História Wrong imprinting - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Bella Swan, Paul Lahote
Tags Saga Crepúsculo
Exibições 68
Palavras 2.455
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi

Capítulo 10 - 10


Capítulo 10

Bella sempre pensou que o banho era uma forma de relaxar, mas tomando banho ali, após as situações em que se metera estava realmente achando que banho era quase um perigo. Não tinha ideia de como Edward continuaria com aquela obsessão, e não sabia se confiava no lobo de Paul para controlar-se em não entrar no banheiro. Odiava ter aquele tipo de pensamento de donzela em perigo, passara tanto tempo sentindo-se assim, que agora, quando começava a tomar as rédeas de sua vida, lhe parecia que nada na verdade estava em seu controle.

Respirou fundo desligando o chuveiro e puxando a toalha da pia, por nenhum momento Bella esperava que tudo acontecesse daquele momento, naquela velocidade. Parecia que agora, após tudo aquilo que já passara, estava realmente em um conto de fadas. Ou pesadelo. Ou sonho. Ou não tinha ideia do que sentir sobre essa nova situação de risco em que se encontrava.

Edward nunca a machucaria, talvez não fisicamente; mas também acreditara que ele nunca feriria seus sentimentos, e fora exatamente o que ele fizera. Enrolou a toalha nos cabelos assim que terminou de secar o corpo, sua mente divagando de tal forma que teve que desvirar a camiseta que colocara do avesso. Duas vezes. Não queria acreditar na possibilidade de Edward machucá-la fisicamente, mas ele demonstrara um nível diferente de sanidade com aquela atitude na estrada.

Respirou fundo e saiu do banheiro, o corredor da casa estava escuro, e a única luz da casa era a do quarto de Paul. Não sabia se ele estava lá ou se apenas deixara ligada, mas de uma forma ou de outra Bella tinha que ir até ali. Não poderia continuar fugindo, já estava fugindo demais de outras coisas, não poderia fazer isso com Paul também.

"Paul?"

Chamou baixo enquanto empurrava a porta e viu que o quarto estava vazio. Olhou ao redor e sorriu, era o típico quarto de um rapaz. Bagunçado, com roupas para todos os lados, pratos vazios, copos, pacotes de doces e salgados. Entrou devagar e inclinou-se para frente, tirando a toalha do cabelo e esfregando-o com força para retirar o excesso de água.

"Bela posição, Isabella."

Paul parou na porta do quarto vendo Isabella inclinada para frente, o bumbum para o ar. Aquilo definitivamente não lhe ajudou a controlar o lobo que estava sentindo o cheiro dela por toda a casa. E eles estavam sozinhos pela noite. Sua mãe estava trabalhando, e ciente de sua condição, e ciente de quem Isabella era. Não haveria problema algum no café da amanhã, ela já saberia.

Viu-a levantar com rapidez, desequilibrando e caindo sentada no colchão, a toalha na mão e os olhos arregalados, assustados. Riu baixo disso enquanto cruzava os braços e olhava-a. Não sabia por quanto tempo conseguiria conter-se e ela certamente não estava lhe ajudando. Mediu-a de cima a baixo vendo o pijama que ela vestia. Bella não era boba, sabia que seu lobo estava faminto por ela, e opinara por uma calça de moletom e camiseta larga. Ao menos nesse sentido não poderia ralhar com ela.

"Paul, aconteceu algo?"

Seu rosto sério com toda certeza chamou a atenção dela. Olhou-a nos olhos, vendo-a recomeçar a secar os cabelos com a toalha. Balançou a cabeça e entrou no quarto. Foi em direção ao pequeno armário no fundo do quarto e o abriu, pegando uma nova toalha e uma calça de moletom, deixando visível que não pegara nenhuma boxer ou camiseta.

"Nada. Vou tomar banho." Passou por ela novamente, vendo-a lhe medir de cima a baixo. "Se precisar de algo, pode entrar sem bater." Parou na porta do quarto, olhando por cima do ombro, mas sem focar-se nela. "E se não precisar também."

