História Wrong imprinting - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Bella Swan, Paul Lahote
Tags Saga Crepúsculo
Exibições 63
Palavras 2.074
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi

Capítulo 12 - 12


Capítulo 12

Sentou-se na varanda olhando para o céu escuro, sua respiração saia pela boca devagar e com uma espessa nuvem de fumaça. Cruzou os braços e observou como as árvores se moviam devagar, e como a escuridão não mais a assustava; Bella já sabia os segredos que ela escondia. Os segredos que por tanto tempo parecia que seriam seus, e apenas seus, agora estavam em aberto. Agora existiam tantas pessoas com segredos como os seus, tantas coisas novas, e tantos sentimentos conflitantes que Bella não sabia como ainda estava sã.

Encolheu-se mais e apertou mais os braços ao redor do corpo por causa do frio. Bella não conseguia acreditar que em meses sua vida virara de cabeça para baixo daquele modo. Que lobisomens, vampiros e mentiras fossem fazer parte constante de seu dia. Que esconder, fingir, mentir estavam tornando-se uma rotina.

Não conseguia imaginar alguma parte do seu dia que não houvesse mentira. Para ir até La Push, mentia para Charlie. Sobre não ter namorado, mentia para sua mãe. Para suas amigas e o resto da comunidade de Forks, fingia que era normal e que as pessoas com quem se envolvia eram normais também. Porém, nada era normal, nada em seus dias era normal. E não lembrava-se de quando pedira para as coisas não serem normais.

Ouviu galhos de uma árvore quebrando próxima à sua esquerda, sabia quem era, mas preferiu não levantar-se ou alarmar-se. Sabia que com Paul, naquele momento, brigar não levaria a nada. Apertou mais os braços no corpo e viu uma nova e espessa nuvem de fumaça branca sair de sua boca. Estava muito frio. Olhou atentamente para o local onde tinha ouvido os galhos quebrando e viu um gigante lobo cinza saindo do meio das árvores.

Tinha quase certeza de que ele não iria transformar-se, mas em segundos lá estava Paul, transformado, sem roupa alguma e aparentemente sem sentir frio algum também. Respirou fundo e apenas o observou enquanto ele parou de andar e ficou a olhá-la a uma distância razoável.

"Vai ficar aí?" Perguntou. Não gostava daquele silêncio. E gostava menos ainda que Paul estivesse com a mesma cara que estava quando sentiu que ela era sua imprinting.

"O que faz aqui fora?"

Paul não queria conversar com ninguém, muito menos com Bella. Era como se estivesse sendo cercado, e odiava a sensação de que era obrigado a fazer ou responder algo. Não gostava da sensação que Isabella lhe passava, e menos ainda de senti-la em sua mente, como que vigiando, querendo entendê-lo com apenas algumas sensações diferentes.

"Esperando pelo Papai Noel."

A resposta grosseira apenas fez com que Paul passasse por ela sem lhe dizer mais nada. Não queria conversar, não queria discutir, não queria nada no momento, apenas um banho e dormir. Estava cansado, estava querendo paz. Ouviu-a apenas virando-se, sem segui-lo; agradeceu internamente por isso. Aquilo estava tornando-se cansativo.

Por alguns momentos, enquanto entrava na casa, Paul sentiu-se em paz, mas logo após um grande incômodo pareceu apossar-se de sua mente. Algo como raiva e sabia bem de onde ela vinha. Parou no meio da sala e subiu a mão rápido até a pilastra, dando-lhe um soco. Isabella estava fazendo aquilo de propósito, ele tinha certeza.

Andou em passos rápidos até a varanda e olhou-a ainda no mesmo local, com os braços cruzados e o rosto sério, como que esperando-o voltar. Cruzou os braços também e estufou o peito. Não iria sair dali enquanto ela não saísse.

"Você é tão idiota... ridículo."

Bella disse realmente brava, e sabia que parte dessa braveza vinha de Paul, que estava bravo porque ela estava brava, e isso apenas deixava ambos mais bravos. E era praticamente impossível parar agora. A morena respirou fundo e aproximou-se dele, olhando-o nos olhos.

"Porque correu igual criança assustada hoje?"

"Não corri como criança." Ele retrucou vendo-a ficar diretamente em sua frente, impedindo-o de se transformar.

"Sim, realmente, crianças não correm tão rápido." Não sabia de onde estava tirando as respostas, mas começava a gostar de consegguir dá-las dessa forma agressiva. "Paul, eu já disse que entendo, e eu entendo, mas me afastar, correr, sumir, não vai resolver nada."

