História Wolf - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Exo, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 225
Palavras 2.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Antes de mais nada, queria avisar que esse é o penúltimo capítulo da fanfic (tirando os extras, é claro, rsrs)
"COMO ASSIM O PENÚLTIMO E VOCÊ NÃO AVISOU NADA???"
KSFJLSDKJFL
AAA EU SEIII eu planejava ir avisando conforme a fanfic estivesse se aproximando do fim, mas as coisas foram tão rápido que eu nem percebi aaaa

Enfim, fiquem agora com o penúltimo capítulo e tentem não me matar por favor <3 dfjdkfj

Capítulo 15 - Revelações


Chen aparecera bem no momento em que eu disse que o amo a ChanYeol. Fiquei extremamente nervoso e, não sabendo o que fazer diante disso, corri sem pensar e me tranquei em nosso quarto. Não sabia exatamente por que fiz aquilo, mas não consegui achar outra solução para escapar da situação, que só de pensar já fazia meu estômago se revirar. Então agora eu estava lá, aflito, tentando pensar rapidamente no que faria quando saísse no quarto, afinal, não podia ficar lá para sempre.

 

POV Chen

Estava apenas de passagem, quando sem querer ouvi a conversa de Xiumin e ChanYeol. Xiumin disse que me amava? Será que eu ouvi direito? Ao perceber minha presença, ele saiu correndo como se sua vida dependesse disso e se trancou em nosso quarto. Aí eu não entendi mais nada. Olhei ChanYeol com cara de paisagem, e o mesmo fazia uma expressão de “deu merda”.

- Chen... Você ainda gosta do Xiumin? – Ele perguntou.

- Mas é claro que sim!

- Então não perca tempo e corra atrás, viado! – Ele fez um gesto em direção ao quarto que Xiumin se escondera, e sua expressão me mandava fazer isso AGORA.

Literalmente corri atrás dele. Bati na porta e o chamei, tentando falar do jeito mais reconfortante possível, mas ele não respondeu nada. Foi extremamente difícil conseguir o convencer, e ele só abriu a porta para mim depois de eu ter falado tudo que ainda sentia por ele.

Abriu a porta apenas o suficiente para colocar seu rosto para fora, que se mostrava triste, porém esperançoso e mais fofo que nunca. Percebi que seus olhos estavam ainda molhados e tinham uma expressão chorosa.

- Por que você estava chorando? – Perguntei, o fazendo se esconder atrás da porta e a fechar, mas por pouco consegui segurar, abrindo-a mais e entrando no quarto.

Ele não havia se afastado quando entrei, então ficamos apertados no canto da sala, faltando apenas alguns centímetros para nossos rostos se encostarem. Xiumin estava extremamente vermelho e evitava o contato visual, e eu, cedendo à sua fofura, comecei a acariciar seu rosto, que agora me olhava surpreso.

- Não fique assim, Xiumin. – Eu o reconfortava, enquanto ainda segurava seu rosto, e agora também sua cintura tendo nossos corpos ainda mais colados. – Eu estou com você, e sempre estarei, meu Baozi.

- Chen... Eu quero voltar com você. – Ele finalmente disse, me fazendo abrir um sorriso enorme.

- Eu já queria voltar desde o momento em que terminamos. Fico muito feliz que tenha me perdoado, e prometo que farei de tudo para nunca mais nos separarmos.

- Eu só te perdoei porque te amo. – Ele me abraçava e escondia o rosto em meu pescoço, envergonhado. – Percebi que não consigo ter uma vida feliz longe de você, então é bom cumprir essa promessa, hein?

- Ah, eu não seria burro o suficiente para fazer algo que resultasse na nossa separação novamente. – Brinquei.

- Então... Também darei o meu melhor para que isso não aconteça.

Ficamos ali, abraçados, ainda encostados na porta. Eu acariciava seus cabelos, enquanto ele distribuía beijinhos pelo meu pescoço. Até que do nada ChanYeol abriu a porta, nos fazendo cair para trás, com ele em cima de mim. Achei que estaria constrangido o suficiente a ponto de querer se fundir com o chão, mas ao invés disso, Xiumin apenas riu. Riu como uma criança: inocente e despreocupado. ChanYeol pediu desculpas e foi conferir se estava tudo bem, até que levantamos e ele perguntou o que havia acontecido.

