História Without you. - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 12
Palavras 1.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Lírica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hello peoples, trago a vocês mais um cap. liendo, espero q gostem, essa imagem ai é do Ovo Fabergé, no cap. vai estar mais explicadinho, a imagem pode conter direitos autorais, já aviso :3
Espero q gosteeem ^-^

Booa leitura *-*

Capítulo 35 - The Key


Fanfic / Fanfiction Without you. - Capítulo 35 - The Key

Max levantou-se da cama e colocou uma camiseta, descendo as escadas e afastando a mesinha; puxou a porta e ligou a lanterna do celular, saltando pra dentro.

- Max! _ Ivane o chamou, ajoelhando-se na entrada _ o que está fazendo?

- Shh!! _ Ele apertou o indicador contra os lábios _ Quer que te ouçam?

- Ah.. Eu não sei, me diz você.

- Desce!

A azulada saltou para dentro da porta e tropeçou nos pés, agarrando a camiseta do ruivo; Max segurou a cintura de Ivane e a olhou nos olhos.

- ... Faça silêncio.

- ... Ok _ Ela abriu um sorriso e se afastou _ Que lugar é esse?

- SH!! _ Ele apertou o indicador contra os lábios outra vez _ Cala essa boca!

- Não me manda calar a boca! _ Ela o empurrou brevemente.

- meu Deus.. _ Ele seguiu em frente, entrando em um corredor empoeirado.

- O que estamos procurando?

- Sua capacidade de calar a boca, deve estar por aqui _ Max abriu um sorrisinho cínico.

- muito engraçado, haha _ Ivane revirou os olhos e o seguiu pelo corredor _ estou falando sério.

- Eu ainda não sei _ Ele encarou uma porta azulada e girou a maçaneta, trancada _ Mas acho que já vou descobrir.. 

O ruivo enfiou a chave na fechadura e abriu a porta, empurrando-a lentamente. O quarto estava em perfeito estado, exceto por um pequeno armário no canto, estava revirado e com vestígios de que foi forçado.

- ... _ Ele se aproximou do armário e tocou as marcas do pé de cabra, afastando as portas bambas.

- O quê? O que tem ai? _ Iv segurou os ombros do ruivo, tentando ver por cima.

Max abaixou-se e segurou um colar com a corrente de prata e de pingente um ovo que cabia na palma de sua mão, tinha detalhes em pedrinhas azuis e cristais que estavam encardidos pela poeira.

- Que isso? _ a azulada arqueou as sobrancelhas.

- Um ovo fabergé.. _ Ele se levantou _ Parece que o nosso ruivinho estava comemorando a páscoa.. Ou ia dar isso a alguém.

Max jogou o ovo para o alto e o agarrou, colocando-o no bolso.

- É bonito.. _ Iv mordeu o lábio _ Pra quem ele iria dar?

- Eu tenho fatos, não um diário _ Ele revirou os olhos _ Não faça perguntas idiotas.

- O que fazem aqui? _ Ambos viraram-se para encarar a voz e cobriram os olhos ao  sentirem a luz da lanterna de Ana machucar seus olhos.

- Ah.. Oi _ Max abriu um sorriso torto _ Eu vim.. Investigar, você chegou cansada ontem e eu.. Não consegui esperar.

- Te acolhi na minha casa, não faça as coisas pelas minhas costas, esperar um ou dois dias não vai te matar, tenho os rastros bem frescos _ Ela cruzou os braços e encarou Ivane.

- Eu só to acompanhando _ Ela ergueu as mãos em rendição.

- Desculpe _ Max desviou o olhar e tirou do bolso o ovo, jogando para a ruiva.

Ela agarrou no ar.

- Um ovo? _ Ela arqueou as sobrancelhas _ encrustrado..?

- Um ovo fabergé, a casa Romanov deu início a essa época, na páscoa eles se presenteavam com esses ovos.

- Isso é do..

- Do Czarevich.

- .. O quarto estava trancado _ Ela o olhou e notou a chave em sua mão _ Onde conseguiu?

- Longa história..

