História Would you like some coffee? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren
Exibições 149
Palavras 1.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores (nem tenho tanta intimidade kkkk), desculpa a demora para postar eu tive umas coisas para fazer, e nesse capítulo eu resolvi dar uma variada com os POV's.
Desculpa os erros e boa leitura <3

Capítulo 13 - 13


POV Lauren

- Lauren Michelle Jauregui Morgado levanta dessa cama! – minha mãe entrou no quarto feito um furacão e puxou as cobertas que eu me esquentava fazendo eu abrir meus olhos com medo. Sentei na cama e encarei a expressão raivosa dela – me explica por que tem um cara chamado Charlie lá fora com um carro que ele diz ser seu? – naquele momento meus olhos arregalaram mais ainda, eu tinha esquecido que Charlie iria trazer o carro. Minha mãe não sabia que eu tinha ido comprar o carro, apenas meus irmãos e meu pai.

- Porque eu comprei mamãe – levantei da cama e fui para o banheiro enquanto ela me seguia – posso tomar um banho? Daí você briga comigo – ela assentiu e eu tomei um banho de 5 minutos e fui até o closet colocando uma roupa casual e então desci as escadas e fui para fora em direção a Charlie.

- E aí Jauregui, está aqui seu carro – ele sorriu simpático e entregou as chaves do carro para mim – e aqui está o contato de um amigo meu que pode dar um jeito nos defeitos do carro, liguei para ele mais cedo, com certeza vai ganhar um desconto ótimo.

- Obrigada Charlie.

- Eu que agradeço, agora eu vou indo que estou cheio de trabalho para fazer – ele saiu em direção ao carro que tinha vindo atrás com ele, devia ser um dos caras que trabalhava com ele. Esperei Charlie sumir de vista e então eu encarei meu Mustang, meu mais novo xodó. Estava divagando sobre como ele ficaria lindo depois de uma reforma e senti um tapinha em minha cabeça.

- Agora me explica desse carro Michelle – minha mãe estava um pouco brava ainda. Quando eu fui falar algo meu pai apareceu na porta e foi correndo em direção ao carro.

- Meu deus, é mais lindo ao vivo, claro que precisa de uns retoques, mas não é nada que seja impossível – ela falou sorrindo até voltar o olhar para minha mãe que encarava tudo sem entender ainda.

- Então mãe, eu tinha recebido a proposta de um carro, e então eu fui ver essa proposta que eu me apaixonei de cara, então eu peguei o dinheiro guardado e comprei esse maravilhoso Mustang 1967.

- Podia ter me falado – ela já mais calma foi olhando mais o carro.

- Desculpa, era para ser surpresa, e eu imaginei que você ficaria assim quando visse o carro, já não gosta muito quando eu saio com o seu imagina com meu próprio carro.

- Tome cuidado com esse carro, agora eu vou voltar para preparar as coisas do almoço – assenti e então eu encarei meu pai e abracei ele e começamos a gritar loucamente.

- Eu peguei o número de um cara que pode dar uma arrumada nesse estragos, vai comigo? Já que entende mais.

- Com certeza, vamos lá minha menina – entrei no carro e quando girei as chaves uma sensação ótima tomou conta de mim, o som daquele motor era maravilhoso e era um carro confortável.

Dirigi até a mecânica que parecia ser uma das boas, tinham carros caríssimos lá dentro e outros mais simples. Deixei o carro na parte de fora e entrei dentro do lugar a procura do amigo de Charlie que parecia se chamar August.

- Oi eu estou procurando August – perguntei para um ruivo que observava um carro.

- Sou eu mesmo, a quem posso ajudar?

- Lauren Jauregui.

- Ah sim, amiga do Charlie, ele me ligou mais cedo, trouxe aquela belezinha? – assenti – então pode coloca-lo ali naquela área – ele apontou para uma parte da oficina que estava fazia e eu voltei para onde deixei meu carro e meu pai esperando e coloquei onde August tinha falado – esse carro é maravilhoso, adoro carros clássicos.

