, optaram por ficar ali, apenas se recuperando.

— Eu te amo — Jimin sussurrou. — Mais do que deveria… É isso que tem de errado comigo. — Respondeu a pergunta que Jungkook tanto lhe fez, perguntando o que estava ocorrendo, o motivo de seu nervosismo.  Jimin não precisava sequer falar, Jungkook havia compreendido tudo.

— Agora eu sei, hyung. — Sorriu lhe dando um selinho fazendo o mais velho se sentir aliviado de não ter mais que guardar aqueles desejos somente para si.

Naquele momento ambos apenas queriam ficar agarradinhos e adormecerem juntos, havia vários tipos de amores e vários tipos de casais, Jungkook e Jimin era do tipo errado. O amor entre eles era completamente sincero, mas ambos custaram para ficarem juntos. Afinal das contas, a vida é repleta de pudores, como irmãos o amor era proibido, isso era uma regra na sociedade que viviam.

Mas regras foram feitas para serem quebradas quando necessário.

 


Notas Finais


O que acharam?

Espero que tenham gostado <3

Eu fiquei tão entediada e constrangida que nem consegui betar ç.ç Meu deus… Acho que eu não gosto de como escrevia em 2014/2016 ç.ç Ai deus amém 2017!

Bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...