História World Of The Dead - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Holland Roden, Norman Reedus, The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Daryl Dixon, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Personagens Originais, Rick Grimes
Tags Daryl Dixon, Fuckzbiebzumbie, Holland Roden, Norman Reedus, The Walking Dead
Exibições 247
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heeeeey amores, um pequeno/ grande aviso,gostaria de avisar que HOJE voltarei a atualizar todas as minhas fanfics (World Of The Dead e Life Among The Dead), postando nos mesmos dias do que antes em cada fanfic, em LATD estarei postando um capitulo a mais essa semana por não ter pastado semana passada como fiz com WOTD;
P.S.: A fanfic WOTD está agora disponível no wattpad link nas notas finais.

Muito obrigada aos comentarios anteriores e aos favoritos, como sempre podem comentar o tanto que quiserem que sempre estarei respondendo,agora sem delongas. Boa Leitura

P.s.s.: VOCÊS VIRAM O STYLES DA FANFIC? NÃO? O LINK ESTARÁ NAS NOTAS FINAIS.

Capítulo 22 - Together


Após conversa com Deanna, saí de sua casa um pouco mais aliviada, talvez pelo fato de poder contar tudo que aconteceu esses tempos com alguém, mesmo sabendo que não é de confiança.

Caminhei de volta para onde ficava as casas, tomando cuidado para não me perde naquele enorme lugar que tudo se parecia o mesmo. Ao me aproximar vejo Rick e Daryl entre as duas casas as observando, então fui até eles.

— O que houve? – olhei para os mesmos.

— Nos deram duas casas. – Rick disse.

— Tiraram nossas armas, eles querem nos separar – Daryl fala sério.

— E o que vamos fazer? – digo sabendo que era a verdade sobre nos separar.

— Essa noite passará todos juntos! – Rick disse e logo saiu deixando eu e Daryl.

— Como foi à conversa com Deanna? – faz careta ao dizer o nome dela.

— Você é tão babaca. – o empurrei com o ombro. – Foi normal e com você?

— Ela quer saber demais.

— E você sempre conta de menos. Então cala a boca.

 

Ao anoitecer todos nos ajuntamos na sala da maior das duas casas, trouxemos colchões da outra casa para cá assim dando um jeito de todos ficarem confortáveis. Estava sentada na janela e Daryl ao meu lado.

— Qual a possibilidade de ficarmos aqui? – o pergunto.

— Seria um bom lugar para Rick relaxar, Judith crescer e o Carl poder ter um pouco da sua adolescência, então é uma grande possibilidade ruivinha.

— Eu tenho medo. – sussurro.

— Do que?

— De quando estivermos nos acostumando tudo mudar.

— Nunca devemos a nos acostumar com essas coisas, ainda mais agora.

Vi Deanna na porta conversando com Rick, Dixon logo seguiu os meus olhares, ela dizia que ficou surpresa de ver todos juntos e que mesmo que sejamos pessoas totalmente diferentes ainda assim erámos uma grande família.

— Vim avisar que pensarei em um emprego para você Rick e para Chloe e Daryl também. – depois falou mais algumas coisas e foi embora.

O cansaço foi chegando, como sempre me deitei sob o Daryl com ele me abraçando, mexia em seu cabelo até adormecer com ele por fim me dando um beijo em minha testa. Quando amanheceu levantamos todos juntos como de costume e fomos explorar todo o lugar, já que Deanna havia deixado, ficando apenas o Daryl.

Andei pelo o lugar, tentando decorar o máximo que conseguisse, havia um pequeno lago por ali, andei até ele e me sentei na grama, fiquei olhando para o céu por um tempo, depois via algumas crianças correndo pelo lugar. Carl se daria bem aqui, ele realmente poderia ter sua adolescência ali, já que não teve sua infância.

Voltando para a casa encontro Daryl sentado na varanda limpando sua besta, subi os pequenos degraus e me sentei do seu lado.

— O que esta achando daqui Dixon?

— Não confio nessas pessoas, mas se Rick quiser ficar, assim faremos, principalmente se aqui você pode ficar segura.

— Daryl...

— Não Chloe, você sabe que agora está mais perigoso lá fora, ainda mais agora que tem mais grupos por ai. – olhava para sua besta a limpando.