- Nós também – meu pai cumprimentou August e então começamos a discutir sobre as reformas que eu iria fazer. Primeiramente tinha que dar um jeito nos arranhões, depois meu pai aconselhou a pintar de preto metálico, eu iria escurecer os vidros e trocar o couro dos bancos por um claro para dar contraste com o preto, e também tinha sobrado dinheiro para colocar um motor mais potente, o resto estava em perfeito estado. August ajeitou o orçamento para mim com um desconto ótimo e eu saí sorridente de lá com meu pai e decidimos voltar a pé e já parar na cafeteria para resolver uns negócios.

POV Camila

Eu tinha acabado de acordar e meu celular estava cheio de mensagens das meninas e principalmente da Lauren. Deixei para ver mais tarde e então eu fui para o banheiro me arrastando já que eu não costumava acordar antes do meio dia em fins de semana, principalmente no sábado.

Tomei um banho longo e gelado para despertar e coloquei um short branco com uma camiseta nova de bananas que eu tinha comprado, era estranho? Bastante, mas eu adorava. Desci as escadas com um bilhete de minha mãe avisando que tinha ido levar Sofia passar o dia na casa de uma amiguinha e logo depois ia passar no escritório dela para revisar umas coisas, ou seja, eu fiquei sem almoço. Mandei mensagem para Ally pedindo se tinha almoço e graças ao bom deus eles já estavam arrumando a mesa para comer. Coloquei um chinelo e atravessei meu quintal até a casa dela.

- Bom dia família Hernandez – entrei na cozinha sorridente e cumprimentei todos.

- Bananas Camila? Por que eu não estou surpresa? – Ally falou rindo, eu tinha mandado mensagem para todas avisando que eu tinha comprado uma camiseta nova e que era maravilhosa, todo mundo pediu foto, mas era surpresa.

- Como sabe que é essa a camiseta que eu disse?

- Porque você esqueceu de tirar as etiquetas – olhei para baixo e tinha as etiquetas penduradas ainda, eu não sei como eu conseguia ser tão desligada com as coisas.

- Meninas, está na mesa – a mãe de Ally avisou e então todos nos sentamos na mesa para almoçar.

A comida estava maravilhosa e eu aproveitei para lavar a louça já que eu estava meio que de intrusa lá. Ally secou junto e então subimos para seu quarto conversar um pouco se não eu voltaria para casa e ficaria mofando já que Lauren tinha comprado o carro dela e com certeza iria passar o dia ocupada.

POV Normani

- Eu estou com tédio amor, vamos fazer algo – falei para Dinah que estava deitada de conchinha comigo, tínhamos acabado de virar a madrugada e também a parte do almoço fazendo amor.

- Também estou, vamos encher o saco de alguém?

- Tipo?

- A bunduda.

- Pode ser, manda mensagem para ela para ver se ela está em casa – Dinah pegou seu celular na cômoda e digitou rapidamente, eu apenas fiquei observando o quão linda ela era com aquela pele macia e aqueles longos cabelos loiros.

- Ela disse que está na casa da anão, elas nos convidaram o que acha?

- Acho ótimo amor – dei um selinho nela e então eu levantei para ir tomar um banho que Dinah veio atrás – vai tomar banho comigo? – falei em um tom malicioso e ela assentiu beijando meu pescoço e mordendo, eu sabia onde daria, mas eu adorava provocar Dinah ela nunca aguentava – mas, sem sexo, fizemos isso a madrugada inteira, vamos tomar um banho de verdade amor.

- Não se preocupe Mani, de noite eu aproveito – ela sorriu e deu um tapa em minha bunda entrando no box e ligando o chuveiro, então entrei logo em seguida.

