História Work! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bts, Comedia, Drama, Exo, Jikook, Namjin, Yoonseok
Exibições 133
Palavras 1.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que vocês gostem, obrigada pelos vinte e oito favoritos!

Capítulo 2 - O alfa que eu não quero!


Fanfic / Fanfiction Work! - Capítulo 2 - O alfa que eu não quero!

Atualmente estou mais encalhado do que baleia em praia, se é que isso é possível. Mas não é que eu não tenha quem me queira... Tá eu menti, na verdade essa é uma das fontes do meu problema, e eu não querer um alfa agora é a principal das razões. Quero ser independente, não quero depender de um alfa para me cuidar. Além de não curto muito usar flores na minha cabeça. Coisa que os alfas aparentemente gostam muito. Ou que gostavam, já nem sei mais.

Voltando á realidade, eu estou vendo meu irmão, Yoongi, comer gelatina de modo afobado, num quesito que ele consegue ganhar um prêmio de quão nojento tá sendo ver isso ao vivo. Acho que até mesmo não sendo ao vivo já dá um nojinho. Ele para de devorar a gelatina e olha na minha cara com uma expressão de “Para de me encarar imbecil”.

- Seguinte, quando cê vai arranjar um alfa? – Me pergunta e eu bufo.

- A mãe não vai te deixar quieto não cara, se tu não deres jeito logo ela vai fazer pra ti um encontro arranjado.  – Diz com uma colher na mão apontando pra mim.

- Lembra-se de quando ela quase me casou á força? – Diz por uma última vez.

Eu bufo novamente e viro os olhos, meu irmão estava safo desse pesadelo de padrões que minha mãe impõe na gente. Ele é quase duas caras, na frente da mãe ele é dócil, meigo, educado, fofinho, mas já na minha frente é sarcástico, irônico, fala palavrão pra caralho. Resumindo, na frente da mãe ele é um unicórnio rosa e fofo e na minha frente é um ogro. Não que eu desgoste, só queria ter essa mesma paciência pra fazer o mesmo. Ele também ganha desconto extra por estar grávido.

Que cu.

- Quantos meses mesmo? – Pergunto.

- Cinco, e não desvia o assunto. – Ele diz com uma cara de bunda.

- Tá hyung, mas ela que não banque a louca, ela sabe muito bem que eu quero ser independente e isso não é escolha dela. – Digo o encarando.

- Meu querido, ela é a nossa mãe, ela não banca, ela é. Além do mais, você sabe que a nossa mãe é tradicional demais. Pelo menos arranje um alfa de mentira. – Diz devorando a gelatina mais ainda.

- Sei não hein, se eu aparecer aqui em casa com um alfa que me namore de mentira ela vai querer nos casar, a gente vai ter que dar explicações e depois eu ainda vou levar mais patadas dela. – Digo entediado.

- Tá certo, mas tenta ficar com um alfa, não quero ver você levando mais e mais patadas dela. Além de que ela me enche o saco dizendo “Ah meu filho querido, meu ursinho, ensine á seu irmão a usar a cabeça!”. – Diz a imitando.

- Não prometo nada, vou focar mais nos estudos do que nos alfas. – Eu digo me levantando.

- Vai aonde? – Ele me pergunta.

- Me enforcar com papel higiênico. – Eu digo sorrindo.

- Boa sorte. – Diz risonho com gelatina na boca.

Vou até meu quarto no segundo andar e começo a mexer no notebook, fazia um tempinho já que não mexia nele. Mudei-me da casa do campo pra cá, Seul, admito que no campo fosse muito melhor por ter pouca gente menos barulho e ter um campo enorme verde. A única coisa ruim de viver lá e que ainda tinha aquele alfa ridículo. Sento-me e encaro a parede do quarto, até que recebo uma mensagem no facebook.

Tae:

Amanhã tem colégio odeio segunda

Jeon:

Não deve ser tão ruim Tae, quero dizer, na verdade, deve ser sim.

Tae:

Os alfas são sempre os mesmos, não muda nunca e os professores são detestáveis.

Jeon:

 Vai que tenha um novo alfa esse ano.

Tae:

 Se tiver um já é sorte grande. Não vejo a hora de arranjar um alfa novo pra mim, esses são do colégio são tão sem graça, a maioria só quer saber das ômegazinhas frufruzinhas, bonitinhas, barbiezinhas.

Jeon:

O que tu esperavas? Infelizmente existe um padrão do qual é uma merda.

 Tae:

Mas eu quero tanto um alfa, não quero passar minha vida sozinho como você.  EU QUERO NETINHOS E FILHINHOS.

 Jeon:

Tá certo, mas não fique preso á um idiota.

Tae:

Não vou, prometo, se eu ficar, você me dá um tapa. Alias como deve ser um alfa no cio?  

Jeon:

 Soube que alfa no cio é assustador, ou não, sei lá, não faço ideia.

Tae:

Assustador? Nah!

Jeon:

Quando meu irmão ainda morava aqui e já namorava o Hoseok e não quis ir pra ele no cio por pura preguiça, o Hoseok veio e fez o maior estrondo lá no quarto. Resumo da história quebrou a cama.