— Não quero discutir ok? – viro seu rosto para mim. - Eu te amo, se é assim que quer, assim será. – o beijo. – Vou ver como o Carl está.

Levanto-me o deixando e indo atrás do Carl, que havia chegado às presas da casa de Ron, filho de uma mulher que veio falar com Rick. O encontrei no quarto esparramado na cama. Sentei-me na ponta da cama e fiquei o encarando.

— Vai dizer o que aconteceu ou terei que força-lo?

— Eles são fracos! – levantou-se sentando na cama. – E eu não quero que a gente fique igual a eles. – falou baixo por fim.

— Não vamos ficar! Passamos-nos por coisas que eles não passaram, sabemos como sobreviver e não iremos perde isso.

— Como pode ter certeza disso?

— Por que temos o seu pai.

Nessa noite, separaríamos em grupos para dormimos nas casas, em uma ficaríamos eu, Daryl, Rick, Michonne, Carl, Judith e Carol, os outros ficariam nas outras casas, Maggie e Glenn dividiriam uma casa com uma garota que aparentava ter a mesma idade que o Carl.

Estava deitada na cama de casal junto ao Dixon, o lençol cobria nossos corpos nus. Estava tendo a visão da lua pela janela, fiquei a observando que mesmo de longe sua luz batia em meu rosto. Não conseguia dormir, estava tudo tão estranho.

— Ainda acordada? – escuto sua voz rouca, me viro ficando de frente para ele.

— Não é estranho termos nosso próprio quarto?

— Aonde quer chegar Chloe?

— É estranho estarmos em casas separadas, cada um em seu quarto e deitados em camas confortáveis.

— Quer dizer que queria um ménage?

— O que? – falei alto. – Você esta zuando comigo né?

— Eu entendi Chloe, agora temos essa opção de ter duas casas, mas não quer dizer que vamos ficar separados, Rick nunca deixaria isso, então relaxe e durma.

Aconcheguei-me em seus braços e fechei meus olhos tentando pegar no sono o que não demorou muito a acontecer.

Quando acordei, Daryl ainda dormia me levantei caminhei até o banheiro já nua e entrei no box, lavei meus cabelos e o meu corpo tirando o suor da noite. Coloquei uma calça jeans, uma regata e as minhas botas. Sai do quarto silenciosamente para não acorda-lo.

Sai de casa sem que ninguém me vise, hoje eu não conheceria apenas o lazer do local, mas sim um ponto bom para vigiar tudo por ali. Andei por todo o local, subindo em árvores ou até mesmo onde já se tinha um ponto de vigia, conhecia algumas pessoas a cada metro que dava, alguns vinha falar comigo e outros já me olhava torto, como se me importasse.

 Quando já tinha andado por uma boa parte do lugar, comecei a sentir fome, assim voltei para casa. E como da outra vez, Daryl estava na varanda com sua inseparável besta.

— Ainda não tomou banho? – percebo que o mesmo continuava com a mesma roupa que chegamos.

— Eu nem tomarei.

— Sério Daryl? – o olhei abismada.

— Sim.

— Enquanto estiver dormindo, te darei um banho de mangueira.

— Você esta ridícula assim. – ao escutar isso, pulei em cima do mesmo e comecei o estapear.

— Isso se chama higiene e se você não tomar banho vai ficar sem sexo. – digo.

Começamos a escutar uma gritaria vinda do portão, no mesmo tempo sai correndo ao ver que se tratava do Glenn, Aiden o empurrava, assim começaram uma briga, sem eu perceber Daryl vai para cima de Aiden ajudando o Glenn, corro ate o mesmo que estava no chão.

— Você esta bem? – o olho assustada.

— Sim.

Rick aparece separando Daryl e Aiden, Deanna chegou em seguida dizendo que agora éramos da comunidade que deveriam nos respeitar como os outros. Daryl saiu andando bravo, logo fui atrás dele para saber por que diabos ele foi para cima do Aiden.

— Por que você bateu nele?

— Agora não Chloe. – continuou andando.

— Agora sim Daryl, você não pode simplesmente bater nos outros, a briga não era sua!

— Chloe vai se ferrar e me deixa porra.

No mesmo momento parei de persegui-lo, simplesmente não havia acreditado que aquele cretino tinha me mandado me ferrar por eu me preocupar com ele, grande filho da puta.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...