História Writer - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Hailey Baldwin, Justin Bieber
Visualizações 84
Palavras 3.312
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - 14


- Alexis! – minha avó repreendeu.

- Eu saí daquela casa para ter paz e ele vem até aqui me tirar à paz? – gritei e Justin me prendeu contra o corpo dele.

- Para! – mandou – Ele é seu pai respeite-o.

- Obrigado Justin! – meu pai estendeu a mão e eles trocaram um aperto rápido.

- Sou Carin, mãe da Alexis, muito prazer. – cumprimentou Justin – Vocês ficam bonitos juntos.

- Obrigado. – Justin e sua simpatia enojante.

- Ok família feliz, vou me trancar no quarto e depois que eles forem embora alguém me chama.

- Sinto muito Alexis por ter sido tão rude e ter te batido, descontei os problemas da Nori em você, como sempre, eu sou um péssimo pai, mas eu te amo filha. Vai ficar trancada no quarto pelo resto da viagem?

- Eu desculpo, mas minha raiva vai demorar um pouquinho ainda. – assentiu e se aproximou receoso beijando a minha testa.

- Vocês estão sujos, vão tomar um banho, o almoço vai ser servido. – assenti e fui com Justin para o nosso quarto.

Entramos no banheiro e fomos tirando a roupa juntos logo entrando juntos no box.

- Minha mãe deve ter acabado com ele falado que ele vai dormir no sofá e ele pediu desculpas.

- Dê uma chance, ok?! – assenti e ele me prendeu contra a parede do banheiro me beijando.

- Não temos tempo para isso. – o empurrei enquanto o mesmo sugava meu lábio inferior.

- Sei bem do que você falou lá na árvore e agora que tocou no assunto...

- Mais tarde falamos disso, meus pais estão aqui. – riu.

Terminamos o banho e Justin colocou uma bermuda jeans toda rasgada, uma camiseta comprida e vans, ele estava sexy.

Coloquei minha peças intimas admirando a vista tentado arrumar aquele cabelo ridículo loiro. Coloquei um vestido larguinho e curto ficando descalça. Passei perfume e deixei os cabelos molhados e bagunçados como sempre.

Bateram na porta e eu mandei entrarem.

- Filha você é a modelo número um nas mais baladas, jovens. – sorri.

- Isso é muito legal mãe. – assentiu.

- Parabéns amor. – Justin me deu um selinho.

- Obrigada baby.

- Estão juntos mesmo? – assenti – Isso é muito legal. Vovó falou que estão dormindo juntos, usem camisinha e você precisa de anticoncepcional. – senti minhas bochechas esquentarem e Justin riu vermelho também coçando a nuca.

- Mãe eu sou virgem, existem tipos de assunto que se conversa só com a filha e não com o namorado no quarto. Pelo amor de Deus. – Justin e ela riram.

- Eu não gosto de vocês dois juntos. – riram mais e eu saí do quarto.

- Senti a sua falta hoje. – Nori me assustou no corredor e me agarrou.

- Eu também. – beijei a bochecha dela.

[...]

- Cesta! – gritei com Nori.

- Não sabia que ela era tão fanática por basquete.

- Ela é fanática pelos Clippers . – meu pai comentou.

O dia tinha sido legal e agora todo mundo estava na sala de tevê vendo os Clippers.

- Alguém quer torta? – perguntei me levantando no intervalo e todos negaram.

- Eu vou com você. – Nori levantou e fomos para a cozinha.

Peguei dois pratos, nos sentamos à mesa cortando a corta e comendo.

- Papai te pediu desculpas? – assenti – Como você se sentiu com isso?

- Sinceramente deu um gostinho doce na ponta da língua, ele nunca tinha me pedido desculpas antes, mas eu estou muito brava ainda e não vai passar tão já. E como eles te trataram?

- Estranho, mas nada demais. – rimos.

- Nós temos pais péssimos, é patético.

- Você me criou Lexi e você se criou. – assenti comendo a torta.

- Essa torta está muito boa, vovó arrasa. – assentiu.

- Você e Justin já chegaram aos finalmente?

- Não maninha, nem tentamos.

