História Writer - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Hailey Baldwin, Justin Bieber
Visualizações 53
Palavras 1.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU VOLTEI PORRRRRRRRRRRRRRRRAAAA!!!!
Leiam as notas finais.

Capítulo 5 - 5


- Uou, não esperava por essa pergunta. – engasguei com a pizza e levei a mão a boca tossindo.

- Levanta os braços. – Justin veio na minha direção me obrigando a erguer os braços e bateu nas minhas costas.

Demorei em me recuperar. Justin tinha uma cara de poucos amigos e eu fazia de todas as formas para o assunto não voltar a tona, não quero falar nisso.

Respirei fundo e dei um gole no refrigerante deixando para trás aquela tosse totalmente apropriada, me salvando da pergunta constrangedora e da resposta mais constrangedora ainda.

- Ok, o que vamos fazer agora? – perguntei mordendo a minha pizza.

O olhar dele estava me assustando.

- Eu não acredito! – explodiu do nada.

- No que? – perguntei – Você está louco?

- Você perdeu a sua virgindade com aquele babaca. – ele saiu da cozinha transtornado e eu fui atrás.

- Justin...

- Eu não quero ouvir. Você que dizia que queria se guardar para alguém que valesse a pena liberou para o primeiro babaca que te conquistou com palavras mixurucas. Você não é quem eu pensava.

- Você está me ofendendo.

- Porque você fez isso? Eu estou tão decepcionado. Jesus! – ele não calava a boca e eu atravessei a sala em dois passos segurando seu rosto e colando meus lábios nos dele.

Suas mãos apertaram minha cintura aproximando mais nossos corpos e eu puxei seus cabelos da nuca me juntando mais a ele. Se eu pudesse eu entraria nele naquele momento.

Cameron beija surrealmente bem, ele me dá um fogo incrível, mas Justin ele me aquece, é diferente, não sei qual dos beijos eu prefiro.

Justin me afastou de supetão me assustando.

- Não vai funcionar.

- Cala a boca porra, eu sou virgem! – gritei e ele me olhou com uma cara meio afetada me fazendo rir.

- Você ainda é virgem? – assenti – Ok, isso me deixa mais aliviado. – ri.

- Se você não é virgem porque eu tenho que ser? – usei do mesmo jogo que ele.

- Porque você é uma boa garota e boas garotas são virgens. – ri.

- Machista. – mostrou a língua – Podemos voltar a comer?

- E a dieta?

- Agora que eu já sentei na graxa vamos customizar a calça. – gargalhou.

[...]

- Como ficamos? – Justin estava deitado no meu colo no sofá e eu evitava seu olhar olhando a tela.

- Somos amigos, ué. – riu sem humor e se levantou ficando na frente da tevê – Eu quero ver, Leonardo Dicaprio está ali, saí daí Justin.

-Você me beija e fala: somos amigos, ué. – imitou minha voz muito mal – Isso é ridículo Alexis.

- Eu te beijei porque você não calava o caralho da boca porra. – falei extremamente irritada.

- Só por isso?

- Não droga. – gritei irritada me levantando – Eu queria aquilo tanto quanto você, mas não pode existir nada entre nós, você vive essa droga de fama e ela ia acabar soterrando a gente com todas as merdas que iam inventar e o amor... Ele não seria mais suficiente, porque todos tendem a acreditar na mídia e nunca no que as pessoas sentem.

- Eu sei que é uma droga.

- Você não me ama Justin, você me ama como amiga e não como mulher.

- Eu não te amo como mulher, eu te desejo como mulher. – ri.

- Isso é tão a sua cara. – bufei – Ficamos cinco meses sem nos ver, controle esse seu lado de querer enfiar o pau em qualquer mulher que vê pela frente, pense em mim como uma garota feia, muito feia, você nunca iria querer nada com uma garota feia. Eu gosto do Cameron e ele não merece um chifre, esquece esse beijo, combinamos assim?

- Tudo bem. – trocamos um sorriso.