- Como assim o que aconteceu? – Xiumin perguntou, fingindo não saber de nada, e eu não entendi o porquê. Será que ele agora deu de esconder nosso relacionamento?

- Vocês não iam se resolver? O que aconteceu, vocês voltaram a ficar juntos? – Ele perguntava ansiosamente.

- Como assim, voltamos? Já estamos juntos há muito tempo! Por quanto tempo você dormiu? – Só aí eu entendi o que ele estava fazendo, e não pude deixar de rir.

- Primeiro eu estava namorando BaekHyun e não sabia, agora isso... Deus, o que está acontecendo? – Ele saiu, confuso, revendo suas ideias. Xiumin me lançou um sorriso travesso e eu o retribuí. Pobre ChanYeol.

 

POV LuHan

Possuo uma certa mania de investigar sobre tudo que me interesso, o SeHun até me chamou de “stalker” quando me conheceu melhor e soube disso. Mas durante toda a minha vida, nunca lidei com algo tão difícil, e, consequentemente, nunca fiquei tão curioso.

Para se ter uma ideia, eu já investiguei o quarto e as coisas de todo mundo, até mesmo da prima do ChanYeol, mas ainda não obtive sequer uma pista sobre quem poderia ser o outro guardião. Eu até tentei sentir sua presença, achando que guardiões podiam sentir quando outros se aproximavam, mas nem isso deu certo. Este problema está ocupando tanto minha mente que estou até esquecendo meu ódio pelo SeHun.

SuHo e Lay resolveram fazer uma limonada e reuniram todos nós para bebermos, o que veio bem no momento certo, já que estávamos morrendo de calor. Ao ver os outros, pude confirmar o rumor sobre BaekHyun e ChanYeol estarem juntos, finalmente os dois perceberam que se gostavam, já estava até perdendo as esperanças. Lendo suas almas, percebi também que Xiumin e Chen provavelmente voltaram, e senti algo forte vindo de KyungSoo e JongIn.

Tentando ser o mais delicado possível, perguntei a JongIn se havia algo entre ele e KyungSoo. Eles se olharam, e antes de parecerem resolver alguma coisa, KyungSoo começou a falar, decidido.

- Nós estamos juntos, por quê? – JongIn o olhou surpreso, mas não pareceu reprovar a ideia do menor.

- Sério? Ai que tudo! Sabia que vocês acabariam juntos, minhas leituras de alma nunca falham! – Falei e depois saí, saltitante, deixando os dois com uma impressão estranha de mim.

(...)

 

Depois de ter dado uma de Tao e espalhar aquilo do KyungSoo com o JongIn pra todo mundo, resolvi seguir Lay e SuHo, já que eles pareciam suspeitos. Já era noite, a lua mostrava um brilho bonito, o que realçava a beleza dos guardiões. Os dois foram em direção ao mar, cada vez mais distantes, e eu não pude evitar de entrar também.  Chegando a um nível elevado, eu não conseguia mais me mover com tanta facilidade, já que não sei nadar, e aos poucos a água foi me vencendo, até eu começar a engolir um pouco dela e não lembrar de mais nada.

 

Acordei nos braços de SeHun. Havia me afogado, e ele me salvou. Pude o ouvir chorando horrores e gritando coisas como “LuHan, não me abandone, por favor!”  “Eu te amo, LuHan!” “Me desculpe por tudo!”.

Abri os olhos e agora vi seu rosto choroso, enquanto ele cuspia água. Senti um aperto no coração e toquei sua bochecha, o fazendo perceber que eu acordei. Lembrei que ele também não sabia nadar, por isso também engolira água. Então ele se sacrificou só para me salvar?

- SeHun! Por que fez isso? Você podia morrer também! – Reclamei, me preocupando com seu estado.

- LuHan! Você está vivo! Você está bem? – Ele respondeu, feliz da vida, enquanto secava as lágrimas.

- Estou! Mas pare de se preocupar comigo e pense em você! Você está bem? Não aconteceu nada?

