História XXx Passivo-Novinho xXx - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Hentai, Originais, Sexo, Yaoi
Visualizações 46
Palavras 3.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Famí­lia, Harem, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E ai pessoal, estão gostando da Fanfic? Aqui vai mais um capítulo então :D

Espero que gostem...

Capítulo 3 - Amigo do Facebook


Fanfic / Fanfiction XXx Passivo-Novinho xXx - Capítulo 3 - Amigo do Facebook

Alysson Pov´s On

Estou feliz... Finalmente estou conseguindo realizar meus desejos, ainda faltam 18 homens, mas já tenho o meu terceiro em vista, ele é do Facebook e o conheço há alguns meses somos amigos e acho que ele sabe que tenho uma queda por ele, então quem melhor que ele pra completar os três primeiros homens de minha vida... Seu nome é Willian.

Sentado em minha cama, pego meu notebook e vou até a página dele no facebook, começo a olhar novamente suas fotos as quais toda vez olho: Ele malhando, ele na piscina, ele na faculdade, ele viajando... Todas as fotos maravilhosas, mostrando o melhor dele e não escondendo nada.

– Se possível quero ele também na minha lista de favoritos, será que tem o número dele aqui. – Me pergunto, enquanto saio dos álbuns e vou até o perfil dele, vou até a parte onde ficam as suas informações e para minha sorte encontrei o seu número lá e já me animei, tratei de adicioná-lo de imediato no meu telefone e logo em seguida apareceu em meu Telegram o seu contato.

Alysson Pov´s Off

Willian Pov´s On

Essa vida de trabalhar, estudar e ir pra academia é muito difícil, muito trabalho e pouca diversão, queria que alguém me distraísse, mas não encontro ninguém que possa me ajudar nisso. Por mais que tenha varias e varias mulheres procurando a mim para sair, não me sinto confortável com nenhuma delas, talvez não seja do meu gosto repetir o mesmo prato mais de duas vezes e esteja procurando algo novo, diferente.

– Morar sozinho tem suas vantagens, mas é tão quieto aqui... Consigo ouvir a água pingando na pia da cozinha enquanto estou no meu quarto, isso é perturbador. – Digo olhando para as paredes, paro de pedalar e fico sentando na bicicleta aeróbica, pego o meu telefone e o desbloqueio, de repente recebo uma notificação no Telegram e vejo que tratasse do Alysson, conhecido meu do Facebook. – Estranho ele falando comigo, mal conversamos, mas já que veio falar comigo, por que não o responder. – Pego minha toalha e começo a secar o suor, vou até a cozinha e pego um pouco de água, logo em seguida respondo a mensagem do Alysson.

Willian Pov´s Off

Conversa Telegram On

Olá 😏

Willian E ai Alysson... Beleza?

Willian Porq se sempre manda essa carinha em?...

Quer Descobrir? 😏

Willian – 😉 Qro sim... Gosto de descobrir coisas novas.

Hmm... Então, que tal um encontro? 😉😏

Willian Encontro... Q tipo de encontro? Posso saber antes... Sabe sou curioso 😉

Posso te mostrar algo bom, quente e macio... Entende? 😉

Willian Bom, quente e macio... E onde nós vamos para q vc me mostre isso td? 

Bem... Sem mais detalhes! 😏

Se quiser descobrir mais, podemos nos encontrar, como eu disse. Quer vir aqui em casa?

Willian Q dia, q hrs? Qro saber tdinho...

Amanhã às 19:00, pode ser? 😏

Willian Puts... Amanhã to meio enrola, não podemos hj mesmo? 😅

Que apressadinho 😏

Hmm.. Que horas então?

Willian Q hrs é melhor para vc?

Hoje, 00:00, que tal?

Willian Hmm 00:00... Bom, quente e macio... Tô começando a gostar disso. 😏😋

Ok, vou te passar o endereço

Willian Pode mandar... Aliás, preciso levar alguma coisa? 😏

Leve camisinhas 😏

Vamos precisar

Willian 😏 😏 Tudo bem... Pode deixar cmg.

Endereço: Av. Silver, rua xx, casa X.