- Agora podemos ver a droga do filme? – negou.

- Você vai colocar uma calça, uma blusa quente, sapatos e vamos ao central park, você vai comprar uma garrafa de vodka em uma loja de conveniência e vamos ficar muito bêbados. – gargalhei.

- Ok, mas eu ainda não tenho 21 anos, vou ter que beijar o cara da loja de conveniência. – suspirei e fui para o meu quarto com ele atrás.

- Se vira. – bufei.

- Quem se vira é puta querido. Eu sou virgem e ninguém está me pagando para transar. – parei olhando para ele e voltando ao meu guarda-roupa.

Puxei um jeans surrado, uma blusa de frio cinza e peguei um par de Nike branco.

- Saí, preciso me trocar. – fui empurrando ele para fora.

Meu quarto não tinha porta o que era meio perigoso.

- Porque você namora o Cameron? – Justin entrou no quarto e eu estava de top e calcinha me deixando constrangida.

- My Calvins. – comentou olhando meu corpo e eu mostrei o dedo do meio.

- Você é muito sem noção. – riu e se deitou na minha cama.

Estava com top e calcinha da Calvin Klein. Puxei meu jeans e vesti pulando fazendo Justin rir e olhar meu seios.

- Meu Deus você é muito pervertido. – riu.

- Você ainda não me respondeu.

- Ele é um cara muito legal, ele cuida de mim, me ajuda com as viagens e todo esse mundo da moda que me sufoca às vezes. Me obriga a comer bem e correr no central park todos os dias, me faz rir e beija muito bem. – Justin riu.

- Você não gosta dele. – ri.

- Eu gosto dele.

- Então não ama.

- Não sei, nunca parei para pensar nisso.

- Ele já disse que te ama?

- Nunca.

- Vocês são só bons amigos que ficam.

- Não, nós somos namorados e para de entrar na minha mente. – assentiu.

Terminei de me vestir e Justin pegou um boné preto meu junto com óculos escuros se escondendo.

- Boa astro pop. – rimos.

Tirei cem dólares da minha carteira, guardei no bolso do meu jeans junto com o iPhone e a chaves de casa.

Justin abriu a porta e saímos.

- Não vai trancar?

- Ela tranca sozinha para o lado de fora quando bate. Já chamei o chaveiro umas cinco vezes. – riu.

- Porque você é tão linda? – perguntou quando entramos no elevador e eu me olhei no espelho.

- Eu sei que isso não facilita a sua vida. – rimos.

- Idiota. – deu um tapa leve no meu braço.

- Não bata em mim. – fiz uma cara de indignada e rimos.

Descemos do elevador e Justin apoiou o braço no meu ombro.

- Tenho cara de encosto? – riu.

- Na verdade tem. – empurrei ele com o ombro.

Saímos para a noite fria e fomos andando em direção ao central park, eram só quatro quadras do meu apartamento.

Ficamos em silencio por um bom tempo apenas curtindo a presença um do outro.

- A rua está vazia e você está aí parecendo um maníaco. – riu.

- Estamos em Nova York minha filha, a cidade que nunca dorme, a qualquer momento uma fã pode surgir e acabar com o meu disfarce. – assenti rindo da forma que ele falou.

[...]

Tive que dar em cima do cara da loja de conveniência e tirar uma foto com ele. Ele repetiu milhares de vezes: “Não acredito que a garota do Bieber está dando em cima de mim.”, eu apenas ri, ele era ridículo, o que ia adiantar justificar?

Saí com a garrafa de vodka envolvida no saco de papel e com dois copos vermelhos. Justin estava no outro lado da rua igual um idiota me esperando. Atravessei correndo ele sorriu ao ver a garrafa.

- Você é uma bicha. – falei entrando pulando no central park.

Fomos vagando por aquele lugar enorme e mal iluminado.

- Esse lugar me assusta de noite. – sussurrei.

- Não é porque está escuro que você tem que falar baixo. – gritou e eu dei um soco nele.