Ana fechou a porta e o olhou.

- Vamos ter muito tempo, hoje é meu dia de folga.

- O meu também _ Apollo apontou a lanterna para os dois _ Vamos ter uma conversinha.

- Maravilha.. Agora tenho pais _ Ivane revirou os olhos e enfiou as mãos nos bolsos do pijama.

>>>

“Alexei apertou levemente o ovo entre os dedos e sorriu, respirando fundo.

- Luci- _ Ele deteve-se ao ver que Anastásia se aproximava da morena.

- Lucille _ a ruiva aproximou-se e viu a morena sorrir.

- Ana.. Oi _ Ela abraçou Anastásia mas não foi correspondida _ O que foi?

- Quero que isso acabe..

- Mas por quê..? _ Lucille franziu o cenho e sentiu o coração se apertar.

- Eu amo Natanael e vamos ter algo sério muito em breve.

- E qual o problema? Você.. Você não se importou antes!

- Antes eu e ele apenas tínhamos.. Algo indefinido _ Ela desviou o olhar.

Lucille agarrou os ombros da grã-duquesa e a encostou na parede, beijando-a nos lábios fervorosamente, a sentiu retribuir com o mesmo fervor e abraçou sua cintura, afastando-se pouco depois.

- Esse foi o ultimo beijo _ Anastásia afastou-se e saiu.

Alexei tinha os olhos arregalados e as pernas tremiam brevemente, não conseguia sequer acreditar que aquilo estava acontecendo, sua amada Lucille era apaixonada por sua irmã.

- .... _ A morena desviou o olhar para o farfalhar das folhas, vendo o Czarevich apoiado na árvore perto dele _ Alexei..?

Ele a encarou e deu breves passos pra trás, apertando o ovo entre os dedos.

- Espera.. _ Ela estendeu a mão e o viu correr para o quarto _ Lexei..”

>>>

- ouçam isso _ Apollo sentou-se e abriu o diário de Anastásia, lendo em voz alta.

“Eu já não sei mais o que fazer.. Alexei me diz todo os dias sobre o quanto ama Lucille, sobre o quanto ela é especial e.. Eu não consigo mais esconder dele, esse meu ‘romance proibido’ com ela está passando dos limites, os beijos e os toques já não são só ardentes.. Ela coloca paixão.. Tenho medo de que ela sinta algo por mim e isso se torne um problema; gosto dela.. Do sexo, mas não passa disso.. Eu.. Amo o Natanael..”

- Romance proibido? _ Iv franziu o cenho.

- É um nome fofo pra amizade colorida _ Ana suspirou _ Que graça.. Nossa grã-duquesa corta para os dois lados..

O ursinho remendado atingiu a cabeça de Ana.

- Ai! _ Ela bufou _ Mas é verdade, vai negar?

“Não, mas não espalha!”

- Quem disse isso? _ Max os olhou.

- Ah, foi a Anastásia _ Ryan voltou da cozinha com Krigor e sentou-se no sofá _ Assim ela é de boa, não vai querer é vê-la com raiva.

- Ah.. a Ana não disse nada.. _ Iv o olhou.

- Não essa Anastasia, a grã-duquesa.

- Ah, claro.. A que morreu? _ Max sorriu, irônico.

No canto da sala surgiu a ruiva de vestido branco e pele translúcida, ela o olhou.

- ... FANTASMA!! _ Ivane agarrou a cintura de Max que arquejou e arregalou os olhos.

- Não... Respiro.. _ Ele semicerrou os olhos e ambos caíram, desmaiados.

- ANA! _ A ruiva e os outros encararam a grã-duquesa que abriu um sorriso amarelo e desapareceu.

 Continua..


Notas Finais


Bom pessoas malavilosas, espero q tenham gostado, eu sinceramente não sabia o que fazer nesse cap. mas saiu, e ficou bom, eu gostei - 3 -
Kkkkkkkkkkk's
O próximo sai segunda, se der.. Pq terça eu vou viajar e ai não vou postar por um tempim, mas não tanto.

Fui ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...