História Work - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags 3shot, Bolsa De Valores, Elevador, Fetiche, Sugamin, Yoonmin
Exibições 190
Palavras 4.007
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Lemon, Lírica, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OE
Olha quem voltou, e não, não foi Jesus.
É só eu mesmo u.u

Enfim, eu queria agradecer pelos favoritos e comentários e A AMANDA ESSE SER DE LUZ E TREVAS LINDO CHEIROSA MARAVILHOSA QUE ME DEU UMA CAPA NOVA PRA FIC
EU TE AMO VC AMANDINHA <3

Daqui uns dias eu posto o ulimo cap, porque como eu disse seria uma 3shot senão ia ficar un negócio enoooorme e eu não queria deixar ninguém cego de tanto ler :p

Enfim, Boa leitura.

Capítulo 2 - Work From Home


Fanfic / Fanfiction Work - Capítulo 2 - Work From Home

Seria eufemismo Yoongi dizer que não havia passado o resto da tarde lembrando do reflexo de Jimin no espelho do elevador. Seus lábios vermelhos entre abertos, soltando aqueles sons que mexiam com a sua imaginação. Com seu corpo. Quase deu um pulo de susto ao sentir o celular vibrar no bolso. Uma mensagem.

[Park Jimin] : Estou lhe esperando por você.

Yoongi deu um meio sorriso e respondendo a mensagem do ruivo.

[Min Yoongi] : Estarei ai em dez minutos.

Se pudesse ele estaria em menos de dois.

Jimin esperava impaciente na frente do restaurante onde minutos atrás estava após a reunião de negócios. Não fazia aquilo com frequência, mas precisava cobrir um amigo do trabalho por conta de um favor devido. Tudo ocorrera bem, Jimin sabia usar seu charme e inteligência ao seu favor, sempre conseguia o que queria então ali não seria diferente. Passou despercebido aos investidores o fato de que tudo o que se passava na mente do ruivo era um certo homem de cabelos loiros e pele quase translucida. Em sua pele macia e quente sob sua boca e o fato de que ainda podia sentir na sua língua o gosto do café amargo que encontrou no outro. Sua mente fervia com todo o tipo de perversidade que poderia fazer ao outro, se encontrando em dúvida se brincava com o loiro até o seu limite ou simplesmente se satisfaria logo sem seus costumeiros jogos. Intrigava o fato de não saber absolutamente nada sobre o outro, além de assuntos aleatórios sobre o trabalho e um cantor que tinham como gosto em comum. Se perguntava de que modo o loiro gostaria de ser tratado, se ele ficaria por cima ou por baixo de si, se ele gostaria que Jimin fosse tão duro com ele a ponto de machucar talvez um pouquinho. Jimin esperava que ele quisesse todas essas coisas e muito mais, que o tocasse e o tomasse de forma voraz, exatamente como ele era com seus investimentos e ao mesmo tempo que ele fosse manso e paciente, assim como era quando analisava os números nos letreiros da bolsa.

Uma Mercedes-Benz para em frente à Jimin, interrompendo seus pensamentos. A marca da Mercedes Cls 63 Amg era mesmo a cara de Min Yoongi, Jimin riu para si enquanto entrava no carro. Yoongi apenas lhe deu um sorriso enquanto já colocava o carro em movimento rapidamente.

- Vamos para onde? – Jimin pergunta ao loiro que abre ainda mais seu sorriso.

- Para a minha casa. – Yoongi lembra-se da sua caixa preta dentro da gaveta do armário e morde os lábios antes de terminar a frase. – Lá não seremos incomodados tão cedo. Você vai gostar.

Como que para provar o que dizia, o loiro escorrega sua mão pela coxa de Jimin e apera perigosamente perto da virilha do rapaz, que solta todo ar que estava em seus pulmões, e massageia a área até chegar no membro do mais novo que solta sua respiração em uma lufada novamente mas dessa vez de maneira pesada e mais sonora. Ele volta sua mão para o volante como se nada tivesse acontecido, sorrindo do barulho de frustação que Jimin solta.

Jimin olha para o mais velho como se não pudesse acreditar. Oh, então ele gostaria de jogar daquele jeito? Jimin simplesmente adorou a ideia do seu Hyung querer brincar daquela maneira, só deixava tudo mais interessante.