Te aguardo 😏

Willian Aguarde ansioso, logo estarei ai. 😈

Hmm..😈 Te espero! Até 😘

Conversa Telegram Off

Willian pov´s On

Me chamando assim do nada para encontrar com ele, ainda pedindo que eu vá até sua casa e leve camisinhas, não acredito que seja o que estou pensando, mas como me convidou não farei a desfeita, aconteça o que acontecer.

Horas Depois...

Já são quase onze horas da noite, acho que já posso ir indo, pelo GPS vou levar uns quinze minutos para chegar lá, mesmo assim acho que não tem problema chegar um pouco mais cedo que o combinado... Será que os pais dele vão estar por lá.

Paro de pensar de mais e entro no meu carro, sigo as rotas do GPS e chego rápido até a casa onde ele mora, estaciono do outro lado da rua e desço do carro, vou até o portão e toco a campainha, minutos depois alguém me atende e percebo de imediato que é oi Alysson.

– Cheguei um pouco mais cedo, sinto muito estava ansioso de mais. – Digo meio envergonhado, vejo que ele sorri de canto e nos cumprimentamos normalmente.

– Vamos entrar. Meus pais já vão dormir, mas querem te conhecer antes, disse a eles que um amigo viria dormir aqui hoje. – Disse e me assusto, mas percebo que ele pisca com o olho esquerdo, meio que dizendo que é tudo conversa apenas, então entro na dele.

Caminhamos em direção a sua casa e logo depois de entrarmos vejo sua mãe e o seu pai, eles me cumprimentam e eu faço o mesmo, minutos depois eles nos dão boa noite e pedem para não fazermos muito barulho se ficarmos acordados até tarde, apenas concordamos e então ficamos sozinhos.

– Muito bem, estamos a sós agora... – Diz olhando para mim, ele então pega em minhas mãos e fica de frente para mim, bem inquieto alias. – Venha comigo. – Começa a me puxar e eu apenas o sigo, vamos até uma parte da casa que parecia com um quarto de coisas inutilizadas na casa, ele começa então a procurar por algo, até que sai com uma caixa, parecia com um jogo de tabuleiro. – Vamos brincar um pouco, mas vou te falar as regras. – Falou sorrindo de canto, notei que as coisas ficariam interessantes agora.

– Vamos então, apenas diga as regras e nós começamos. – Digo e então novamente ele pega minha mão e me guia pela casa, subimos uma escada e fomos até seu quarto, antes de entrar ele olha para outra porta, provavelmente a de seus pais e depois fecha a dele, trancando-a por dentro. – Então como vai funcionar o jogo? – Perguntei, me sentando em sua cama.

– Esse é um jogo de perguntas e respostas, são 50 cartas, cada uma tem uma pergunta e três resultados: Caso responda e acerte aquele que perguntou deve cumprir o desafio da resposta certa, caso responda e erre daí então quem respondeu deve cumprir o desafio da resposta errada, mas se recusar a responder a pergunta à pessoa que perguntou deve mandar a pessoa fazer alguma coisa, vale tudo e só pode parar quando acabar as cinquenta cartas. – Eram regras simples, basicamente só tínhamos que ler a questão para o outro e pronto, nada de mais.

Willian Pov´s Off

Alysson Pov´s On

– Vou começar a perguntar então. – Digo e pego a primeira carta. – Pergunta: Se eu dissesse que quero você para mim, você acreditaria? – Perguntei, mas lógico que não era a verdadeira pergunta que estava na carta, mas aquilo é apenas fachada meu objetivo de verdade era ele.

– Não. – Respondeu, parecia estar sério, mas noto algo meio que sarcástico nele.

– Resposta errada... Tire sua calça. – Digo e sorrio de canto para ele. Fico sentado na cama e ele se levanta e fica de frente para mim, abre o cinto e abaixa o zíper em seguida deixando a calça cair no chão, jogou a calça de lado e ficou apenas de cueca boxe vermelha, deixando aquele volume maravilhoso amostra. – Sua vez. – Mostro as cartas para ele e o vejo pegar uma delas.

– Certo. Pergunta: Por que me chamou aqui, de verdade? – Perguntou e tenho certeza que aquilo não estava na carta, mas como fiz o mesmo então aceito.

– Por que eu quero ficar com você. – Respondo o olhando fixamente, levo minha mão até a coxa dele e vou subindo aos poucos até chegar a seu pau, aperto ele enquanto olho fixo nos olhos dele. – O que você acha? – Digo, puxando a cueca dele para baixo revelando seu lindo pau.