Tae:

Caralho

Jeon:

Pior de tudo é que eu tive que dormir no quarto do lado, eu escutava os berros dele “OH HOSEOK” “HOSEOOOOOOOOOOOOOOOOOOK”, “AH, AH AHHH, MAIS RÁPIDO HOSEOK”

 

Tae:

Acordou toda a casa então, até imagino teus pais cabreiros com todos esses gemidos em formas de berro.

 Jeon:

Exato, foi horrível de dormir, meus pais nem estavam em casa por sorte deles.

Tae:

Tá doido, mas ainda assim eu quero um alfa.

Solto um riso com essa última mensagem do Tae e saio do facebook e fecho o notebook, já era tarde e eu infelizmente teria que dormir mais cedo. Tomei um banho não muito demorado e fiquei só de boxer e calça pelo quarto. Ajeitei o note na escrivaninha e vi uma roupa pra que amanhã caso acordasse tarde não me atrasasse, porque o que eu mais faço da minha vida é me atrasar. Até que ouço alguém bater na minha porta e acabo por soltar um resmungo.

- YOONGI? SEOKJIN? HOSEOK? – Eu pergunto alto sem abrir a porta.

- Sou eu amor! – Ouço uma voz feminina me responder.

Omma.

Direciono-me até a porta e abro, dando-me de cara com ela sorridente. Sobe-me um arrepio até a espinha ao o ver sorrindo feito uma psicopata prestes á me matar. Estranho ela sorrir, principalmente pra mim. O que deve ter acontecido pra que ela me olhe assim? Oh meu Deus, será que a galinha preta da qual eu fiz sacrifício funcionou? Ironia á parte.

- Venha jantar meu filho querido, temos uma reunião de família. – Diz tocando feliz no meu rosto.

A única coisa que consigo pensar é “Vai dar merda”

Ela vai à frente e eu vou vestir uma blusa, desço ás escadas e vou para sala de jantar, assim que vejo todos sentados na mesa eu engulho seco. A única coisa que conseguia pensar é que, finalmente chegou o tão inesperado dia que minha mãe iria enlouquecer de vez. Já posso imaginar o que é. Minha mãe fez o mesmo com o Yoongi, mas quando ele viu ele saiu correndo de casa. Literalmente, na mesma hora que ele viu ele saiu correndo.

Isso não pode ser boa coisa.

Bem, a última coisa que espero é que ela me drogue e me engravide de um alfa aleatório durante o cio dele. Que horror.

- Meu filho querido, sente-se. – Ela diz apontando para cadeira na ponta da mesa.

Sentei-me na cadeira, quero dizer, na mesa com certeza que não foi, e paro para observar a cara de Jin, Hoseok, Yoongi. Eles se entreolharam depois olharam para mim de volta como um sinal de “vai dar merda”.

Será que minha mãe me engravidaria de um alfa aleatório no cio dele? Espero que isso não seja uma opção.

A comida já estava servida, então todos começaram comer, e eu nervoso comecei também. Mas com o maior cuidado, talvez tivesse alguma pílula pra dormir ali e me por num casamento arranjando assim que acordasse. Ou assim que acordasse sentiria um alfa aleatório me marcando. Ou talvez tivesse alguma droga que me fizesse ser o contrário do que eu sou agora. Com minha omma, tudo é possível. Só não seria possível eu não ter um alfa, somente isso. 

Passou minutos torturantes de silêncio, até agora nenhum sinal de drogas na comida nem pílulas no refrigerante. Então pensei na possibilidade dela estar me aceitando, dela estar largando ser tão tradicional. Até eu ouvir um “HUHHUUUUUUUMMMM”

- Não aguento mais esse silêncio, fala logo omma. – Yoongi disse e ela o encarou.

- Jungkookie amor, eu e seu Appa temos pensado muito. – Ela diz com cuidado.

- E resolvemos tomar uma decisão. – Meu appa diz seco.

- Nós vamos te casar com um alfa filho de uma amiga minha. – Ela diz com um sorriso grande no rosto.

Paralisei e a única coisa que consegui ouvir foi à risada alta do Yoongi. Até que tomei minha consciência de volta e reagi.

- Não. – Eu disse em alto bom som.

- Vocês não são nem loucos! – Digo.

- Meu filho você já está na idade... – Ela diz, mas eu dou um murro na mesa.

- Nem pensar! Omma por um momento não achei que você fosse mesmo bancar uma de louca desesperada pra casar um filho, mas vou te dizer uma coisa. Enquanto eu ainda viver no mesmo teto que você e não me deixares em paz no quesito alfa... – Digo fazendo uma pausa dramática

- É guerra. – Complemento. 


Notas Finais


É GUERRA PORRA! Desculpe. Vou ficar quieta. Espero que tenham gostado, me perdoem caso tenha algum erro de português, se quiserem dar sugestões também MEUS PORTÕES ESTÃO ABERTOS! Não maliciem, pelo amor.

O meu twitter é @Asaiyko_ e eu tenho uma page de desenhos, caso vocês queiram dar uma olhada: https://www.facebook.com/Minnie0106/

Segunda eu posto o próximo, ATÉÉE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...