História Yami No Ou - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Kaito
Tags Bdsm, Gakukai, Gakupo, Kaito, Lemon, Lord Of Darkness, Lorde Das Trevas, Vampiro, Yami No Ou, Yaoi
Exibições 73
Palavras 1.749
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei e-e tô com preguiça.... Culpem o calor -.-'

Capítulo 3 - Yami no Ou.... Utsuroni mau


Fanfic / Fanfiction Yami No Ou - Capítulo 3 - Yami no Ou.... Utsuroni mau

Na noite seguinte, resolvi ir até a casa dele. Cheguei no grande prédio gótico e quando subi para entrar pela janela, a mesma se encontrava aberta. Será que ele sabia que eu viria? Engoli em seco, e hesitei um instante. Como eu iria encará-lo depois de ter me confessado tão descaradamente!? Mas isso não podia continuar do jeito que estava.... Respirei fundo e entrei pela janela, correndo meus olhos pelo quarto e não encontrando ninguém.

Eu dei alguns passos a frente, me dirigindo até a porta, quando escutei a voz de quem eu procurava atrás de mim.

- Eu estava te esperando..... - Ele me abraçou por trás, segurando minha cabeça com uma das mãos e pousando a outra na minha cintura. 

- Ah.... - Eu corei e tentei olhá-lo por cima do ombro, e vi que ele usava uma máscara, como aquelas usadas em baile. Mas nós não íamos ter nenhum baile, certo?

Ele riu baixinho e mordiscou minha orelha.

- Me deixe continuar de onde parei da última vez.... Você quer isso não quer? - Ele falou roucamente em meu ouvido, subindo a mão que estava na minha cintura até meu peito.

- Você.... Não acha que é cedo demais pra isso? - Corei.

Ele riu e me soltou.

- Então não quer? - Ele me encarou, sorrindo malicioso.

- E-eu não disse isso! 

- Quer ou não? - Pela sua expressão ele estava se divertindo com tudo isso, mas pela sua voz ele estava impaciente.

-.... - Engoli em seco - Quero.... 

Ele sorriu e me abraçou, beijando o topo da minha cabeça.

- Vou tentar ser gentil, mas não prometo nada.... - Ele se afastou um pouco e ergueu meu queixo com os dedos, me beijando em seguida. Ele aproveitou minha surpresa e enfiou a língua dele na minha boca, explorando tudo como se tivesse um gosto mais viciante do que qualquer sangue que eu já tivesse bebido. Eu tentava acompanhá-lo, mas não conseguia seguir o seu ritmo, o que não passou despercebido por ele, que nos separou e me encarou rindo.

- É seu primeiro beijo lorde das trevas? 

Eu corei e fiquei sério.

- Co-como descobriu!?

- Instinto.... - Ele sorriu - E prática.... Pelo visto nunca fez nada desse tipo com alguém, certo? 

-.... - Eu desviei o olhar levemente irritado. E se ele não me quisesse só por que não sou tão hábil quanto ele nesse assunto?

Ele pareceu notar a minha insegurança e me abraçou novamente,

- Me sinto honrado de ser seu primeiro e se depender de mim, último, amor..... - Ele beijou minha testa, descendo os beijos para as minhas bochechas, depois orelhas onde ele deu uma longa lambida e alguns chupões, voltando ao meu pescoço, roçando seu nariz e me empurrando para a cama. Assim que eu caí e ele ficou por cima de mim, a minha camisa foi retirada, assim como a dele.

POV'S KAITO OFF

POV'S  GAKUPO ON

Ei,vamos lá. Estique a perna

Para que você não possa fugir, eu só preciso cortar suas pernas.

Para que você não possa mais voar, vamos remover essas asas.

