História Wrong Experience (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Híbrido, Imagine Bts, Imagine Jimin, Jimin
Visualizações 425
Palavras 1.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Graças a Deus consegui escrever o capítulo bem rápido.

Espero que tenha ficado bom. ^^

Olhem esse banner liendo feito pela: @_queenjeon ♡

Bom, boa leitura! :))

Capítulo 6 - Chapter Five


Fanfic / Fanfiction Wrong Experience (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 6 - Chapter Five

Chapter Five

Jimin Onn

Após aquela longa conversa com Siyeon, fomos dormir. Ela optou por dormir no quarto de hóspedes, então eu fui dormir em meu quente e confortável quartinho.

— Boa noite, Oppa! – Disse ela assim que entrei em seu quarto para dar um beijo de boa noite.

— Boa noite, Siyeon! – Respondi com um sorriso.

Dei um beijinho na sua testa antes de sair por completo de seu quarto e fui até o meu.

Peguei meu celular e vi as notificações, conversei com meus amigos e tentei ir dormir.

Só que de alguma maneira, Siyeon não saía de meus pensamentos, ela tinha entrado lá sem pedir permissão. Imagens e flashes dela durante todo esse curto tempo em que estamos "juntos" começam a vir na minha mente, e me pego reparando todos os detalhes do seu lindo rosto.

Aquelas curvas não muito grandes, mas perfeitas para mim, aqueles olhos hipnotizantes, um olhar inocente e penetrante ao mesmo tempo. O que essa mulher está fazendo com o meu ser?

Sabe, é estranho chamar ela de mulher, já que durante esse tempo curtíssimo que estamos juntos, nunca a chamei assim. Apenas de garota, menina, SeoYeon e Siyeon.

Após minha tentativa falha de ir dormir, começo a me entregar totalmente aos meus pensamentos com tal menina.

Derrepente, ouço batidas frenéticas na porta do meu quarto.

— Ah, oi Siyeon. – Falei com a mais nova a minha frente, que batia na porta.

— Oppa, posso dormir com você? Não estou conseguindo dormir sozinha... – Me disse com as mãos nos olhos e um cobertor ao redor do corpo, ficando extremamente fofa.

— Claro que pode.

— Tem certeza de que eu não irei atrapalhar? – Indagou ao se sentar na cama enquanto eu fechava a porta.

— Lógico que não irá, escolha um lado da cama para você dormir. – Sorri de lado.

— Esse está bom. – Ela permaneceu aonde estava, apenas deitou sua cabeça no travesseiro.

— Boa noite de novo, oppa. – Ela levantou e me deu um beijo na bochecha, me fazendo corar levemente.

— Boa noite, fofinha.

E então, fomos dormir. Ela se deitou de costas para mim, aproveitei para passar meu braço por sua cintura, ficando assim de conchinha, quem sabe ela não se sinta mais confortável?

Aish, a quem você está querendo enganar, Park Jimin? Está na cara que eu passei o braço na cintura dela porque quis, porque eu queria ficar perto da minha fofinha.

(...)

Assim que acordo, não vejo SeoYeon ao meu lado, não liguei muito pois sabia que fugido ela não tinha, já que tranquei a casa toda antes de dormir, ela deve estar na sala assistindo televisão.

Faço tudo que uma pessoa normal faz ao acordar, e desço até a cozinha, na esperança de encontrar SeoYeon lá. Enquanto ando, aprecio o cheiro ótimo de café que pairava pelo ar. Vejo Siyeon com café na mão botando ele em outro recipiente. Espera, desde quando ela cozinha?

— Bom dia, Oppa! Dormiu bem? – Perguntou sorridente vindo até mim.

— Bom dia, fofinha! Dormi bem sim, e você?

— Bem também, mas Jimin Oppa, porque está me chamando de fofinha? – Enrugou a testa.

— Ah sim, é por que você é fofinha, muito fofinha! – Apertei as bochechas dela.

— Entendi... Vem, vamos tomar café, eu que fiz. – Por um momento há vi ficar tímida e corar.

— Aposto que deve estar ótimo!

(...)

Dito e feito, o café a as coisas que ela fez, estavam "de lamber os dedos"! Preciso saber aonde que essa gata aprendeu a cozinhar.

O restante da manhã foi um pouco calado, não tínhamos assunto pra conversar e eu era orgulho demais para puxar papo.

