História Wtf 1.2 - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Rap Monster, Suga
Tags Hobi, Hope, Hoseok, Nam, Namjoon, Rap Monster, Suga
Exibições 60
Palavras 3.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Caralho! Alguém chama o SAMU. Pq eu tive cinco infartos enquanto escrevia esse capítulo!

Capítulo 36 - Capítulo 35


Eles ficaram ali alguns minutos deitados em silencio, apenas se encarando.  Jin sorriu e Wendy sorriu de volta, ele aproveitou a brecha:

-Tudo bem?- ele perguntou

-Sei lá. É estranho- ela disse rindo- Não, mas é um estranho bom!- ela corrigiu rápido quando viu a cara de susto do namorado.- Deviamos ter feito isso antes.

Jin olhou e riu.

-Acho que não teria sido uma boa ideia fazer isso antes...

-Ué, porque não- ela perguntou incrédula.

-Digamos que eu não estava preparado- ele disse sem graça.

Ela riu, mas quando notou o rapaz estava sério ela ficou séria também.

-Wendy... preciso te falar uma coisa séria.

A menina se sentou de frente para ele e ficou esperando que ele prosseguisse .

-Eu devia ter dito isso antes...

-Fala logo Jin!- Wendy falou ansiosa.

Ele achou graça da afobação da namorada então ele se encheu de coragem e falou:

-Aquele dia na sua casa, ainda que o Yoongi não tivesse aparecido... eu não ia conseguir transar com você.

Wendy olhou incrédula, mas não atrapalhou a explicação do rapaz esperou por cada palavra.

-Meu pai sempre falou que a primeira vez é algo muito delicado para uma garota e por isso nós temos obrigação de fazer ser especial. - Jin fez uma pausa estranhando o silencia da menina que o olhava ansiosa – então eu fiquei pensando, como eu poderia fazer algo especial se nem eu sabia o que estava fazendo?

Wendy olhou tentando processar as informações.

-Jin eu não estou entendendo...

-Amor, eu nunca havia transado antes.

Wendy olhou incrédula mais uma vez afinal de contas isso explicava bem o porque o namorado vinha fugindo dela nos últimos 15 dias. No final das contas não era só por falta de tempo.

-Mas não faz sentido, você se saiu tão bem... como se já tivesse feito isso tantas outras vezes!- ela indagou.

-Vou te contar algo... Promete que não vai rir?

Ela olhou de modo suspeito, sempre que Jin pedia para ela prometer não rir na sequencia ele falava ou fazia algo que a deixava à beira das gargalhadas.

-Prometo... eu acho.- respondeu

-Acha nada! Vem cá, promessa de mindinho- ele disse estendendo o dedo mindinho que com certeza davam dois do da menina.

Ela laçou seu dedo mínimo ao dele e ele sorriu desconcertado, levantou colocou a bermuda e foi até a mesa se cabeceira, pegou a chave destrancando a ultima gaveta. Virou para o rumo da namorada e caminhou entregando a ela um pequeno caderno de capa preta.

Wendy abriu com cautela, não sabia o que havia ali mas pela segurança com a qual ele guardava parecia ser algo importante. Abriu o caderno, a primeira coisa que leu ‘Coisas a fazer na primeira vez’, haviam pequenas reportagens coladas e algumas anotações feitas a mão, entre elas ela notou o título ‘ passe confiança para sua parceira’, ‘trate com carinho’, ‘tenha cuidado, imagine que ela é feita de cristal’. Wendy corria os olhos pelas paginas e se surpreendia a cada folha. Jin ficou a observando, ela sorria e ele se sentiu um tolo por mostrar aquilo a ela.

-Jin você... estudou isso?

Ele se sentiu patético por um momento e assentiu abaixando a cabeça. Wendy continuou analisando as paginas em uma delas uma anotação feita em caneta rosa a chamou a atenção mais que todas as outras: “Durante o ato a garota precisa se sentir segura e confortável, esse será um momento especial e ela se lembrará pela vida toda, tente entrelaçar suas mãos ou abraça-la durante o ato, se você a ama deixe isso bem claro.” Nas  anotação seguintes “sexo seguro é importante, porém preservativo na primeira relação sexual pode causar desconforto na garota” e “...busque proporcionar primeiramente prazer antes de recebê-lo, isso é de extrema importância. Ao estimular o clitóris  em movimentos circulares ...”