– Então o que fazemos com o jogo, você mesmo disse que só podemos parar quando acabar? – Disse sorrindo de canto também, mordendo os lábios comigo massageando seu pau ainda.

– Bom... Posso me sentar em um lugar mais macio e podemos continuar o questionário. – Digo e tiro minha roupa também, ficando absolutamente pelado, virando de costas para ele e mostrando minha bunda. – Sabe algum lugar gostoso e macio que eu possa me sentar? – Pergunto e sinto as mãos dele em minha cintura, me puxando para sentar em seu colo.

– Tenho apenas esse aqui, o que acha? – Perguntou e suspiro sentindo o fervor de seu pau encostando em minha bunda.

– Esta perfeito, mas acho que pode melhorar. – Digo e me levanto um pouco, tiro toda sua cueca e a jogo de lado e ele tira sua camiseta, vou até sua calça e pego as camisinhas, coloco uma em seu pau e depois volto a ficar de costas. – Minha vez de perguntar agora certo? – Perguntei me sentando, sentindo aquele pau grande e gostoso me penetrando lentamente, até que sento por inteiro nele e sinto suas pernas na minha bunda. – Pergunta: O que esta achando? – Perguntei e comecei a subir e descer no pau dele, fecho meus olhos e mordo meu lábio inferior, sentir aquele membro grosso e grande entrando e saindo de dentro de mim de tal forma, estava tão bom que não me aguentava de tesão, ainda mais fazendo na minha cama pela primeira vez.

– Estou achando que devemos parar com as perguntas e levar isso um pouco mais a sério. – Respondeu e de imediato olhei para ele colocando minha mão em sua bochecha.

– Resposta correta. – Digo e o beijo com vontade, jogando as cartas no chão e voltando a ficar de costas para ele, desta vez apoiando meus pés no chão e minhas mãos em meus joelhos, subindo e descendo no pau dele com bastante velocidade, fazendo meu cuzinho abrir completo para ele. Sinto suas mãos em minha bunda, apertando com força com a esquerda e dando tapas fortes com a direita, gemo meio alto dando uns gritinhos com os tapas, sinto a polpa da minha bunda esfregando no abdômen trincado dele e fico completamente louco. Levanto e fico apenas com a cabeça dele dentro de mim, levo minhas mãos por baixo até a base do pau dele e começo a punhetar ele, olho por cima de meus ombros para o rosto dele e o vejo sorrindo de canto, olhando para minha bunda com o pau dele engatado em mim.

– Se eu soubesse que tinha chances de fuder esse cuzinho, já teria te ligado antes. – Disse dando um tapa bem forte e me olhando, sorrindo de canto. Paro de punhetar o pau dele e levo minha mão até a minha boca e lambo todo o melado, provavelmente seria meu mesmo mais estava muito bom, só de estar no pau dele.

– Me ligue quando quiser, estarei sempre disponível para você, quando e onde quiser. – Digo mordendo o lábio inferior e voltando a sentar, enfiando bem fundo seu pau em mim. – Você é muito gostoso, seu corpo, seu pau, tudo em você é delicioso... Me coma todos os dias. – Digo subindo e descendo com velocidade, gemendo alto ficando louco engatando naquela pica grande e grossa.

Depois de começar a me cansar de subir e descer, então saiu de cima dele e me viro de frente, me ajoelho no chão e tiro a camisinha dele. Antes de começar a chupá-lo, ergo meu corpo, continuando ajoelhado, puxo o rosto dele em minha direção e encosto nossos lábios e espero para ver o que ele vai fazer, então ele começa a me beijar de língua, enquanto isso eu vou o punhetando lentamente, preparando. Paramos de nos beijar e o olho feliz, sorrio para ele e ele sorri para mim de volta, abaixo meu corpo novamente até ficar na altura ideal e levo minha língua até a cabeça do pau dele, lambo a glande inteira e fico fazendo movimentos circulares por toda a cabeça, coloco minhas mãos nas costas e abro bem a boca descendo meu rosto no pau dele engolindo cada centímetro do seu pau.

