História Without you. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 24
Palavras 897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Lírica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oe pessoas, cá estou com mais um capítulo liendo(hueihuei) pra vocês, bom, este não vai ser tão tenso, pq.. Slá, pq n vai, espero que gosteeem :3.

Booa leitura *-*

Capítulo 16 - Rebel


"O som metálico ecoava pela pequena sala, arrepiando Anastásia.

- Ah.. Oi _ Ela encarou o rapaz que carregou na noite anterior _ Eu queria.. Agradecer.

- ... _ Ele ergueu o olhar, fitando-a.

- Obrigada..

O moreno assentiu e voltou a afiar a lâmina da espada.

- Como.. Como se chama?

- Majestade, deveria descansar _ Ele apoiou os braços nos joelhos, encarando-a.

- É.. Tem razão..

Ele assentiu e voltou a afiar a lâmina.

- E onde fica o quarto?

- Pelo amor de Deus! _ Ele a olhou com o cenho franzido.

- Venha querida _ O grisalho tocou os ombros de Anastásia _ Ele não é muito sociável.

- É.. Eu percebi _ Ela o seguiu até um dos quartos _ Por que ele é assim?

- o Natanael tem uma história triste, como todos aqui _ Ele sorriu brevemente _ Descanse.

- Obrigada _ A ruiva sorriu e sentou-se na cama, vendo-o fechar a porta."

>>>

- Natanael Lamartine? _ Apollo brincava com a espuma colorida do capuccino artesanal, Ana havia adotado aquilo como hobby.

- É, um francês que perdeu os pais na investida dos bolcheviques, há relatos de que ele e os colegas estiveram com a grã-duquesa por um tempo.

- Ele e a Anastásia estavam saindo? _ O moreno abriu um sorriso esperançoso.

- Não posso afirmar isso, não se anime a toa _ Ela colocava a espuma lentamente na outra caneca branca, finalizando o desenho e entregando a Ryan _ Aqui.

- Valeu _ Ele sorriu e assoprou brevemente _ Acha que pode me desenhar?

- Não abusa _ Ana encheu sua caneca com café puro e sentou-se no sofá, ao lado de Apollo.

- Certo.. Então de algum jeito eu faço parte da história?

- Pois é _ Hiddley tocou a espuma e levou o dedo até a boca.

- Isso é bom; ótimo, na verdade _ Apollo deslizou os dedos pela coxa da ruiva.

- Apollo.. _ Ana lhe lançou um olhar repreensivo.

- Desculpe - Ele afastou a mão, sorrindo torto.

- Então.. Estão saindo? _ Ryan segurou uma das imagens, tentando disfarçar o ciúme.

- Não _ A ruiva levantou-se e puxou a escada, subindo para o sotão.

- Cuidado, vai queimar o papel com todo esse ciúme fluindo pelas suas veias _ Apollo abriu um sorrisinho cínico.

- Cala a boca, Williams! _ Ryan subiu para o sotão, sendo seguido por Apollo.

- Ah, falando em Natanael.. Eu achei uma coisa nova no diário da grã-duquesa _ Apollo o tirou do casaco e o abriu.

"Finalmente consegui sair daquele inferno..

Krigor me seguiu até um trecho e me pegaria se não fosse Ivan.
Ele me levou para um lugar que chama de 1918, em homenagem à morte da minha família..
Estão tratando Alexei com todo o cuidado e.. Eu conheci uma pessoa, Natanael Lamartine, ele é da França.. É totalmente calado e um pouco esquentado, as expressões são muito confusas e.. Intrigantes, de certa forma.. Completamente diferente de Dimitri que era tão aberto.."

- Isso foi meio piegas.. _ Ryan franziu o cenho.

- Só não entendo duas coisas _ Apollo passou a página, estava vazia _ Como é que isso sempre acontece com o diário?

- E a segunda? _ Hiddley lambeu o bigode de espuma colorida.

- Por que você teve aqueles sonhos mas eu nunca tive nenhum? _ Ele franziu o cenho, indignado.

- Eu fui o noivo _ Hiddley sorriu convencido.

- E morreu _ Apollo sorriu debochado.

- Cala a boca _ uma veia saltou na testa de Ryan.

- um belo tiro no peito, até ouço o som..

- Já chega _ Ana os olhou _ Apollo, não provoca.

- Hm.. Okay _ Ele abriu um breve sorriso.

A conversa foi interrompida por um barulho no canto do sotão, todos viraram-se para olhar.

- O que foi isso?

- Sei lá.. _ Ryan deu de ombros.

Ana balançou a cabeça e voltou a olhar o quadro, a grã-duquesa havia mudado a posição, agora olhava para o fundo do sotão.

- Mas o quê.. _ Ela levantou-se e tocou o quadro, vendo os olhos azuis vidrados em algo atrás de si.

- Gente.. _ Apollo puxou levemente o casaco de Anastasia.

- O que foi? _ Ryan levantou-se e se aproximou da ruiva, analisando o quadro.

- Gente..! _ Williams chamou novamente, desta vez puxando a camisa de Hiddley.

- A grã-duquesa.. Ela ta olhando pro fundo do sotão.. _ Ana procurou mais alguma mudança na pintura.

- Gente!

- Veja, tem reflexos nos olhos.. _ Ryan pegou uma lupa, analisando os olhos da pintura, minucioso.

- Que reflexos? _ a ruiva franziu o cenho, tomando a lupa e analisando outros detalhes da pintura.

- acho que.. O de alguém se movendo bem.. Atrás de nós? _ Ele arqueou as sobrancelhas _ não faz sentido.

- O fato da pintura ter mudado não faz sentido algum.

- Bom, tem sobrenatural envolvido, então..

- GENTE!

- O QUE É?? _ Ana e Ryan o olharam, irritados.

- .... _ Apollo apontou para uma parte da parede no fundo do sotão.

A ruiva deixou a caneca na mesinha e se aproximou da parede, tocando a frase entalhada na parede de madeira.

"Nos veremos em breve.."

Anastasia arregalou brevemente os olhos e encarou os rapazes que devolveram o olhar incrédulo.

Continua..


Notas Finais


Bom gente, foi isso, me desculpem pela demora.. Mas é q esse tava muito difícil de vdd.. Fora q eu me distrai pra caramba, entãão.. Espero q tenham gostado, quinta sai o próximo *-* (se nada der errado, claro)

Fui ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...