Jin deu alguns passos e retirou gentilmente o caderno das mãos da garota, devolvendo logo para a gaveta de onde o havia retirado. Se virou para a menina que vestia novamente seu moletom.

-Agora você já sabe meu segredo- disse constrangido.

-Então você estudando tudo isso para fazer minha primeira vez especial?- ela perguntou.

-É... vi alguns vídeos também- disse sem graça.

-Princeso, não precisa ficar sem graça...- ele disse tocando carinhosamente o rosto do rapaz- isso foi lindo Jin. A maior prova de amor que você poderia me dar. – ela riu- e se serve de consolo, eu andei pesquisando pelo assunto também... – Jin soltou uma risada.

-Pervertida!- disse brincando com a menina.

-Você é o melhor namorado que existe!- ela o abraçou apertado– obrigada por fazer eu me sentir especial.

-Amor você é especial!

-Obrigada Jin!

Ele apertou a menina e depositou um beijo na sua face, ela sorriu.

-Preciso voltar para casa.

Wendy foi ao banheiro, se limpou e se recompôs. Jin a levou até o carro logo voltou para casa sorrindo bobo, pegou seu notebook e voltou ao trabalho, afinal precisava longo concluir aquele tcc, pois ai precisar de tempo livre para curtir a nova fase do seu relacionamento.

 

POV WENDY ON

Saí da casa de Jin e voltei para minha casa, fui o mais rápido que pude para o meu quarto tentando não ser notada. Tomei um banho demorado e fiquei ali na banheira me lembrando das sensações que Jin havia acabado de me proporcionar, mas muito além disso agora eu realmente tinha certeza dos meus sentimentos por ele. Estava com uma vontade louca de correr até a sua casa e fazer tudo novamente, porque eu havia amado cada mínimo detalhe.

Meu banho teria durado muito mais tempo se não tivesse alguém batendo na porta do quarto me arrancando dos meus pensamentos. Saí da banheira coloquei o roupão e fui até a porta.

-Yoongi?!

-Posso entrar?

-Claro!

Dei passagem para ele passar e fechei a porta, fui até o closet, coloquei uma short branco e o crooped cinza, voltei para o quarto com pente nas mãos.

-Prontinho- sorri para ele- o que houve?

Yoongi me olhou com uma cara desconfiada.

-Como você está?

-Ótima... Por que?- disse enquanto passava o pente por entre meus cabelos.

-Sei lá, ontem você tava toda triste, hoje saiu correndo de manhã...  agora ta toda sorridente.

Minha vontade era de enfiar a cara num buraco, não queria ter aquela conversa com ele. Não me sentia a vontade para contar para ele sobre aquelas coisas. Mas eu também não conseguia parar de sorrir, o simples fato de lembrar do que tinha acabado de acontecer me fazia sentir um frio gostoso na barriga.

-Ué você mesmo disse para eu falar com o Jin... foi o que eu fiz!- tentei disfarçar.

-E aí?

-E aí o que?- falei olhando para os lados.

-Como foi lá?

-Não fizemos nada demais – falei rápido tentando me livrar da culpa.

-Ai Wendy, to perguntando como foi a conversa!- ele me olhou ainda mais desconfiado.

-Nós... bem... conversamos... e- fiz uma pausa- ta tudo bem entre nós.-sorri novamente quando me lembrei das coisas que Jin havia me dito.

Yoongi me olhou e deu uma risada.

-Vocês transaram!

Fiquei vermelha, azul e roxa de vergonha.

-Tá maluco?- falei alto o que fez eu me entregar ainda mais.

-Wendy... isso não faz diferença e eu nem quero saber os detalhes. – Yoongi falou e me ncolhi ainda mais de vergonha.

Ele percebeu meu desconforto, e me chamou batendo a mão ao seu lado na cama para que eu me sentasse.Foi o que eu fiz, caminhei até lá e sentei, respirei fundo esperando o que ele tinha para dizer.

-Você está feliz, certo?

Assenti com a cabeça.

-Então pronto. - ele fez uma pausa- ele te tratou bem?