 – Você chupa muito gostoso... – Sussurrou, tento olhar para ele, enquanto volto a lamber a base e a cabeça e o vejo jogando a cabeça para trás e respirando com força, fico feliz ao ver que estava dando prazer a ele com minhas chupadas e lambidas. Animado volto minha atenção para sua rola, começo a descer e subir bem rápido, chupando todos os 25 centímetros dele, então eu fiz a famosa garganta profunda e uso minha língua para lambuzar as bolas dele, volto para cima e respiro com intensidade. – Chega não aguento mais, venha aqui. – Diz e me puxa para cima, me joga na cama e me põe de quatro, ele esfrega meu cuzinho com seus dedos e depois enfia de uma só vez seu pau dentro de mim, começo a gemer muito alto com as suas estocadas e preocupado por meus pais poderem ouvir, tampo a minha boca com um travesseiro, mas acho que é tarde de mais, pois ouso alguém batendo na porta.

– Filho o que vocês estão fazendo ai, esta muito barulho. – Ouso minha mãe dizendo, percebo que ela tenta abrir a porta e então sou obrigado a me levantar e ir até a porta, porem o Willian veio comigo e ficou atrás da porta, abriu as bandas da minha bunda e voltou a meter em mim.

– Oi mãe, sin-sinto muito. – Digo olhando para ela, abrindo apenas uma pequena fresta da porta, para que ela não vê-se, mas estava preocupado com que ela pudesse perceber meu corpo balançando.

– Onde esta o Willian? – Perguntou olhando ao redor do quarto, sinto então que ele sai de dentro de mim e aparecesse na porta também, mostrando apenas seu rosto.

– Olá senhora, sentimos muito pelo barulho, vamos tentar ser mais silenciosos. – Diz e enfia dois dedos no meu cuzinho, evito gemer mais não consigo esconder o tesão que senti e abri a boca respirando para evitar o gemido.

– Tudo bem então, alias querido o seu irmãozinho quer dormir aqui com vocês, ele pode entrar? – Perguntou e vi atrás dela meu irmão casula de 15 anos, olho para o Willian e ele olha para mim, infelizmente não tinha como negar, então aceitei.

– Ta bom... Vai lá pegando seus cobertores e depois volta. – Digo e fecho a porta, irritado começo a chutar as coisas no chão, mas sou abraçado pelas costas pelo Willian e sinto ele me invadir novamente.

– Não se preocupe, vamos continuar mesmo com ele aqui, tenho um plano. – Diz e volta a me foder com força, me beijou para abafar os gemidos e então começou a aumentar a força das estocadas, aquele medo de ser pego por alguém apenas me excitava mais e imaginar em ser fodido com meu irmão no quarto aumentava ainda mais. – Vista uma bermuda bem frouxa e fique sem cueca, vou me vestir novamente, depois deixe o resto comigo. – Disse e lógico que eu o obedeci, já sou a putinha desse homem gostoso e faria tudo que ele mandasse se pudesse ser fodido por ele.

Estávamos prontos, meu irmão entrou no quarto e então tranquei novamente a porta, fingimos que já íamos dormir e deitamos todos no chão no colchão que ajeitamos, deitamos na seguinte sequência: Eu, Willian e meu irmão Jorge. Passou alguns minutos e o Jorge parecia já estar dormindo, me virei de lado, ficando de costas para o Willian e ele puxa minha bermuda para baixo, sinto então novamente aquele pau gostoso esfregando em minha bunda, de repente ele penetra em mim outra vez. Tampo minha boca com minha mão e aperto meus olhos sentindo aquelas estocadas deliciosas, sinto sua mão em meu rosto, me fazendo olhá-lo para me beijar.

– Não disse que não tinha acabado. – Sussurrou em meu ouvido, aumentando as estocadas, ele aperta meu pescoço e eu abro a banda da minha bunda para ele ir mais fundo, fico meio de ladinho olhando para ele enquanto ele olhava para baixo, visualizando mentalmente o seu pau fudendo meu cuzinho, já que estava escuro e não enxergávamos nada. Depois de uns minutos ele para e deita de barriga para cima, me puxa para cima dele e mete seu pau em mim novamente, começo a beijá-lo e fico assim por um bom tempo, mas as suas estocadas estavam tão boas e fortes no meu cuzinho que paro de beijá-lo e começo a gemer sem parar, coloco minha cabeça entre o ombro dele para tentar abafar os gemidos e ele continua a abrir mais as bandas de minha bunda e a socar de baixo pra cima.

