História Wysteria - Interativa - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Gore, Interativa, Mistério, Terror
Exibições 65
Palavras 2.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Seinen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá!
Primeiro quero dizer que EU SOU MUITO RUIM COM OS TÍTULOS DOS CAPÍTULOS, Madoka do céu, desisto oficialmente de escreve-los!
Segundo, confesso que tive saudades de escrever, e estava um tanto ansiosa para finalmente estrear umas das minhas personagens preferidas da história.
Também queria dizer que FINALMENTE GANHEI UM COMPUTADOR. Sim, eu não tinha computador em casa antes ç.ç
Mas isso mudará alguma coisa? NÃO
Afinal continuarei postando todas terça, mas pelo menos poderei revisar e escrever os capítulos no final de semana e não em cima da hora como eu sempre fazia c`:

Boa leitura!

Capítulo 5 - Capítulo V


Fanfic / Fanfiction Wysteria - Interativa - Capítulo 5 - Capítulo V

 

 

 

"Muitos colaboraram para o começo dessa desgraça, mas os mesmos foram encontrados mortos assim que descobertos, inclusive o diretor. Apenas um continuou vivo e solto pelo mundo, e esse foi o que começou tudo...
Quando virá sua justiça divina senhor?
Deus, será eu um pecado?"



-x-

 

 Olá... - A mulher misteriosa acenou para Yuuhi que andava lentamente em sua direção, por algum motivo a garota estava receosa, mesmo que a mulher não tenha aparentado ser perigosa, a verdade era que ela não confiava em ninguém daquela cidade.

A esverdeada apenas sorria, um sorriso um tanto melancólico. Seus olhos acinzentados focavam em Yuuhi, como se estive a estudando, fazendo com que a garota se sentisse extremamente desconfortável com tal ação. Yuuhi escolhia o que perguntar para ela, sua mente estava dividida em: Perguntar sobre a cidade ou perguntar sobre seus colegas desaparecidos. A mulher ria, enquanto apoiava a mão em seu rosto pálido, as olheiras eram visíveis, como se ela tivesse passado muitas noites acordada.

 Sinto que está nervosa, será isso medo? - Mesmo sem olhar, a esverdeada continuava a desenhar em seu caderno, como se já tivesse decorado toda sua superfície - É uma boa expressão, me pergunto se eu devo desenhar isso.

 Perdão, mas eu cheguei hoje nessa cidade, eu sei que aqui é muito estranho e muitas de suas explicações são vagas, mas eu só queria saber se, bem, você teria visto um grupo de alunos passando por aqui?

 Seus amigos você diz? - Yuuhi permaneceu calada, queria corrigi-la, afinal eles não eram seus amigos de verdade, apenas colegas de turma. Ao ver o silêncio da garota, a esverdeada riu mais uma vez  Poderia me dizer seu nome, minha jovem?

 Yuuhi, Yuuhi Tsunagi... E você, quem é?

 Yuuhi, "o entardecer"*, um belo nome, eu me chamo Yuna Kawasaki - A misteriosa mulher, pelo qual nome se atendia por Yuna, se levantou fechando seu caderno e abrindo a porta da sua casa  Quer entrar e tomar um chá? Acho que isso faz parte da etiqueta japonesa.

 Você vai responder minhas perguntas? - Yuna olhou para a garota pensativa, e então sorriu.

 Apenas o que você precisa saber...


-x-

 

As meninas tinham se reunido em frente a estatua de Izanami e Izanagi, o ponto de encontro delas.

 J..Já procuramos em t...todo canto... Não encontramos n...nenhum deles... - Emy se joga no chão ofegante, juntamente com Jullie que parecia uma panqueca derretida (?) - E...Eu nunca mais quero subir a escadaria de um templo correndo o...ouviu Jullie?!

 Por..Por mim tudo be...bem... Ei, cadê a...a Yuuhi?

Todas olharam para os lados, mas nada de Yuuhi por perto.