- Chegamos. – Yoongi diz com uma sensação de alivio. Mal esperava para poder entrar no seu apartamento e atacar aquele corpo ao seu lado com beijos e toques. Seus lábios formigavam só de lembrar da sensação da pele ardente e tenra do ruivinho em sua boca. O quão mais deliciosa poderia ser.

Ele estaciona o carro preto em uma das vagas e sai ao mesmo tempo do mesmo que Jimin. Andam a passos largos, os corpos muito próximos devido a tensão ressurgida dentro do carro, as mãos esbarrando vez ou outra e os sorrisos que brotavam em seus lábios sempre que isso acontecia. Enfim chegou o elevador. Yoongi cogitou pará-lo como fez em seu trabalho, apenas para investir seu corpo contra o de Jimin, mas ali ele não teria o respaldo do seu amigo NamJoon. Mesmo que pagasse o preço de uma cobertura caríssima, ele não gostaria de ter que conversar com o dono do condomínio. Então apenas se aproximou mais do outro, que mantinha os lábios presos com força entre os dentes e circulou sua cintura com seu braço e mão, apertando com de forma moderada a cintura do Park. Antes que o mesmo pudesse pronunciar algo, as portas do elevador se abriram e ele o levou porta afora, entrando dentro do próprio apartamento.

- Uau! Você em um elevador particular! O quão rico você é? – Jimin pergunta verdadeiramente abismado. Sabia através de boatos que o loiro era filho de um CEO importante, e que possuía muito dinheiro, mas pelo fato do mesmo trabalhar na bolsa de valores de Londres desde que se lembrava de vê-lo nas reuniões e corredores, achava que ele não poderia ter tanto dinheiro assim. Mas estava aparentemente enganado. – Por que você trabalha se é tão rico?

- Por que você come mesmo quando já está satisfeito? – Yoongi rebateu um tanto quanto rude, mas talvez isso não tivesse irritado o mais novo que deu um risinho se voltando para o enorme lustre da sala de estar. Ele realmente não gostava quando as pessoas o questionavam sobre seu dinheiro. Na verdade, sobre o dinheiro do seu pai. Fora por isso que ele resolveu trabalhar por conta própria, e como sempre fora uma criança perspicaz com os números e possuidor de uma percepção extraordinária para negócios e estratégias, por quê não na bolsa de valores londrina?

- Você gostaria de comer algo antes? – Yoongi pergunta para Jimin eu o olhava ansioso. Gostaria de poder não ter que perder tempo com mais nada, mas a fome lhe assolava o estômago com força. E transar com fome estava fora de cogitação.

“Você”, Jimin queria responder mas sua barriga resolveu fazer um barulho ridículo antes que pudesse responder algo. O fazendo morrer de vergonha.

- Parece que isso é um sim.  – Yoongi ri e vai até a cozinha, deixando um Jimin tímido para trás.

Comeram entre risos e flertes, flertes esses que eram cheios de segundas e terceiras intenções. Jimin admirava encantado o piano preto de calda que ficava no canto da sala. Yoongi retirou o paletó que usava, jogando de qualquer jeito no chão, os sapatos foram em seguida. Aproximou-se e o ruivo abraçou pela cintura, sentindo os arrepios na pele do outro enquanto beijava sua nuca exposta. Retirou, com uma lentidão que doía em Jimin, o paletó do mesmo. Nunca retirando os lábios da nuca do mais novo. Abriu botão por botão, sentindo as mãos do ruivo apertarem seu cabelo e nuca, ouvindo com prazer o burburinho que o mesmo soltou quando suas mãos massagearam os mamilos e tórax dele com leveza. Jimin se encontrava tão impaciente, tão necessitado por toques mais fortes que não se importou ao ouvir a risadinha destilada do outro quando ele se virou para o mesmo retirando a camisa e atacando a do mesmo. Só então reparando que falava um ou dois botões na mesma, o que o fez sorrir endiabrado ao lembrar que ele tinha sido o causador daquilo. A camisa de Yoongi fez o mesmo caminho que a de Jimin, com esse último indo de encontro a boca do mais pálido entre os dois, arrastando seus dentes sobre a boca pequena, mordiscando e lambendo entre o beijo. Suspirou quando os membros voltaram a se esbarrar mais uma vez naquele dia, e porque as mãos magras e brancas de Yoongi foram de encontro a sua bunda, apertando com força a carne dali. Do jeito que gostava. Tomando impulso, circulou as pernas ao redor da cintura do pálido rapaz, ondulando ao mesmo tempo em que sentia o mesmo se sentar no assento do piano. Não sabia mais o que fazia com as próprias mãos, elas pareciam ter vida própria sobre a pele de Min Yoongi. E este, só pensava no quão estupido foi ao protelar tanto esse encontro que já estava fadado.

