História World Of The Dead - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Holland Roden, Norman Reedus, The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Daryl Dixon, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Personagens Originais, Rick Grimes
Tags Daryl Dixon, Fuckzbiebzumbie, Holland Roden, Norman Reedus, The Walking Dead
Exibições 506
Palavras 1.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, Hey amores, mil desculpas pela demora, meu celular tinha quebrado e todas as minha anotações estava/ esta nele. Queria agradecer a todos os comentários do capitulo anterior, eu amo quando vocês comentam. E queria dar minhas boas vindas aos novos/ novas leitores/leitoras, esperam que gostem da história. É isso, boa leitura meus amores e até as notas finais.

Capítulo 7 - Reencounter


Andávamos pelo o trilho do trem, depois de conseguir fugir da casa, estava cansada, matamos tantos zumbis e ainda deixamos tantos para trás. Eu mal sentia meu corpo, Daryl andava como eu, cansado e exausto.

— Obrigado por não ter me deixado.

— Que? – olho para ele sem entender

— Obrigador por não me deixar lá sozinho.

— Não, não, essa parte eu entendi, menos do obrigado, Daryl Dixon, depois de dias me lança o primeiro obrigado- olhei para rindo- vai ficar para história.

— Não abusa ruivinha.

— Daryl... - fui interrompida pelo o mesmo

— Shiii, esta escutando?

— Não, não sei- parei por um minuto tentando escutar algo.

— São vozes, vamos.

Começamos a correr o mais rápido possível, segurava meu facão em minha cintura para que não caísse e para precaução caso não fosse um de nós,  e meu rosto já abria um sorriso enorme só de imaginar em ver o Glenn, Rick, o pequeno Carl, mas ela desapareceu assim que encontramos um grupo de homens.

— Ora, ora, olha o que temos aqui. – falou um homem gordo com cabelos brancos.

— Achamos que eram pessoas do nosso grupo, desculpe – disse já puxando o Daryl para sairmos dali.

— Se quiserem pode ficar com a gente. – o mesmo falou, olhei para o Daryl e sabia que ele estava pensando nessa possibilidade.

— Daryl, não – disse de frente para ele – eles não são boas pessoas.

— Temos que tentar, em grupo é mais fácil.

— Não com eles! Não os conhecemos, estamos bem apenas nós dois. - disse desesperada.

— Se a coisa ficar feia, nós vamos embora, eu não vou deixar eles te machucarem, ok?

— Se eles encostarem-se a mim, eu cabo com sua raça depois que eu acabar com a deles!

— Então já se decidiram? – o gorducho disse se aproximando.

— Vamos ficar com vocês ate encontrar um dos nossos.

Em nenhum momento saem do lado de Daryl, os caras que estavam ali me olha estranho, claro, deve fazer meses que eles não  veem uma mulher, deve estar loucos para me usar, o que me da mais medo, mas sabia que Daryl estava atento a qualquer movimento de cada um, como eu.

Ainda continuávamos a andar pelo trilho, ate encontrarmos uma placa dizendo de tal Terminus um santuário. Eu parei e comecei a observar, Daryl parou do meu lado e fez o mesmo.

— E esse lugar? É para lá que estão indo? – pergunto para aqueles caras.

— Isso ai gatinha. – um magrelo me respondeu com certa malicia em sua voz.

— Continue andando, não ligue – Daryl disse e voltou a andar, o que me deixou muito puta.

A noite já estava caindo, mas ninguém queria parar, quer dizer, eu estava louca para me jogar no chão e tentar ter algumas horas de sono e quem sabe ter sorte de encontrar algo para comer, mas sabia que não seria possível com aqueles caras com a gente.

Depois de mais algumas horas, encontramos algumas fumaças, alguém tinha criado uma fogueira, os caras, no qual ainda eu não sabia o nome, iam à frente para já sabotarem os donos e roubarem tudo deles, eu não ia participar daquilo.

— Eu vou dar uma olhada. - Daryl, foi atrás dos mesmo e eu fiquei mais para trás.

Quando percebi uma movimentação, me aproximei mais e percebi que se tratava de Carl, Rick e Michonne, no mesmo momento, me bateu um desespero, principalmente quando vi um dos caras com uma faca na garganta do Carl.

Fui me aproximando devagar, Daryl percebeu, mas disfarçou, ele já havia entendido o que eu ia fazer. Peguei minha faca, o segurei firme e me aproximei da cara que segurava Carl, em um movimento rápido enfiei minha faca na cabeça do mesmo o fazendo cair, eu não percebi mais nada em volta, apenas Carl se virando e começar a chorar a me ver, o abracei rapidamente.