– Fode o cuzinho da sua putinha, fode seu safado gostoso. – Sussurro desesperado em seu ouvido e ele faz como digo, novamente se vira dessa vez por cima de mim e na posição papai e mamãe começa a esfolar todo o meu cuzinho, sinto ele estufar dentro de mim e a começar pulsar, instantes depois ele goza litros e mais litros de seu gozo dentro do meu cuzinho, cai por cima de mim e ofegante ainda me beija. – Eu amo você, amo seu pau... – Sussurro e sorrio ainda recebendo alguns jatos mais fracos dentro de mim, depois de terminar de gozar ele sai de dentro e eu volto para meu lado, para meu irmão não notar. – Vamos dormir agora, você me deixou muito cansado com essa foda, amanhã continuamos. – Digo e o beijo, fecho meus olhos e tento dormir.

Alysson Pov´s Off

Willian Pov´s On

Estávamos todos dormindo há alguns minutos já, mas lá pelas três da manhã, meia hora após Alysson e eu terminarmos nossa brincadeira, sinto uma mão em meu pau massageando-o.

– Achei que estivesse cansado Alysson. – Digo e sorrio de canto, ele continua a me massagear sem dizer nada e até estranho, mas penso que ele não queria fazer muito barulho.

– Quero o seu leitinho na minha boquinha. – Sussurrou, o sinto subir para cima de mim, ficando entre minhas pernas, em seguida sua boquinha se aproxima do meu pau e começa a me lamber com sua língua, fico quieto apenas aproveitando a sua lambida e depois ele abocanha de vez, percebo uma dificuldade dele em me engolir como fez antes e começo a estranhar.

– Willian com quem esta falando? – Ouso alguém perguntando e então noto que aquela era a voz do Alysson, tiro a coberta de cima de mim e acendo a luz do quarto que fica em cima da cabeceira da cama, então vejo o Alysson deitado ao meu lado e entre as minhas pernas o irmão mais novo dele o Jorge com suas duas mãos em meu pau e com a metade dele na boca. – Jorge! – Disse o Alysson olhando para seu irmão, porem mesmo depois de ser descoberto ele não parou e eu acabei gozando com as chupadas dele, ele engoliu todo meu gozo e voltou para seu lugar. – Jorge o que é isso? – Perguntou o Alysson.

– Eu vi vocês transando até minutos atrás, quis experimentar, você parecia estar tão feliz com isso, então esperei e fui ver como era. – Disse e voltou a dormir, Alysson e eu nos olhamos e ficamos assustados, mas parece que ele não seria problema acabamos rindo da situação e voltamos a nos deitar novamente.

– Willian, você pode me abraçar? – Disse com uma voz meiga e carinhosa, não nego o abraço e me viro de lado, abraçando ele de conchinha. – Agora ficou perfeito. – Sussurrou e então apago a luz, nos beijamos mais um pouco e voltamos a dormir.

Willian Pov´s Off

Alysson Pov´s On

Na manhã seguinte, levantamos praticamente juntos e então Jorge, Willian e eu ficamos sentados na cama lembrando o que houve às três da manhã.

– Jorge, você não pode contar nada disso para nossos pais, se eles descobrirem... – Digo e ele me interrompe.

– Não se preocupe, como disse queria ver se era realmente bom e eu... Gostei. – Respondeu sorrindo envergonhado, começo a me preocupar então. – Mais não se preocupe, não vou roubar o Willian de você, vou procurar o meu. – Disse e desceu da cama, indo em direção a porta e a destrancando, antes de fechá-la olhou para nós dois. – Vou segurar a mamãe e o papai lá embaixo, aproveitem bem. – Mostrou a língua e fechou a porta.

– Você o ouviu né? – Disse o Willian e partiu para cima de mim, começando a me beijar e a tirar minha roupa.

Alysson Pov´s Off


Notas Finais


E ai o que acharam do Capítulo de hoje? :P
Espero que tenham gostado e vou fazer uma Fanfic segundaria sobre o irmãozinho dele que tem praticamente a mesma idade, mas quando o Alysson completar 17 ele vai completar 16 anos, essa é a diferença... O que acham? Mais vai ser diferente, com o irmãozinho dele.

Espero por cometários sobre o que acharam e até o próximo :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...