 

Eu me abaixei e o beijei novamente, um beijo voraz e lascivo, quem nos visse diria que o romance ali era inexistente, mas não era. Eu o amava.... Amava tanto que doía.... Se ele tivesse ideia de que eu passei todos esses anos procurando por notícias dele, será que ele acreditaria? E pelo visto ele também não tinha se esquecido de mim.... Aquela carta..... Aquela carta era um pedido.... Algo como "vamos ficar juntos, certo?" 

Eu nos separei pela falta de ar e voltei minha atenção ao pescoço alvo, marcando a pele alheia, ele seria meu, somente meu e de mais ninguém.....

Soltei e fui para o outro lado do pescoço, mordendo com força, sentindo o gosto metálico e levemente salgado invadir a minha boca. Ele grunhiu em resposta, uma mistura de dor e prazer..... Eu o olhei sorrindo.

- É masoquista, lorde das trevas?- Limpei o pequeno filete de sangue no canto da minha boca com o polegar, o lambendo em seguida.

- Talvez.... - Ele me sorriu malicioso - Quer descobrir? 

Eu sorri.

- Quero... - Me levantei e peguei um pequeno baú, o colocando ao lado da cama. Retirei de dentro um par de algemas, que tinha uma longa corrente no meio. Prendi as mãos dele e depois amarrai a corrente na cabeceira da cama, ele me olhou um pouco surpreso. E eu sorri. De dentro do baú eu tirei uma panelinha de cera, colocando-a para esquentar. 

- Enquanto nosso brinquedinho fica pronto... - Eu sorri malicioso e peguei um chicote de dentro do baú - Vamos usar isso aqui.... 

Ele arregalou os olhos ao perceber que o objeto em minhas mãos tinham pequenos espinhos. Eu sorri ao ver a face dele amedrontada.... Eu amava ser o dominador.... Senti meu membro pulsar quando dei a primeira chicotada na cintura dele, vendo a pele alva ficar vermelha e o sangue apontar,  recebendo um grito misto de prazer e dor dele em resposta.

Sabe, só de olhar seu rosto aterrorizado,

Eu fico todo arrepiado, é irresistível.

Se eu devorar seu coração, você será meu para todo o sempre.

 

Dei mais uma chicotada, dessa vez na região dos mamilos, acertando um em cheio, o vendo arquear e gritar mais alto. Eu sorri e fui até as calças dele, retirando-as, deixando-o totalmente nu. Peguei novamente o chicote e estalei o mesmo em suas coxas, vendo-as ficarem tensionadas e vermelhas por conta do sangue e do choque. Acertei a outra.... E depois acertei perto de sua virilha o que o fez gemer mais e surpresa do que de qualquer outra coisa.

- Relaxe.... - Eu sorri e lambi o sangue do chicote - Eu não vou te machucar..... Muito.... 

Ele me olhou, corado, ofegante e levemente suado. Os olhos estavam nublados por conta do prazer e do canto da sua boca escorria um filete de saliva.

- Kaito..... - Ele murmurou.

- O que? 

- Meu nome é Kaito....- Ele sorriu - Você não perguntou nem naquele dia.... 

Eu sorri de volta.

- Gakupo.... - Falei o encarando e ele sorriu.

Olhei para trás e vi a cera derretida, indo até a panela e desligando-a em seguida. Peguei o objeto e o levei ao lado da cama, pegando uma colher e colocando cera nela. Peguei um pouco e passei no peito dele, descendo até o baixo ventre.... Ele não tinha pêlos, mas a sensação de prazer ao ter a cera sendo arrancada de sua pele era impagável.... Puxei rapidamente quando ela secou, o vendo gemer e arquear. Eu ri baixinho e passei um pouco em cada uma das coxas dele, puxando-as logo que secaram, vendo ele gemer e revirar os olhos. Toda a sua pele branquinha estava ficando vermelha... Roxa.... Eu estava marcando que ele era meu.... E só meu.....

Nestas mãos, nestes olhos, nestas pernas e nesta face,

vamos colocar minhas marcas em tudo.

