História Written in the Stars - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias UTAU, Vocaloid
Personagens Akita Neru, Aoki Lapis, Gakupo Kamui, Gumi Megpoid, Haku Yowane, Hiyama Kiyoteru, IA, Kaai Yuki, Kaito, Kasane Teto, Len Kagamine, Leon, Lily, LOLA, Luka Megurine, MAYU, Meiko, Miku Hatsune, Mikuo Hatsune, Oliver, Personagens Originais, Rin Kagamine, Ryuto, SeeU, Utatane Piko, VY2 Yuma, Yuzuki Yukari
Tags Comedia, Drama, Ecchi, Incesto, Kagaminecest, Len X Rin, Love, Luka X Gakupo, Luki X Mikuo, Rin X Len, Rinxlen, Romance, Twincest, Yaoi
Visualizações 149
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei!! Dessa vez eu não demorei muito huahuhauahu :3 (Mesmo minhas aulas tendo voltado)

Adivinha quem está prestando atenção em todas as aulas para ter mais tempo livre para escrever à tarde, e não ficar tentando entender aquelas contas de física? Vou tentar ver se isso vai dar certo huahuahua

Como estão? Faz tempo que não respondo alguns nos comentários, não é mesmo? Prometo que vou tentar deixar todos respondidos até semana que vem <3

Acho que falei tudo! Até as notas finais!

Capítulo 33 - Garotas gostam de Garotas


Pov Lily.

Pisquei quando vi-a entrar no lugar. Já não bastava ter me traído, e ainda vinha para cá, justo para cá. Bufei. O que ela estava fazendo aqui? Dei um sorriso descaradamente falso e fui até sua mesa para atendê-la.

— Seja bem vinda. — Disse forçadamente.

Por que outra pessoa não poderia vir? Talvez por que você seja a única que está trabalhando aqui essa noite, Lily.

— Obrigada — Respondeu Gumi sorrindo. — Está tudo bem com você? — Perguntou calmamente em uma tentativa de parecer madura.

A encarei confusa antes de responder. Desde quando a Gumi tentaria parecer madura? Ri silenciosamente. Por que ela estava fazendo isso? Desde que a conheci percebi que ela não era uma garota exatamente madura, e nem procurava ser, penso que justamente por esse motivo ela se envolveu com Yuuma. Criança demais. Infantil demais. Suspirei. Ela não havia mudado tanto nesse tempo que ficamos sem nos falar, ela ainda tinha o cabelo no mesmo comprimento, provavelmente havia cortado e acabei por não perceber. Suas bochechas estavam também mais redondas, talvez tivesse ganhado um pouco de peso, mas nada exagerado. Resumindo, ela continuava linda, e isso me dava raiva. Bufei novamente.

— Tudo. — Afirmei desinteressada.— E você?

— Bem — Deu de ombros. — Poderia estar melhor, mas acho que consigo sobreviver.

Franzi minha testa. Do que ela estava falando? Suspirei sem entender.

— Já sabe o que vai pedir?

Ela pegou o cardápio e começou a passar os olhos por ele.

— Sei sim. — Disse me fitando com um sorriso malicioso em seus lábios. — Você. — Arregalei meus olhos. O que ela estava falando? Preciso admitir que uma parte de mim, queria muito rir de sua fala, mas me mantive séria. Percebi que ela gargalhou por um segundo e voltou a me observar, ainda sorrindo. — Estou só brincando, Lily-chan.