Saiu na direção do banheiro rindo ou ouvir a respiração dela acelerar levemente e o cheiro da leve excitação no ar. Aquela noite seria algo como um teste: se ele e Isabella conseguissem se manter longe um do outro, tudo daria certo entre eles em pouco tempo, se não, ele via grandes problemas no futuro. Seu lobo rosnou alto dentro de seu peito enquanto fechava a porta do banheiro e a trancava. Não queria pensar em Isabella dormindo em sua casa enquanto tomava banho, mas talvez aquilo se transformaria em algo impossível quando o cheiro dela ainda estava forte ali dentro.

Tirou seu shorts e entrou de uma só vez na água fria. Seu corpo não precisava de água quente, seria apenas para deixá-lo ainda mais desconfortável. Bateu com a cabeça no azulejo com força e sorriu fechando os olhos, o jato de água forte em suas costas. Tudo acontecera tão rápido e de forma tão absurda que Paul não parou para se perguntar onde tudo aquilo levaria. Onde estar com Isabella Swan, a amante dos sanguesugas, o levaria? Onde defendê-la do Cullen o levaria? Onde trazê-la para dentro de sua casa levaria? E aonde esse insano imprinting o levaria?

Passou as mãos pelo cabelo curto e respirou fundo. Não sabia resposta para nada daquilo, não sabia resposta nem mesmo para o que eles jantariam, mas não adiantaria ficar com aquelas perguntas na cabeça. O tempo lhe daria as respostas, e Paul começava a desejar que o tempo fosse gentil com ele. Ao menos uma vez.

Olhou para os lados e hesitou antes de abrir a porta daquela prateleira. Queria achar algumas coisas para fazer um jantar para ela e Paul, nada muito sofisticado, apenas algo para comerem antes de dormir. Ouviu o chuveiro sendo desligado e parou de mexer nas coisas, esperando que ele viesse até a cozinha em pouco tempo. Olhou para o corredor que dava na cozinha e viu a sombra de Paul vindo devagar, o que não esperava era que ele viesse apenas com a toalha amarrada na cintura, o corpo ainda molhado e o cabelo escorrendo.

Tentou a todo custo não ficar olhando, mas parecia impossível. Parecia simplesmente impossível seus olhos se desviarem das gotas descendo pelo tronco, fazendo as curvas dos músculos definidos. Era quase impossível que não olhasse, aquela área de seu cérebro que parecia pertencer a ele estava atiçando-a, e Bella não sabia se queria resistir de verdade.

"Estava procurando..."

"Algo pra comer."

O som da voz de Paul, baixo, rouco e calmo fez Bella estremecer. Todo seu corpo reagiu a ele, e sabia que ele sentira isso. Aparentemente todas suas sensações passavam pelo cérebro dele, e ele sabia qual estava correndo em suas veias naquele momento.

"Deveria tomar cuidado, Isabella... seu sanguessuga poderia conseguir se acalmar com você sentindo-se assim, eu não sou ele."

"Ainda bem."

Paul ponderou sobre a resposta dela e sorriu. Era aquele momento. Se tivesse que dar errado, começaria por ali, mas então ele não se importava, não agora, não com Isabella querendo provocá-lo daquele jeito. A viu desviando os olhos dos seus, a boca repuxando-se e o rosto transformando-se em uma careta quando ela percebeu o que tinha dito.

"Está com fome?"

"Sempre."

Soltou a toalha da cintura, fazendo-a aterrizar no chão devagar enquanto Bella arregalava os olhos e virava o rosto. Riu dessa atitude, sentia que ela estava com a adrenalina correndo rápida no sangue, mas a vergonha também estava presente. E muito presente.

"Se continuar com o rosto virado vou pensar..."

"Você pensa?"

