História Wishing Groom - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Danielle Campbell, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Casamento, Danielle Campbell, Justin Bieber, Noivo, Only_hope, Romance, Sexo, Traição, Wishing Groom
Visualizações 491
Palavras 2.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello People!
Demorei muitooo, mas estou de volta. Me perdoem por isso, mas tive um grande bloqueio para escrever e por isso estou postando esse capítulo bem bostinha. SUAHSU

Obrigada pelos 500+ favoritos. Espero que não tenha desistido de mim, como não desisti de vocês.
Obs: Ignorem qualquer erro. Acabei de finalizar o capítulo e nem li direito.

Boa leitura! ♥

Capítulo 13 - Face to face


Fanfic / Fanfiction Wishing Groom - Capítulo 13 - Face to face

Isabella Laurent

Eu senti um tremendo frio na barriga quando o avião pousou. Eram quase dois anos fora, sem ter voltado para ao menos fazer uma visita. Não por não sentir falta, mas sim por ser covarde a ponto de não conseguir encarar a atual situação de Justin, meu cunhado.

Naila estava com London nos braços me aguardando no desembarque. Meu sobrinho era ainda mais lindo pessoalmente do que por fotos. 

— Eu estava com saudades. — ela disse enquanto nos abraçávamos desajeitadamente. 

— Eu também estava. — me afastei. — Oi London, eu sou a tia Isa. — falei com ele, que estava com vergonha. 

— Dá oi pra tia, amor. — Nai tentou, mas ele apenas escondeu seu rosto no pescoço da minha irmã. — Depois ele se solta com você. — riu.

— Zack, quero te apresentar Naila, minha irmã. — proferi para o moreno ao meu lado.

— É um prazer conhecê-la. — o mesmo respondeu simpático. 

— Meu Deus! Eu esperava tudo Isa, menos que fosse voltar namorando. Bem vindo, cunhado! — jogou-se nos braços dele, que apenas riu.

— Nós somos apenas amigos. — ele respondeu.

— Não é o que parece. — riu malandra. — Vocês fazem um casal bonito.

— Mudando de assunto, onde está seu carro? — interpelei.

— No estacionamento. Vamos? — assenti e começamos a andar até o mesmo.

No caminho tudo fluía bem, conversávamos e contávamos as novidades uma para a outra. Enquanto isso Zack brincava com London no banco de trás. O garotinho loiro parecia se divertir bastante com meu amigo, já que ele não parava de gargalhar.

Ao pararmos em frente a casa de nossos pais, parei para pensar pela primeira vez que eu era realmente uma filha desnaturada. Visto que eu ligava apenas umas duas vezes ao mês e nunca era uma conversa duradoura, devido a minha falta de tempo.

— Isabella! — minha mãe correu até a porta do carona e me abraçou apertado quando desci do veículo. — Eu senti tanto a sua falta. — ela disse com a voz embargada por conta do choro.

— Eu também senti. Me desculpe por ficar tanto tempo longe. 

— Nunca mais faça isso, filha. Eu te amo tanto!

— Amo ainda mais a senhora. — me afastei. — Quero te apresentar meu amigo. — puxei o moreno pelo braço. — Esse é Zack.

— É um prazer, senhora Laurent. — o mesmo foi formal, estendendo a mão em forma de cumprimento.

— Sem essa formalidade, querido. Me chame apenas de Joana. — eles se abraçaram e em seguida nós entramos em casa.

Seria mentira dizer que eu não tinha sentido falto dali. Tudo continuava exatamente como antes. A única diferença é que haviam mais fotos na estante, diversas imagens de London.

— Isa, que bom que lembrou dos seus familiares. — meu pai proferiu sério, mas não deixou de me abraçar e beijar minha testa.

— Senti muito a sua falta. — confessei, sem me desgrudar.

• • •

Dois dias se passaram desde nossa chegada. Eu não havia encontrado Justin ainda. Zack e meu pai estavam se dando muito bem, tanto que minha mãe dizia que eu deveria deixar de birra e aceitar namorar com o moreno. Maldito momento em que fui contar a ela que ele me disse que depende apenas de mim, para sermos mais do que amigos que dormem na mesma cama.

Naila nos últimos dias ficou mais na casa dos nossos pais do que na própria casa, o que me fez questionar se isso era por causa de seu marido.

— Está preparada para reencontrar seu cunhado hoje a noite? — Zack perguntou, enquanto estamos os dois jogados em minha cama.

— Eu não sei. São dois anos sem falar ou ver ele.

— Ainda há sentimento?

— Não posso mentir dizendo que não. Mas é diferente. Eu gosto dele de verdade, talvez ainda o ame, mas eu aprendi que minha felicidade não depende dele e nem do nosso sentimento. Podemos nos amar e ser felizes com outras pessoas.

— Isso faz parte de amar. Você deixar a pessoa livre. — disse olhando-me.

— Ele é casado, tem um filho, uma vida perfeita. Seria egoísmo tirar isso dele para viver tudo aquilo que sentimos anos atrás.

— Acha que ele ainda te ama? — interpelou, me deixando pensativa.

