História Wolf Heart {Kookmin/Jikook} - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, V, Xiumin, Yugyeom
Tags Jikook, Kookmin, Markson, Namjin, Vhope
Exibições 457
Palavras 1.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quase não conseguia att hoje.

Capítulo 14 - ★14★


Levantei devagar, fazendo de tudo para não acordar Jungkook que dormia em cima de mim.

Logo o cio voltaria mais intenso, então, era melhor deixar ele descansar.

Fui caminhando, pelado mesmo, para o corredor que se encontrava fora do quarto.

A transformação fazia as pessoas ficarem mais íntimas, então não era como se fosse à coisa mais constrangedora do mundo ver um desconhecido, ou até mesmo parente, pelado.

Andava pelo corredor encarando ás paredes, algumas com marcas de tintas, tintas coloridas, como, azuis, vermelhos, amarelos.

Eu conhecia aquela casa, disso eu não tinha dúvida.

Tinham algumas portas nos corredor, umas três ao todo. 

Abri a primeria e ví um banheiro, a pia parecia meio suja, o vaso sanitário não tinha tampa, e não havia box.

Abri a segunda, e dei de cara com um quarto, este que parecia ser o mais "simples", havia algumas paredes pintadas de azul, uma espécia de "berço" que estava aparentemente quebrado.

A terceira era obviamente um quarto, de casal, pra ser exato, tinha uma cama grande, por algum motivo ali cheirava à sangue, e mais um cheiro familiar.

Vinha alguns flashes na minha cabeça e por algum motivo eu conseguia ver uma mulher alí, ela estava deitada na cama, gritava e olhava pra baixo, suava frio.

Só no segundo flash pude ver a barriga dela, ela estava grávida, sua camisola suja de sangue, estava dando à luz a um filhote.

Ela tinha os cabelos loiros, lembravam os meus cabelos.

Senti a cabeça doer, e saí rapido daquele quarto, ali com certeza não era um bom lugar.

Olhei pra trás e quase caí com o susto que levei, minha cabeça conseguia imaginar um homem no final do corredor, suas roupas eram escuras e sujas, ele também tinha o cabelo loiro, e pudia ver lágrimas silenciosos descerem por seu rosto.

Ouvi um choro de bebê.

– Porra eu só posso 'tá maluco. - esfreguei a testa.

Desci às escadas, enquanto eu olhava pra baixo, conseguia ver uma lembrança, eram claramente meus pés quando eu tinhas uns dois anos descendo às escadas, mas, eu não me lembro de vir aqui em nenhum momento da minha vida.

"Omma" "Omma" eu dizia e corria pros braços da mulher loira que — antes — estava dando à luz no quarto. Ela me pega no colo e sorri pra mim. E... Porra os olhos dela se fecham, o sorriso dela é igual o meu.

Mas... Eu não me lembro dessa mulher. Por que eu chamo ela de omma? Por que ela é tão parecida comigo?

– Jimin? - sou acordado de meus pensamentos quando Jungkook desse às escadas coçando os olhos.

– Ggukie. Volte à dormir, vou precisar de você mais tarde. - sorrio malicioso ao lembrar que meu cio iria voltar à qualquer momento.

– Você estava assustado. - disse passando a mão pela lateral do meu corpo.

– Não estava não. - ri nasalado. 

Jeon me olhou sério.

– Não tente mentir pra mim, Jimin. - caminhou pro que eu diria ser à cozinha - Não vê que eu sinto o que você sente? Consigo sentir seu medo, sua felicidade, sua tristeza, sua dor, sua infelicidade, sua angústia, desespero e até excitação. 

– É isso o que me preocupa. - resmunguei indo até à "cozinha".

– Por que? - me assustei - Por que te preocupa? - perguntou.

– Jungkook você é jovem, tem a vida toda pela frente 

– Você fala como se também não tivesse. - revira os olhos.

– É, eu tenho. Mas pensa comigo, nós dois somos jovens, não acha que essa ligação atrapalha um pouco? - negou - Digamos que eu morra. - vi ele arregalar os olhos - Você também morre certo? - engoliu em seco. - Digamos que você morra! - me olhou - Eu também morro certo? - olhou pra baixo e não pude deixar de encarar suas coxas já que ele também estava pelado - Não acha que essa ligação vai atrapalhar um pouco a gente? - questionei.

