História Wolf - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lu Han, Sehun, Tao, Xiumin
Tags Abo, Alfa, Alfa Beta Ômega, Beta, Exo, Idade Média, Kaisoo, Longfic, Ômega, Omegaverse, Universo A/b/o
Visualizações 931
Palavras 1.494
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem é vivo sempre aparece, né nom?
Portanto, olá meus amores! Sentiram minha falta? Eu senti a de vocês ❤

Não vou enrolar aqui, porque já enrolei demais na vida, mas peço para que, por favor, leiam as notas finais. É importante.
Ah é! Muito obrigada pelos mais de mil favoritos! Nunca esperei tanto dessa estória. De verdade, vocês são incríveis! Amo todos vocês ❤❤❤



E é com uma felicidade descomunal que lhes desejo uma boa leitura! ;3

Capítulo 12 - Chance.


Mas, enquanto isso, apenas torcia para que ele liberasse o seu. Sabia que Kyungsoo também o amaria, mesmo que este ainda não tivesse tanta certeza disso.

 

Apenas quando amanheceu Kyungsoo percebeu que havia dormido na exata posição que estava na noite anterior enquanto devaneava com aquele alfa que parecia ter se transformado em seu único pensamento ultimamente. Suspirou cansado, levantando meio torto por ter dormido de mau jeito e caminhou sonolento até o banheiro. Após tomar um bom banho para acordar melhor e fazer sua higiene matinal, o ômega saiu do quarto se direcionando até a sala de jantar, onde supôs que seria servido o café da manhã.

 

— Soo! — exclamou Zitao ao alcançar o menor, o abraçando.

 

— Bom dia, Tao.

 

— Bom dia! Que bom que te achei, precisava mesmo falar contigo.

 

— Aconteceu algo?

 

— Er... Bem, não exatamente... — coçou a nuca, envergonhado — Bom, vamos tomar café, você acordou bem cedo hoje, então provavelmente só estaremos nós dois lá por enquanto.

 

— Tudo bem então... — murmurou incerto, seguindo o maior até a grande mesa onde começava a ser servido o café da manhã.

 

Após sentar-se ao lado do mais velho — que curiosamente lhe pediu para sentar no mesmo lugar que havia ficado na noite anterior — aproveitou-se de sua presença para sanar suas dúvidas. Zitao vivia ali há bastante tempo pelo que parecia e era um dos poucos que o deixava confortável para questionar sobre o que não entendia.

 

— Posso começar perguntando o porquê de ter que me sentar aqui? — Questionou divertido, mas realmente curioso.

 

— Como escolhido do príncipe, nada mais clichê do que se sentar ao seu lado, não acha? — Disse Tao em tom debochado com um sorriso ladino, fazendo Kyungsoo desviar o olhar levemente ruborizado com a provocação implícita.

 

— Digo, do lado direito...

 

— Ah sim. Sabe que se aceitar casar-se com Kai, terá um compromisso eterno com ele, não é? Bem, não é apenas da marca que estou falando, você será o braço direito do Rei, Kyungsoo. Não um Cavaleiro, nem apenas o dono de seu amor, mas a pessoa que ele mais confiará, seu suporte nos momentos difíceis e a pessoa mais importante na sua vida. — Sorriu — palavras do próprio Rei, querido. Não sou ninguém para contrariá-lo.

 

— Quanta responsabilidade...

 

— Sim. Eu sei que andam cobrando muito você em tão pouco tempo, Kyungie, mas eu apenas te peço par- — E Zitao interrompeu-se ao ver um Baekhyun sorridente se aproximando de onde eles estavam sentados. — Bom dia, Baek.

 

— Bom dia, Tao!  — Disse cumprimentando o outro com um sorriso, logo abraçando Kyungsoo, que apenas retribuiu e sorriu sem jeito.  — Desculpe por interromper a conversa de vocês, mas hoje começarão as aulas de etiqueta do Soo e gostaria de aproveitar que o café da manhã já foi servido para começar por um básico, como a forma certa de se portar durante uma refeição.

 

— Aulas de etiqueta?

 

— Isso mesmo Soo. Algum problema?

