História Wrong Side Of Heaven - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Visualizações 28
Palavras 760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem...Como já está no título é apenas o prólogo por isso está pequeno :v
Os capítulos mesmo serão maiores prometo <3

Capítulo 1 - Prólogo


“Arms wide open, I stand alone

I'm no hero, and I'm not made of stone

Right or wrong, I can hardly tell”-Wrong Side Of Heaven (Five Finger Death Punch)

Eu não sou uma heroína, também não sou a vilã, mas faço isso porque pessoas ruins ainda rondam este mundo, algumas moldadas por ele mas outras...Infelizmente já nasceram assim. A sensação de matar alguém e logo em seguida ficar sozinha é uma das piores, você senta em um canto e reflete ‘’Fiz certo? Ele merecia isso mesmo?’’ e mesmo eu fazendo isso ainda a resposta é sempre sim, observo o sangue em minhas mãos é fresco e os corpos ainda quentes de homens horríveis, nojentos e asquerosos.

Eu não era assim antes de tudo, eu  tinha uma vida normal, amigos, uma família...As vezes penso o que um dos meus melhores amigos pensaria disso...Ele era xerife antes, talvez hoje não se importe tanto com isso mas vai saber não é mesmo? Me levantei e guardei algumas das coisas que aqueles homens levavam na minha mochila, antes de eles chegarem eu havia escutado um barulho de carro então provavelmente seria o deles, limpei a minha faca e segui na direção da estrada e não encontrei nada.

Suspirei e olhei ao redor, realmente não havia nada... Pelo menos não agora, as marcas de pneus no asfalto eram evidentes, por um momento pensei no caso de ter mais alguém com eles que acabou vendo o que fiz, dei de ombros, afinal ninguém iria me denunciar por assassinato mesmo...Continuei o meu caminho sem saber exatamente para onde ir, tudo nessa nova vida, se é que posso chamar assim, é meio incerto pois em um momento você pode estar dormindo tranquilamente e no outro ter a boca de um morto vivo enterrando os dentes em seu pescoço para se alimentar...

***

Ainda estava caminhando quando escureceu, a minha água havia acabado e eu estava morrendo de cansaço, mas resolvi continuar andando pois estava chegando em uma parte do lugar em que começava a aparecer mais casas, entrei em uma mercearia para ver se ainda tinha água ou algo potável para beber, como de costume joguei uma pedra para o interior do estabelecimento, o som atrairia qualquer zumbi que estivesse lá. Como o local permaneceu no mesmo silêncio entrei com a lanterna em uma das mãos, a faca pronta para qualquer coisa que tentasse me atacar.

Escutei algumas vozes em uma sala meio escondida no fundo do local, provavelmente era um tipo de depósito, ouvia apenas alguns fragmentos de uma discussão, dois homens falavam algo sobre um deles não precisar de babá...Fiquei escutando por um tempo até que ouvi um nome familiar, “Rick”, não poderia ser o mesmo, as chances eram praticamente nulas mas continuei ouvindo.

Respirei fundo e abri a porta, provavelmente eles me metralhariam mas não...

De repente uma luz me cegou por uns instantes, depois dos meus olhos se acostumarem a claridade repentina  notei que ela estava vindo de uma lanterna, e quem a segurava era  um homem ligeiramente alto, encorpado e endurecido pelo tempo de luta, os seus eram cabelos pretos na altura do pescoço, emaranhados, e um rosto com expressão cansada, como quem está sempre sentindo o peso do mundo sob si, uma barba grisalha de um homem de meia idade e por fazer era evidente em seu rosto, o nariz era saliente e olhos escuros, um outro rapaz que era alguns centímetro mais alto estava atrás dele e estava pegando algo em sua mochila:

-Mas que droga! Pode virar essa coisa para outro lugar que não seja a minha cara?-Esbravejei enquanto protegia os meus olhos com a mão livre.

Ele abaixou a lanterna e tive que piscar os olhos várias vezes para poder enxergar normalmente outra vez, podendo observa-los melhor pude notar que apesar de cansados não parecia estar a muito tempo na estrada, com certeza tinham algum lugar seguro:

-Vocês estão bem melhores do que as pessoas que encontrei... Tem alguma comunidade?

Quando o que estava com a lanterna estava prestes a falar um provável “não” o outro o interrompeu:

-Nós temos uma comunidade não muito longe...-O outro lhe lançou um olhar irritado.

-Rick não vai gostar que você fique falando isso para qualquer um que encontramos...-Disse ele em um tom de voz baixo, na esperança que eu não escutasse.

-Rick Grimes?-Não iria perguntar agora, seria melhor esperar para ver se era ele mesmo mas quando notei já havia dito isso.

Por um momento eles pareceram surpresos e tive uma leve esperança de que fosse realmente o Rick que eu esperava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...