História Witchcraft - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ahscoven, Salém, Thesecretcircle
Visualizações 2
Palavras 1.335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Witchcraft 6


- EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊS AMEAÇARAM UMA POBRE GAROTINHA - gritou Nimeria, quando contamos o que tínhamos feito - ISSO É ERRADO EM TODOS OS NÍVEIS POSSÍVEIS.
Nimeria tinha essa alma maternal, e sempre que via uma criança sendo maltratada ela saía do seu sono e tédio habitual e virava uma espécie de super protetora das crianças, isso parece até gentil, mas na verdade é bem assustador se você quer saber.
- Nós não vamos fazer nada com a garota, mas talvez a minha mãe faça - Aurora mostrou o saco de bruxa.
Ela o colocou na mesa e o queimou, imediatamente um cheiro de podre tomou o ar, o cheiro era característico dos saquinhos de bruxa.
- Mas que droga Aurora, você sabe que eles fedem quando são queimados - eu resmunguei indo em direção a porta.
- Eu não vou limpar isso, é melhor você limpar antes que a Kat chegue, você sabe como ela é com esse lance de tudo estar limpinho, espero que tenha barraco - Nimeria riu e me seguiu para fora da casa; bocejando. - Sabe bem que nós poderíamos enfeitar o túmulo da Amin. - ela disse com seu tom monótono.
- Deixa pra lá, o Gehenna deve estar lá, chorando até agora- disse seco, mas logo me animei quando vi Bastet e Katerina andando em nossa direção - E ai bichano, encontrou o que te pedi? - fiz carinho e sua cabeça e ele se deitou no meu colo.
- A garota realmente sumiu, aquele tal de Dimitri devia estar por perto ou pelo menos na cidade... espera um pouco.. QUEM ACENDEU UM SACO DE BRUXA DENTRO DE CASA???????
-Foi a Aurora, eu não tenho absolutamente nada haver com isso - ela disse rindo falsamente.
- AURORA, VOCÊ VAI LIMPAR ESSA CASA INTEIRA.
- Eu já limpei a sala, e o cheiro nem tá tão forte assim, sua maluca - ela disse com a cara fechada - Agora sai da minha frente porque eu vou chamar minha mãe de novo. - ela deu as costas pra Katerina que a olhou como se ela estivesse louca, e se virou pra mim e Nimeria.- Venham, eu vou usar a banheira.
Nós subimos a escada e fomos para o quarto da Nimeria, pegamos algumas velas e as ascendemos, enquanto isso, Aurora tirava suas roupas e entrava na banheira que já estava enchendo, Nimeria e eu posicionávamos as velas ao redor da banheira, quando ela estava cheia, Aurora pegou sua adaga e cortou suas mãos, esfregou o sangue em seus olhos, depois disso ela segurou minha mão ao mesmo tempo que também segurava a mão de Nimeria, Aurora mergulhou, fechamos nossos olhos e entramos em transe, em um primeiro momento não aconteceu nada, mas comecei a ver alguma luz e alguns sons, mais como sussurros. Mas eventualmente nos tornamos fantasmas, invisíveis na sala.
- Mãe eu preciso de você. - implorou Aurora.
Era como se fosse uma briga.
- Meu circulo não pode se dar ao valor de perder nossa força, por que uma garotinha mal criada - respondeu Minerva.
- Mãe... por favor.
Minerva riu, um riso sem graça, ela então se levantou e andou até que estivesse cara a cara com a garota.
- Não é sua culpa ser tão fraca, diferente dos outros membros do seu círculo que ambos os pais são bruxos, você não é, isso é o que te faz medíocre minha filha, eu nunca devia ter me deitado com seu pai, ele te fez fraca, eu nunca deveria ter deixado ele te criar, humanos são fracos, esse é meu pior arrependimento.
- A por favor. Você nunca me tratou bem, e não fale do meu pai - os moveis da sala começaram a tremer - Você só me usa como um troféu, eu vou embora já que você é inútil pra mim mesmo.
Despertamos do transe, e Aurora levantou da água e as velas se apagaram, Nimeria passou uma toalha pra ela, que se enrolou e saiu da banheira.
