História Writer - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Hailey Baldwin, Justin Bieber
Visualizações 23
Palavras 2.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - 17


- Co-como assim? – falei nervoso.

- Alguém vazou a localização de vocês Justin e eles tem o áudio da primeira vez da Alexis, a sua equipe e eu tentamos tirar de circulação, mas ninguém quis vender uma bomba dessas. Alexis vai surtar!

- Puta que pariu! – levei minha mão a cabeça e Alexis me olhou confusa – Laura você tem que vazar a informação do problema da alergia, fala que ela está muito mal, chama a atenção da mídia para outra coisa, inventa a suposta história de que foi a prima dela que deu um chocolate com amendoim para ela sabendo que  a Lexi tem alergia, que foi proposital, inventa qualquer coisa, mas tira a atenção da mídia disso. – falei nervoso.

- Vou fazer de tudo Justin, já retorno. – encerrou a chamada e eu guardei o iPhone no bolso.

- O que houve e não faz essa cara de mentira, fala a verdade.

- A Gabby provavelmente deu a nossa localização por ódio e tem um áudio da nossa primeira vez em todo mundo Lexi. – a boca dela se abriu em um O e ela ficou paralisada por um tempo.

- Justin e a minha imagem? Eu estou destruída. – levou as mãos ao rosto e as lágrimas foram caindo.

- Ei amor, todo mundo transa e ninguém pode provar que somos nós, não é um vídeo sweetie é um áudio. – a fiz me olhar e ela assentiu encostando a cabeça na curva do meu pescoço.

- Meu Deus que vergonha. – sussurrou e eu ri.

- Vergonha seria se você estivesse fazendo isso com um qualquer encostada em uma árvore. Relaxa, podemos passar por isso.

- Podemos passar por isso. – repetiu – Mas a Gabby vai tomar uma surra.

- Tenho certeza que sim. – rimos.

- O pior vai ser a minha família.

- Eles não vão nem tocar no assunto, eu tenho certeza e se tocarem, faz parte pagar uns micos as vezes, isso é para a gente aprender e nunca mais transar em uma barraca, confiamos demais que nenhum paparazzi sabia onde estávamos, mas já foi, agora tudo vai ser esquecido com o próximo escândalo da Paris Hilton. – gargalhou e eu suspirei aliviado por ela estar melhor.

- Tomara que ela faça isso rápido. – rimos.

- Acredite que será em pouquíssimo tempo. – rimos mais.

- Porque não gosta dela?

- Ela não gosta de mim, ela chegou a uma festa que estava tocando uma música minha e ela foi embora porque disse que não era obrigada, mas quem não é obrigado a aguentar uma vadia mimada que paga de DJ sou eu. – ela riu.

- Relaxa, eu gosto da sua música, ela é uma louca que vai acabar perdendo tudo e eu tenho dó disso.

- Você é boazinha demais. – dei um beijo nela mais intenso e ela se afastou levando a mão a boca.

- Ua, está machucada mesmo, está ardendo. – tocou a boca e eu entortei a minha.

- Um dó ver essa boquinha linda dessa machucada. – fiz bico e ela riu.

- Quero um espelho. – assenti e a ajudei a levantar indo até o banheiro.

P.O.V Alexis Houston

Eu me assustei quando entrei no banheiro e me olhei no espelho. Estava cheia de manchas pelo corpo e algumas no rosto, minha boca estava toda estourada, eu estava horrível.

- Meu Deus eu estou pavorosa. – sussurrei e Justin gargalhou.

- Garanto que esteve pior. – rimos.

[...]

- Alexis você já pode ir para casa. – o doutor avisou quando eu já estava pronta – Tome o antialérgico corretamente, passe o sabonete dermatológico para se livrar das manchinhas, se alimente bem e procure descansar. – assenti e apertamos as mãos.

- Lá fora está cheio de paparazzis, se prepara psicologicamente. – assenti.