A frase fez Paul congelar no lugar olhando incrédulo para uma Isabella com ambas as mãos na cintura e os olhos desafiadores colados em seu rosto. De algum modo toda aquela vergonha e timidez conseguiam ser rapidamente substituídos por arrogância e coragem. Sorriu enquanto continuava aproximando-se devagar e a via parada no mesmo lugar, o desafiando.

"Sabe, Bella, sempre achei que você..."

"Senta que la vem história."

Sorriu internamente. Estava conseguindo exatamente o que queria, desconcertar Paul. Era ridículo que tivesse que usar desse artifício para parar seus avanços, mas ele simplesmente não tinha pudores. Os olhos corriam seu rosto por inteiro após sua pequena frase, como se ele não conseguisse acreditar que ela falara aquilo. E Bella lhe deu tapinhas nas costas pela tática. Não tinha certeza de por quanto tempo aquilo funcionaria, sentia suas pernas tremendo levemente com a visão dele sem roupa alguma, mas teria que resistir o quanto conseguisse. Viu-o cruzar os braços no peito nu e molhado, o rosto ficando sério e a corpo tenso.

"Certo. Você me tirou do sério. Três segundos para que você corra."

Bella só registrou de verdade o que ele tinha falado quando ele já estava lhe falando o número dois, e então virou-se para correr. Sabia que aquilo não acabaria bem, poderia cair, se machucar feio, como era de costume. Mas o que era mais ridículo e perigoso, era saber que a culpa era toda sua, e que por um lado queria que ele lhe alcançasse.

"Eu não tenho solução." disse para si mesma quando caiu no sofá e sentiu o peso do corpo de Paul por cima do seu, em suas costas.

"Não Bella, não tem mesmo."

Respirou fundo contra a nuca dela, colocando sua língua para fora e correndo-a pela pele quente de Isabella. Sentiu-a arrepiar-se e isso causou uma reação involuntária de seu corpo, mas uma bem vinda. Forçou seu quadril contra o dela, segurando-a no sofá com os braços e beijando a nuca, apenas para mordê-la no ombro com certa força e ouvi-la reclamar.

"Paul, me deixe virar."

Ponderou alguns segundos antes de deixá-la virar-se. Os olhos castanhos de Bella lhe miravam sérios dentro de seus olhos e sabia que seu sorriso não fazia nada para deixá-la mais calma. Entretanto, para ele, ela havia começado aquilo. Ela havia feito aquilo acontecer. E agora ela arcaria com as consequências.

Abaixou seu rosto até perto do dela, beijando-a com força, forçando seu quadril contra o dela. Sentia como ela estava quente, e conseguia sentir a vontade inundando o cérebro dela de pouco em pouco. Seu lobo uivava feliz e Paul parecia aliviado. Respirou fundo e sem quebrar o beijou puxou o corpo de Isabella para cima, fazendo-a enrolar as pernas em sua cintura e os braços em seus ombros.

Carregou-a sem precisar olhar, para seu quarto, deitando-a na cama e separando sua boca da dela. Sorriu pelo canto da boca pela visão que teve. Isabella Swan, a ex-amante dos sanguessugas, filha do chefe de polícia, com os cabelos jogados e colados no rosto, a boca avermelhada, os olhos com as pupilas dilatadas, o pijama amassado. Sorriu ainda mais disso.

Engoliu em seco e respirou fundo ao vê-lo aproximando-se de si, ajoelhando na cama e puxando sua calça devagar para tirá-la de seu corpo. Sua pele arrepiava cada vez que os dedos quentes dele tocavam-na. Era incrivelmente bom, e a sensação enviava pequenas descargas elétricas para todo seu corpo. Viu-o olhá-la sem calça, apenas de renda, e sentiu o rosto esquentar, mas ao mesmo tempo queria que ele a olhasse, a tocasse e a tivesse logo. Toda aquela demora parecia tortura.

"Paul... eu..."

"Não, agora você não vai falar."

