História Wolf - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alfa, Bando, Beta, Lobo, Lobos, Matilha, Ômega, Sobrenatural, Wolf, Wolfs
Visualizações 63
Palavras 1.277
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eai bb, to de volta, muito obrigada as pessoas que comentam e continuam acompanhando essa história, vcs estão dentro do coroco da tia aqui

Capítulo 6 - Capitulo 6


Mamãe conseguiu adiar a "entrevista" para o dia seguinte, ela deu tempo para que eu me acalmasse e ficasse um bom tempo com as roupas de Emy, para que pegasse cheiro, infelizmente, Mamãe disse que eu ainda não fedia nada, porém papai tinha dito que já estava diferente de antes, então, nós só temos que torcer.]

-Vocês estão ouvindo a campainha ou não?- Mamãe gritava do andar de cima- Querido?

-Nicole...- Papai mal tirou os olhos da papelada

Me levantei com o chocolate derretendo nas mãos, Caminhei até q porta batendo em todo e qualquer móvel que vinha pela frente, porque eu havia decidido que o chocolate derretido que estava grudado na embalagem era mais importa que não ficar roxa.

- Quem é a minha doidinha favorita?- Matt tinha um sorriso largo no rosto e uma caixa de bombons nas mãos, na tampa da caixa estava escrito "Para a mais nova Alfa"

- A doidinha sou eu, mas... A tal da Alfa que você vai entregar essa caixa não está presente

-Ainda não está presente você quis dizer

Revirei os olhos saindo da frente da porta e deixando ele entrar.

-Eai Sr. D.- Matt se jogou no sofá do lado de papai

-Matthew...- Papai não deu muita atenção para Matt o que provavelmente deixou o garoto bem triste, Matt adora conversar com meu pai, e papai adora a companhia dele, menos durante o trabalho

-Calma Matt- Emy falou pegando o casaco dela em cima do sofá- Ele ta assim com todo mundo, não precisa chorar- Ela sorriu para ele

- Não adianta- O garoto cruzou os braços e fez bico- Ele não é mais o meu melhor amigo

- Nossa!- Falei me afastando dele- E eu aqui pensando que era importante

-Ah claro que você é importante criança- Ele puxou o meu braço, me levando para perto dele- Você me apresentou essa criatura linda que é o seu pai- Ele passou a mão por minha cintura e ficou sorrindo para as costas de papai esperando ele olhar

-Sem gracinhas com a minha filha Sr. Allen- Papai olhou sério com o canto mas depois sorriu para Matt

-Vamos agora antes que...- Mamãe descia as escadas rapidamente- Oi Matt, vai com a gente?

Fiz cara feia para ela, Matt era meu melhor amigo, mas depois de ontem, eu meio que não estava pronta para passar um grande período de tempo dentro de um carro, indo ver um velho gordo e depois ser abandonada por Mamãe no grande prédio com ele, só com ele.

-Hã... Claro- Ele olhou para mim e sorriu- Eu tenho chocolates e um sorriso super sexy, o que mais acalma uma Nicole?

-Matthew...-Papai resmungava

-Desculpe Sr. D. mas nem o seu sorriso ganha dessa gracinha aqui- Ele sorriu e deu uma piscadinha para papai, fazendo todo mundo rir.

[...]

Nós iríamos levar Emy até o trabalho, que era no caminho. Emy trabalhava como babá à cinco meses e esse foi o trabalho mais duradouro da vida dela.

A música tocava preenchendo o silêncio que nós havíamos criado, Emy cantarolava alguns pedaços da música enquanto eu batucava na perna e Matt batia o pé no chão do carro rapidamente, tudo no ritmo da música.

-Então...- Emilly falou depois de um longo tempo- Você já conseguiu um emprego Matt?

Matt encarava o chão, como se viajasse em um universo paralelo, dei um cutucão nele o fazendo olhar assustado para mim, indiquei com a cabeça para Emy e depois fiz gestos de trabalho e desenhei um sinal de pergunta no ar.

-Ah... Hã... Ainda não, mas... Eu quero tentar algo envolvido com a ciência, nem que seja limpando o chão de um laboratório- Ele deu um sorriso largo, todos os sorrisos de Matt eram lindos e contagiantes, se você o visse sorrindo, mesmo que do outro lado da rua, você acabaria sorrindo também, mas quando você conhece a pessoa, percebe a diferença entre um sorriso sincero e um sorriso forçado.

