História Words for you - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST, Wanna One
Personagens Minhyun, Minhyun, Personagens Originais
Tags Minho, Minhyun, Minseon, Seonho, Seonhyun, Seonmin
Visualizações 119
Palavras 2.161
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oLÁ
primeiramente FELIZ ANIVERSARIO MINHYUN!!!!!!
segundamente era pra eu ter postado dois dias atrás mas finge que ninguém viu
aí gente sério eu amo muito eles, fazem um otp que eu não consigo superar eles são o ícone do produce namoral
enfim espero que aproveitem!!!

Capítulo 1 - Just say what you think about him;


– Hyung, você precisa conversar comigo agora senão eu vou espancar o Guanlin. – Seonho disse quando a sua chamada foi aceita. Ouviu uma risada gostosa do outro lado da linha.

– O que ele fez dessa vez? – disse Minhyun encostando o telefone ao ouvido enquanto digitava algumas coisas no computador.

 – Ele pegou meu creme de cabelo de novo, e ainda por cima gastou tudo sério! Eu sempre soube que ia ficar num grupo com esse idiota, mas parece que ele fica mais insuportável a cada dia! – falou bufando enquanto batia a caneta que se posicionava entre os dedos na mesa, colocando a chamada no viva voz. – Isso quando ele não traz Jihoon hyung e Jinyoung hyung pra cá e eles ficam acordados até tarde da noite e não me deixam dormir...

– Você fala isso mas daqui a cinco minutos está só amores com ele. – falou Minhyun e quase conseguiu ver a expressão ultrajada de Seonho pelo barulho que ele soltou, e ainda ouviu o dongsaeng taiwanês passar e gritar um “é verdade” e pelo visto saiu correndo pra não levar uns tapas.

Seonho suspirou.

– Desculpe hyung, é seu aniversário, eu devia estar fazendo alguma coisa pra você, não reclamando da chatice do Guanlin. – o Yoo se desculpou, fazendo o Hwang dar outra risada do pequeno.

– Não precisa fazer nada pra mim, Seonie. Depois de alguns anos você ainda não aprendeu isso? – Minhyun disse com a voz mais mansa que o comum (seus colegas de grupo achavam um ultraje que a única pessoa com quem o Hwang era fofo era Seonho, e na maior parte do tempo que não estava com ele ficava com cara de pedra).

– Preciso sim! Por tudo que você já fez por mim eu devia pelo menos te dar um presente decente. – Yoo disse frustrado enquanto ainda olhava para o papel em branco à sua frente.

Você é meu presente, Seonho. – disse Minhyun e revirou os olhos enquanto Minki passava por ele fazendo uma careta de nojo pelo rumo meloso da conversa.

O Yoo sentiu o rosto corar e gaguejou algumas palavras. Minhyun não conseguiu se conter em falar coisas assim porque simplesmente não se cansava da reação do mais novo.

– Você n-não precisa falar essas c-coisas... Aish Minhyun, o foco deveria ser você!

Depois de alguns minutos mais, eles decidiram desligar porque Seonho tinha a desculpa de que tinha que fazer “algo importante”.

Após anos, cada experiência com Hwang Minhyun ainda parecia ser como a primeira. Todos os toques, beijos e carícias, os “eu te amo” sussurrados e abafados pareciam ser os primeiros, tão excitante e emocionante como. Não tinha como se cansar dele, na visão do Yoo.

E é claro que sempre tinham uns intrometidos que ficavam cochichando por aí sobre a diferença de idade entre eles, mas Seonho já era maior de idade e inclusive Minhyun esperara bastante tempo por ele para que a relação fosse mais madura e saudável, afinal quando se conheceram Seonho tinha apenas quinze anos. E também, ninguém tinha nada com o que eles faziam ou deixavam de fazer, estavam apenas com inveja de que era ele quem tinha um hyung bonitão ao seu favor e eles não. 

Voltou a olhar para a folha de papel em branco. Ele queria escrever alguma coisa para o Hwang, mas não sabia como começar. Ele estava com aquela velha coisa “não consigo descrever meus sentimentos em palavras” na cabeça.

Mas sinceramente, parecia que era isso mesmo que ele estava sentindo. Se ele botasse no papel o que sentia no bruto, ia sair apenas algumas linhas, e enrolar nunca fora uma das coisas que o Yoo sabia fazer.

Mais frustrado ainda, ele apenas largou a caneta e discou um número.

– Alô? Sewoon hyung?

– Seonho? – o Jung perguntou levemente surpreso. – Precisa de alguma coisa?

– Sim hyung... Bem, hoje é aniversário do Minhyun e eu queria escrever alguma coisa pra ele, mas eu simplesmente não consigo...

Ouviu uma risada do hyung.