Justin deu minha mala pequena a um dos seguranças, tinham três por conta do excesso de paparazzis, eles queriam saber se eu tinha superado o estado alérgico e se o áudio era real, mas quem disse que essa pergunta vai ser respondida?

- Pegamos o jatinho de volta para Nova York amanhã, vou passar essa semana com você, vamos para Los Angeles dia primeiro e depois você pega um voo direto para Londres, Laura é incrível.

- Sim, agora eu tenho sete campanhas e 560 mil dólares para receber. – juntei as mãos em posição de reza e ele riu.

- Viva a Laura! Ela abafou muito os rumores e recuperou tudo, infelizmente os desfiles não podem esperar.

- Infelizmente, mas Laura disse que as marcas ficaram super preocupadas e entenderam o meu problema.

- Isso é ótimo. – assenti.

Eu odeio hospitais, eles me passam coisas horríveis. Um local onde a vida e a morte correm juntas. O cheiro é insuportável, as pessoas são impessoais demais, não sei como a minha irmã quer ser médica, mas eu apoio.

- Queria comer alguma coisa com gosto. – comentei quebrando o silencio no corredor.

- Você não pode. – Justin falou rindo.

- Por quê?  Eu tenho que poder, eu odeio estar doente, precisar de cuidados, eu sou forte. – riu e soltou minha mão abraçando meu ombro.

- Às vezes precisamos ser cuidados Alexis, não somos autossuficientes a esse ponto.

- Não concordo, eu sou autossuficiente a esse ponto. Eu nasci sozinha e vou morrer sozinha Justin.

- O que te deu hoje? – perguntou beijando minha cabeça.

- Eu quero brigar, me ofende, sei lá. – riu e me beijou inesperadamente nos fazendo parar no meio do corredor.

- Não fique chateada por perder seus compromissos, a gente brigar não vai melhor as coisas, você vai ficar mais chateada. – bufei e assenti sabendo que ele estava certo.

Voltamos a andar e quando chegamos à recepção e eu vi o caos de paparazzis eu suspirei fazendo Justin segurar a minha mão.

- Não acho uma boa ideia. – soltei a mão dele e ele pegou minha mão de novo.

- Está com medo de assumir que me ama para o mundo? As pessoas já sabem que estamos juntos, não seja hipócrita. – falou enquanto esperávamos a nossa deixa para sair.

- Eu sempre sou hipócrita já percebeu? Você sempre está certo. Você não percebe a merda que isso vai dar? Meu Deus! – e eu consegui o que queria há minutos atrás, droga.

- Sinto muito se é tão vergonhoso ser minha namorada.

- Eu não disse isso amor, me desculpe, eu estou descontando a minha raiva em você. Eu sou uma hipócrita, ridícula. – o abracei pela nuca e lhe dei um selinho.

- E os paparazzis?

- Foda-se eles, eu te amo e que o mundo veja isso? Hum? – passei meu nariz no dele e ele riu.

- Hum! – rimos e ele me deu um selinho longo.

- Vamos? – Hugo perguntou e assentimos.

Os seguranças com a ajuda dos do hospital fizeram uma barreira até a porta do carro não permitindo a aproximação dos paparazzis.

- O que tem a dizer sobre o áudio? São vocês mesmo? – eles pareciam leões atrás de veadinhos na selva, meu Deus.

- Como está sua alergia Alexis?

- Vocês estão namorando? E a amizade colorida?

- Selena e Cameron são casos superados? – engoli seco a essa pergunta que foi a ultima que eu ouvi antes da porta ser fechada.

Cameron é um caso superado? Justin é um cara maravilhoso, mas eu namorei Cameron, ele foi meu primeiro amor, ele me fazia feliz, eu estou confusa agora.

P.O.V Justin Bieber

Não ficamos muito tempo em Napa, só foi o tempo de arrumarmos tudo, Richard arrumou uma pista para o meu jatinho pousar e já estávamos em Nova York.