 Ótimo, mais uma representante sumiu - Aylla se encontou na estátua com os braços cruzados e visivelmente irritada com a situação, um grupo de alunos desaparecidos e mais uma aluna agora para completar, certamente não poderia piorar. - Vamos voltar para o hotel e torcer para eles terem voltado

 ES..ESPERA! - Jullie parou o grupo, que pareciam estar voltando para o hotel no comando de Aylla. Elas olharam para a loira com um enorme ponto de interrogação na cabeça, quando ela apontou para o Maid café ao lado delas - Vamos passar lá primeiro...

 Vamos jantar daqui a pouco garota

N...Não importa! Se eu não beber pelo menos um copo d'gua agora eu vou morrer!! - Aylla apenas revirou os olhos e seguiu Jullie até o tal Café.

Quando chegaram se depararam com duas Maids falando o tão ouvindo "Bem vindo mestres", o lugar era bem ar condicionado e tinha lugares macios para sentar, era o paraíso para Jullie e Emy, que provavelmente estava fantasiando com alguma daquelas Maids.
As meninas se sentaram ao lado de uma mesa onde tinham dois rapazes e uma garota, que por sinal falava muito, sentados juntos. A garota falava de forma animada, e os dois rapazes riam um pouco, interagiam, apesar de que dava para perceber que os dois não eram tão alegres quanto a garota ao lado deles. O moreno do grupo olhou de relance para a mesa das meninas, depois voltou os olhares para a amiga barulhenta.
Uma garçonete de cabelos platinados veio atende-las, era Sarah, a mesma de mais cedo
" Posso anotar seu pedido", A garota animada balançava seu bloquinho, esperando o grupo se decidir. Cada uma pediu um tipo de bebida, Sarah então pediu licença e voltou para o balcão. Elas então voltavam a conversar.

 Ei, vocês acham que eles estão encrencados? - Emy pergunta se debruçando na mesa, arrancando olhares nervosos das colegas

N-Não fale isso! A Yuuhi, a Mami e os meninos estão bem! - Jullie tentava esconder o nervosismo, mas era em vão.

Elas tinham que aceitar a realidade, aquilo era muito estranho.

 E se... Eles tivessem ido além da cidade? - Yui falou pensativa, fazendo com as meninas olhassem para ela, já que ela tinha ficado calada até o momento era estranho ver que as primeiras palavras dela tivessem saído tão misteriosas.

 Está querendo dizer que eles acharam um portal pra Nárnia e agora estão lutando ao lado de um leão? Não acho que essa cidade tenha mais lugares para ir não, ela é quase um ovo de tão pequena! - Jullie comenta, arrancando um suspiro impaciente de Yui

 Não acho que a teoria de Yui esteja errada, pense bem Jullie, há muitas árvores por aqui, não seria totalmente improvavel que houvesse "um portal pra Nárnia" - A ruiva explicou o comentário de Yui, Jullie parou pensativa por um momento e depois soltou um "É, faz sentido".

O moreno da mesa ao lado soltou um "tsc" baixo, mas não o suficiente, já que acabo chamando a atenção das garotas e até mesmo de seus amigos

 Perda de tempo, apenas ficarem vivas não é o suficiente para vocês, crianças estupidas?

O comentário do rapaz arrancou olhares de surpresa, ele estava com um olhar um tanto apático, porém ainda sim firme, sua arrogância era totalmente visível por eles, mesmo estando com a cabeça um pouco baixa. Yui apenas o olhou com o mesmo olhar, era como se estivesse em uma competição interna, porém o moreno não olhava apenas para ela. Emy só se perguntava onde estava Sarah com sua bebiba, e Aylla e Jullie o fuzilava com o olhar, até que a ruiva finalmente resolveu falar.

 Oi? Primeiramente, quem é você e quem te chamou? Sugiro que vá cuidar de sua vida seu bisbilhoteiro!