— Está tudo bem agora, esta tudo bem. – sussurrei em seu ouvido.

Rick estava cheio de sangue, como Daryl e Michonne, nos havíamos matado todos eles, nós havíamos se encontrado, da pior forma, mas estávamos juntos novamente.

— Nunca pensei que ficaria tão feliz ao ver vocês – Rick veio me abraçar, o que me deixou bem surpresa.

— Também estou feliz ao te ver Rick. – sorri. – tem algum problema eu descansar um pouco dentro do carro?

— Não, pode ir leve o Carl junto, iremos dar um jeito aqui. - assenti e o chamei  indo  para o carro.

Deitei-me com a barriga para cima, Carl por pura folga deitou em cima de mim, fiquei mexendo em seu cabelo, enquanto tentava pegar no sono.

— Eu pensei que íamos morrer hoje. – Carl começou a falar – Eu já não tinha mais esperanças de encontrar vocês.

— Shiii, esta tudo bem, não  sabíamos que eram vocês.

— Por que estavam com aqueles caras?

— Os encontramos na estrada ontem, ficamos com eles, pois seria mais fácil para sobreviver, mas agora estávamos com vocês – o abracei.

Daryl Dixon P.O.V.

Esses últimos dias não tinha sido nada fácil, Chloe que apareceu do nada na prisão, logo em seguida fomos atacados pelo filho da puta que se acha o governo, depois nos perdemos de todo o grupo e só me restou ficar com ela.

Ela não era feia, por a contrario, ela é linda, tinha seus grandes cabelos ruivos, seus lábios carnudos e porra, fazia muito tempo que não reparava em uma mulher como reparei nela. E a melhor parte dela, era que me confrontava, não baixava a cabeça como os outros, ela vinha para cima e discutia.

Passei dias com ela, pude a conhecer, pude me envolver, sabia que não daria certo, mas quero viver todos os meus dias como se fosse o ultimo, e se nisso fosse necessário me envolver e me preocupar com uma pessoa, assim faria.

Toda a minha esperança havia ido para o além assim que me separei do grupo, mas Chloe me mostrou que sempre tenho que a ter junto com a fé. Sabia que daqui para frente não seria fácil, iriamos passar por tudo que passamos no começo, tudo de novo, não poderíamos descansar com os dois olhos fechados, sempre  teríamos que ficar de vigia.

Com algumas pessoas do nosso grupo ainda separadas ou ate mesmo mortos, não sabíamos o que fazer, única coisa que sabíamos era que tínhamos que continuar ate o tal Santuário.

 

Estava sentado na estrada encostado-se ao carro junto com Rick, as meninas e o Carl estavam no carro descansando. Minha cabeça estava um grande bagunça onde eu não poderia arrumar.

— Como foram esses dias? – Rick perguntou e senti em sua voz que ele realmente se preocupava.

— Difícil. Chloe é uma garota bem teimosa, mas conseguimos. E com vocês? – o olhei e o mesmo soltou um suspiro.

— Horrível, apaguei por dois dias, deixei Carl praticamente sozinho, depois Michonne nos encontrou, mas depois foram esses caras, matei um deles, por isso nos atacaram.

— Eles eram grandes filhos da puta.

— E Chloe? Confia nela agora? – e por algum motivo eu já sabia a resposta há muito tempo.

— Mais do que devia – o olhei - ela é como eu, porém... - Rick me interrompe  rindo.

— Parece que rolou algo entre vocês.

— Um beijo, qual é,  parecia que estava perdendo novamente meu beijo de língua. – rimos.

— Daryl, daqui para frente não será fácil e eu vou proteger a minha família a qualquer custo! Você é meu irmão e quero você do meu lado para cada ação minha, me ajudando em cada passo que darmos. Farei de tudo para que possamos ter um lar novamente! – ele me olhou – e para isso não irei mais poder ser o bonzinho!


Notas Finais


PRIMEIRO POV DO DARYL EHHHHHHHH, porém bem pequeno eu sei, eu sei, não irei prometer que terá outro POV dele, pois quem conta a historia mesmo toda é a Chloe né, but vamos ver ao decorrer da historia.

COMENTEM, DEEM OPINIÃO, FAVORITEM #DigaNãoAosLeitoresFantasmas

P.s.: Estou pensando em fazer tipo um Trailer para a fic, o que acham?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...