- Não acha que está na hora vocês estão nessa há quase seis meses? – assenti.

- Vai rolar quando tiver que rolar baby.

- Quem está usando o meu apelido em vão? – Justin entrou na cozinha roubando um pedaço da minha torta – O jogo acabou e o seu time ganhou. – joguei os braços para cima e ganhei um beijo.

- Querida você e Justin se importam de dormirem separados essa noite? Ou colocarem um colchão no quarto da Nori e dormirem juntos, mas vai ficar bem apertado.

- A gente dorme apertado Car, já vamos ficar separados tempo demais.

- Ah o amor. – beijou a minha testa, de Justin e por ultimo Nori – Então vou arrumar o colchão no quarto da Nori, obrigada gente. – mandei um beijo.

- Uma pena só ter três quartos nessa casa linda. – Nori reclamou.

- Também acho. – Justin concordou.

- Não peguei a troca de olhares. – riram e bateram as mãos.

Meu celular começou a tocar e eu atendi vendo ser minha assistente.

- Laura! – gritei e ela riu.

- Como está a semana de folga?

- Maravilhosa e a sua semana de trabalho duro?

- Recebendo muitas ligações para contratar você, está cheia de trabalho pelos próximos dois meses.

- Isso é ótimo Laura, mas eu preciso de uma semana depois de Londres, por causa do aniversário do Justin e preciso de uma semana todo mês para ficar com ele.

- Vou ter que reajustar a agenda toda, mas acho que consigo. Vocês estão namorando?

- Estamos juntos!

- Vocês são lindos juntos. – ri.

- Eu ouço isso umas dez vezes por dia, mas obrigada e ele está mandando um beijo.

- Manda outro. Se cuida e não se atrase, 07h no Studio, vou estar te esperando lá.

- Ok mamãe. Te amo.

- Te amo filhinha. – encerrei a chamada.

- Consegui as nossas semanas. – batemos as mãos.

- Vou conversar com a Vicky não se preocupe. – assenti e fiz bico ganhando um selinho seguido de uma lambida.

- Isso foi nojento. – passei a mão na boca.

Justin segurou meu rosto e começou a me lamber e eu o empurrava.

- Saí credo Justin! – gritei – Eu vou te morder.

- Pode morder. – mexeu as sobrancelhas e Nori só ria.

- Minha cara está toda babada, credo. – fui até a pia e lavei o rosto secando com papel toalha.

- Vamos dormir galera? – meu pai entrou na cozinha batendo palmas.

- Sim, porque eu não durmo direito há meses. – entrelacei minha mão na de Justin – Boa noite pai. – dei um beijo nele e saí da cozinha esperando Justin se despedir dele.

Minha mãe já estava deitada no nosso antigo quarto por isso peguei meu pijama rapidamente e Justin ficou na porta.

- Podemos entrar? – perguntei pela porta estar fechada e Nori devia estar se trocando.

Esperamos um pouco e ela nos mandou entrar. Ela já estava deitada e o colchão que eu ia dormir com Justin estava aos pés da cama dela.

Tirei minha roupa, sutiã e coloquei a camiseta do Justin ficando de calcinha e camiseta. Fui ao banheiro escovei os dentes e Justin fez o mesmo, logo voltamos para o quarto.

- Mas se vocês nunca tiveram nada...

- Não pergunta você não vai querer saber. – Justin avisou tirando a roupa e ficando de cueca.

- Ela não tem que saber dessas coisas e você arrancou a roupa na frente dela. – me deitei no colchão e logo depois Justin fez o mesmo.

- Ela é minha cunhada, vai me ver de cueca pelo resto da visa e sabemos bem do que ela gosta. – eu e Nori gargalhamos.

- Eu também gosto de homem Justin. – ele me olhou chocado e eu gargalhei com Nori.

- Por essa eu não esperava. – rimos mais.

Ficamos de frente um para o outro e rocei meu nariz no dele.

- Boa noite. – Nori sussurrou.

- Boa noite. – falamos juntos e Justin me deu um selinho.

- Você tem uma boca... – Justin sussurrou mordendo a mesma e eu ri.