 Vocês não sobreviveriam nem dez minutos lá, garotinhas, se vocês mexerem com o que não devem vão arranjar problemas para toda a cidade. - O moreno finalmente as encarou de ver, com um olhar um tanto intimidador e a cabeça totalmente levantada.

 

"O que há com esse cara?"

 

 Eeei Levi, pegue leve com as novatas! - A amiga fala passando o braço em seus ombros e esboçando um sorriso para o moreno, ele apenas soltou novamente um "tsc" e se levantou, sendo seguido por seus acompanhantes.

O clima estava tenso.

 Não pensem em visitar lugares estranhos se quiserem continuar vivendo em suas vidinhas pacíficas, vocês não sabem de nada - O homem falou para o grupo antes de se retirar do estabelecimento com seus amigos, em seguida Sarah apareceu com a então esperada bebida, também olhando triste para a janela antes de voltar ao seu trabalho.

Yui olhou para a janela e viu os amigos passando pela estátua, rindo juntos.

 

"Do que nós não sabemos...?"



-x-

 

Eles corriam, corriam muito.

Corriam, mas ainda sim perplexos, ainda não acreditando no ocorrido: Um colega havia morrido, ou pelo que aparentava, cometeu suicídio. Aquilo não só foi estranho como excessivamente macabro, o jeito que o corpo de Charlie se encontrava, e não era nem isso que os preocupava de verdade, mas sim o fato do garoto estar aparentemente bem e em menos de dez minutos cometer suicídio. Não tinha explicação, por que ele faria isso?

 

Enzo tinha analisado o corpo morto dele enquanto os colegas tiravam Kenji e Mami daquela visão horrenda.
"Haviam marcas de unhas em seus braços, como se ele estivesse lutando com alguma coisa, ou melhor, com ele mesmo"; "Vão correndo para o hotel, não olhem para trás e não saiam de seus quartos hoje, amanhã peço que me encontrem na cafeteria da cidade depois do almoço, tenho coisas a falar sobre o que está acontecendo", foi o que o detetive tinha dito para o grupo assim que saíram da escola.
Assim que o grupo chegou perto do inicio da trilha, Kenji acabou tropeçando e caiu no chão, ficando ali mesmo.

 Kenji! - Os colegas então pararam e ajudaram o albino a se levantar, ele estava muito abalado.

 Não tinha passado nem dez minutos... Eu disse que ia voltar... Se eu não tivesse deixado ele sozinho... Talvez o Charlie não estivesse... Merda! - O garoto bateu no chão de terra com o punho fechado.

Todos ouviam aquilo em silêncio, todos estavam se sentindo culpados de certa forma, mas aquele não era um bom momento para fraquejar, pelo menos foi isso que Mami pensou no momento.

 Ei... O Charlie era um bom colega de classe, tímido, desorganizado, eu perdi até as contas de quantas vezes eu dei sermões nele para prestar atenção na aula... - A garota estendeu a mão para o albino caído no chão, com lágrimas e um sorriso no rosto  Não vamos esquecer dele, tá?

Sem palavras, Kenji apenas pegou na mão da pequena e levantou.
Eles voltaram a correr até o hotel, de longe via Kana conversando com um funcionário do hotel, aparentemente preocupada, a morena estava um tanto aflita e nervosa, mas assim que os viram acenou freneticamente e correu imediatamente ao encontro deles, também os abraçando.

 Que bom que vocês estão bem! Eu estava quase chamando a policia! Trouxeram algum doce para mim? - A professora abraçava cada um e beijavam suas testas, deixando-os um tanto envergonhados por isso - De qualquer forma, ainda bem que estão são e salvos, cada um de vocês.

 Kana, você não está vendo algo de errado? Tipo, que está faltando alguém? - Satoshi fala direto, arrancando até olhares surpresos de seus colegas. Kana o olha com uma grande interrogação na cabeça.

 Eh?