Como já eram quase onze horas, decidi me arrumar para ir a faculdade, hoje é segunda-feira e não posso me atrasar.

Após um demorado banho, me arrumo e vou falar com Siyeon, pois já estou indo. Assim que chego, vejo ela assistindo televisão enquanto come uns biscoitos.

— Siyeon, já estou indo, tchau! – Me despedi chegando perto dela.

— Mas já, ChimChim Oppa? – Perguntou fazendo manha.

— Ué, como você sabe meu apelido? – Fingi indignação.

— Eu ouvi o Yoongi Oppa chamando você assim! – Gargalhou.

Yoongi o que?

— Aquele besta! – Murmurei para mim mesmo. — Enfim, não saia de casa, antes das cinco eu já estarei em casa. Tchau! – Completei dando um beijo em sua cabeça e sendo retribuído com um beijo no rosto e um "Tchau Oppa!".

Durante todo o meu trajeto até a faculdade em meu carro, meus pensamentos não saíram de SeoYeon e de como ela estava linda hoje de manhã. Com todo esse papo de faculdade, me lembrei de Eun-Sun e a merda que Siyeon fez.

Putz! E se eu der de cara com ela? O que irei falar? "Oi Eun-Sun, foi minha gata que digitou aquilo no outro dia." Se eu disser isso ela chama o hospício pra vir me buscar.

(...)

Graças ao nosso bom Deus, eu não encontrei Eun-Sun!

Não consegui me concentrar nas aulas, pois não parava de me perguntar se Siyeon estava bem ou se ela tivesse fugido. Até mesmo Taehyung ir lá e pegar ela passava em minha cabeça. Decidi deixar esses pensamentos pra lá e me concentrar no trânsito, senão poderia causar um acidente.

Quando chego em casa, ouço o barulho do chuveiro sendo utilizado. Ufa! Ela não fugiu.

— Siyeon? – Chamei por ela.

— Estou aqui, Oppa! – Ouvi o grito dela um pouco abafado, por estar longe.

— Tá bom, já cheguei, ok?

— Hum hum.

Deixei ela tomar banho sossegada e fui lavar as mãos para comer alguma coisa, estava azul de fome.

Achei uns ingredientes para fazer um sanduíche, e foi isso mesmo que fiz, vi também que tinha sobrado do bolo que SeoYeon fez hoje de manhã e peguei uma fatia. Como não tinha café, bebi um suco qualquer que vi pela minha frente.

— Oppa... O que acha de mais tarde irmos comer fora ou comprar algo diferente, huh? – SeoYeon perguntou me abraçando por trás e me assustando.

O que essa gata está fazendo?

— Que susto, menina! Acho uma ótima idéia. – Acariciei seus cabelos.

— Então está bom, hê hê. Como foi na faculdade hoje? – Assim que sentamos nas cadeiras da bancada da cozinha, perguntou.

— Foi normal, nada de novidade. Aliás, aonde você aprendeu a cozinhar, hein? – Perguntei curioso.

— Ah, isso? Bom, eu aprendi uma vez vendo as cozinheiras daquele lugar fazendo, hoje resolvi botar em prática tudo aquilo que vi, e acho que ficou gostoso. – Sorriu sem jeito.

— Gostoso? Você está brincando, né? Estava maravilhoso!

— Obrigada, Jimin Oppa!

Assim que terminei de comer, ela se sentou na sala para fazer alguma coisa, creio que assistir Tv novamente e eu fui tomar outro banho, afinal ainda estava "sujo" da rua.

Depois disso, sentei ao lado de Siyeon e ficamos assistindo séries da Netflix, ou pelo menos tentamos. SeoYeon ficava me perguntando a cada cinco segundos quem era o personagem, o que ele estava fazendo, se era do bem ou do mal, e eu já estava quase ficando irritado, quase.

No final, assistimos três horas seguidas de série, e a fome bateu novamente.

— Ei, SeoYeon!

— Oi?

— Vou pedir uma pizza, tudo bem? – Esperei a resposta da híbrida.

— Por mim tudo bem. – Sorriu.

Fui até o telefone de casa, disquei o número que já sabia de cabeça de tanto ligar e esperei me atenderem.

— Alô?

— Alô, é da pizzaria XXX?