– Ok. Faz isso: Eu quero que você pense bastante sobre Minhyun hyung e fale o que passar pela sua cabeça. – Sewoon disse do outro lado da linha e Seonho franziu as sobrancelhas, mas apenas concordou.

– Minhyun... hum... – Seonho disse colocando o celular entre a orelha e o ombro enquanto se deitava na cama. – Quando eu o vi pela primeira vez eu juro que pensei que fosse um exibido por já ser debutado e coisa e tal e óbvio que eu o achei muito bonito também, e depois eu descobri essa pessoa carinhosa e bondosa, ele cuidou muito de mim durante o programa como se eu fosse seu irmão, me ouviu quando eu precisava e não me tratou como uma criança idiota como o resto das pessoas faziam... Ele não queria nada de mim, ele apenas cuidou, me amou e me ajudou quando eu achei que teria que suportar tudo sozinho. Quando o resultado foi anunciado e eu perdi, eu o abracei e ele chorou, foi engraçado já que quem deveria estar chorando era eu – o mais novo deu uma risadinha. – Achei que estaria tudo acabado e aí ele me procurou e depois me disse que não queria assim mas que seus sentimentos tinham evoluído, me falando o quanto se sentia errado... Ah, e ele esperou por mim, hyung. Esperou eu me sentir confortável pra falar que sentia o mesmo por ele, esperou minha maioridade e esperou eu estar pronto para... aish, você sabe. – ouviu uma risada abafada de Sewoon. – Ele é tudo pra mim. Se não fosse ele, o Guanlin e o resto dos meninos eu nem estaria aqui hoje, eu acho. Eu já teria desistido de tudo a muito tempo. Eu amo o cabelo dele, porque é muito cheiroso já que todo mês ele compra um xampu diferente, eu amo o seu sorriso e suas maçãs do rosto, amo quando ele me abraça como se fosse a última vez em sua vida e me trata com um carinho que eu não saberia retribuir nem em mil anos, quando me pede alguma coisa timidamente já que parece que tem vergonha de eu ter que fazer algo por ele, quando na verdade eu faria absolutamente tudo por ele. Ah, também tem aquele incenso que ele sempre deixa no quarto dele que eu ODEIO, sério aquilo me brocha muito mas eu não falo nada porque ele adora, sem falar nas vezes que eu chego no dormitório do NU'EST e me deparo com Minki e Jonghyun hyung se atracando no sofá mas eu já devia estar acostumado, aliás o Minhyun passa por isso às vezes quando chega aqui vem me procurar e é obrigado a ver Guanlin, Jinyoung e Jihoon hyung naquela relação esquisita deles, não gosto nem de pensar na real, mas coisas da vida não é mesmo? Ah e também tem quando ele me trata como se fosse minha mãe perguntando onde eu tô e me falando pra levar casaco e arrumar meu quarto, mas aí ele me dá uns beijos e eu me sinto no Bates Motel, que por sinal é uma série que eu odeio, perdi um tempão da minha vida vendo aquela merda mas pelo menos foi o Minhyun que viu comigo então rendeu uma boa sessão de amassos. Ele também às vezes é um puta chato e não me deixa fazer um monte de coisa tipo, porque eu não posso cagar de porta aberta, mesmo que eu faça isso quando ele não tá por perto ou comer kimbap com cobertura de sorvete? Cara sério eu não entendo porque mas tipo eu realmente não tenho muita coisa pra falar sobre o Minhyun sabe? Não sou muito bom com palavras e tal... Mas porque você pediu pra eu fazer isso? O que você vai fazer?

A voz de Sewoon se silenciou, e Seonho franziu a testa tirando o celular do ouvido e vendo se ainda estava chamando?

– Sewoon hyung? Você tá aí? – disse e ouviu uns bips no fundo. 

– Oi. Tô sim, eu estava só convertendo o áudio. – falou e Seonho assumiu uma expressão confusa.

– Que áudio, hyung? Tá usando droga? – disse e ouviu uma gargalhada.

– Você disse que não conseguia escrever, mas falar você consegue. Eu gravei e vou mandar o áudio pro Minhyun. - falou o Jung e o Yoo levou alguns segundos pra associar o que o outro tinha falado, e arregalou os olhos, se sentando na cama assustado.

NÃO! Hyung você não pode...!

– Já era Seonho. 

– SEWOON VOCÊ... Aí tô fodido. – concluiu largando o aparelho percebendo que o hyung havia desligado o celular e passando as mãos nos cabelos. Agora Minhyun ia saber que ele não gostava de seus incensos, e Seonho não ia saber mais quando o namorado estava de bom humor ou não! (pra alguma coisa aquela merda mal cheirosa tinha que servir).