- Viram porque eu odeio minha mãe? - ela suspirou - Ah eu preciso dormir, arrumem as coisas pra mim, por favor?
Nós assentimos, ela saiu do banheiro.
- Nossa... eu não sabia que a Tia Minerva era assim - comentou  Nimeria.
- Ela humilhou a garota e nem ajudou com o nosso problema - respondi.
- Hm... Weser, vamos dar uma olhada na Amin.
Descemos a escada e seguimos para o jardim, Nimeria pegou algumas plantas e fomos ao encontro do túmulo improvisado da Amin, Gehenna ainda estava lá, chorando, Nimeria pegou um caixinha do bolso e assoprou seu conteúdo na cara do garoto, que caiu no chão, inconsciente. Olhei pra ela chocado.
- Que foi? Você sabe muito bem que ele ia fazer uma ceninha gigantesca pra deixar que nós chegássemos perto dela.
Ela pegou as plantas que pegou no jardim e as queimou, passou a fumaça em cima do túmulo e de alguma forma Amin tirou sua mão de debaixo da terra.
- Calma garota você ainda não tá pronta, eu sei que você adora as minhas ervas - ela colocou as plantas e colocou em sua mão.
Amin segurou as plantas em chama e trouxe pra dentro da terra.
-Isso vai ajudar a pele dela a melhorar, eu só não sei ao certo se vai ficar como antes.
...........................................................................................................
- Ei, Weser acorda, tem alguém la fora. - ouvi alguém sussurrar da porta do meu quarto. Era Aurora.
- O que? Você tem certeza? Deve ser a Nimeria, você que ela gosta de mexer no jardim a noite - respondi, ainda de olhos fechados.
- Acorda logo e a Nimeria ta do meu lado seu idiota. E se for o caçador?
-AI TA BOM - respondi estressado.
- Olha só, se alguém tivesse permissão pra estar irritado, esse alguém sou eu - reclamou Nimeria, mas era impossível levar ela a sério usando suas pantufas de panda e pijama de unicórnio. 
Revirei os olhos, vesti minhas pantufas e descemos as escadas, olhei pelas janelas e de fato tinha um cara no nosso jardim.
- Vamos sair pela porta dos fundos e cada um vai por um lado da casa - cochichou Nimeria. 
E nós fizemos o que ela disse, ela foi pela direita e enquanto eu e Aurora fomos pela esquerda, mas quando chegamos na frente da casa, o homem tinha desaparecido, voltamos para casa e sentamos no sofá, até que escutamos um grito vindo de Nimeria.
- AIIIIIIIIII ME SOLTA!!!!!!
Aurora estava prestes a achar uma maneira de derrubar o intruso quando ela percebe que era o policial.
- Sabe se você ataca bruxas no meio da noite, as suas chances de sobrevivência caem bastante - ela disse.
- Eu só queria trazer os arquivos que o delegado pesquisou sobre o cara que vocês estão procurando, antes de eu ir pra casa.
-Coloque na mesa... mas como você sabe aonde nós moramos? - Nimeria perguntou e em seguida bocejou.
- Essa é a unica casa da cidade escondida o suficiente pra abrigar bruxas - ele respondeu.
- Eu vou pro meu quarto, e obrigado por me acordar seu otário - subi as escadas e Nimeria me seguiu bocejando, eu juro que essa garota poderia dormir durante dias seguidos.
- Agora que você já me acordou mesmo, eu vou fazer um lanche, me acompanha? - ele fez que sim com a cabeça.
Logo após eles começarem a comer, ele para e encara Aurora.
- Que que foi? - ela indaga.
- Vocês não são nada como eu esperava, quer dizer... vocês são assustadores pra caralho, mas não são como eu esperava.
- E o que você esperava? Vassouras voadoras, narizes pontudos e varinhas? - ela riu.
- Acho que não - ele riu - Posso te fazer uma pergunta?
- Vai em frente ela respondeu.
-Vocês não são as únicas, eu tenho certeza, mas como ninguém sabe sobre vocês? Qual é sua história?
- É uma longa história, por onde posso começar...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...