Em um supermercado, eu odeio mercados, e era um supermercado natural ainda. Empurrava o carrinho pelas seções atrás de uma Alexis super silenciosa.

Ela pegou cookies integrais, barrinhas de cereais e foi enchendo o carrinho com essas drogas saudáveis. Pegou uns sucos de cores estranhas, eu não vou beber e nem comer nada disso.

Saímos do mercado e andamos só alguns minutos até o apartamento, demoramos por sermos parados a todo instante por fãs e os paparazzis estarem na nossa frente. Ele estava realmente irritada com eles.

Pegamos o elevador e logo ela estava abrindo a porta do apartamento e segurando até que eu entrasse.

Deixei as sacolas na mesa da cozinha e ela chegou fazendo o mesmo que eu e tirando as coisas delas. Comecei a ajuda-la, mas ela parecia totalmente irritada. Ela pegou um saco com pirulitos e guardou em um pote de vidro, é o único doce que ela pode comer para não enlouquecer e ficar totalmente irritada, ela precisa de doce, ou surta.

- Deixa que eu faço isso. – falou pela primeira vez.

- Eu posso guardar os sucos na geladeira. – falei ironicamente.

- Não disse que não pode Bieber, só disse que eu faço. – assenti e joguei os braços para cima saindo da cozinha.

Joguei-me no sofá e liguei a tevê colocando em um jogo de futebol americano, nada melhor que três horas de algo que não me faça pensar.

- Vai querer jantar o que Justin? – apareceu na porta da cozinha.

- Qualquer coisa. – bufou.

- Qualquer coisa definitivamente não tem e eu preciso ligar e pedir.

- Depois eu vejo isso, vem ver o jogo comigo, qualquer coisa a gente saí para jantar. – riu.

- Não posso comer essas coisas, por isso eu estou perguntar o que quer jantar para eu deixar o pedido agendado.

- Depois eu peço Alexis, Deus. – assentiu e voltou para a cozinha.

Vi ela sair de lá enfurecida, entrar no quarto, voltar com uma roupa de academia e sumir pela porta.

Vai com Deus, estamos precisando de um tempo mesmo.

P.O.V Alexis Houston

Eu já tinha sido fotografada de todos os jeitos na minha caminhada pelo central park.

Respirei fundo e me sentei em um banco com a cabeça entre os joelhos.

Eu sou uma idiota? Eu sou uma idiota completa!

- Você está bem? – uma senhora passou as mãos em minhas costas e eu sorri me endireitando.

- Vou ficar. – sorri.

- Gosto de pessoas positivas, você poderia ter respondido não. – ri.

- A vida é boa, triste, mas boa. – sorriu.

- Você é bem jovem para pensar assim. – ri.

- Infelizmente a idade não classifica muitas coisas se classificasse o mundo seria muito melhor.

- Você vê o mundo de um jeito diferente.

- Eu vejo o mundo do jeito Alexis. – riu.

- Nós precisamos viver no nosso próprio mundo às vezes para sermos felizes, não é pecado ser egoísta às vezes, você precisa pensar em você antes dos outros, evita corações quebrados.

- O meu vem estando bem quebrado ultimamente. – sorri fraco.

- Porque você permite, a vida é boa Alexis, mas ela é dura e cruel, apenas a viva da melhor forma ou vai ser esmagada por ela. – ri.

- Ela já me esmagou senhora.

- Acho que você é forte o suficiente para se levantar e pisar nela, você merece ser feliz.

- Eu sou feliz! – sorri.

- Então o que houve hoje? – perguntou.

- A realidade caiu sobre mim. – rimos.

- Você é uma boa garota.

- Obrigada por ter parado para checar se uma estranha estava bem. – riu.

- A vida dos velhos é bem monótona e uma jovem tão bonita não pode ser tão perturbada por demônios interiores, você merece mais! – falou já distante.

- Obrigada a senhora é incrível, qual seu nome? – se virou sorrindo.