Assenti mais uma vez com a cabeça e ele sorriu.

-Ótimo... Melhor ele continuar assim se quiser viver mais alguns anos.

-Não quero falar sobre isso Yoongi...- falei morrendo de vergonha.

-Wendy, isso faz parte da vida, não precisa ter vergonha de falar sobre isso. Mas se você tiver qualquer duvida não pergunte a mim! Minha experiência não abrange esse setor!

Ri da cara dele. Ele me abraçou e me deu uma mordida na bochecha.

-Ai! Viado!!- resmunguei.

-Olha aqui queridinha- ele disse afinando a voz- homofobia é crime!!

-Achou ruim? Mete o PROCELSON!!!- Falei entrando na brincadeira.

-Você é uma idiota!- ele me olhou – mas eu amo você e por isso me preocupo. Fiquei muito mal ontem por te ver daquele jeito, não quero te ver assim nunca mais.

-Tá tudo bem, eu também de amo ‘docinho’.- falei em frisando a palavra docinho.

- Pode parar, só o Tae pode me chamar assim!- ele disse fazendo cara de poucos amigos.

-Yoongi, qual é seu lance com o Tae?- perguntei séria.

Ele ficou me olhando por alguns segundos, acho que estava escolhendo as palavras.

-Não tem um lance... eu só ... sei lá.- ele se perdeu nas palavras.

-É tão triste tudo o que aconteceu com ele – falei em tom melancólico.

Yoongi  colocou as mão para trás se apoiando na cama e encarou o chão, eu o fiquei observando. Depois de um tempo ele me encarou.

-Ele é muito precioso. Não vou permitir que ninguém mais faça mal a ele. Vou cuidar dele assim como vou cuidar de você!

- Tá me falando que você o vê como irmão? Perguntei incrédula.

-Talvez, eu não sei... não quero pensar nisso e nem quero que Tae pense nisso. Ele precisa se recuperar agora, o psicológico dele ainda está bem abalado. Não acho legal ele pensar em relacionamentos ou coisas do tipo.

-Eu te entendo. Sabe o que eu não entendo ele é tão amável, tão puro... como o próprio irmão teve coragem de fazer isso com ele?

-Ah, já ia me esquecendo. Ele não sabe que sabemos sobre o estupro então tenta não comentar nada, deixa ele se sentir a vontade para falar a respeito.

-Claro!

-Sabe eu estive pensando durante essa semana. Nós temos a Kell que cuida de nós dois e não temos praticamente gasto nenhum em casa... – ele parou pensativo – o Tae tem muita vontade de estudar psicologia, então eu estive pensando em usar parte do meu salário para pagar a faculdade. E também logo ele vai poder trabalhar e tudo mais...- ele me olhou esperando alguma reação – e aí, o que você acha?

-Yoongi! Você é um gênio!- a ideia era realmente boa- Mas você tem que ser rápido, acho que ainda conseguimos inscrever ele para o vestibular da nossa universidade.

- Seria ótimo ele estudar no mesmo lugar que a gente, pelo menos assim dava para cuidar dele.

-Para, você fala como se ele tivesse oito anos e não dezoito.- falei rindo- já falou com ele?

-Não, estou com medo dele assustar, sei lá.

-Aish! Duvido! Ele vai é gostar da ideia... pelo menos eu amaria se alguém quisesse patrocinar meus sonhos. – falei.

Ele me olhou e arregalou os olhos.

-Claro! Como não pensei nisso antes? – ele se levantou sorrindo e beijou minha testa – você é um gênio!

-O que você vai aprontar?

-Ah maninha... logo você vai descobrir.-Ele disse e saiu na direção do escritório.