Yoongi levanta-se, sustentando o corpo de Jimin em seu colo, andando a esmo até seu quarto. Ao entrar no cômodo, com cera dificuldade pois as luzes estava apagadas, com as bocas se desencontrando em curtos segundos apenas para puxadas afoitas de ar, ele o deita na cama com seu corpo sobre ele. Seus cotovelos o apoiam de modo que seu peso não esmague o do outro sob si. Jimin enlaça uma de suas pernas em seu Hyung, de maneira que os corpos ficam ainda mais próximos. Não se lembrava como e nem quando, mas as calças de ambos já se encontravam abertas, ele sentia ao roçar seu corpo no outro. Era uma sensação deliciosa. Mas que foi cortada abruptamente por Yoongi, que se separa do corpo do mais jovem com um sorriso de quem iria aprontar. Ele anda até o pequeno móvel de madeira ao lado da cama, acendendo o abajur para poder conseguir ver algo. Ele e abre a gaveta retirando de lá uma caixa preta média. Parecia de madeira e pesada.

- Vou te dar algo que você não vai esquecer. – o loiro diz rouco e Jimin apenas concorda com a cabeça. – Por isso, eu tenho algo novo e gostaria de usar com você. – pausa colocando a caixa em cima da cama entre abera. – Você deseja isso, Jimin?

- Sim, Hyung. – era a primeira vez que se referia ao outro usando o sufixo, esperava que o outro não se irritasse pela intimidade forçada. Sentou-se e retirou os sapatos que ainda estavam em seus pés, juntamente das meias. Suas calças iriam fazer o mesmo caminho quando o loiro o interrompeu.

- As calças ficam. Eu mesmo quero fazer isso. – E dito isso, Yoongi retira as próprias, revelando uma box de um azul tão escuro que contrastado com a pele branquíssima parecia preto. Ele se aproxima do mais novo que ainda estava de pé lhe devorando com os olhos e toca seus cabelos com um gesto delicado escorregando os dedos até sua boca onde pressiona o polegar e o retira. – Muito bem, baby. Agora quero que você faça algo para mim.

- O que você quiser, Hyung. – Jimin responde erguendo um dos cantos dos lábios, ansioso, o coração martelando no peito, a pressão entre suas pernas cada vez maior.

- Primeiro eu irei retirar a sua bela calça. – Yoongi disse encaixando os dedos no suporte para cinto do outro e puxa a peça para baixo lentamente, até leva-la ao chão onde é deixada. – Depois, eu irei beijar seu corpo inteiro. – ele refaz o caminho de volta beijando cada parte exposta da pele de Jimin até o ponto onde seus olhos encontram a box preta que o ruivo usava. – E então eu lhe darei prazer.

Jimin achava que não poderia ter ouvido algo mais sexy do mais velho. Se apenas seus lábios em suas coxas grossas, devido aos exercícios físicos que gostava de fazer aos fins de semana, já o tinha deixado doido, a ponto de quase arrancar Yoongi de suas pernas, joga-lo na cama o foder com força, aquelas meras palavras somadas ao imaginário do ruivo já o faziam se sentir na beira do penhasco das sensações. Fechou os olhos e levou suas mãos até as mexas loiras do Min que deslizando a peça de uma maneira insuportavelmente lenta sua box, apalpando sua bunda com vontade quando suas mãos voltaram para cima, refazendo todo o caminho.

- Você tem belas pernas, Jimin. – Jimin podia sentir as palavras roucas do seu Hyung em sua pele quente, o calor que elas levavam até seu membro que agora pendia livre entre suas pernas tremulas pela expectativa. – E uma bunda deliciosa. Já te disseram isso?