Caminhei com a minha mão pelo pequeno espaço vazio entre nós até encontrar sua mão. Finalmente entrelacei elas dando uma sorriso forçado, eu não era a melhor pessoa para estar ali consolando ele quando eu era o motivo dele estar triste. Ele pareceu ignorar que estávamos dentro de um carro com minha mãe e minha irmã que aparentava estar dando em cima dele e me puxou para seus braços, do mesmo jeito que ele fazia quando sentavamos no telhado naqueles dias em que estamos querendo mandar o mundo e todos que nele habitam ir se ferrar ou quando eu estava triste e ele tentava de todas as maneiras possíveis me deixar feliz.

Mamãe parou no sinal, deu uma rápida olhada para nós e depois para Emy, fiquei um pouco desconfortável, mas não consegui me soltar dos braços de Matt, bufei e olhei para a janela, Nico Sherwood estava parado lá, provavelmente distraído com alguma coisa, mas parado na esquina da rua, esperando os carros pararem. Ele olhou para o lado e me pegou o encarando, senti um arrepio percorrer a minha espinha enquanto mantínhamos aquela conversa silenciosa de olhares, o garoto agora parceria concentrado em me deixar desconfortável, ele dirigiu o olhar para Matt que falava com mamãe e depois olhou para mim, sério, sem nenhuma expressão no rosto, rapidamente me afastei de Matt e tentei parar de olhar Nico, mas eu ainda sentia um frio percorrer todo o meu corpo enquanto imaginava o garoto me matando de diversas formas, uma pior que a outra.

Felizmente o sinal da outra rua fechou e o nosso abriu, Nico não demorou mais que dois segundos para voltar a andar. Tentei ignorar Matt me olhando como se ele estivesse sentando do lado de um E.T.E., se é que eles ainda existam.

-Juro que vai ser só dois minutinhos- Mamãe sorriu parando o carro e descendo junto a Emy, ela adorava a família para quem Emy trabalhava, adorava ainda mais o garotinho que Emy cuidava, sabia que seriam bem mais que dois minutos.

Matt acompanhou Mamãe e Emy com os olhos e esperou que as duas entrassem para começar o interrogatório.

-Tudo bem Nicole...- Ele estava sério, aparentemente bravo, mas calmo- Pode desembuchar

-Minha irmã está dando em cima de você-Falei olhando para ele

-O que? Não!- Ele estava surpreso, Matt é o cara mais inteligente que eu conheço, ele hackeia qualquer coisas que você coloque na frente dele, é um ótimo cientista e canta irritantemente bem, mas quando se trata de garotas, parece que ele dorme no ponto

-Matt... Qual é... As jogadinhas de cabelo, as piscadas, a simpatia, o ciúmes quando você me abraçou...

-Nicole, não muda de assunto...

-Você mandou eu desembuchar, e eu desembuchei, não tenho mais nada para falar

-Nicole, você pulou em cima de mim ontem! E quase me matou!- Ele falava como se fosse óbvio sobre o que ele queria conversar- Nicole, o que você está me escondendo?- Matthew me olhou preocupado um olhar que eu desviei rapidamente

-Eu não estava te escondendo nada, falei com mamãe sobre o meu ataque e ela me disse que poderia ser ansiedade, Matt qual é... Eu sou integrante de uma das famílias mais importantes de Wolf, a minha irmã virou ômega e toda a pressão está sobre mim agora...

Ele me olhou sério, ele não estava acreditando em nenhuma palavra que saia da minha boca, droga Matthew por que você me conhece tão bem?

-Nicole, você pode me contar qualquer coisa- Droga Matt eu não posso! Como você pensa que vai reagir quando eu lhe contar que sou uma transformada, melhor ainda, que foi eu que arruinei a sua vida inteira? Me abraçando e sorrindo é que não é

 


Notas Finais


CUIDADO, SPOILER

"[...]
- E-Eu não sei do que você está falando, eu nem te conheço!

- Como alguém pode acabar de se transformar e conseguir uma alcatéia!?- Ele sussurrava gritando

- Olha cara eu realmente não sei do que você está falando- Falei tentando me distanciar

- Pelo amor de Deus. - Ele jogou os braços para cima- Meu nome é Jackson, eu sou irmão de Christopher e eu sou um transformado, que irá te auxiliar aqui dentro e aquilo que você sentiu lá- Ele apontou para a recepção- Foi um dos sua instintos, o de proteção, geralmente a eu não tenho problemas com ele, ninguém voltou pra cá com uma alcatéia!- Ele parecia revoltado e indignado de eu possuir uma alcatéia
[...}"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...