"Não temos nada para resolver."

Aquilo pareceu despertar algo dentro de Isabella. Paul a viu olhá-lo séria nos olhos e então se virar, entrando na casa e dois minutos após, sair com a mochila de roupa nas costas. Não gostou daquilo.

"Onde pensa que vai?"

Sabia que levaria certo tempo para chegar à casa de Jacob, e que isso seria de certo modo perigoso, mas não queria mais ficar ali. As atitudes de Paul eram ridículas, e aquela situação apenas estava daquele modo porque ele não conseguia aceitar o que tinha acontecido.

"Vá a merda, Paul."

Continuou onde estava, olhando-a ir embora. Dentro de seu peito, o lobo parecia revoltado, rosnava, uivava, parecia pedir que a impedisse. Porém, Paul não moveu-se, deixou que ela se fosse, até perde-la de vista. Mas conseguia senti-la, conseguia sentir a raiva e o ódio dela. A frustração e tristeza também.

Sabia que estava errado, que deveria aceitar o destino, não surtar, não afastá-la, porque sabia que não conseguiria, na verdade. Não permanentemente. Respirou fundo e desceu os degraus da varanda batendo os pés no chão com grama e andando na mesma direção que ela. Infernos, teria que ir atrás dela, e logo. O sanguessuga ainda estava na cidade, e não parecia ter entendido seus recados.

"Edward, pare com isso."

Emmett avisou pela terceira vez na mesma conversa. Já estavam discutindo há vários minutos, e Emmett via que a cada momento parecia que Edward estava perdendo a razão.

"Ela é minha, Emmett, sabe disso."

"Ela foi sua, Edward!"

Ambos estavam do lado de fora da casa, seus olhos dourados fitavam-se sérios, e não pareciam os irmãos que passaram tantos anos juntos. Não, ali pareciam vampiros desconhecidos, pareciam estranhos próximos do ataque.

Leah observava tudo parada na orla da floresta perto do grande casarão. Sentira a raiva e frustração de Emmett em sua mente com certa força, e desviou levemente seu percurso da ronda e viu que eles pareciam que começariam a se enfrentar. Engoliu em seco, o ruivo parecia que atacaria Emmett, e Leah ouviu sua loba remexer-se incômoda dentro de seu peito. Sabia que o imprinting agia em seu corpo agora, iria liderar qualquer que fosse sua ação sobre o que aconteceria.

Emmett conseguia sentir Leah perto de si, era algo que ele simplesmente conseguia sentir e aquilo lhe alarmou. Edward não parecia estar raciocinando direito, e aquela discussão poderia transformar-se em uma briga em segundos. E pelo que já vira do imprinting, sabia que Leah não lhe deixaria ficar machucado. Não, ela entraria no meio da luta e poderia acabar machucada.

"Então é isso? A loba?"

A voz de Edward pareceu enviar um aviso para Emmett, ele não era mais ele mesmo naquele momento. Algo ali parecia ter mudado, algo como ódio parecia comandar Edward, e o ruivo estava pronto para atacá-lo. Não deixaria que machucasse Leah. Não entraria em nenhuma briga, ela viria lhe defender e o pior poderia acontecer.

"Edward, fique fora disso. Deixe Bella em paz. Deixe os lobos em paz."

Um rosnado, apenas um rosnado foi o que Edward deu antes de avançar sobre Emmett, e Leah sentiu a pele rasgar-se e logo em seu lugar estava uma loba cinza clara. Assim que suas patas bateram no chão, Leah desatou a correr, enquanto seus olhos viam o vampiro ruivo atacar seu imprinting, e jogá-lo na direção da parede da casa, fazendo com que essa quebrasse e as janelas estourassem com o impacto.

Correu mais rápido, sentindo dois lobos dentro de sua mente. O primeiro era Jacob, que estava fazendo patrulha em outro canto da floresta e o outro era Paul, que parecia estar andando atrás de alguém. Não disse nada, apenas deixou que eles vissem o que estava acontecendo. Precisaria de ajuda, sabia disso.

Levantou-se rápido e viu o vampiro parado do lado de fora da casa, olhando-o. Mas o viu se virar e uma loba tentar mordê-lo. Correu, mas não a tempo, Edward já tinha acertado o animal, lançando-o para trás, fazendo-o ganir de dor e ficar deitado no chão contorcendo-se. Deu um soco no ombro de Edward, empurrando-o para longe e correndo na direção do lobo ferido. Sabia ser Leah, e agora que estava junto dela, via que o peito da loba parecia estar afundado, colocou a mão por cima do ferimento e sentiu que, no mínimo, três costelas estavam quebradas. Virou-se para a direção que sabia estar Edward e olhou-o com raiva.