- Estou bem, não precisa se preocupar. Ah, tenho que pedir desculpas... Sei que você não queria mais contato, mas não tive outra opção a não ser fazer a respiração boca a boca... – Levei a mão à minha boca quando ele disse isso, e não pude evitar imaginar a cena e desejar estar consciente nessa hora. – Acho que você ficou bravo comigo agora... – Ele disse, me olhando tristemente ao se lembrar da nossa briga. – Então, se você está bem, acho que não precisa mais de mim. – Ele se despediu e saiu, me deixando lá, sentado à beira do mar, com a água fria batendo nos meus pés e voltando em seguida.

- Sehun, não me deixe! – Gritei, mesmo não sabendo se adiantaria ou não.

- Você precisa de alguma coisa? – Ele perguntou, quando voltou e se ajoelhou na minha frente.

- Sim, eu preciso de você! Eu te amo!

- LuHan...

Com um pouco de dificuldade devido à distância que tínhamos um do outro, o puxei pela camiseta e o abracei, o fazendo desequilibrar e se apoiar em mim. Não demorou muito e ele me beijou, matando as saudades que eu tinha daquilo.

- Eu também te amo, LuHan. Eu posso explicar tudo o que aconteceu...

- Shh. Não quero ouvir sobre isso. Não agora. Depois você conta, porque agora eu quero matar as saudades desse seu corpo.

- Não é melhor irmos lá ao quarto?

- De jeito nenhum. Prefiro ao ar livre.

(...)

 

POV Xiumin

No dia seguinte, LuHan e SeHun apareceram reconciliados do nada. Não sei o que aconteceu, mas eles estavam até mais melosos que antes, a ponto de ficarem trocando carinhos até mesmo na hora do almoço. Eles ficaram assim o dia inteiro, literalmente.

Bem, apenas o dia, porque LuHan tirou a noite para encher o saco de SuHo e Lay sobre o segundo guardião, já que percebeu que aqueles dois podem ser quietos, mas sabem de tudo. O observar desse jeito enquanto se sabe toda a verdade só deixa tudo mais engraçado. Não aguentando a pressão, Lay explodiu.

- AH, VAI SE FODER, LUHAN! O GUARDIÃO SOU EU, SATISFEITO? – Ele gritou, deixando todos nós chocados, mas principalmente SuHo, que ficou com medo do namorado. Segundos depois, percebendo o que fez, simplesmente desapareceu na frente de todos nós, não fazendo restar dúvidas nenhumas que ele era o guardião.

- A última vez que eu o ouvi gritar daquele jeito foi há uns 500 anos! – SuHo disse, ainda com os olhos arregalados.

- Ele é meu melhor amigo e eu nunca tinha visto isso! – Chen também comentou suas experiências com o Lay em seu estado normal.

- Gente, eu fiz muita merda? – LuHan começou a ficar preocupado.

- Acho que não. – SuHo o tranquilizou. – Ele só deve estar muito arrependido agora. Aliás, eu tenho que ir lá falar com ele, até outra hora. – E se despediu, indo em direção aos quartos.

A sala ficou silenciosa por algum tempo, e LuHan saiu de casa. Foi só ele fazer isso que em seguida um SeHun preocupado apareceu, perguntando pelo namorado.

- Ele acabou de sair de casa. – Tao respondeu.

- Ah, obrigado. – SeHun agradeceu, já se adiantando para sair também.

- Vão se pegar de novo? – Tao perguntou, na maior cara de pau.

- O-o quê? – SeHun pareceu atordoado com a pergunta.

- Pensa que eu não ouvi vocês dois na praia ontem? A janela do meu quarto fica bem perto de onde vocês estavam, eu não consegui dormir por causa dos barulhos de vocês!

SeHun estava envergonhado o suficiente para não conseguir responder mais nada e apenas sair de casa.

 

Horas passaram e mais nada aconteceu. Mais tarde, peguei Chen todo atrapalhado na cozinha de novo, dessa vez tentando fazer um bolo. Ele levou um susto quando me percebeu e tentou esconder tudo entrando na minha frente.

- Chen, o que você está tentando aprontar?

