História Witchy Me! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amizade, Bruxas, Magia, Rebeldia, Revelaçoes, Romance
Exibições 8
Palavras 1.964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olha quem resolveu aparecer!
Desculpem pela demora, sabe como é né?
Bom, trazendo um cap novo maior, com personagens novos que ja aparecem logo na capa, mas eu não vou dizer quem são e-e
Bom gente, nos próximos eu prometo colocar as fotos da Charlotte, da Clary e das bruxas do conselho, mas sabe como é, isso era mais importante no momento.
Boa leitura...

Capítulo 4 - Capitulo 03: You are not my mother!


Fanfic / Fanfiction Witchy Me! - Capítulo 4 - Capitulo 03: You are not my mother!

Depois de tantas horas tentando dormir, eu finalmente consegui apagar completamente. Acordei poucos minutos antes do almoço, mas aposto que chegaria atrasada também. Bom, foda-se.

Fui tomar um banho bem quente naquela maravilhosa banheira do meu banheiro. Um cômodo quadrado branco cheio de lâmpadas, lugares para colocar velas, bem iluminado, tinha uma banheira redonda encostada na parede do lado direito da porta, do outro ficava a pia com o espelho oval, no fundo tinha um Box retangular, pegando o final do banheiro inteiro, com dois chuveiros. Ele era totalmente diferente do meu quarto as paredes eram de quartzo e o chão também, tinha um quadro de um salgueiro do lado de um rio na parede da banheira.

...

Quando terminei comecei a me vestir. Primeiro coloquei minha lingerie preta, depois peguei um shorts jeans preto com alguns rasgos, depois coloquei uma camiseta comprida cinza com detalhes brancos e pretos, ela cobria a parte de cima dos shorts, mostrando apenas os pequenos rasgos. Nesse momento abri e olhei a janela do quarto e percebi que estava bem frio lá fora, mas não ia colocar calça. Peguei minhas meias 7/8 pretas que eu tinha que ia até as coxas e as vesti, depois calcei meus coturnos pretos e fui arrumar minha cara no espelho do banheiro. Prendi meu cabelo em um coque, deixando alguns fios caídos no meu rosto. Passei meu gloss rosa, meu delineador preto, sombra também pretas. Pronto, eu estava pronta para ir almoçar.

Saindo do quarto eu encontrei com Jesse e Charlotte e fomos juntas para a sala de jantar. Enquanto andávamos, eu não conseguia parar de pensar naquela voz que ouvi na noite anterior, o motivo de não ter conseguido dormir direito, ela me chamou de querida, e disse mamãe, não era possível isso, meu pai me contou que minha mãe era bruxa, mas morreu em um incêndio que os caçadores causaram, mas eu e ele conseguimos sair a tempo, eu era bem pequena na época, por isso não me recordo muito bem, mas e se ela estivesse viva, e se ela fosse bem poderosa a ponto de sobreviver ao fogo? Pensando bem, meu pai nunca me contou que tipo de bruxa ela era, ah espera, você não deve estar entendendo nada, não é mesmo? Bom, todas as bruxas têm um dom único, e isso as caracteriza. Existem seis tipos de bruxas: As bruxas da floresta, do mar, do fogo, do futuro, da tempestade e dos animais. As bruxas desses tipos têm dons que vem desses elementos, mas elas só descobrem esse dom depois da invocação, antes disso, elas são chamadas de bruxas novatas, bom, eu sou uma bruxa novata. Posso mexer os objetos e as pessoas e brincar com a mente delas, além de poder usar a tal magia, mas nunca tentei. Depois da invocação as bruxas “invocadas” ganham uma tatuagem do símbolo em qualquer lugar do corpo, mas não me lembro de ter visto nenhuma tatuagem nela, bom não me lembro nem dela então... Mudando de assunto, não queria ficar pensando sobre isso. Eu, Jesse e Charlotte estavam descendo a escada da sala de entrada. Decidi olhar para elas para mudar de assunto, assim percebi a roupa que elas usavam. Jesse usava uma calça jeans preta justa, e uma blusa preta curtinha, coberta por um casaco cinza e preto com pelos fofos cinzas envolta do pescoço. Calçava botas cano curto pretas de salto alto. Seu cabelo ondulado verde-água estava solto, jogado por cima de seu ombro esquerdo, para o lado de Charlotte, essa já estava mais confortável, usando uma calça preta justa, uma blusa de frio, moletom que deixava a barriga de fora, a blusa era cinza com letras grandes brancas na frente, mangas e capuz vermelhos. Seu cabelo estava preso em um rabo de cavalo com sua franjinha milímetros a cima de seus olhos.