– Exemplo?

– Acabei de te dar um exemplo - bufei.

– Me dê outro.- pediu.

– Conhecer outras pessoas. - soltei sem pensar.

Vi Jungkook me encarar com o cenho franzido.

– Ah! Então é isso, quer conhecer outras pessoas. Não está satisfeito? Deixa eu adivinhar, tem à ver com a mordida. - apontou pro meu pescoço - Não quer se casar não é? - semicerrou os olhos.

– Não é isso, só não estou acostumado a me manter preso à alguem. - bufei.

– Pois se acostume! 

– Você nunca teve outra pessoa não? - perguntei com raiva.

– Além de você? Já! Mas nunca deu certo - levantei a cabeça - Você não percebe, Jimin! Mas eu vejo! não escutou quando te disseram? Não importa pra onde eu vá ou o que eu faça, sempre vamos estar ligados, um atraí o outro! - gritou - E sabe por que nunca deu certo? Por que as garotas que eu fiquei não eram as certas pra mim. Você é o certo pra mim. Sempre foi você. E eu me sinto um inútil por não poder me apaixonar por outra pessoa além de você, Jimin.

Senti uma dor no peito, e sabia que aquela dor vinha de Jeon. 

Andei em passos largos até ele e o beijei.

Realmente não importa, posso até brigar com ele, mas ele me atrai.

Um beijo necessitado e desesperado que foi retribuído com sucesso por Jeon.

– Você é um idiota. - falou depois que separamos o beijo.

– Eu sei. Me desculpe. - encostei nossas testas. - Queria que você estivesse ligado à uma pessoa melhor que eu.

Não existe ninguém melhor que você.

'Tá parecendo uma garota apaixonada. - zombei.

– Haha, vai nessa. - riu falso.

– Eu não vou nessa, vou em outra. - falei e senti o cio voltar.

– Ô ôu. - falou Jungkook antes de eu o virar de costas pra mim, e o encostar na parede mais próxima.

Passei meu indicador em minha língua e levei à entrada de Jungkook, ouvindo ele soltar um gemido meio que... Manhoso? Sorri com isso.

Dei meus dois dedos para Jeon chupar e enquanto ele chupava, eu brincava com meu dedo indicador em sua entrada. 

– Porra! Por que tão gostoso? - dei um tapa estalado na sua bunda.

Se eu me olhasse no espelho me chamaria de monstro, conseguia imaginar como minha aparência estava, olhos azuis, presas à mostras, e encarando a bunda de Jeon como se fosse minha presa.

Claramente, um verdadeiro beta no cio.

Jungkook terminou de chupar meus dedos e eu o penetrei com meu membro, revirando os olhos por ele ser tão apertado.

– Por que... Me deu os dedos pra chupar se não os usou? - perguntou gemendo rouco.

– Eu não aguentei. - dei investidas lentas pela dificuldade de ter meu pau sendo esmagado pelo interior de Jeon.

– 'Tá brincando, Park? - se referiu a minha lentidão e riu.

– Não é fácil, quando a pessoa é apertada. - rosnei. - Não sei se odeio ou adoro a sensação de ter meu pau estrangulado.

– Tenho certeza que adora. - provocou. E sai de dentro dele rápido, para voltar rápido e forte.

– Porra, Jimin! - rosnou.

– Não era você que tava reclamando? Agora aguenta. - sai de dentro dele totalmente, pra voltar com força, abracei seu tronco com os braços suados, sentido ele encostar as costas no meu peito.

Aquela altura eu já tinha aumentado a velocidade e dava investidas muito rápidos que poderiam ser julgadas sobrenaturais.

– Continua apertado, que droga. - rosnei. 

– Fala como se fosse um problema. - falou e depois gemeu alto.

– Eu adoro seu gemido. - falei sem pensar. 

– É? - perguntou risonho.

–É. - confirmei. Rimos como adolescentes tendo a primeira vez. E logo após uivamos. 

Não podia negar que nossos uivos e gemidos juntos, soavam bem.


Notas Finais


🌚 fui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...