- Ah, você nunca me deixa preparar uma surpresa pra você! Que sem graça!

- No dia que você conseguir cozinhar alguma coisa sozinho, eu deixo. Agora me deixe ver a situação da cozinha.

- Ah, não fale assim! Eu me esforço tanto! – Ele saiu da minha frente e eu vi a pia toda suja de farinha, além de um pote que provavelmente era o da mistura da massa cheio de pequenas cascas de ovo, provavelmente devido à sua falha em tentar quebrá-los.

- Eu te ensino a fazer as coisas, mas você não presta atenção! – Reclamei.

- Ah, que culpa eu tenho se você rouba toda a minha atenção?

- Isso é desculpa por você ser lesado. Agora preste atenção, ou eu não dormirei com você na mesma cama hoje.

Ele assentiu, triste porque provavelmente não conseguiria prestar atenção, e eu comecei a refazer o bolo. Mas não demorou muito para que ele começasse a me agarrar como daquela outra vez, sorte que agora eu não estava mexendo com fogo. Porém, como dessa vez não teve fogo nenhum para atrapalhar, ele continuou, cada vez mais provocante, e eu já estava perdendo a cabeça, a ponto de não conseguir fazer mais nada.

- Chen, para... Por favor... A-ah... – Já estava até respirando com dificuldade, e algo lá em baixo estava começando a subir. Parei de mexer a massa para tentar me distanciar dele, mas a situação só piorou, quando ele me virou de frente para si e me beijou calorosamente, não me dando outra opção além de retribuir à altura.

Ele começou a me tocar, e eu não consegui reprimir os gemidos, mesmo que estivesse tentando. Ignorando mais algumas tentativas minhas de pedir para parar, ele me pegou no colo e me levou ao nosso quarto. Por um momento pensei na massa do bolo deixada para trás, mas não resolvi perder esse momento por causa de um simples bolo.

Ele abriu o zíper e o botão do meu jeans e enfiou a mão dentro, atiçando ainda mais meu membro já desperto. Estava quase tirando minha calça, quando percebeu que estava indo rápido demais sem nem ter a minha aprovação antes, e ficou me olhando, um pouco envergonhado.

- Desculpa. Podemos parar se você quiser. – Ele disse, se afastando um pouco.

Em reprovação a sua parada repentina, o puxei de volta para perto de mim e o beijei, enquanto descia a mão em sua calça e fazia nele o mesmo que fizera em mim.

- Eu quero isso.

- T-tem certeza? – Ele interrompeu o beijo e me olhou, surpreso.

- Sim, e pare de enrolar, eu estou sofrendo! – Disse em tom de reclamação, enquanto me insinuava para ele.

Então ele lançou um sorriso malicioso, demonstrando que agora deixaria de reprimir todos os seus desejos. Voltou a me beijar enquanto terminava de tirar a minha calça, e agora o tecido de nossas camisetas entre nós já estava me incomodando, então tratei de me livrar deles o mais rápido possível.

- Chen, essa é a minha primeira vez... – Avisei.

- Tudo bem, essa também é a minha primeira. Mas prometo que serei gentil e te farei muito feliz essa noite, Xiumin.

Assenti e então continuamos, para no outro dia eu acordar, lembrar dessas palavras e poder dizer que ele realmente cumpriu sua promessa. Aquela noite foi incrível e inesquecível, e eu espero podermos ter noites assim mais vezes.

 

POV Tao

- Ah, eu não acredito! Primeiro o LuHan e SeHun, agora Xiumin e Chen? Será que eu nunca mais vou ter uma noite de paz nessa casa, que agora mais parece um puteiro? Daqui a pouco é o BaekHyun com o Chanyeol, KyungSoo com Kai... – Eu reclamava, não aguentando mais.

- Você deveria é estar aproveitando a noite também, no lugar de ficar reclamando. – Kris disse, não aguentando mais minhas reclamações.

- O que você está insinuando, FanFan?

- Ah, você sabe muito bem o que é. – Ele respondeu, sorrindo de canto e com um brilho nos olhos.


Notas Finais


Então... até o último capítulo KSJFLKJDKSFL
Me sinto levemente fuzilada :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...