Quando entramos na sala de jantar vimos que a maioria das garotas estava em volta de Jadis que não parecia estar muito bem. Damian estava segurando a líder e a abanando para ficar acordada. Joanne, a doutora do clã estava do lado dos dois tentando usar seu dom de cura em Jadis, mas não estava dando muito certo. Mary veio correndo em minha direção:

- Você! É você quem trouxe a devastação para esse clã, se retire daqui imediatamente, consigo ver a destruição que você vai causar aqui! – Começou a me empurrar, mas parou, sua pele ficou branca seus olhos ficaram totalmente brancos, seu corpo ficou totalmente reto, como se fosse flutuar – Ela chegou... A proteção caiu... Eles vão invadir... Vamos ser queimadas... A morte nos dará a vida... Quando os dons forem revelados... Ninguém as impedirá... Quando o raio fizer amizade com a água e com a fauna... O medo das bruxas contra eles acabará... E o demônio se apaixonará. – Seus olhos voltaram a mudar de cor, sua pele ganhou um leve tom rosado e seus pés voltaram a encostar-se ao chão.

- O que isso quer dizer? Você é maluca! – Comecei a me afastar dela.

As braços de Lola me juntaram com Jesse e Charlotte:
- Esta tudo bem... Bom, quase. Isso foi uma visão, o dom de Mary. Mas precisamos nos concentrar em ajudar Jadis.

...

A líder foi levada para seu quarto, enquanto Damian não saia de seu lado nem por um momento. Feitiços de cura não funcionavam nela, nem o dom de Joanne. Eu, Jesse e Charlotte estavam no jardim, ao lado da mansão. Quando Clary veio correndo se juntar a nós:

- Oi pessoal, o que estão fazendo?

- As duas ajudantes estão colhendo flores para Joanne preparar uma poção enquanto eu só estou vendo se o conselho guarda alguma erva aqui, você sabe como essas bruxas são safadinhas. – Soltei um sorrisinho para Clary.

 A garota usava uma blusa de mangas bege deixando a barriga de fora, vestia também uma saia jeans com suspensórios presos no ombro e calçava tênis também bege. Seu cabelo estava preso em um coque mais bem-feito que o meu, sem deixar nenhum fio de fora, e usava uma tiara branca na cabeça.

Do nada, ouvimos barulho de vidro se quebrando, olhei para todos os lados, até perceber que existia uma rachadura no próprio céu:

- O que é aquilo? – Perguntei para as outras.

- Ai meu Deus. – Charlotte exclamou olhando para a rachadura.

- A proteção... – Jesse disse descrente.

Clary foi correndo para dentro da mansão, enquanto as outras duas a seguiram:

- Eu já vou indo... Esperem-me ai dentro. – Disse para elas, depois voltei a olhar as flores.

Senti alguém me puxar, me virei e vi Jesse me puxando para dentro da casa também:

- Eu já estava indo... Não sei pra que tanta pressa.

...

Invadimos o escritório da vice-líder, que era basicamente uma sala com uma mesa com livros, um computador e Delphine. Nos cantos existiam prateleiras com mais livros:

- Senhora! Temos um problema. – Clary disse.

- Quem vocês mataram?

- A barreira está rachando. – Charlotte disse, ignorando o comentário da mulher.

Ela rapidamente tirou seus óculos de leitura e levantou da cadeira, seus olhos queimavam de preocupação e logo, ela tinha desaparecido:

- Vamos para o quarto da líder. – Jesse disse.

- Que saco. – Eu disse.

Fui puxada novamente pela garota de cabelos estranhos.

...

Estávamos todas envolta da cama de Jadis, enquanto a mesma permanecia desacordada nela, Damian estava sentado na cabeceira da cama, passando um pano com água no rosto de sua mãe:

- Como eu temia. – Delphine disse. – Essa doença desconhecida está tirando todo o poder dela. Temos que fazer algo, se não a barreira irá se quebrar e todos poderão enxergar a ilha.