- Sim. – ele murmura tão baixo que Yoongi quase não o escuta.

E isso só atiça seu lado mais cruel para prolongar a tortura que estava sendo não só para o outro, mas para si também. Ele adorava a forma como Jimin estava tão entregue a si ao mesmo tempo que mostrava que poderia ter o controle de tudo em suas mãos se assim o decidisse. Era delirante a forma como ele completava cada ação sua com um gemido sôfrego, como suas feições assemelhavam-se a personificação de um anjo em puro sofrimento, ao passo que ele também parecia também um pouco um ser diabólico com seus sorrisos sacanas e seus olhares luxuriosos.

- Oh, é mesmo? – Yoongi profere muito perto do falo do outro, levando uma nova onda de arrepio pelo corpo atlético de Jimin. O mais velho desfere um tapa na nádega direita de Jimin, que arqueia o corpo, fazendo com que seu pênis encoste de leve na bochecha do Min, arrancando outro sibilo de inquietação. – Mas me diga, Jimin, como você quer que eu lhe dê prazer? Assim?

O Loiro leva sua mão livre até o falo do mais novo movimentando-a em um vai e vem lento e delirante, apertando a cabeça do pênis de Jimin vez ou outra apenas para atiça-lo enquanto a outra continua massageando o vergão onde antes sua mão esteve no glóbulo direito. Impulsionado pelo silencio sôfrego do outro, Yoongi cessa qualquer movimento no falo do ruivo.

- Ou você prefere assim? – Pergunta novamente mas dessa vez levando o falo até a boca.

Yoongi lambeu lentamente desde a base até muito próximo dos testículos do Park, que apertava agora os cabelos loiros como se aquilo fosse sua tábua de salvação. Fez isso por incontáveis vezes, sempre voltando para a cabeça do pênis de Jimin, onde colocava em sua boca e sugava um pouco, mas nunca o suficiente para satisfação completa do mais novo que não pode deixar de escapar um murmúrio de Por Favor, Hyung quando o maior chupou de leve seus testículos sensíveis.

- Chega de brincadeiras. – Jimin dita ao puxar Yoongi pelos ombros e o jogar na cama com certa brutalidade que o loiro achou divertido, o modo autoritário do rapaz. O ruivo sentia que enlouqueceria se o mais velho continuasse brincando daquele jeito com as sensações de seu corpo por mais tempo, então decidiu que já mais do que hora de tomar as rédeas da situação para si. – Minha vez, Hyung.

Yoongi sorriu com o tom atrevido que o mais novo usou enquanto se arrumava melhor na cama para observar o mais novo andando em sua direção com passos felinos. Yoongi sentia que era a caça e amou isso. Jimin observava o peito do mais velho subir e descer de maneira ritmada, o suor colando seu cabelo claro na testa, escorrendo um pouco pelo pescoço. Sentia o próprio suor fazendo um caminho parecido.

Ele então retirou com certa brutalidade e impaciência a calça de Yoongi, acabando por levar a box do mesmo, junto no ato. Yoongi riu abertamente quando isso aconteceu, mas ao invés de irritar Jimin, isso só o fez criar ainda mais atrevimento, pois no minuto seguinte ele já estava sentado sobre o corpo pálido do loiro, de modo que suas ereções se tocaram deliciosamente, causando uma sensação que os fazia querer sentir mais e mais. Jimin levou suas mãos até o membro do loiro, tocando em movimentos lentos, apertados, enquanto se inclinava até o ouvido do mesmo.

- Está gostando assim, Hyung? Ou quer que eu vá mais rápido? Ou prefere que eu o coloque em minha boca? – perguntou enquanto mordiscava o lóbulo de Yoongi que mal conseguia respirar pela provocação do ruivo. Ele então leva uma de suas mãos até o maxilar do garoto, aperando o local e o levando a olha-lo nos olhos.

- Eu quero foder a sua linda boca, Jimin. E depois eu quero foder essa bunda gostosa com força. É isso o que quero. – Yoongi então toma os lábios do menor com volúpia, grunhindo entre o beijo quando Jimin juntou seu próprio melecado membro com o dele, os masturbando ao mesmo tempo de maneira lenta e tortuosa.