- Controlem o fogo casal, eu estou no quarto. – rimos.

- Relaxa Nor, nada vai rolar, nada além de uns beijinhos. – ri e dei uma tapa nele.

- Boa noite babacas. – rimos.

- Boa noite.

Justin me puxou para mais perto apertando a minha cintura enquanto beijava o meu pescoço me fazendo arrepiar. Puxei o queixo dele para os meus lábios e ele se deitou em cima de mim ficando entre as minhas pernas e eu já sentia seu membro dando sinal de vida. Ele fazia movimentos de vai e vem me deixando totalmente louca.
Enfiei minhas unhas nas costas dele enquanto ele beijava meu pescoço e subia minha camiseta.

- Eu quero você! – sussurrou no meu ouvido com aquela voz totalmente sensual me fazendo molhar a calcinha.

- Meu Deus! – gemi enfiando minhas unhas mais nele que subiu as mãos apertando meus seios por debaixo da blusa.

- Vamos amor? – roçou ainda mais o membro em mim.

- Justin não quero assim a Nori acorda toda hora, para usar o banheiro, não vai ser legal se ela pegar a gente fazendo sexo. – rimos e ele passou o lábio inferior no meu pescoço – Para com isso! – implorei.

- Tudo bem, um último beijo. – assenti e mordi o lábio inferior dele.

O beijo ficou intenso demais e os movimentos também, o que acabou me fazendo gemer e Justin também. Empurrei Justin o tirando de cima de mim e o arrastei para o banheiro trancando a porta. Começamos um beijo de novo e eu o prensava na parede na parede com o meu corpo, desci minhas mãos por seu peito nu logo chegando ao seu membro e o apertando por cima da cueca.

P.O.V Justin Bieber

Alexis estava me deixando louco, eu queria chegar aos finalmente logo, era a única coisa que faltava para nos conectar totalmente e literalmente.

Ela parou de me beijar e se ajoelhou abaixando a minha cueca. Alexis melhorou muito nisso desde a primeira vez que tentamos. Ela colocou tudo na boca e tirou de forma rápida massageando a parte que saía da boca dela com as mãos. Não demorou muito para eu gozar dentro da boca dela, ela correu para a pia e cuspiu tudo ali lavando a boca e depois escovando os dentes.

- Foi mal, eu me descontrolei. – a abracei por trás que sorriu pelo espelho para mim.

- Relaxa, só é um gosto estranho e não é muito agradável. – rimos – Ok, vamos dormir. – assenti e voltamos para a nossa cama improvisada.

Alexis deitou do lado da cama, porque ela tinha medo de ficar virada para a porta e eu a abracei fazendo conchinha. Eu odeio dormir assim, os cabelos dela ficando irritando o meu nariz, é uma droga, mas não tem outro jeito de dormir perto dela sem ser assim.

Soltei um espirro e ela riu se virando de frente para mim. Ela colocou a perna em cima da minha, porque ela é muito espaçosa e dormiu com a cabeça no meu pescoço. Assim eu podia respirar e nada irritava o meu nariz.

[...]

Acordei às 10h com a Alexis me empurrando para fora da cama. Levantei-me e deitei na cama da Nori que já estava vazia. Olhei meus emails, respondi e segui algumas fãs no twitter. Levantei mesmo as 10h30.

Fui até o meu antigo quarto e levei as nossas malas para o quarto da Nori. Tomei um banho rápido e me troquei indo para a cozinha.

- Bom dia Justin! – Carin falou assim que eu pisei lá.

- Bom dia Car, Robert, Richard, Gracie e Nori. – todos acenaram e eu sorri – Alexis ainda está dormindo, mas eu queria levar café na cama para ela, me ajuda Carmem? – perguntei assim que ela entrou na cozinha carregando um cesto com uvas.

- Lógico.

Ela passou nutella só nos furinhos do waffle do jeito que ela gostava, mesmo amando a Alexis, eu não faria isso nunca. Carmem colocou em um potinho romã, amoras, morangos e uvas. Fez um suco verde e me entregou a bandeja.

- Tenho uma namorada mimada por todos os lados, meu Deus. – todos riram – Obrigado. – assentiu e eu saí da cozinha.