Ouvimos um barulho de carro e todos foram para a janela do quarto, que tinha visão da frente da casa, encontrando um rastro de fumaça preta na ponte e uma limusine preta curta estava parada na frente da mansão, o carro parecia normal, mas logo descobri a causa daquele rastro e fumaça ao ver as rodas dele, no lugar onde deveria ficar as rodas, existia fumaça preta, era como se o carro emanasse aquela fumaça, as marcas da luz do Sol no chão começou a desaparecer, olhei para o céu e vi que existia uma longa nuvem preta cobrindo o Sol e o próprio céu. Delphine chamou Lola e Mary para vir conosco na frente da casa.

...

Chegando lá, a porta do motorista começou a se abrir, mas o que saiu de dentro era apenas um corpo feito de fumaça, com roupas de motorista, ele caminhou até a porta de trás e a abriu. De dentro um tecido preto meio transparente caiu no chão, logo saiu a pessoa dona daquele vestido, uma mulher com seus quarenta anos, tinha pele clara e cabelos loiros presos em uma trança jogada por cima de seu ombro esquerdo seus olhos azuis estavam com maquiagem bem forte preta envolta e seus lábios tinham um batom vermelho forte. Ao ver aquela pessoa, automaticamente pensei na atriz que fez a rainha má em “Branca de neve e o caçador”:

- Que saudades que eu estava de ver essa casa, quantas memórias que guardo do dia em que fui embora... – A moça disse suavemente. Olhou para as três mulheres do conselho e começou a rir. – Vocês não mudaram nada, quer dizer, talvez tenham envelhecido um pouco, mas continuam com as mesmas caras de bruxas tradicionais, principalmente você Mary, velha asquerosa.

Velha? Mas Mary parecia ser a mais jovem delas, comecei a pensar bem no assunto e a encarar a mulher de branco, logo a imagem daquela jovem-adulta mudou para a de uma velha, com algumas rugas na testa e cabelos grisalhos, parecia a professora Minerva Mcgonagall do Harry Potter, era isso, uma ilusão mental. Jesse, Clary e Charlotte pareciam estar vendo a mesma coisa que eu. Logo voltei a prestar atenção na mulher de preto, que me encarava:

- Eu disse que eu ia vir te buscar, minha querida.

Logo ela já estava bem na minha frente, meu coque se desfez sozinho e ela começou a passar os dedos entre meus cabelos:

- Você realmente é parecida comigo.

Dei um tapa em sua mão depois dei uns três passos para trás, me afastando dela:

- Eu não sou parecida com você e você não é minha mãe!

Do carro, mais corpos de fumaça saíram, vindo em minha direção, a mulher teleportou novamente para perto do carro, segurando na porta do lugar de onde tinha saído:

- A coloquem aqui. Sei que logo nos entenderemos melhor, Ange.

- Como sabe o apelido que meu pai me deu?

- Ora, fui eu quem escolheu seu nome... E também criei seu apelido Ange. Voce tem até meu sobrenome.

- Por que você sempre causa discórdia quando aparece? Eve Black. – Delphine disse.

Na barreira, mais uma rachadura apareceu, não acho que duraria muito:

- Mas eu vim salvar vocês. Sei pelo que estão passando, infelizmente, não fui eu quem envenenou Jadis, foi uma inimiga que eu fiz... A boa noticia é que trouxe uma pessoa importante que vai nos ajudar na luta contra os caçadores quando eles invadirem a ilha.

Mais uma pessoa saiu do carro, passando pelos corpos de fumaça. A moça parecia ter minha idade tinha pele escura, um moicano na cabeça e um pequena trancinha feita com o que sobrou de comprido do cabelo. Usava um vestido curto do mesmo tecido do vestido de Eve, seus olhos eram cor de avelã que logo me encararam:

- Então você é a Angelique. Foi como eu disse, ela parece mais fraca que eu, mãe.

Fiquei chocada quando ela chamou Eve de mãe:

- Conheça minha aprendiz, Laila Black. - Todas as garotas se afastaram de mim, enquanto mãos de cadáveres surgiram em volta de mim, formando um circulo. – Uma bruxa da morte.

 


    

 

 

 

      

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Bom, agora explicando, a garota morena na capa é a Laila e a outra é a Eve.
Me contem o que acharam dessas novas personagem e como a Ange vai reagir com essa afronta.
Falem se tiver algum erro ou coisa do tipo e até o próximo.
Bye Bye...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...