-x-
 


Era uma casa pequena, porém confortável, pelo menos na visão de Yuuhi, uma perfeita casa para uma pessoa solitária. O papel de parede verde escuro e o chão de madeira escura contribuíam para um ambiente mais "sombrio", mesmo com as luzes acesas, que por sinal eram bem fracas.
Yuuhi sentou-se no sofá de estampa florida, se sentindo como se estivesse na casa de sua avó, enquanto Yuna preparava algo na cozinha para as duas. Yuuhi olhava cuidadosamente a casa, preocupava-se com cada detalhe, até mesmo os rasgos do papel de parede chamavam a atenção da garota curiosa. Em uma dessas analises Yuuhi acabou notando que grande parte da casa era compostas por prateleiras cheias de livros organizados alfabeticamente, e pelos titulos das obras a garota percebeu que Yuna gostava muito de livros de mistérios e fantasias.

Aquele lugar era fascinante, Yuuhi se sentia obrigada a investigar as prateleiras cheias de livros que tinha atiçado sua curiosidade sobre as obras, que eram de autores desconhecidos por ela. Yuuhi então pegou uma obra chamada " O canto dos salgueiros uivantes" , assim que abriu viu uma carta cair de uma das páginas, pegou curiosa, claro, e então leu o que estava na parte da frente.

 

"Esconda seus rastros

Apague qualquer coisa atrás de você

Sob os olhos ardentes da nebulosa lua"

 

Era uma letra totalmente bem desenhada em itálico, era raro ver aquilo nos dias de hoje, seria aquela a letra de Yuna? Por mais que achasse errado, Yuuhi queria muito ler o que tinha dentro, mas infelizmente Yuna já estava saindo da cozinha e indo em direção a sala. A garota escondeu rapidamente a carta em uma das gavetas e colocou o livro de volta, assim que Yuna chegou na sala, com uma bandeja composta por uma xícara de chá e outra de café.

 Irei ficar acordada até tarde, não poderei te acompanhar em um chá - A esverdeada explicou, mas Yuuhi não estava ligando muito para isso e apenas voltou a se sentar, seguida por Yuna que sentou na poltrona ao lado. - Vejamos, qual será a primeira pergunta?

 Por que sua casa é a mais afastada da cidade? Digamos, apesar de parecerem tão próximas ainda são tão distantes.

 Não quero me sentir próximas deles, odeio isso - De forma objetiva e rápida, mas ainda sim como um mistério, Yuna falou enquanto tomava um bom gole de café

 Odeia pessoas? Por que me convidou então se as odeia? - A mulher pensou um pouco e então sorriu

 Engraçado né? Como você pode odiar as pessoas, mas as acharem interessantes? Isso soa como uma paradoxo, e eu o transformei em uma metáfora, apenas aprendi a viver com o que mais me incomoda. Sabe, Você não precisa de motivos para odiá-las, você simplesmente as odeiam por que assim é mais fácil fugir dos problemas, faz parte do nosso incontrolável desejo de não se machucar demais, certo?

 Não sei se o que você fala tem sentido... Não consigo entender

 Haha, era de se esperar, sou apenas uma mulher solitária e incompreendida - Yuna tomou mais um gole de seu café, em seguida o colocou sobre a mesinha  Mas sinto que você não veio aqui para falar sobre isso, vamos Yuuhi-san, estou esperando a verdadeira pergunta, e eu tenho certeza que não é sobre seus amigos

 De fato, não é sobre meus colegas, e sim sobre isso... O que é essa cidade?

Yuna adquiriu um semblante sério, bem diferente do que Yuuhi imaginava

 Você quer saber sobre a cidade, Yuuhi-san? Pois bem, irei lhe contar um pouco sobre ela...

Yuuhi assentiu concordando, Yuna olhou para a janela um pouco melancólica e pensativa, uma expressão um tanto profunda, algo que Yuuhi não esperava dela.