Entrei no quarto e o colchão já tinha sumido, o quarto estava super arrumado. Coloquei a bandeja na cama da Nori e fui ao banheiro.

- Bom dia! – falei vendo ela com a cabeça cheia de shampoo.

- Bom dia. – respondeu de olhos fechados.

Fiquei no banheiro até que ela saiu enrolada na toalha.

- Trouxe seu café. – comentei.

- Obrigada. – sorriu e foi até o quarto se sentando na cama.

- Não ganho nenhum beijo? – perguntei.

- Todos do mundo. – me aproximei e ela ficou em pé me dando vários selinhos repetidos, a puxei pela nuca aprofundando o beijo.

Comi com ela e depois ela foi se trocar.

- O que vamos fazer hoje? – assim que ela perguntou Nori entrou no quarto.

- Coloque seu biquíni e você uma bermuda, porque sunga é ridículo, vamos naquele rio que você disse que parecia Nárnia. – rimos.

- Quem vai levar? – perguntou.

- A família toda vai querida. – ela ficou meio chocada mais assentiu.

Esperei as duas se trocarem e eu coloquei só uma bermuda .

- Com toda família você quer dizer até o tio Thomas e os filhos dele? – Nori assentiu enquanto a gente saía do quarto – Justin a partir desse momento eu estou em alerta sobre você, esse vai ser o seu teste. – avisou e eu assenti confuso.

P.O.V Alexis Houston

Gabby é minha prima de primeiro grau, mas ela é a maior vadia do mundo, ela dá em cima de todo mundo, não importa quem seja, não duvido que ela tenha ficado com o Cameron.

Não tinha nada perto no rio, então arrumamos sanduiches, água, frutas, sucos, guarda-sol, cadeiras e levamos as barracas, porque íamos acampar lá, junto com tudo que era necessário para passar uma noite. Eu estava nervosa, mas tinha que confiar no meu namorado.

- Justin você vai no carro da Lexi com ela e a Nori, tudo bem? – meu pai perguntou e ele concordou.

Faltavam algumas coisas para guardar que ficaram no meu carro e logo estávamos na estrada seguindo meu pai que seguia meu avô.

- O que te deu hoje? – perguntou acariciando minha perna.

- Ela e a Gabby não se gostam desde criança. E a Gabby dá em cima de todo mundo, ela sempre foi louca por você e disse como você é gostoso e faria de tudo para ter uma noite de sexo selvagem com você te deixando na cadeira de rodas. – Justin gargalhou com Nori e eu bufei.

- Não tem graça. – reclamei cruzando os braços.

- Eu a deixaria na cadeira de rodas, essa frase não tem lógica. – revirei os olhos olhando pela janela e os dois riram.

- Pois é. Gabby é um camarão loiro, só tem merda naquela cabeça. – dessa vez eu não me segurei e comecei a gargalhar junto com eles.

- Ela é ridícula, só que é sua fã. – comentei ainda rindo.

- Relaxa, eu vou tratar ela como fã, impessoal, eu não me envolvo com as minhas fãs, olha para a Nori, toda linda, mas ela é minha fã e eu tenho que namorar você, super sem graça. – os dois riram e eu dei um tapa no Justin.

- O Miguel vai? – perguntei fazendo Justin parar de rir na mesma hora – Viu como não é engraçado? – bufou.

- Ele vai... Com a noiva dele. – Nori brincou.

- Era só uma brincadeira Nori, eu tenho namorado. – Justin tentou não sorrir mas não conseguiu.

- Eu quero muito ver a cara da Gabby quando o Justin descer do carro. – Nori comentou – Pegamos barracas para casais, eu vou dormir sozinha, - imitou um choro – mas tudo bem. – rimos.

- Pode dormir com a gente Nori. – Justin falou.

- Deus me livre, só eu sei o que passei noite passada com aqueles gemidos, vocês não brincam em serviço não é mesmo?! Ficaram fazendo o que uma hora trancados no banheiro? – assim que Nori terminou de falar eu tapei meu rosto com as mãos e comecei a rir junto com Justin.

- Você não estava dormindo? – Justin perguntou.