Jimin queria o fim daquelas preliminares tanto quanto Yoongi, então não reclamou quando o maior o segurou pela cintura e o virou na cama, invertendo as posições. Nem mesmo quando ele o virou de costas pra si e lhe deu um tapa forte na bunda, arrancando um arquejo seu. Yoongi olhou para a caixinha até então esquecida pelos dois e colocou sua mão lá dentro, tirando um pequeno chicote preto que brilhava na pouca luz do quarto, colocando ao seu lado, usaria em outra ocasião. Logo depois tirou uma venda negra, um tubo de lubrificante e uma camisinha, abrindo-a e colocando com rapidez em seu membro já coberto pelo pré-gozo.

- Sabe, Jimin, eu adoro esse seu jeito safado que eu nem sabia que existia. - Yoongi diz entre suspiros enquanto se masturbava para espalhar o gel sobre o membro teso. - Sempre achei você muito tímido e quieto nas reuniões. Que bom que eu estava errado.

Jimin o olhava pelos ombros com a mesma expressão lasciva, sorrindo levado, ansioso pelo próximo ato do branquinho. Yoongi pega a venda que estava até então esquecida ao seu lado e coloca com precisão no ruivo, tapando a visão que menor tinha. Jimin queria tanto ser fodido pelo Min, aliviar-se de qualquer maneira que fosse, mas também queria sua vez no corpo do outro. Jimin arqueou as costas mais uma vez naquela noite, ao sentir os dedos melados do Min entrar em contato com a pele sensível de seu ânus, os dedos gelados movimentando-se em pequenos círculos enquanto forçavam-se cada vez mais contra ele, até que estivessem dois de uma vez dentro de si. Jimin não soube o que ele mesmo havia murmurado contra os lençóis, os dedos de Yoongi o haviam tocado de primeira em seu ponto. Yoongi sorriu sacana ao sentir os músculos do interior de Jimin apertando ao redor de seus dedos, seu sorriso cresceu ainda mais quando ouviu o que acho ser palavrões sendo proferidos com sofreguidão contra a cama.

Já estava prestes a tirar seus dedos do mais novo, por achar que já o tinha preparado o suficiente, quando o mesmo curvou-se para trás, apalpando sua mão e a tirando com força do contato de sua pele.

- Anda logo com isso, Hyung! – Jimin diz impaciente logo depois sorrindo de um jeito que Yoongi só podia classificar como sexy. – Não temos o dia todo, e eu ainda quero provar você.

Rindo do que o mais novo havia dito, Yoongi desfere novamente um tapa na bunda de Jimin que solta um murmúrio fraco enquanto volta para a sua posição.

- Tudo bem, apressadinho. – Yoongi sussurra no ouvido do ruivo.

Sem esperar que o outro lhe respondesse algo, o loiro o segura pela cintura novamente e coloca rapidamente um travesseiro debaixo da barriga do mesmo, de modo que a bunda de Jimin ficasse ainda mais empinada pra si. Um arrepio de antecipação passou pelo corpo do ruivo, que lembrou-se de uma conversa que ouvira sem querer entre duas estagiárias, sobre o modo como uma delas havia sido fodida por Min Yoongi. Desde então ele se pegava fantasiando como seria uma foda com o investidor loiro, o que o levou a se tocar muitas vezes após intermináveis reuniões onde via o mais velho apresentar seus relatórios bimestrais de maneira imponente e extremamente sexy, mesmo que o próprio loiro nem se desse conta que o menor dos seus atos atraiam olhares famintos do ruivo para si.

Bateu mais uma vez na bunda do ruivo e penetrou-lhe de uma vez, com força. Qualquer coisa que Jimin estivesse pensando lhe escapou da mente, a sensação do tapa seguido da investida do mais velho lhe tirou todo o folego dos pulmões, a venda apenas fazia com que a sensação fosse mil vezes mais intensa. Yoongi segurava a cintura de Jimin com força, queria marca-lo mesmo, para que no dia seguinte o ruivo se lembrasse de seus toques. Yoongi arremetia contra o outro com rapidez, usando toda a força que podia contra a pele quente do menor que murmurava e gemia palavras desconexas, assim como ele próprio.

