História Wonderful Wonder world - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~SansyDreemurr

Postado
Categorias LM.C
Exibições 17
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAAAAAAAH!!! Outro cap pra vocês espero que goste amores 💓💓💓

Capítulo 12 - Capítulo 12: o outro lado de Aiji


Fanfic / Fanfiction Wonderful Wonder world - Capítulo 12 - Capítulo 12: o outro lado de Aiji

Pov's Agatha

Fiquei a noite toda criando um poema para o crush do meu tio, as vezes eu cochilava em cima da mesa e sonhava com algumas coisas que me inspiravam para continuar escrevendo. No dia seguinte, percebi que havia dormido em cima das folhas de papel e das canetas em cima da cama. Levantei o mais apressada o possível, troquei de roupa e fui até a biblioteca, onde encontrei o tio Aiji:

-" Oi tio! O senhor tá tão bonito hoje!"- disse me aproximando devegar-" Pintou o cabelo? Ó, ficou maravilhoso"- ele logo parou de mexer nos papéis em cima da mesa e me olhou com desconfiança

-" O que você ta querendo ? Aprontou alguma coisa, né?"

-" N-não, eu não fiz nada. É que eu... tipo... queria que...."- ele logo pegou na gaveta da mesa uma certa quantia de dinheiro enrolada numa gominha:

-" Toma e não me enche o saco!"- ele acertou em cheio o que eu queria! Mas é por uma boa coisa, tio Aiji havia dito que seu crush gostava de doces não é? Então, vou sair e comprar e caixa de chocolate. Saí do castelo e rodei o reino todo proucurando uma loja  de doces. Encontrei uma mais distante do castelo e pra ser sincera, eu me perdi. Comprei a caixa de chocolate e fui tentar encontrar o castelo. De longe dava pra ver o seu topo mas não conseguia chegar até ele caminhando. Estava escurecendo e ficando mais frio, quanto mais eu andava mais eu me perdia. Quando vi Sora andando pelas ruas do reino:

-" Sora!"- ele olhou para a minha direção e correu até mim- " Você precisa avisar ao tio Aiji que eu me perdi. Pode fazer isso pra mim?"- ele se esfregou no meu pé e saiu correndo até perde-ló de vista. Fiquei alí esperando meu tio chegar, encostada na parede de uma loja, quando de repente vejo 3 figuras desconhecidas se aproximando de mim. Eram homens encapuzados de olhos negros! Eu estava morrendo de medo, eu não conseguia correr, estava paralisada:

-" Mas olha o que temos aqui"- disse um dos homens-" Uma menininha"

-" Vamos nos divertir muito hoje lindinha"- um dos homens me segurou pelo braço me puxando pra mais próximo dele

-" Não, me solta!"- eu gritei mas eles não quiseram me ouvir

-" Você vem com a gente"- eles riam da situação. Eu estava quase chorando de desespero, quando uma voz grave e rouca calou as risadas dos homens:

-" Deixem a garota em paz"- o homem que me segurava pelo braço me soltou na hora vendo quem era o dono da voz-" Por que não enfrentam alguem do seu tamanho..."

-" Tio Aiji!"- corri até ele abraçando um de seus braços

-" Fica atraz de mim, eu vou dá um jeito nesses engraçadinhos"- ele estralou os dedos, junto de Sora que rosnava para os homens. Estava muito escuro então eu não vi direito como foi a briga, só o que pude ouvir foi os gritos dos homens, rugido de leão e os miados de Sora. Quando terminou, tio Aiji saiu das sombras junto de Sora, tirando a poeira da roupa. Ele veio até mim e sugurou os meus ombros:

-" Não se preocupa, eles não vão mais voltar. Amanhã eles vão ser expulsos do do reino, ok?"- eu soluçava entre falas

-" Ta bom"- não resisti e o abracei com toda a força que eu tinha. Ele não me abracou de volta mas pude sentir que ele estava feliz:

-" Certo, vamos pra casa."

