História Wrong (sebaciel) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Agni (Arshad), Bardroy "Bard", Ciel Phantomhive, Elizabeth Midford, Finnian "Finny", Grell Sutcliff, Mey-Rin, Príncipe Soma Asman Kadar, Sebastian Michaelis, Sr. Tanaka, Undertaker
Tags Black Butler, Depressão, Drama, Sebaciel, Sebastianxciel, Suícidio, Yaoi
Exibições 332
Palavras 706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hooooooi

Se preparem, serio mesmo!!!!

Capítulo 15 - 1:15 Este mordomo, Perplexo.


Fanfic / Fanfiction Wrong (sebaciel) - Capítulo 15 - 1:15 Este mordomo, Perplexo.

Ciel acordou bem pior na manhã seguinte. Ele estava estranho também, mas Sebastian decidiu não questionar o que estava acontecendo com ele.

—Precisa de algo, Jovem Mestre? — o demônio perguntou vendo a expressão indecifrável no rosto da criança.

—Não... Eu só quero ficar sozinho.

—Entendido. Me chame se precisar de algo. — o mordomo disse, antes de sair do quarto.

Assim que Sebastian se foi, Ciel suspirou. Ele se sentia estranho em relação a seu mordomo e decidiu parar de ignorar isso, ele não podia mais negar que sentia algo por ele.

Só de pensar, Ciel sentiu seus olhos se encherem de lágrimas.

Droga, ele não queria ter se apegado ao demônio. Sebastian não podia retribuir o sentimento e se descobrisse com certeza iria debochar dele e ele ficaria muito triste e isso o faria parecer fraco.

Claro, ele era fraco. Era fraco por ter se rendido a sentimentos, era fraco por gostar de seu mordomo, era fraco por estar chorando agora.

Antes que ele pudesse conter, começou a soluçar.

—Tsc... — ele ouviu uma voz familiar, antes de limpar o rosto rapidamente e ver Undertaker sentado em sua janela. — Você é bonito de mais para chorar conde. — o ceifador disse olhando para o garoto, que tentou conter as lágrimas que não paravam de fruir.

—O-Oque você está fazendo aqui? — ele perguntou com a voz falha e baixa.

Ciel não sabia porque ainda não havia chamado por Sebastian, mas ele não queria ter que dar satisfações ao demônio por estar chorando.

—Apenas visitando... Criatura linda. — o ceifador murmurou a última parte, enquanto se aproximava da cama da criança.

—Não, não chegue mais perto. — Ciel pediu coçando com força a pele delicada e ferida de seu braço. Era um tipo de tique que ele tinha quando ficava muito nervoso.

—Não se machuque, conde. Você é belo de mais para tal coisa. — Undertaker disse sem realmente dar atenção para o que o menino havia falado.

Ciel estava com o cenho franzido. Ele nunca havia visto Undertaker tão sério daquela maneira e por alguma razão, era assustador.

—Pare! — ele disse com firmeza, fazendo o ceifador finalmente parar onde estava, que era bem próximo a cama. — Não chegue mais perto. — ele completou limpando as últimas lágrimas de seu rosto.

—Pequeno, não vale a pena chorar por ele. — Undertaker disse, fazendo a criança o encarar.

—O que você está dizendo?

—Você está se desmanchando em lágrimas por seu mordomo, querido. — ele respondeu, aproximando sua mão lentamente ao rosto do menino.

Ciel pensou em lhe empurrar e gritar por Sebastian, mas a nova vontade de chorar o impediu, lhe fazendo apenas abaixar o rosto e soluçar.

—V-Você não s-sabe o que diz. — ele murmurou entre soluços e teve seu rosto levantado por aqueles dedos longos e frios.

Undertaker olhou diretamente nos olhos do garoto, antes de aproximar seus rostos.

—Eu sei. Eu sei como você o olha, sei como se sente por ele, sei como dói saber que nunca será correspondido. — o ceifador murmurou, fazendo a criança entrar em um tipo de transe.

Ciel mal conseguia se mover, ele apenas encarava os olhos do ser a sua frente e absorvia tudo que ele dizia.

Era tudo verdade.

Ele viu o ceifador sorrir, finalmente, e aproximar seu rosto do seu, igual Sebastian havia feito uma vez.

Mas em vez de parar, ele apenas continuou chegando mais e mais perto, até finalmente ter seus lábios tocados pelo do ceifador.

Era uma sensação nova para Ciel, sentir os lábios de alguém nos seus, era estranho, mas bom.

Era bom sim, era macio e parecia que almofadinhas estavam sob seus lábios, lhes preparando para dormir.

O ceifador puxou a criança para seu colo e embora não fizesse diferença para ele, Ciel era uma criança e era um menino e ele sabia que na cabeça dos  humanos aquilo era totalmente errado.

Então ele parou, fazendo o pequeno conde despertar de seu transe.

—O-O que? — ele ficou em choque, ao perceber o que havia acabado de acontecer.

—Jovem Mestre? — ele ouviu uma voz diferente, mas familiar lhe chamar.

Com certeza Sebastian não parecia nada feliz com o que havia acabado de presenciar.


Notas Finais


Oi oi, vcs vão querer me matar? Acho que sim, não sei.

Desculpa, mas é necessário.

O cap ta miudinho, mas é só pra vcs não ficarem sem att hoje, o próximo sai no final de semana e vou tentar fazer bem grande.

Comentem o que estão achando, bjos.

Até mais 🔯❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...