— Será melhor para ambos se ele tiver deixado tudo para trás, como nossa última noite juntos.

— Você sabe que você também poderia ter essa felicidade, né? Pode namorar, casar, ter uma família. — respondeu. — E de preferência comigo. — então ele subiu em cima de mim e juntos nossos lábios avidamente em um beijo longo.

Zack me fazia bem. Talvez eu devesse realmente seguir em frente com ele. Construir uma família, casar e amar novamente. Mas será que eu seria feliz? Seríamos como meus pais, que apesar dos problemas, ainda estão juntos anos depois?

— Eu preciso de você. — ele sussurrou, enquanto levantava meu vestido até minha barriga.

— Você me tem. — confessei ao mesmo tom.

Em segundos minha calcinha encontrou meu vestido no chão. Zack abaixou-se e abriu minhas pernas, colocando sua cabeça no meio e fazendo sua boca e língua trabalharem rapidamente em minha intimidade. Ele com toda certeza sabia como enlouquecer uma mulher entre quatro paredes.

Seus dedos entraram em mim no mesmo segundo em que deixei um alto gemido escapar de minha boca, ligando o foda-se para qualquer pessoa que pudesse estar em casa ouvindo. 

— Zack! — proferi seu nome seguido de uma arfada de prazer.

— Vem babe, me deixe sentir seu doce gosto. 

Ele não precisou de muito tempo até conseguir atingir seu desejo, fazendo-me gozar em sua boca e dedos. 

Retribui o gesto tirando sua calça e cueca, pegando no seu generoso pau e lambendo-o. Coloquei o máximo que eu conseguia na boca, devido ao seu grandioso tamanho e chupei, até ele aliviar em minha boca e eu engolir todo o liquido gosmento.

— Não tenho camisinha, mas tiro antes, ok? — interpelou e eu apenas concordei, enquanto era colocada novamente abaixo dele.

Ergui meus joelhos e o deixei se acomodar entre minha intimidade. Logo ele estava penetrando-me. Entrava e saia no mesmo ritmo, gemendo algumas vezes em meu ouvido.  

Ao chegarmos em nosso clímax, ele caiu ao meu lado tentando regularizar a respiração, assim como eu. 

Durante a noite, Naila pediu que eu ficasse com London enquanto ela em casa buscar algumas coisas e trazer Justin, já que ele estava sem carro por conta de um problema no motor.

Zack brincava com o menino, enquanto eu pensava em diversas maneiras de ficar cara a cara com meu cunhado, sem dar qualquer vestígio sobre o passado. 

Quando minha irmã entrou pela porta da sala com seu marido, eu derrubei o meu celular no chão, exatamente por não aguentar de tanto nervosismo. 

Puta que pariu! Como Justin estava ainda mais bonito. Estava de barba, cabelo um pouco maior do que era do seu costume, usava óculos, o que o deixava mais sexy e mantinha sua postura de homem sério. Impossível não sentir uma leve excitação entre as pernas. 

Zack no mesmo segundo levantou-se do chão, aproveitando para pegar meu celular e me entregar. Fiquei em pé e Bieber deu pequenos passos em minha direção. 

— Isabella. — sua voz soou ainda mais rouca. 

— Justin, como vai? — agradeci mentalmente pela minha não ter falhado, como imaginei que aconteceria. 

— Estou bem e você?

— Igualmente. — sorri e o moreno ao meu lado fez um pequeno barulho com a garganta. Talvez por eu e o loiro termos ficado uns dez segundos nos encarando, sem dizer nada. — Esse é meu amigo, Zack. 

— Sou Justin. — disse, enquanto erguia sua mão em direção ao moreno, que apertou educadamente.

O silêncio prevaleceu na sala por alguns minutos. No meio tempo me perguntei se Justin estava se questionando o motivo de eu ter voltado para casa acompanhada de um cara.

— Pessoal, o jantar está na mesa. — mamãe proferiu. — Olá, querido. — dirigiu-se ao genro, que lhe deu um beijo na bochecha após pegar o filho no colo.

Minha mãe seguiu até a sala de jantar e todos nós a seguimos. Sentei-me ao lado de meu pai e Zack ao meu, enquanto Justin havia ficado em minha frente.

O jantar foi calmo. Meu pai, justin e Zack conversavam sobre esporte, empresas e politica, enquanto eu, Naila e minha mãe falávamos sobre minha viagem e London, que havia dormido na metade da refeição, o que fez minha irmã coloca-lo no berço.

— Então vocês estão... uh, namorando? — Justin perguntou, mudando totalmente o assunto discutido na mesa, que era sobre meu trabalho.

— Cara, eu confesso que queria te dizer que sim, mas a sua cunhada não facilita. — Zack respondeu com um sorriso lindo nos lábios.

— Graças a Deus. — Bieber disse baixo, mas por estar a sua frente, eu consegui ouvir.

— O que disse? — Zack indagou, talvez ele também tivesse ouvido.

— Nada demais. — ele forçou um sorriso. — Ela realmente não é fácil.

— Isa, deixe de ser boba e aceite logo esse pedido de namoro. — minha irmã disse empolgada.