"Você destrói tudo, Edward. Você não merece nada."

Leah ganiu de dor e usou suas últimas forças para voltar a forma humana. Não conseguiu ver nada, apenas uma luz forte que parecia vir do céu, e ouviu a voz apagada de Emmett.

"Não invente de morrer, cacete."

Levantou-a em seus braços e correu na direção de La Push. Precisava levá-la até a matilha, eles poderiam salvá-la, eles saberiam o que fazer. Correu com um receio absurdo em seu peito. O medo de perdê-la. O medo de não mais sentir o cheiro dela, o medo de não mais tê-la em sua vida. E caso isso acontecesse, mataria Edward. Juntaria-se com o imprinting de Bella e mataria Edward, não teria dó, não pensaria em mais nada.

Após ultrapassar a linha limite entre Forks e La Push foi recebido por dois lobos. Pelo cheiro, identificou que um deles era Jacob, que assim que andou para perto de si, transformou-se no ar. Viu o irmão de matilha dela correr até ele, e olhá-la com os olhos arregalados.

"Eu vi o que aconteceu... onde ele está?"

"Não sei, Jacob, mas isso não é hora. Ela não está bem."

Emmett afastou-a de seu peito, mostrando o peito dela, que na forma humana deixava ainda mais aparente as costelas quebradas. Jacob disse para Paul correr avisar Sam, que eles a levariam para a casa dele. Logo o lobo cinzento sumiu correndo veloz pela floresta e Jacob e Emmett começaram a correr para a casa de Sam.

"Vou matá-lo." Jacob sentenciou.

"Terá minha ajuda." Respondeu Emmett sério, olhando Leah.

Sam olhava sua matilha, estava sério. O assunto que trataria era de extrema importância e ele sabia que os ânimos não eram dos melhores. Todos ali queriam a cabeça do Cullen. Ele havia ameaçado um membro da matilha e ferido outro. Jacob estava em pé ao lado de Sam, e sentia-se como se fosse uma criança. Queria vingança, queria matar. Não apenas para vingar Leah, mas para também livrar Bella dele, definitivamente.

Paul estava em pé, em um canto da sala, olhava Sam e Jacob tentando começar o discurso. Sabia que eles precisavam pensar, mas no momento, Paul queria apenas saber que Leah estava fora de qualquer perigo e ir matar o Cullen. Não conseguia acreditar na audácia do vampiro de ameaçá-lo, mas ferir um membro da matilha era demais. Trocou o peso da perna e ouviu os passos leves de Isabella no quarto com Emily. Elas estavam com Leah, que recuperava-se aos poucos, apesar de ainda não saberem como ela ficaria.

Jacob usara a mesma técnica que o Dr. Cullen usara em si. Os ossos dela já estavam calcificando quando chegaram à casa de Sam, e Jacob e Sam, tiveram que quebrá-los e tentaram deixá-los no lugar novamente. Foram duas horas com gritos estridentes, e um vampiro que parecia que arrancaria a cabeça do irmão ele mesmo.

"O Cullen quebrou o pacto. Feriu uma de nós. Deverá ser caçado e destruído."

Sam disse apenas essas palavras e a matilha pareceu sentir-se mais leve. Todos queriam caçá-lo, todos queriam sua morte. Paul moveu-se impaciente e viu que Emmett olhava-o de forma estranha. Aproximou-se dele e viu os outros olhá-lo também.

"Ele é rápido, mas está sozinho."

Bella correu até a sala ao ouvir as palavras de Sam e observou todos os lobos. Emily veio devagar até a sala e parou ao lado de Sam, olhando-o de forma temerosa.

"Sabe que é o certo." Sam lhe disse.

"Nem sempre o certo, é o mais fácil." Emily respondeu abraçando-o.

Paul observava Bella lhe fitando longamente. Ela sabia que ele iria atrás de Edward não só por Leah, mas também por ela, e uma urgência cresceu em seu peito. Ficou com o peito apertado, o rosto estava sério, mas queria e sentia que chorava por dentro. Precisava colocar um fim naquilo. Precisava parar Edward. Ninguém se machucaria por ela, ninguém!

Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...