- Não, eu estava bem acordada. – ri ainda mais.

- Foi mal Nor.

- Relaxa, por isso inventei das barracas para casais, aquilo foi constrangedor, minha irmãzinha Justin. – riram.

- Ela ainda é virgem Nori.

- Ainda bem, porque se ela tivesse perdido a virgindade comigo no quarto e ouvindo, eu ia arrebentar a cara dela.

- Desculpa Nori. – sussurrei

- Relaxa tomate maduro. – riram de mim e eu revirei os olhos.

Depois de duas horas naquele carro numa estrada de terra horrível nós chegamos inteiros. Estacionamos o carro atrás das árvores que cercavam o rio e fomos levando tudo para lá com calma até terminarmos e trancarmos os carros.

Tirei o vestido ficando só de biquíni e Justin passou protetor em mim enquanto eu passava nele. Fiz o mesmo com Nori que era branca demais e ficaria com isolação se não cuidasse direito igualmente Justin.

- Mãe me dá uma água de coco? – pedi e ela me jogou uma caixinha que acabou em segundos por eu dividir com dois esfomeados.

- Vamos atravessar o rio a nado? – Nori sugeriu e Justin aceitou na hora.

A água refrescou todo o nosso calor e fomos nadando até o outro lado que não tinha nada além de areia.

Comecei a dar estrelinhas e Justin fez o mesmo deixando Nori irritada.

- Me ensinem. – pediu.

Justin tentou, tentou, tentou, tentou de novo e conseguiu ensinar ela a dar estrelinha.

- Uhul. – gritou jogando os braços para cima quando conseguiu.

- Isso loirinha. – batemos as mãos.

- Alexis tem inveja de mim porque sou loira natural e ela não. – mostrei a língua.

- Meu cabelo era mel.

- Eu sou loiro natural também meninas. – Justin fez voz de gay e fingiu jogar o cabelos para trás nos fazendo rir.

- Seu cabelo está ridículo amor. – ele começou a vir para cima de mim e eu a me afastar de costas.

Ele me alcançou segurando minha cintura e apertando.

- Meu cabelo está o que? – perguntou baixo.

- Ridículo! – gritei por ele estar fazendo cócegas em mim.

Ele me jogou no chão fazendo cócegas em mim e eu me contorcia.

- Para! – implorei ainda rindo.

- Fala que me ama!

- Eu te amo. – falei rindo e ele parou me beijando.

Eu me levantei igual um frango a milanesa de tanta areia que tinha em mim, que nojo.

- Que nojo. – reclamei entrando na água de novo e mergulhando me livrando daquela areia.

- Acho que eu estou com fome. – Nori reclamou enquanto eu ainda estava na água me limpando.

- Eu estou com fome. – Justin falou.

- Eu também.

- Então vamos voltar. – Justin deu o veredito e nadamos de volta.

Justin saiu da água comigo nas costas e fomos em direção ao acampamento já montado ali.

Todos já tinham chegado. Gabby olhou na nossa direção e quase teve um ataque do coração.

- Relaxa! – Justin sussurrou e o grito dela começou.

Enfiei minhas unhas no braço do Justin e ele reclamou. Desci das costas dele e fiquei na frente dele o fazendo me abraçar por trás.

- Cala a boca Gabby! – James bateu na cabeça dela e olhou para mim me examinando.

- Nossa James, você cresceu. – Nori falou com tom de malicia para o nosso primo que estava uma coisa e Justin me apertou mais contra ele.

- Meninas! – Thomas e Kayla falaram juntos vindo na nossa direção.

- Tio, tia. – sorri e os abracei – Esse é o meu namorado Justin. – eles se cumprimentaram e meus tios foram para a Nori.

- Tudo bem Lexi? Você está linda. – James me abraçou e eu retribui.

- Estou ótima, você também está lindo. Esse é meu namorado, Justin. – eles se cumprimentaram e James se afastou.

- Aí meu Deus, aí meu Deus, aí meu Deus. - gritou o ultimo.

- Oi Gabby. – falei com tédio.

- Você precisa me deixar dar um beijo no seu namorado!

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...