 

— Ele acha que eu não sei me comportar perto de outras pessoas? Será que o príncipe pensa que, apenas porque fui criado em uma floresta, faço parte da fauna? — Arqueou uma sobrancelha, fazendo com que os dois mais velhos rissem da ingenuidade do mais novo.

 

— Ora, não seja assim, querido. Sabe que o Kai nunca seria tão insensível desta maneira. Se ele contratou Baekhyun para lhe ensinar, há um bom motivo. — sorriu, confortando o mais novo com um singelo acariciar em seus cabelos — Pessoas são piores do que animais, Kyungsoo. Principalmente essas da alta sociedade.

 

— Então ele terá vergonha de mim perto dos seus amigos riquinhos?

 

— Kyungsoo! — Baekhyun suspirou — Pare com isso, você sabe que ele não é assim…

 

— Sei? Pois eu nem o conheço!

 

— E gostaria de conhecer? Você não parece se esforçar para conhecê-lo antes mesmo de começar a julgar, Kyunggie. — disse BaekHyun, cansado daquilo tudo — Tente pelo menos ver Kim JongIn como homem antes de o julgar como alfa, talvez ele nem seja isso tudo que você imagina.

 

— E se for? — arqueou uma sobrancelha, fazendo Zitao rir e BaekHyun bufar indignado.

 

— Se for… — pensou, sorrindo com sua ideia antes de prosseguir — Se for, farei o que quiser, como pedido de desculpas.

 

— Sem aulas de etiqueta?

 

— Sem aulas de etiqueta. — concordou, fazendo o mais novo entre os três sorrir — Mas, para isso, tem que parar de agir dessa forma. Tente entender e conhecer ele.

 

— Como eu posso fazer isso? — murmurou. Inconscientemente um pequeno bico se formou em seus lábios.

 

Uma pergunta retórica, de fato. Kyungsoo sabia como fazer aquilo; prometera Baekhyun que tentaria conhecer o alfa e faria aquilo, era simples. Sabia que Kim Jongin era um bom homem e seria um rei realmente promissor, também sabia que, no fundo, sentia algo por ele, mas também tinha completa noção de que seus sentimentos mal se comparavam ao tamanho afeto que o mais velho direcionava a si.

 

Porém, se todos estavam se esforçando para que aquilo desse certo, porque ele não poderia fazer o mesmo? No fim, realmente não lhe custaria nada tentar.

 

Suspirou antes de prosseguir:

 

— Certo. Darei o meu melhor para conhecê-lo.   

 

— Ótimo, porque você vai sair com ele hoje à tarde.

 

— Como?

 

— Ora, você mesmo disse que vai tentar conhecê-lo melhor. Para isso, tem que passar mais tempo com ele. Nada melhor do que um encontro, não acha?

 

— Não.

 

— O que você acha Tao?

 

— Concordo com você, Baekhyun. — disse divertido, bebericando seu chá.

 

— Aish...

 

— Aish nada, Kyung! Poxa, até parece que você não gosta do príncipe...

 

— Eu gosto dele, só não da mesma forma que ele parece gostar de mim.

 

— Gostar é relativo, querido. Pare de se prender a esses sentimentos e tente aproveitar os momentos bons. Será apenas um passeio, sim? Você precisa mesmo conhecer mais a cidade. — sorriu, encorajando o mais novo, que acabou sorrindo para si também, assentindo — Agora sim, é esse sorriso que eu quero ver. Termine de comer e vá se arrumar, okay? Irei conversar com o Kai.

 

— Mas e as aulas de etiqueta? — provocou.

 

— Se livrou delas por hoje, espertinho. — riu, levantando-se — Não demore.

 

☆★◇★☆

 

— Kim, tem algum compromisso hoje? — perguntou Baekhyun, já adentrando a sala do príncipe sem ao menos bater. Assustou-se ao se deparar logo com aquele que tentava tanto evitar ali, ao lado de Kai — D-Desculpe interromper...

 

— Tudo bem Baekhyun. Do que precisa? — o Kim perguntou, pedindo silenciosamente para que se aproximasse.