— Sábias palavras, Naila. — o moreno ao meu lado proferiu.

— Chega desse assunto, ok? — demandei.

— Mulher, você sabe que quando você quiser, estarei aqui esperando por você.

— Cala a boca, Zack. — ri, dando um leve soco em seu ombro.

— Ok. — pegando-me desprevenida, ele colocou nossos lábios em um selinho demorado.

Quando sua boca se afastou da minha pude encarar Justin, que tinha sua cara fechada, não gostando nem um pouco do nosso momento.

— Acho que London está chorando. — Naila disse ao marido.

— Eu pego ele. Assim já me preparo para cuidar dos nossos futuros moleques. — Zack disse me olhando com um gigantesco sorriso no rosto e eu gargalhei baixo, recebendo um beijo na cabeça antes dele se afastar.

• • •

Todos haviam ido para sala, enquanto eu havia ficado com a tarefa de arrumar a mesa do almoço de Domingo. 

— Trouxe as taças que estavam lá. — Justin indagou enquanto deixava a bandeja na pia.

— Obrigada. — sorri.

— Você realmente vai embora novamente? 

— Meu chefe me deu duas semanas de folga apenas.

— Como é a sua vida lá? — perguntou.

— É tranquila. A cidade é pequena, não há muita coisa para fazer, mas ainda sim é maravilhosa. 

— Eu pensei em me mudar pra Phoenix. — contou-me, o que me fez soltar o garfo dentro da pia.

— O quê? Por quê? — eu quis saber, com medo de sua resposta.

— Meu casamento está uma merda. Eu não amo a sua irmã como amo você. 

— Justin...

— Se você quiser, eu juro que largo tudo e vou embora com você. Nós podemos recomeçar, juntos. — puxou-me pela cintura, me deixando cara a cara com ele.

— Eu... 

— Você ainda me ama? — interpelou com seus lábios muito próximos aos meus. — Me diz, Isa. Fala que ainda me ama, como eu ainda amo você. 

Naquele segundo tudo se apagou da minha mente e eu quis beija-lo. Eu esqueci completamente que sua mulher estava na sala, junto de seu filho e meus pais.

— Isabella! — Zack disse ao entrar na cozinha, o que me fez empurrar Justin e olhar meu amigo. — Está tudo bem? — perguntou e o loiro saiu, sem dizer absolutamente nada.

— Obrigada. — falei e ele apenas se aproximou, me abraçando. 

De noite eu e Naila subimos até meu quarto enquanto papai e Zack haviam ido ao mercado com London. Justin foi para casa após o ocorrido na cozinha, com a desculpa de estar com dor de cabeça. 

— Preciso te contar uma coisa que está me incomodando há um tempo. — indagou, sentada em minha frente.

— Pode dizer. Sabe que irei apoia-la, independe da situação.

— Justin não comparece mais, e já tem alguns meses. — contou.

— Refere-se ao sexo?

— Também. Ele está agindo de uma forma estranha. Não me beija mais, quase não dorme na mesma cama que eu, chega tarde e com e perfume de mulher.

— Você acha que ele está...

— Me traindo? Está óbvio!

— Por que ainda está com ele então?

—Porque eu o amo e acho que é apenas uma fase do nosso casamento.

— Então converse com ele.

— Como? Se nem em casa ele para direito. As vezes eu acho que ele se arrependeu de ter casado comigo. 

— Não diga isso.

— Antes de London nascer, ele era muito presente. Mas depois que meu filho veio ao mundo, ele se afastou. Quando está com a gente, dedica-se apenas ao nosso garoto e fingi que nem estou ali.

— Talvez vocês estejam precisando apenas de um momento de vocês. 

— Eu entendo que ele está se envolvendo com outras, porque eu neguei sexo a ele alguns meses após London nascer. Mas será que se eu lhe der isso, ele voltará a ser como antes? O cara com quem eu casei.

Ele era ingênua demais. Justin não a amava, isso era nítido desde o momento em que ele a deixou de lado após ela dar a luz. Mas isso não justificava a covardia, a traição. Era tudo simples, bastava uma conversa com um ponto final.

— Deixe London aqui hoje. Fique com seu marido, converse com ele. Veja o que é melhor para ambos.

— Tem certeza que pode fazer isso? — perguntou.

— Claro, Nai. Vá tranquila.

— Se não der certo, eu vou pedir o divórcio. Irei deixa-lo ser feliz com todas aquelas que passaram por sua cama enquanto ele mantinha o anel de casado no dedo. 


Notas Finais


Contem-me o que acharam do capítulo. Em breve tem mais!

Minhas outras fanfics:

Traced Lines: https://spiritfanfics.com/historia/traced-lines-10566783

The Gynecologist: https://spiritfanfics.com/historia/the-gynecologist-9810569 (One-shot)

Slip Of A Night: https://spiritfanfics.com/historia/slip-of-a-night-5984423

Teaser de Wishing Groom: https://youtu.be/iA5A0bGJyPs

Grupo das fanfics: https://chat.whatsapp.com/D3uKt028arj7epbChkVD1O

Xoxo, Bia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...