— É sim, no que podemos ajudar? – A atendente perguntou gentilmente.

— Eu queria uma pizza grande de...

— Qual sabor, Siyeon? – Susurrei apenas para ela ouvir.

— Pode ser qualquer um, menos Marguerita! – Me respondeu.

— Pode ser de Quatro queijos mesmo. – Respondi a mulher do outro lado da linha.

— E para beber, senhor?

— Pode ser o refrigerante XXX.

— Daqui a mais ou menos 40 ou 45 minutos a sua pizza chega, obrigada pela preferência!

Desliguei e telefone.

— E agora, o que nos resta é esperar, fofinha.

Após 45 longos e entediantes minutos, a campainha finalmente toca e então fui correndo abrir.

— É... Yoongi? O que que você está fazendo aqui? – Me espantei com o meu melhor amigo na porta da minha casa.

— Não pode mais vir visitar seu melhor amigo não? – Botou a mão no peito e saiu entrando dentro de casa, dando de cara com Siyeon. — Fala aí, gatinha! – Completou ele, abraçando a gata menina.

— Yoongi Oppa!

Essa melação nem começou e já está me dando nojo.

Eu já tinha desistido da tal pizza, estava apenas observando Yoongi e SeoYeon conversando sobre comida. Yoongi sempre gostou de cozinhar, só tinha preguiça, e SeoYeon descobriu seu talento escondido na cozinha ainda hoje de manhã.

— Bom pessoal, já está ficando tarde, eu tenho que ir. – Disse Yoongi enquanto se levantava do sofá e ia rumo a porta.

— Tchau Yoongi.

— Tchau Jimin!

— Tchau Suga Oppa!

Espera, eu ouvi isso mesmo? Espera, eu estou com ciúmes da minha gata?

— Tchau, fofucha!

Esse apelido era meu, e era íntimo só de nós dois...

— Acho que a pizza não vem mais, Jimin Oppa. – Falou cabisbaixa.

— É. – Respondi bem seco, estava com um pouco de raiva dela, afinal ficou dando mole para o meu melhor amigo. — Acho que já vou dormir, SeoYeon.

— Espere Oppa! – Siyeon veio correndo até mim, me deu um abraço e susurrou: "Eu te amo, muito!".

Não sei o que me deu na hora, mas a única coisa que saiu, foi isso:

— Me desculpe, não posso retribuir.

Por que eu disse isso? Será que não tive coragem o suficiente? Será que sou covarde a esse ponto? Será que meu orgulho tomou conta de mim?

Assim que disse isso, pude ver seu sorriso se desmanchar e na mesma hora suas orelhas ficarem para baixo.

— Então é verdade, você não gosta de mim... – Disse para si mesma, mas eu escutei.

— Siye- – Fui cortado pela mesma.

— Shiu, Jimin. Eu sempre soube que você não gostava tanto assim de mim, mas precisava ser tão rude? Agora só preciso de que você não me procure, jamais! – Falou aparentemente irritada.

Nunca nessas duas semanas eu vi ela irritada e tão séria, estava sempre sorrindo e alegre.

Ela simplesmente saiu pela porta a fora e eu fiquei lá, estático, sem saber o que fazer. Se eu iria atrás da minha gata, se eu me socava, se eu me matava.

SeoYeon Onn

Assim que o oppa me disse isso, fiquei muito brava e principalmente triste. Eu realmente estava certa, ele não gosta de mim.

Quando sai de casa, corri até o Yoongi Oppa que ainda estava na esquina da rua.

— YOONGI OPPA! – Gritei afim de que ele parasse.

— O que foi, SeoYeon-ah?

— Posso passar a noite em sua casa? Amanhã de manhã eu explico tudo melhor.

— Claro que pode, vamos.


Notas Finais


E aí, o que acharam?

O Jimin é um covarde, mais eu ainda amo sz.

Deixe sua opinião nos comentários, é importante!

O capítulo seis deve demorar um pouquinho, me desculpem, mais é que eu estou com problema nos olhos (só para não dizer que estou míope) e terei que usar óculos (vou virar uma nerd burra), então vou ficar menos tempo em coisas como: Celular, computador...

Mas enfim, acho que é só isso mesmo...
Não se esqueçam de motivar a autora-chan aqui comentando e favoritando.

Até o próximo capítulo! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...