-" Ah, espera"- corri até a parede onde estava enconstada e peguei a caixa de chocolate-" Agora podemos ir"- Ele bagunçou meus cabelos, pegou na minha mão e não soltou até chegarmos ao castelo. No caminho conversamos sobre variadas coisas, ele até ria, de vez em quando, eu nem sabia que isso era possível. Eu estava começando a trata-ló como um segundo pai, apesar de ser um pouco impaciente, mas eu gostava dele e acho que ele estava começando a gostar de mim... do jeitinho dele.
      Chegamos ao castelo e.... Tcharam! meu tio voltou ao normal:

-" PRAGA, TU SAIU SEM MINHA PERMISSÃO E AINDA SE PERDEU! IMAGINA O QUE TERIA ACONTECIDO SE EU NÃO TIVESSE APARECIDO!"- tava bom de mais pra ser verdade

-" Me desculpa, eu fui comprar os doces que você tinha dito que seu crush gosta pra acompanhar a carta"- mostrei a ele a caixa. Ele parece um pouco mais calmo e seu tom de voz baixou:

-" Devia ter me aviso que ia sair...Eu... Fiquei preocupado"- meu tio só pode sofrer de transtorno de bipolaridade, porque não é possível alguem mudar de humor assim tão rapido. Me senti tão culpada:

-" Eu achei que você não ia se importa de eu sair um pouco"

-" Só por que não tenho paciência com criança não quer dizer que eu não me importe. Seu pai disse que era pra eu cuidar de você e é isso que eu vou fazer" - eu nunca tinha visto esse lado doce dele, chega a ser estranho

-" Me desculpa..."- eu estava realmente envergonhada, meu rosto estava queimando e os meus olhos estavam cheios de água. Ele veio até mim e colocou uma das minhas mechas de cabelo atrás da orelha:

-" Ta tudo bem, só me avise quando for sair de novo, se não eu vou ser obrigado a colocar leões pra te vijiar..."- eu ainda estava triste e ele percebeu-" Vai continuar com essa cara? Eu vou te fazer cócegas..."- ele agitava os dedos tentando me assustar

-" N-não, eu não gosto de cócegas, por favor"- disse rindo. Ele ria junto-" Quer ver o poema que eu fiz?"

-" Já fez? Me mostra então..."- corri até o quarto, peguei a folha com o poema e desci as escadas correndo, o entregando:

-" Aqui...."- ele começou a ler e sorria a cada verso. Depois de ler ele não conseguia conter a felicidade:

-" Ficou muito lindo! Eu não entendo muito de poemas mas esse ficou perfeito!"- ele me fez sorrir com suas palavras- " Você fez sozinha?"

-" Sim, mas também tive ajuda de alguns sonhos que eu tinha nos meus cochilos"

-" Sonhos?"

-" Sim, eu vi você de mãos dados com uma pessoa que eu não consegui ver o rosto, mas estava muito feliz, dentro de um jardim muito florido e eu estava usando uma coroa..."

-" Ah... significativo, não..."- ele estava  vermelho-" Bem, de qualquer jeito, foi muito bonito"- ficamos calado por alguns segundos até ele se pronunciar:

-" O que você acha de amanhã irmos a um parque. Você gosta?"- eu não estava acreditando

-" S-sim, boa ideia"

-" Certo, depois do almoço, pode ser?"

-" pode"- eu fui andando até as escadas-" Bem, eu vou ir dormir... Boa noite"- sem resposta. Subi e as escadas e entrei no meu quarto. Troquei de roupa e me deitei. Estava quase pegando no sono, quando vi alguem abrir a porta. Fechei os olhos, rapidamente, fingindo estar dormindo. Senti alguem passando a mão no meu cabelo e depois um beijo na testa:

-" Boa noite"- ouvi da voz grave e rouca. Era ele mesmo.


Notas Finais


Então é isso :3333 viu gente Aiji é umor de pessoa.... Quando quer c: Xau ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...