História Wrong (sebaciel) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Agni (Arshad), Bardroy "Bard", Ciel Phantomhive, Elizabeth Midford, Finnian "Finny", Grell Sutcliff, Mey-Rin, Príncipe Soma Asman Kadar, Sebastian Michaelis, Sr. Tanaka, Undertaker
Tags Black Butler, Depressão, Drama, Sebaciel, Sebastianxciel, Suícidio, Yaoi
Exibições 327
Palavras 524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hi de novo

Eu já disse que o Ciel é um bebezinho? Não? Ele é um bebezinho.

E é kawaii, muito mesmo ❤❤❤❤

Capítulo 17 - 1:17 Este mordomo, Tenaz.


Fanfic / Fanfiction Wrong (sebaciel) - Capítulo 17 - 1:17 Este mordomo, Tenaz.

A madrugada foi tranquila para Sebastian que ficou mergulhado em seus pensamentos.

Mas as três da manhã, no horário que Ciel sempre decidia acordar, ele percebeu a criança inquieta ao seu lado. O menino começou a gemer baixinho, enquanto esfregava seu rosto, verdadeiramente igual a um bebê, nos pensamentos de Sebastian.

O demônio sorriu com carinho para a cena e mudou seu bocchan de posição, para tentar o acalmar, mas apenas lhe fez gemer mais alto e se contorcer.

Ele levantou uma sobrancelha meio desconfiado. Seu bocchan parecia sentir algum tipo de dor.

—Hm... Sebastian! — o menino resmungou, antes de se arrastar para o canto da cama e quase cair. Quase, porque um certo mordomo demônio o segurou antes que ele pudesse fazer isso.

—Jovem Mestre? — ele chamou, sentindo que a criança ocilava entre acordar e cochilar o tempo todo.

—Ugghh... — o menino gemeu se ajoelhando na cama e então se jogou em cima do mordomo que o assistia um pouco confuso.

Será que seu mestre tinha algum tipo de ataque enquanto dormia? Talvez.

Ele sentiu que o menino havia acordado e o olhou, vendo o rostinho pálido o encarar, antes de puxar o tecido de sua roupa

—Q-Que horas são?

—Três da manhã. — o demônio respondeu pegando seu bocchan e o puxando para cima. — Tudo bem?

—Meu corpo dói. — o menino respondeu com a voz trêmula. — Dói muito.

—Seu corpo? Ele todo?

—Ele todo.

Sebastian se sentou com a criança em seus braços e franziu o cenho ao vê-la fungar e limpar o rosto rapidamente.

—Está chorando, Jovem Mestre?

—É s-só... Não... — e então ele soluçou. — Dói muito.

—Tudo bem. Eu farei melhorar, venha. — o mordomo levantou o menino nos braços e se vestiu rapidamente, logo em seguida colocando um casaco de frio grande o suficiente no corpo do garoto para aquecê-lo e sua máscara juntos, antes de sair do quarto.

Ele caminhou pela pequena residência onde estavam hospedados e parou, ao ver Finny e Bard na cozinha fazendo algo que provavelmente não deveriam estar fazendo.

—Finnian, Bard. — ele chamou, fazendo os empregados ficarem de pé imediatamente.

—Oh, o que aconteceu com o Jovem Mestre? — Finny perguntou assim que viu o garoto encolhido nos braços do mordomo.

—A sua asma piorou mais do que eu esperava. Eu iria acordar apenas um de vocês, mas já que os dois estavam acordados, podem me ajudar.

—Sim. — os dois responderam imediatamente.

—Eu irei levar o Jovem Mestre a um médico agora e quando voltar, provavelmente não precisaremos mais estar aqui, então assim que der seis da manhã, comecem a arrumar as malas e deixá-las prontas, assim que chegarmos, vamos todos embora. Entendido? — Sebastian pediu com o sorriso de sempre e os empregados assentiram.

—Sim senhor.

O demônio saiu logo depois de dar as ordens e assim que pos os pés para fora de casa, foi pego com uma pergunta.

—O que você está indo fazer? — seu mestre perguntou, antes de tossir fraquinho.

—Estou indo acabar com este caso agora mesmo. — Sebastian respondeu, encarando a face da criança, antes de sorrir.


Notas Finais


Eu sei que ta pequenino, mas é só pra vcs não ficarem sem cap, já que eu provavelmente vou demorar a postar outro. O próximo vai ter mais que o dobro do tamanho desse, prometo.

Até mais ❤🔯


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...