— Hum.. — Falei sem expressão. — O que vai querer?

~~~*~~~

Mesmo sendo tarde, Gumi continuava lá, sem pedir mais nada. Ela apenas sorria para mim, não dizendo mais nada. Às vezes nossos olhares acabavam se encontrando e eu rapidamente os desviava. Você não gosta mais dela, Lily.

Suspirei. Era ridículo pensar que cada vez que eu a observava, acabava me lembrando da primeira vez que eu me apaixonei por uma menina.

Deveria ter uns treze anos, talvez fosse alguns meses antes de completar essa idade, não me lembro. Fiquei confusa. Não sabia o que eu estava sentindo por uma de minhas amigas, me sentia bem quando estava com ela. Estranhamente bem.

Nunca cheguei a ter um namorado, nem crush, nem mesmo uma paixão de infância, o que fazia as outras meninas me acharem um pouco estranha. Minhas amigas cismavam que precisavam achar um garoto que eu gostasse, assim me shippavam com metade da escola. Um dia eu simplesmente disse: E se eu não gostar de garotos? Elas riram e falaram que alguma hora eu cresceria e me apaixonar por algum.

Isso nunca aconteceu. Aos quatorze anos, não conseguia tirar aquela menina da minha cabeça, passava horas e horas pensando nela, o que tornava minha cabeça uma bagunça. Então cheguei a conclusão que eu realmente não conseguia gostar de meninos, gostava de garotas. Aquilo me assustou. Não sabia o que fazer, não sabia se as pessoas iriam me julgar, então não falei o que estava sentindo para ninguém. Afastei-me daquela menina, e também das minhas outras amigas.

Só que, mães, normalmente as pessoas que mais te conhecem nesse mundo, percebem quando algo esta errado. A minha percebeu e resolvi falar o que estava acontecendo.

Lembro-me exatamente de suas palavras. Mamãe deu-me um sorriso compreendedor antes de me responder.

Algumas garotas gostam de outras garotas, Lily, isso não é novidade. Você é apenas uma delas, e tem todo o direito de ser assim, isso não muda a menina maravilhosa quem você é.”

Declarei-me aquela garota de quem eu gostava, mas ela não me correspondeu. Fiquei um pouco decepcionada, mas algum tempo depois achei uma outra garota que também gostava de mim, e assim aos quatorze anos de idade dei meu primeiro beijo, e foi em uma menina, e não me arrependo nem um pouco.

Parei de prestar atenção em meus pensamentos e vi que horas eram. Era hora de fechar. Olhei em volta. Gumi continuava ali.

Percebendo que estávamos sozinhas, já que minha mãe não viera para cantar hoje, ela veio até o balcão do qual eu estava atrás.

— Lily. — Chamou-me — Eu preciso falar com você.

Encarei-a.

— Não quero ouvir suas desculpas, está na hora de fechar. — Disse com indiferença.

— Lily… — Disse meu nome novamente, porém dessa vez encostou uma de suas mãos na minha, segurando-a. — Por favor, eu preciso que você me ouça… — Suplicou, fitando-me com os olhos brilhantes.

— Te dou dois minutos, depois eu vou fechar este lugar.

A esverdeada desviou o olhar para o alto, pensando no que dizer e em seguida me encarou novamente, sorrindo.

— Você vai ser mamãe. — Disse simplesmente. Eu processei a fala em minha cabeça. O que? Franzi minha testa. Gumi, não é por nada não, mas você está bem? Não consegui conter uma simples gargalhada que saiu de minha boca. — Eu não estou brincando! — Exclamou. — Ok, você pode não ser a mãe dele “naturalmente” — Colocou a mão em sua barriga. O que estava acontecendo? — Mas eu queria pelo menos considerar você a outra mãe dela. — Gumi estava grávida? — Já que o Yuuma é um babaca e não merece esse título! — Exclamou cerrando os olhos.

— Gumi… Você…

— Sim, eu vou ter um filho. — Continuou como se não fosse nada demais — Adaltino ou Adaltina é um nome muito estranho?

Eu não falei nada. Não fiz nada. Não tinha expressão alguma.

— Escuta, eu sei que isso pode parecer absurdamente estranho, mas sim eu vou ter um bebê. — Suspirou. — Vou ser sincera, eu estou muito assustada com isso! Dois meses atrás eu era uma adolescente comum que estava se apaixonando cada vez mais por uma loira oxigenada. — Piscou, obviamente se referindo à mim — Então um carinha completamente idiota apareceu, e estragou toda aquela perfeição que eu estava tendo. — O ex-namorado da Rin. — E boom! Descubro que aquele baka me engravidou. Eu sei que você pode estar pensando “Se você chama ele de idiota por que ficou com ele?” — Forçou uma voz parecida com a minha. — Eu não quis isso! Lembra aquele dia que nós nos beijamos por um caralho muito lindo de tempo? Então, ele tirou uma merda de uma foto. — Abaixou a cabeça. — Ele disse que iria mandar aquela foto para uma revista, se eu não fizesse sexo com ele. — Pude perceber que sua voz estava embargada. — Eu não queria, mas fiz, se ele postasse aquela foto seu pai poderia ver e ficar com raiva. Não queria que você morasse com ele, não queria que você fosse para longe de mim. — Soltou um riso forçado. — De qualquer jeito, foi isso que aconteceu, não é?

Ela se virou, indo em direção à porta. Fiquei chocada com aquela história. Aquilo era verdade? Meu Deus…

— Gumi… — Chamei-a de cabeça baixa — Você pode me explicar essa história direito?

Ela sorriu.

Um tempo depois, percebi que aquilo tudo era mesmo verdade Sei que pode ser extremamente errado desejar isso, mas, eu realmente quero que aquele Yuuma seja morto.

Gumi e eu resolvemos ir para minha casa, já que estava tarde.

— Ei… — Começou. — Nós voltamos? Eu sei que é meio cedo para fazer essa pergunta, mas não aguentava mais ficar curiosa.

Ela parou em minha frente, e segurou minhas mãos com as suas.

Em menos de um segundo fiquei ofegante. Não sabia o motivo, talvez fosse seu olhar incrivelmente encantador sobre mim, ou então estava ansiosa para dar a resposta, podia ser também o fato de eu estar junto com a mulher que eu amo à centímetros de distância.

Com as bochechas rubras respondi:

— Sim, nós voltamos…

E então ela selou nossos lábios...


Notas Finais


Gostaram? Eu tinha planejado escrever orange nesse capítulo, mas percebi que não ia ficar bom (já que nunca escrevi um orange) e decidi adiantar, então fiquem ansiosos por que no próximo capítulo dessas lindas... OS HENTÃO QUE A GENTE AMA!

Ah! O título desse capitulo foi inspirado na música Girls like Gilrs da Hayley Kiyoko, é uma música muito linda <3 Recomendo <3

Beeijos de pêssego e até o próximo <3

Beiijos de pêssego e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...