 Essa cidade está além do que os guias falam em suas excursões, por um momento você não se perguntou o por que dessa ser uma cidade tão religiosa e cheia de crenças? A verdade é, somos maniacos supersticiosos, e toda a história que contam é apenas a versão bonitinha, a parte " boa" da verdadeira história, que chega a ser macabra demais para exporem a fora. - Yuna então se levantou e pegou um livro na sua prateleira - Você acredita em superstições, Yuuhi-san? Coisas do tipo "Se você passar pela estatua de algum deus e não rezar você será punido severamente"? ou talvez "Se você sair de um templo com o pé esquerdo você sofreá algum acidente? São bobagens, pensamentos ridículos! A única coisa com que você deve se preocupar é "Se você acorda-los, sua vida nunca será a mesma, não os acordem!"

Yuna fechou o livro e voltou a se sentar, Yuuhi a olhava sem saber o que dizer no momento

 Isso, não me parece uma superstição, e se sim um aviso...

 De fato, mas gostamos de pensar assim... Peço que evite lugares suspeitos, fique no hotel até isso tudo acabar e você poderá viver normalmente

 Você não dá explicações muito claras, com o que mesmo eu devo me preocupar? - A garota arqueou a sobrancelha, arrancando um riso de Yuna

 Isso faz parte do mistério, não é extremamente excitante se afastar de algo que você não sabe o que é? - A garota ainda a olhava confusa, porém dessa vez também riu.

A garota olhou o horario e viu que já era quase hora do jantar. Levantou-se rapidamente ao perceber o atraso, não imaginava que iria ficar por muito tempo.

 Preciso ir, posso te ver amanhã também?

 Pode, mas não acho que deva - Yuuhi sorriu de canto, Yuna abriu a porta para a garota e acenou assim que ela saiu, com um sorriso bobo em seu rosto

Yuuhi via aquela cena de longe, também acenando, antes de sumir da vista da casa.

Por um momento ela não soube explicar, mas sentiu como se Yuna tivesse sussurrado para ela

"Não acorde eles"

 

Aquilo ficou em sua mente até o hotel.

Quando chegou ao hotel, viu uma agitação na porta causada pelo grupo desaparecido e Kana. Pelo que ela observou, eles pareciam estar nervosos e alterados as outras meninas também presenciavam a cena, e pelo que parecia também tinha acabado de chegar ao local. Yuuhi se aproximou para ouvir mais de perto a discussão.

 D-Do que você está falando Kenji? - Kana perguntava para o albino que perecia estar alterado.

 Como "do que eu estou falando"? O Charlie! Você era professora dele não era? Mesmo que ele fosse o mais apagado, não deveria tratar ele como alguém que não existisse! - Kana o olhava assustada, como se Kenji estivesse completamente louco.

 Mas Kenji, eu não tenho nenhum aluno com esse nome... Quem é esse tal de Charlie?

 

 

 


Notas Finais


Queria dizer que, nesses dias, percebi que dois leitores tinha "desfavoritado" (?) a fanfic, e eles eram donos de personagens um tanto importantes. Também tem outros leitores que criaram suas Oc´s para a fanfic e também não estão comentando ou dando a opinião.
Me pergunto, será que era por que os personagens deles não estão ganhando destaque? ou por que eles não tinham gostado da história? Confesso que isso me incomodou um pouco, mas quando decidi postar essa fanfic eu já tinha em mente que isso aconteceria, por isso não me desanimei tanto.
Gosto muito dos comentários engraçados, são bem motivacionais, mas queria perguntar para vocês (Não só os que tem sua OC aqui, mas qualquer um que esteja lendo), o que realmente estão achando da fanfic? No que eu devo melhorar? Estou aprofundando pouco, estou dando poucos detalhes?

Era só isso, próxima terça terei uma surpresa pra vocês (tantantaan)

---------------------------------//

*O entardecer - Yuna faz referencia ao significado do nome de Yuuhi

---------------------------------//

Utilizo "-x-" para quebra de tempo ou quando a cena se passa em um lugar diferente do acontecimento narrado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...