- Você não precisa se lembrar do meu nome, se lembre do meu conselho, pise na vida. – assenti sorrindo e fique observando ela se afastar.

Levantei-me daquele banco e fui correndo em direção a saída do parque.

- Está com pressa Alexis? – um paparazzi gritou.

- Muita! – gritei sem olhar para trás.

Não sei como consegui correr quatro quarteirões sem parar, mas quando percebi já estava puxando a grande porta verde e entrando no elevador.

Toquei a campainha varias vezes por estar sem chave.

- Meu Deus, quem morreu? – Justin abriu a porta com a toalha na cintura e os cabelos pingando água.

- Foi mal. – assentiu e eu pulei no colo dele o beijando intensamente.

Ele empurrou com a porta com força e me encostou ali buscando apoio.

- O que te deu? – perguntou enquanto eu beijava o pescoço dele.

- Não sei. Eu te amo, ok?!

- Eu também te amo Alexis, você bebeu? – me fez descer do colo dele – Você está cheirando suor.

- Fui correr no central park, eu estava irritada, eu acho que ainda amo o Cameron. – fiz um gesto com a mão perto da cabeça.

- Lógico que você ama, ele quebrou seu coração sweetie e você ainda vai amar ele por muito tempo.

- Mas eu também amo você e isso me confunde. – riu e se sentou-se na mesa de centro ficando bem na minha frente.

- Eu sou só uma ocupação para o seu coração, quando você está comigo não dói tanto, você não lembra dele, mas quando as pessoas falam o nome dele, isso sim dói, eu sei, eu me sinto exatamente igual. Você está me usando e eu estou te usando Alexis. Você a amante da minha dor.

- Eu não quero ser a sua amante, eu quero ser o seu amor. – sorriu e acariciou meu rosto – Nós confundimos tudo, são sentimentos muito fortes em poucos meses, melhores amigos sempre fazem isso e nunca acaba bem.

- Você é perfeita para mim e talvez perfeita demais, pessoas muito iguais não devem ficar juntas, os opostos se atraem. – engoli o nó que se formou na minha garanta e senti meus olhos marejarem.

- Acho que as palavras foram ditas sem serem pensadas, atos foram consumados pela confiança, e tudo foi uma grande peça pregada por dois corações totalmente cansados de lutar por uma coisa que não existe.

- Cameron não é o cara para você, ele não merece o seu amor.

- Não vale a pena entrar nesse assunto, eu não quero ele de volta, como não quero mais você na minha vida. – respirei fundo para não chorar.

- Acho que entendo o seu lado e também não entendo. Você é fugitiva dos seus próprios sentimentos!

- Eu não posso lidar com eles agora Justin, minha vida é um completo fracasso, eu sou um fracasso. Mentir para mim é a melhor parte do meu dia. – sorri entre as lágrimas.

- Você é tão linda, não quero que sofra.

- Estou adiando isso há muito tempo, acho que você tem que pegar um avião Justin Bieber. – riu.

- Eu nunca vou ser Justin Bieber para você, não esquece de mim tudo bem?! Quando você estiver preparada eu quero voltar a frequentar a sua vida fugitiva, você sempre foi as melhores partes dos meus dia. Você é única!

- Sem clichês, existem outras Alexis.

- Não é clichê sweetie, até hoje eu só conheci uma pessoa igual a você, e ela se chama Alexis Carly Houston, eu posso viver eternamente, mas você sempre vai ser única, porque ninguém conseguiria imitar com tanta perfeição você.

- Eu te amo, certo?! – assentiu – Não esquece da garota do píer.

- Nunca! – beijou minha testa.

- A garota do píer, que foi beijada a primeira vez por um completo estranho, que perdeu a virgindade com o melhor amigo, mas que é burra o suficiente para não saber como administrar o amor que sente por ele e não ter forças para fazer isso.

- Talvez um dia as duas pessoas mais perdidas do mundo saibam achar uma na outra o caminho certo!

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...