Uma das vantagens da casa nova, omma criou um ambiente extremamente agradável e confortável. Talvez um pouco exagerado, na verdade eu achei extremamente exagerado uma casa tão grande. Mas ela montou a biblioteca e o escritório separados, a biblioteca ficou perfeita com estantes do chão ao teto nas quatro paredes, cinco poltronas confortaveis e uma enorme mesa de estudos ao centro. No escritório ela se preocupou em colocar três computadores de mesa, artigos de papelaria/escritório , vários quadros lindos e inspiradores. Montou duas salas, uma de estar para recebermos as visitas, uma sala de jogos (o Tae quase morreu quando viu) e uma sala de TV (o que eu achei exagero já que todos os quartos tem TV). Mas as coisas mais impressionantes são a sala de jantar com mesa para 12 pessoas e a adega anexa com vários vinhos e destilados e na parte de trás da propriedade uma quadra com varias marcações no chão, dava para usar em vários esportes e a piscina tinha proporções retangulares e ocupava boa parte da área livre da área externa, a lateral direita do duplex era toda coberta formando uma imensa área de lazer decorada com vários bancos de madeira maciça, com churrasqueira de alvenaria ao final da cobertura.

Sorri e por um momento imaginei se conseguiria ter todo esse sucesso quando estivesse formada. Por um breve momento tive medo do futuro. Então me lembrei de Jin, isso fez com que me sentisse mais confortável. Mas que merda estava acontecendo comigo? Eu nunca fui de associar meu bem estar ou sucesso à pessoas, não ia depender de Jin para nada, isso não fazia parte dos meus princípios.

O dia foi bem corrido, varias pessoas andavam pela casa organizando tudo para a “festinha”. Passei o dia a maior parte do dia com Tae, rimos demais. Pregamos varias peças em Yoongi e até a Kell entrou na brincadeira. Por volta das 14:00 decidi sair para comprar um biquine. Afinal com uma piscina enorme em casa e meus biquines estavam todos fora de moda.

Tae e eu tentamos convencer Yoongi de toda forma a ir conosco, mas ele estava ocupado colocando os relatórios do estágio em dia, e também tinha marcado uma reunião com a Cindy para decidir um plano de ação para aumentar as vendas da dupla. Talvez eu ficasse nesse desespero também, sorte a minha foi que Jin nos ajudou criando um aplicativo para auxiliar na busca e venda. Na verdade o sucesso da nossas vendas foi esse aplicativo que era super simples e extremamente fácil de ser usado, e Jin o criou em dois dias. Ah como ele é fantástico!

Por fim Tae e eu fomos sozinhos, cara tem algo errado com esse menino! Ele não para quieto um minuto, o que é ótimo porque eu odeio gente morta. E ele me passa vergonha toda hora, o que é melhor ainda porque com ele eu posso ser eu mesma e ele me entende.

Andamos por um longo tempo, entrando em todas as lojas imagináveis e inimagináveis. Escolhi alguns biquines, aproveitei e comprei também shorts e croopeds de várias cores, mas dessa vez era diferente porque eu estava comprando com meu futuro salário. Passamos em frente a um sex shop,  olhei para Tae e sorrimos.

-Sempre quis ver como é... – falei para ele- vamos dar uma olhada?

Tae assentiu, segurou no meu braço e entramos, o lugar era enorme, haviam vários produtos expostos. Eu ri da cara de nojinho que Tae fez quando viu um chocolate em forma de vagina. Logo uma vendedora veio até nós.

-Olá, posso ajudar o casal?

Tae olhou para a mulher e começou a rir, a coitada ficou sem entender nada.

-Desculpe- disse tentando conter o riso.

- Somos irmãos!- Tae disse rindo ainda mais.

A mulher ficou de todas as cores possíveis.

-Ah me perdoe- disse desconcertada.

-Sem problemas – sorri para a mesma.

-Como posso ajuda-los?

-Na verdade nós queremos dar um presente bem constrangedor para nosso irmão mais velho... O que nos sugere?

A mulher olhou com um sorriso malicioso nos lábios, nos chamou até o balcão e começo a mostrar diversas peças femininas, fantasias eróticas e até mesmo vibradores de diversos tamanhos. Tae pegou um rosa e balançou, se assustou quando o mesmo começou a vibrar. Caímos na gargalhada, parecíamos suas crianças sozinhas em loja de brinquedos. Por fim acabamos não comprando nada para Yoongi, comprei algumas calcinhas fio dental e só.