POV Dinah

Depois tomar banho com Normani nos vestimos e fomos para a casa da Ally. Foi uma noite ótima com Mani, os pais dela tinham viajado o que deixava tudo melhor. Eu fui dirigindo e eu pegava Normani me encarando, meu deus como eu sou apaixonado por essa mulher, ela tem um sorriso tão lindo e aqueles longos cabelos enroladinhos a deixa fofa e sexy ao mesmo tempo. Chegando lá ao som de Tina Turner, coisa de Normani, tocamos a campainha que foi atendida animadamente por quem parecia ser os pais da anã. Normani e eu cumprimentamos todos e então fomos até o quarto de Ally.

- E aí Chancho – abracei Camila e logo ergui Ally no colo e girei ela pelo quarto – oi alpinista de calçada... Opa, que camiseta é essa Camila?

- É minha camisa de bananas.

- Me diz que essa não é a camiseta nova que ficou falando o tempo todo – ela me olhou e deu um risadinha – eu não acredito Chancho, eu aqui louca para ver o que você tinha comprado e chega com uma camisa de bananas.

- Eu amei essa camiseta, ela é maravilhosa olha só isso, amo bananas – olhei pra ela com um sorriso malicioso até que ela se tocou – meu deu Dinah, que mente poluída.

- Desculpa, não me conti.

- Então o que as trouxe em minha humilde residência?

- Estávamos com tédio e então viemos encher o saco de vocês, falando nisso cadê a Lucy e a Vero?

- Elas foram passar o fim de semana na casa de lago da tia de Lucy – Camila deu de ombros e olhou seu celular dando um sorrisinho sapeca. Eu imaginei ser Lauren e eu não podia deixar de tirar satisfação, roubei o celular dela quando se distraiu e comecei a ler a conversa. Eu até sabia o fato safadeza que Lauren poderia chegar, mas esse aqui já estava um pouco de mais. Eu fui argumentar enquanto Camila tentava a todo custo pegar o celular de volta porém eu era mais alta e forte.

- Filha, estamos indo na casa da sua vó, se comportem, voltamos a noite – o pai de Ally avisou e então se despediu saindo da porta do quarto.

- Me devolve Cheechee, por favor.

- Chancho, você e Lauren já transaram? – eu vi ela ficar que nem um pimentão e com certeza parar de respirar por um minuto e eu não pude conter uma risada da reação dela.

- Não Dinah, nós não transamos okay?

- Sério? Porque com essas mensagens não sei não hein, deve ser animal na cama pra estar falando assim.

- E-eu sou virgem.

- O que? Com esse fogo todo? – ela me deu um tapa no braço e eu só ouvia Normani e Ally rindo com a cena.

- Só me da o celular por favor – ela fez uma cara de cachorro abandonado que não funcionou. Ela olhou para Normani que deu um sorrisinho sapeca e veio em minha direção e sussurrou em meu ouvido e depois mordendo o lóbulo de minha orelha. Senti meu corpo inteiro estremecer e então entreguei o celular de volta para Camila – obrigada Normani, não o que falou que fez Dinah se entregar assim.

- Eu falei que...

- Shiu, não precisamos saber Mani – Ally tampou os ouvido e ficou nos  encarando com aquela carinha.

- Okay, então... Vamos assistir algum filme? – Camila sugeriu e então todas aceitaram. Ally arrumou um colchão no chão para Normani e eu, enquanto ela e Camila ficavam com a cama. Ficamos indecisas sobre o que assistir então optamos por uma maratona de desenhos animados.

{...}

Já tinha escurecido e os pais de Ally já estavam em casa, tínhamos assistido 4 filmes com guloseimas e umas coisas loucas que Ally tinha em casa. Nos despedimos e então voltamos para a casa de Normani, só que dessa vez com ela dirigindo.

Subimos as escadas silenciosamente e após Normani destrancar a porta e trancar novamente eu prendi ela na porta.

- Agora você é minha Manibear.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e não esqueçam de comentar e favoritar, lembrando que comentários me dão criatividade, beijos e até a próxima <3

E obrigada pela ideia SraPokerFace, vou tentar encaixar em algum capítulo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...