Para que este meu tempo com você não seja destruído.

Eu sou o único que irá te amar, então você também deve olhar só para mim.

 

O membro dele gotejava o pré-gozo e pulsava.

- Isso parece doer... - Sorri malicioso e lambi toda a extensão do membro dele - Deixe eu te ajudar..... - Eu o fitei com luxúria e lambi a glande do seu membro, o abocanhando em seguida, sugando com força e esfregando minha língua. Voltei a glande, rodeando-a, depois mordiscando.

- Ahhh.... Haaa.... Ga-Gakupo... - O som da algema batendo na cama mostrava que ele queria empurrar a minha cabeça. Os dedos dos pés arranhavam o colchão, fazendo o lençol se enrugar.

Comecei a estimular seus testículos e a chupar com mais força quando ele gozou na minha boca num grito. Eu engoli tudo e o fitei sorrindo minimamente.

- Eu não disse que podia gozar, disse? - Me abaixei e peguei um cordão de bolinhas tailandesas* balançando-o no ar - Aqui está a sua punição.....

Eu lambi as bolinhas e inseri a primeira que era a menor na sua entrada, ele gemeu de desconforto, mas como não era de dor, inseri a segunda, um pouco maior que a primeira. Ele arfou dessa vez.... Inseri a terceira e a quarta de uma vez só o vendo se contrair e gemer de dor.

- Va-vai com calma.... - Ele corou.

Eu ri baixinho.... Logo ele se acostumou e eu inseri a quinta que era a maior, o fazendo gemer deliciado.Comecei a mexê-las com o cordão que eu segurava, tirando-as devagar. Depois que eu retirei elas eu terminei de me despir e me posicionei, esfregando meu membro na entrada dele.

- Humm.... Vem logo Gakupo.... - Ele corou. Meu membro pulsou e meu coração falhou uma batida quando o ouvi falar meu nome. 

- Como quiser.... Kaito.... - Pelo visto ele não teve uma reação muito diferente da minha, pois ele arregalou os olhos e sorriu ao ouvir o seu nome sair da monha boca.Eu inseri meu membro devagar nele, e quando estava por inteiro dentro dele eu fiquei parado até que ele se acostumasse. Logo ele começou a rebolar contra o meu membro, me dando um sinal de que eu podia me mexer, e foi o que eu fiz, estocando devagar, mas com precisão. Ele gemia e respirava pesadamente.

- Humm... Ma-mais rápido.... Ahhh - Ele corou e jogou a cabeça pra trás quando sentiu seu pedido ser atendido. Eu ia fundo e forte, acertando sua próstata várias e várias vezes. 

- Ahh.... Haa... Gakupo... Eu quero gozar.... - Ele corou e falou com dificuldade entre os gemidos.

- Pode gozar.... - Falei gemendo baixinho em seguida.

- Quero gozar junto com você.... - Ele falou com a voz carregada de prazer.

Depois de mais algumas estocadas ele se contraiu e gozou, fazendo com que eu gozasse dentro dele. 

Até mesmo as lágrimas que você derramou são meus tesouros.

Assim que nossas respirações se normalizaram eu saí de dentro dele, e me deitei ao seu lado. Estranhamente eu não vi meu sêmen escorrer pra fora de sua entrada.... Mas como estava cansado nem liguei, o puxando pra dormir de conchinha. Antes de apagar eu ouvi ele dizer:

- Eu te amo Gakupo... Amor de vampiro que dura para sempre... - Ele sorriu e corou de leve.

- Eu também te amo Kaito.... - Eu sorri e beijei a nuca dele - Não é amor de vampiro, mas prometo que vai durar para sempre.....

 


Notas Finais


Eae?? Próximo cap vai ser o último! XD
Espero que estejam gostando! ^^
Link da música ----> https://youtu.be/N3TUD0sHbzo
Bye bye sayonara e kissus de morango pra vcs! >3< ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...