- Cala a boca, mendigos dormem aqui e só temos uma vodka. – riu.

- Eu te protejo donzela em perigo. –gargalhei levando a mão a barriga.

- Querido com essas bracinhos? Você não consegue nem proteger um esquilo do outro. – ri mais.

Ele me jogou nas costas e começou a me rodar me fazendo bater nele.

- Droga me coloca no chão. ´- falei rindo.

- Quem é fraco agora?

- Ainda continua sendo você. – rimos e ele me colocou no chão – Eu daria uma surra fácil em qualquer um que tentasse se aproximar de você diferente do fracote do seu namorado.

- Justin o Cameron tem 1.85, ele tem dez centímetros a mais que você.

- Porque você sempre precisa dizer que sou baixinho?

- Você sabe que eu sou sempre 100% sincera com você. – rimos.

Chegamos ao lago dos patos e Justin sentou abrindo o braço para eu me sentar. Sentei-me com as pernas em cima do banco e coloquei minhas costas no peito dele.

Enchi os copos até a metade com vodka e dei a ele.

- Vira de uma vez. – Justin falou e assim eu fiz.

- Meu Deus. – pigarreei sentindo minha garganta arder.

- Droga! – limpou o canto da boca onde escorreu vodka.

- Tudo bem, agora está esquentando. – assentiu me mostrando o copo e eu enchi os dois de novo e viramos de uma vez.

Brincamos disso até acabar tudo e estarmos bêbados andando pelo central park. Justin cantava musicas sem sentido e eu ria.

- Vamos fazer um jogo. – Justin falou do nada e eu continuei andando pela grama – Porque está pisando na grama?

- Eu gosto. – riu.

- Você prefere dia ou noite? – perguntou.

- Definitivamente à noite, tudo fica mais vibrante. – rimos – E você?

- Noite, produzo melhor.

- O que um cara tem que ter para te conquistar.

- Ele precisa me fazer rir até perder o fôlego, ele precisa ser legal, me respeitar e ser bonito não é ruim também. – falei olhando para ele.

Só acordei do que tinha acontecido quando estava no chão.

- Aí? – perguntei rindo.

- Você está bem? – Justin parecia preocupado.

- O que aconteceu? Eu estou ótima. – ri mais.

- Você bateu a cabeça no poste de luz lexi. – gargalhei me deitando na grama e levei as mãos a barriga.

- Eu não senti nada, isso é incrível. Quando eu tomar um fora e doer eu vou beber vodka. – riu.

- Não adianta, eu já tentei. – riu pelo nariz.

- Oh sweetie sinto muito que tenham partido seu coração. – falei sinceramente enquanto me levantava e ele me deu apoio segurando a minha cintura.

- Vamos para casa tomar um banho e dormir garotinha bêbada. – ri.

- Você também está bêbado, qual é?!

- Eu sei me controlar. – ele estava sério demais.

- Você ainda ama ela não é?!

Continua...

 


Notas Finais


Mozões. seguinte...
Eu vou postar TODA a temporada de Writer do jeito que está sem fazer as correções que eu faria depois de dois anos de ter escrito ela e vou iniciar uma segunda temporada, pode ser que demore um pouquinho, mas ela virá, eu PROMETO!
Na segunda temporada que eu estava escrevendo se passaram dois anos na vida da Alexis, mas agora se passaram dois anos REAL, então eu vou poder escrever com uma cabeça diferente, vocês não imaginam como eu fiquei chocada com a minha cabeça de dois anos atrás em relação a sexo, compromisso e amizades.
Sou uma mulher ABSOLUTAMENTE diferente hoje e acho que a fic vai ficar TOPPER!!!
Tenho um carinho muito especial por essa fic.
The Writer TWO is coming....

Redes Sociais:
Instagram: fernandesmariana_
Grupo no wpp (ele ainda existe): 11#99522-9194#

Link de A Belieber:
https://spiritfanfics.com/historia/a-belieber-reescrita-9797305


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...