Os lábios dele tocaram suas coxas e Bella teve certeza que todo seu corpo entrou em combustão. A língua dele corria sua pele com rapidez, chegando até sua renda, e então pulando para sua barriga, puxando sua enorme camiseta com os dentes. Nesse momento Bella realmente achou que morreria, sua respiração estava tão acelerada que sentia a garganta doendo, o peito subindo e descendo com rapidez.

Paul estava de joelho entre suas pernas, as mãos agora faziam o serviço de tirar sua camiseta e os olhos dele revelavam a fome de o corpo dele estava. Tremeu. Suas mãos subiram sozinhas para tocá-lo, descobrindo a pele morena lisa e quente dele. Algumas gotas ainda estavam presas na pele dele e seus dedos deslizavam por ela. Seus olhos seguiam suas mãos e quando suas mãos seguraram com força a cintura dele, ouviu-o soltar algo como um rosnado do fundo da garganta, sua mente começou a trabalhar rápida demais.

Olhou para cima, no rosto dele, e sua respiração parou, o rosto de Paul era uma máscara de prazer e tudo que Bella conseguia sentir era atração pelo rapaz que transformava-se em lobo e a tinha como companheira para o resto da vida. Aproximou o rosto da barriga dele, beijou devagar e ouviu-o rosnando baixo outra vez.

"Deite."

A voz dele estava distorcida. Os olhos miravam os seus e Bella deitou o corpo no colchão, apenas para que Paul deitasse o dele com rapidez, os dedos puxando sua renda pelas pernas e logo após enterrando-se com força dentro de si. Fechou os olhos e enterrou suas unhas nos ombros dele. A dor pareceu deixá-la sem ar e mesmo com os olhos fechados via pequenos pontos brilhantes.

"Abra os olhos, Isabella."

Não era um pedido, era uma ordem. O lobo estava dando uma ordem para sua imprinting e ela obedeceu. Devagar abriu os olhos, apenas para que ele começasse a se mover, o rosto próximo ao seu, o corpo pesado contra o seu. Não conseguia dizer nenhuma palavra, mas sentia o corpo quente de Paul, o modo como ele a olhava, a mente dele lhe contando mais do que tudo que acontecia ali poderia lhe contar. Abriu a boca e gemeu alto, o corpo dele era quente e ele entrava em seu corpo de forma bruta, seca. Cada estocada parecia que era feita com raiva, mas as mãos de Paul contavam outra história.

As mãos de Paul deslizavam por todo o corpo de Bella, tocavam seus seios, apertavam-no contra a palma da mão. Os dedos massageavam suas costas, apertavam suas coxas, corriam por sua barriga. Bella não achava que aguentaria mais tempo, aquela sensação que ocupava tudo que pensava e sentia, aquela sensação de que simplesmente poderia deixar de existir e o faria feliz.

Sorriu e o beijou, puxou a nuca dele e sentiu como se ele resistisse ao beijo, mas então ele cedeu, e o rosnado que reverbava em seu peito, tornou-se mais alto, mais forte.

"Não ouse dizer isso... não ouse"

Riu enquanto sentia a sensação subindo por suas pernas, alcançando seu ventre, seus pulmões, seu coração e então sua mente. Estremecia a cada pequeno toque dele agora. Parecia demais, agora tudo que Paul fazia parecia demais, quente demais. E ele olhava-a como se fosse uma das coisas mais importantes de sua vida. E ela era. Bella sabia que era importante para ele.

Abraçou-o e então o sentiu enterrar os dedos em sua cintura levantando seu quadril e entrando em si com mais força uma última vez. Um alto gemido e rosnado escapando da boca dele para logo após senti-lo mordendo devagar a curva de seu pescoço, as mãos agora massageando onde havia apertado. Afastou seu rosto do dele e olhou dentro de seus olhos, vendo-o sério. Beijou-o e quase nem percebeu quando dormiu com Paul ainda dentro de seu corpo.

Notas Finais


Só falta 4 caps


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...