Tae carregava todas as sacolas, começamos uma pequena briga por causa disso afinal ele ainda não estava 100% recuperado. Mas ele insistia que dava conta de carregar as sacolas sozinho por fim acabei arrancando algumas sacolas das mãos dele, ele fez um bico e ficou emburrado e eu também. Fomos caminhando em silencio ate a praça de alimentação, mas quando chegamos perto da tacos&tacos começamos a rir. Começamos a relembrar da aposta feita por Jimin, Tae e eu, depois disso nenhum dos dois permaneceu emburrado mais. Compramos Milk Shake e fomos para casa.

Já era quase 17:00 estavamos indo para casa. No caminho Tae e seu imenso fogo no rabo conseguiu derrubar o Milk shake todo no seu colo e no carro, parei no posto abastecer e pedi  o atendente para limpar a bagunça.  Fui com Tae até o banheiro para que ele limpasse sua bermuda. Ele entrou e dispensou minha ajuda, fiquei ali na porta esperando ele sair. Resolvi ir até a conveniência pegar uma garrafa d’água. Meu coração gelou quando saí da loja. O irmão do Tae estava parado conversando com o frentista e abastecendo a moto na bomba de gasolina ao de onde meu carro estava. Droga! Por que eu tinha que vir justo nesse posto? Merda como eu sou burra. Tinha me esquecido que estávamos próximo da casa antiga de Tae.

Corri até o banheiro e segurei a porta pelo lado de fora, alguém tentou puxar pelo lado de dentro então segurei com toda minha força se Tae saísse e encontrasse com o irmão as coisas poderiam ficar ruins, a pessoa que estava puxando a porta usou muita força e a abriu e eu acabei caindo de quatro dentro do banheiro masculino. O cara que abriu a porta fez uma cara confusa, e começou a gritar:

-Porque tava segurando a porta?- ele disse bravo

- Desculpa foi um mal entendido!- tentei acalma-lo.

Tudo o que eu menos precisava naquela hora era de um escândalo, não pelo menos enquanto o Hoseok estivesse ali.

-Deve ser uma drogada, com esse cabelo asqueroso!

Me segurei ao máximo para não discutir com aquele babaca.

Levanta sua ridícula, sai da minha frente agora!- ele disse me empurrando para o lado.

Taehyung saiu correndo do banheiro e avançou no cara.

-Não fala assim com a minha irmã!- deu um soco na cara do homem- Seu otário.

Me levantei quando Tae começou a gritar, o cara avançou para cima dele e o empurramos ao mesmo tempo. O cara caiu no chão e gritei para Tae correr para o carro.

Tudo aconteceu muito rápido,  Tae correu  para o carro e bateu a porta eu fui no mesmo ritmo arrancando a chaves da mão do frentista.

-TAEHYUNG- Hoseok berrou ao ver o irmão.

O cara veio correndo do banheiro gritando e chutou a porta do carro do lado onde Tae estava, rodei a chave no contato desajeitadamente e acelerei derrubando Hoseok  e sua moto, ele caiu desajeitadamente e olhou para nós. O frentista escandalizava por não termos pago e o cara continuava chutando o carro, então dei ré passando por cima do pé do cara. Entreguei  uma nota de 100,00 a Taehyung e ele abriu uma fresta na janela e atirou para o frentista. Saí do posto o mais rápido possível antes que o cara do banheiro recuperasse seus instintos de briga e Hoseok entendesse o que realmente estava acontecendo.

Acelerei entrando na avenida e virando a primeira sua a esquerda e assim fiz até chegar à avenida principal do centro da cidade me misturando aos diversos carros, Tae olhava para trás para garantir que não estávamos sendo seguidos. Dirigi mais rápido que nunca, atravessei todos os sinais vermelhos e quase atropelei um motociclista, e para completar se nos atrasassemos para a festa minha mae me mataria!

Taehyung estava de olhos arregalado e muito pálido, ele olhava com os olhos desfocados.

-Tae... Ta tudo bem?- perguntei receosa.

Antes que ele pudesse responder seu corpo  veio parar praticamente no meu colo.

-Tae pelo amor dos deuses!

Excelente hora para se desmaiar Taehyung!  Foda-se a festa, dei a volta com o carro ainda na contra mão e virei à esquerda. Andei mais dois minutos e estacionei de qualquer jeito quase adentrando o prédio branco. Desci do carro às pressas meu desespero era tanto que entrei gritando no na recepção.


Notas Finais


VRAAAAAAAAAU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...