Pela luz amarelada do abajur, Yoongi tinha uma linda visão das costas de Jimin arqueadas, os músculos brilhando pelo suor que lhe escorria contra a pele, as marcas em seu ombro e pescoço avivando aos poucos. O menor apertava seu membro dentro de si com tanta força que Yoongi sentia que não poderia aguentar por muito tempo, estava hipersensível. Soltava vez ou outra palavras sujas no ouvido do outro, que murmurava de volta gemidos e risos curtos. Ele apreciava como o tom sensual da voz do ruivo, que conseguia alcançar algumas notas tão altas quando Yoongi acertava sua próstata vezes seguidas.  Jimin apertava o lençol com força cada vez mais, os nós de seus dedos já formigando pelo excesso de força. Sua mente estava nublada, as sensações em seu corpo eram maravilhosas e só de pensar que a noite ainda estava longe do fim sua pele se arrepiava de desejo. O ar quente entrava nos pulmões de Yoongi, que soltava em baforadas nas costas do mais novo, sempre que ia de encontro a sua pele. Jimin amava a sensação, era maravilhosa.

As investidas sobre o mais novo estavam cada vez mais difíceis, pois Jimin o apertava cada vez mais, o loiro sentia o comichão familiar se espalhar pelo seu corpo, mordia os lábios já sabendo que os tremores que seu corpo começava a sentir não duraram muito, pois seu orgasmo logo chegaria. Jimin não precisara ouvir a voz rouca de seu Hyung falhar atrás de si, para saber que ele havia alcançado o êxtase, pois ele sentira o seu interior se preenchendo com um calor a mais. Como se isso fosse o que bastante para que a sua própria satisfação viesse, Jimin se desfez no travesseiro do outro, sentindo todas as terminações de seu corpo tremerem para depois relaxarem.

Yoongi saiu do outro ainda tonto pela nuvem de prazer que lhe cobria a mente, tirando o preservativo de seu falo e o jogando de qualquer jeito no chão do quarto. Estrelas explodiam ainda por de trás de suas pálpebras quando Jimin tirou a venda que cobria seus olhos no momento que sentiu o mais velho sair de si. Ficando de joelhos e virando-se para o mais velho, que lhe observava respirando ainda descompassado, Jimin sorriu para ele. Como resposta, um sorriso brotou nos lábios inchados e vermelhos do loiro, as pupilas ainda dilatas, Yoongi nunca estivera tão lindo aos olhos do ruivo. Jimin ficou a sua frente, pousando suas mãos no tórax agora avermelhado de Yoongi, onde ele também podia ver as pequenas marcas que seus dentes haviam feito na pele de mármore do mais velho.

- Parece que eu fui rápido demais. – Yoongi diz corando, passando as mãos sobre o cabelo bagunçado para depois pousar sobre o quadril do outro. – Eu não podia me conter muito. Me desculpe, Baby.

- Eu acho que você poderia fazer algo a mais a respeito disso, Hyung. – Jimin respondeu descompassado ao passo que Yoongi deslizava suas mãos pelo seu corpo até uma das mãos pousarem em seu membro e a outra em sua coxa.  

Yoongi volta sua atenção para o pescoço do ruivo, lambendo lentamente as marcas arroxeadas na pele salgada de Jimin, subindo lentamente até sua orelha direita.

- Eu acho que devo te compensar de algum modo. – ele sussurra no ouvido do ruivo que estremece, jamais interrompendo os movimentos ritmados no falo pulsante. – Pena que não temos mais tanto tempo assim para brincar.

Só então Jimin olha para o relógio digital preso na parede em sua frente, já passava das quatro da madrugada. Há quanto tempo eles haviam ficado em meio a preliminares e seu jogo?

Yoongi empurra o corpo de Jimin delicadamente com a mão livre até que ele estivesse esparramado à sua frente na cama. Gostaria de poder fotografar a bagunça que Jimin se encontrava. Suas mãos iam cada vez mais rápidas de  

- Mas sabe, não é como se não pudéssemos continuar isso amanhã. Não é mesmo, Hyung?

 


Notas Finais


E é isso ai.
Pra quem acompanha Tomorrow: Eu to revisando tudo e o que eu mudar eu vou avisar no próprio capitulo. O capitulo novo está saindo e ainda esse mês atualizo NÃO SE PREOCUPEM aushauhu
Beijos de Luz e até o próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...