Ele já tinha combinado antes que se encontraria com o namorado à noite, e estava um pouco nervoso. Nunca tinha falado tão abertamente pra Minhyun o que sentia e pensava sobre ele, parecia que ele tinha certo bloqueio de demonstrar seus sentimentos pra pessoa que estava sendo alvo deles (Guanlin que o diga, nunca sabia o que o dongsaeng estava querendo dizer e na maioria das vezes acabava se dando mal por interpretar errado).

Se arrumou simples com uma calça jeans e um moletom colorido, pensando o tempo todo qual teria sido a reação do Hwang ao ouvir o que o namorado tinha dito. 

Encontrou-o mais tarde em frente a um restaurante japonês que costumavam frequentar, o moreno estava distraído, olhando alguma coisa pra dentro do estabelecimento. Ele usava uma calça de lavagem clara rasgada nos joelhos que marcava suas coxas, uma camiseta simples preta e um casaco de couro preto, os cabelos negros pareciam ainda molhados pelo recente banho e estavam jogados pra trás, seus olhos vagavam pra lá e pra cá até ele avistar o mais novo, que nunca conseguia se acostumar com aquele olhar penetrante que o outro sempre lhe lançava. 

Se aproximou mais do outro, que antes que pudesse falar alguma coisa lhe deu um abraço apertado e aconchegante, mesmo que por poucos segundos Seonho já conseguia sentir seu corpo relaxando e ficando quente. Queria ficar ali pra sempre, envolvido nos braços do outro, quase suspirou quando o Hwang lhe largou. 

– É tão bom te abraçar, parece que continua tão pequeno quanto quando nos conhecemos. – disse Minhyun encostando uma das mãos à espinha do Yoo, o conduzindo para dentro do estabelecimento. 

Eles se sentaram, e Seonho parecia estar aéreo enquanto Minhyun fazia os pedidos.

– Então... – começou o Hwang, com um sorriso começando a brotar em seus lábios perfeitos. – Soube que você não gosta de incensos. 

"Porra"

– ...e que Bates Motel é uma ótima série pra dar uns beijos no crush. – concluiu com uma expressão sugestiva e Seonho pôs as duas mãos no rosto, fazendo o outro dar uma risada alta. 

– Eu vou matar o Sewoon! – disse ainda com o rosto abaixado, e Minhyun se aproximou dele, puxando delicadamente uma das mãos do namorado de seu rosto, fazendo assim com que o mesmo olhasse diretamente pra ele, enquanto acariciava sua mão com o polegar. 

– Eu devia agradecer a ele. – disse depositando um beijinho na mão do Yoo, que fez uma careta. – Seonie, você é a coisa mais preciosa do mundo, parece que a cada dia você só fica melhor. 

Seonho corou e abriu um meio sorrisinho, envergonhado e feliz ao mesmo tempo. 

– Estão nos olhando novamente. – falou Minhyun percebendo os olhares acusadores em volta deles com um meio sorriso. Seonho revirou os olhos e abriu um sorriso irônico. 

– Que olhem. – falou antes de puxar o namorado pelo colarinho e depositar um beijo estalado e rápido em seus lábios, fazendo alguns soltarem barulhos de desaprovação e alguns abrirem sorrisos e suspirarem como se vissem um filme de romance.

– Garoto ousado. – riu o Hwang, ainda segurando forte a mão de Seonho. Os dois apenas sorriam um para o outro que nem dois idiotas.

– Feliz aniversário, hyung. – disse após alguns segundos, e o outro apenas sorriu mais ainda. 

– Só feliz por causa de você. – respondeu e os dois riram juntos. 

Se soltaram e começaram a conversar sobre algum assunto aleatório e quando viram o pedido já tinha chegado. 

– Sabe – Seonho disse com seu hot filadélfia em mãos, olhando para o outro que olhava para os sashimis como se eles fossem fugir. – A gente é mó viadão, né. 

Minhyun riu, revirando os olhos.

– Você queria que a gente fosse o quê? Hetero? 

– Não, não assim. Isso é óbvio, Minhyun! Pare de duvidar da minha capacidade intelectual! – disse cruzando os braços e o Hwang levantou uma das sobrancelhas. – Cala boca. É só que a gente tem esses momentos soft e depois eu fico pensando... Que gay. 

– E você é o quê? – perguntou Minhyun atacando um dos pobres sashimis.

– Sei lá. Eu gosto de você. – disse Seonho abrindo um sorrisinho enquanto levantava uma das sobrancelhas em uma expressão sugestiva. 

Minhyun deixou sua comida de lado, segurando as duas mãos do namorado e obrigando o mesmo a soltar sua comida (com certa reclamação). 

– Gay Seonie... Muito gay.

– Ei!

– Só estou falando a verdade!


Notas Finais


hehehehe gayzoes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...