 

— Bem... — pigarreou, tentando ignorar o olhar de Chanyeol sobre si — O Kyungsoo ainda não conhece nada da cidade, gostaria de levá-lo para espairecer e conhecer lugares novos, mas acho que seria melhor se você o acompanhasse.

 

— Oh... — e os lábios cheinhos do príncipe se curvaram em um sorriso — Que ideia esplêndida, Baekhyun! Mas... Kyungsoo está de acordo com isso?

 

— Ele está terminando o desjejum e já vai se arrumar. — sorriu, mas seu sorriso murchou ao notar o olhar do Park ainda cravado em si. — Bom, já vou indo então. Perdão novamente pela intromissão.

 

— Baekhyun. — chamou ao ver que este já estava indo embora. O Byun olhou-o, esperando que prosseguisse — Obrigado.

 

— Não me agradeça Kim, apenas vá logo e aproveitem seu encontro. — riu, deixando a sala.

 

— Park?

 

— Sim?

 

— Você não merece o Baekhyun.

 

— Sei disso. — suspirou, soltando um riso irônico — Mas ainda farei por merecê-lo.

 

— Espero que sim, meu amigo. Espero que sim.  

 

☆★◇★☆

 

Kyungsoo encarava seu closet em uma dúvida eterna. O que se vestiria em um encontro? Sentia vontade de rir de si mesmo ao notar toda aquela insegurança.

 

Era só um passeio, certo?

 

Errado.

 

Era um passeio com Kim Jongin. Ambos. Sozinhos. Por um dia inteiro.

 

Estava nervoso, realmente nervoso. Sentia aquelas famosas borboletas no estômago e um suor frio em suas mãos. Não sabia para onde iam e nem como deveria se portar... Por que aceitara a ideia de Baekhyun mesmo? Não lembrava, mas também não dava mais pra desistir.

 

Escolheu uma roupa que achou mais confortável — esperando que o Kim não se importasse por ser algo mais simples — e esperou por alguns minutos, tentando acalmar aquela ansiedade que tomava conta de si. Reconhecia o quão bobo estava sendo naquele momento, mas não conseguia evitar aqueles sentimentos clichês dos romances que costumava ler. Sentia-se como o protagonista de uma bela história de amor, assim como aquelas que sempre gostou ler.

 

Riu de si mesmo, balançando levemente a cabeça para afastar tais pensamentos, quando leves batidas na porta chamaram sua atenção. Suspirou, sentindo seus batimentos acelerando enquanto checava sua roupa uma última vez no espelho.

 

Foi até a porta, secando o suor das mãos antes de tocar a maçaneta. “Que tudo desse certo” era apenas o que conseguia desejar antes de finalmente encarar o alfa em frente ao seu quarto.

 

Sorriu tímido ao ver o mais velho sorrir para si. Conseguia notar o nervosismo que o tomava, assim como acontecia consigo, e sentiu-se aliviado com aquilo.

 

Aquela seria a chance que ele estava dando para o Kim; também tentaria o conhecer e não mais julgá-lo por pretextos que ele mesmo criava. Queria, de verdade, que tudo desse certo, e daria seu melhor para que o dia fosse agradável para ambos.

 

— Vamos? 


Notas Finais


É, tá bem pequeno mesmo, mas eu não vou me desculpar por isso -q
Sei que a maioria não está nem aí pelo motivo da fanfic ter tido esse hiatus tão longo, então não vou ficar falando sobre isso, quem quiser saber, de verdade, pode me perguntar. Sempre respondo todas as MPs e comentários com muito amor e carinho ><
O QUE É IMPORTANTE PARA VOCÊS É: não é porque voltei com a fanfic que vai ter att semanal certinha ou capítulos maiores, okay? Eu ando sem tempo até pra dormir ultimamente, então peço a compreensão de todos.

E para o/a babaquinha que acha divertido criar conta fake para mandar mensagens ofensivas pra alguém que nem conhece, apenas me desculpe, mas não é hoje que eu ou a minha fanfic "de merda" vai sumir do site ;)

Bom, é isso. Espero que tenham gostado.
Comentários são bem-vindos -q
Xoxo! ❤~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...