História Yandere Simulator - Que seja... (que seja..?) - Interativa. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Interativa, Yander Simulator
Exibições 19
Palavras 1.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Magia, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Self Inserction, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


... NADA A DECLARAR!

Capítulo 4 - Cap 2 - Papo com os delinquentes.


Fanfic / Fanfiction Yandere Simulator - Que seja... (que seja..?) - Interativa. - Capítulo 4 - Cap 2 - Papo com os delinquentes.

Yasu pov’s

 

Chego em casa, estava sozinha, meus pais deixaram um bilhete na geladeira, coisas mais clichê do mundo, mas, dane-se. No bilhete estava escrito que eles foram no cinema, QUE LINDO! NÃO ME LEVA! SE FOREM VER ESQUADRÃO SUICIDA EU LHES DOU UM BANHO DE ÁGUA COM GELO! É BOM QUE TRAGAM UM CD DO FILME!

 

Bem, eu estou sozinha... Ir ver a cidade... Explodir algo... Por fogo em algo... Ligar pra minha tia criadora de baratas... ... ... Vou dar uma volta na cidade... – Jogo minha mochila no chão, pego a chave que estava dentro dela, ponho a, no bolso, e saiu de casa, trancando a porta.

Passo a mão direita na nuca da minha cabeça, esfregando uma cicatriz que tenho ali... Sorte que o cabelo que cresce por cima a esconde, que ali parou decrescer cabelo... Se não a merda da época de bullying voltava... Ainda lembro daquele dia de merda em que me jogaram na pia, bati a cabeça com força na torneira nela, e criou essas cicatriz... E não me deixaram sair do banheiro... Eu... Esquece... Só lembro que nenhum filha da puta pensou em ligar pro hospital, um professor teve que ir lá ao ouvir a gritaria... Também... Digo... Me chutavam em quanto eu tava caída no chão por causa da dor; desmaie em seguida... As risadas das meninas ali... Merda... Seria tão bom ver elas de novo... Ai eu poderia... Bem, que tal enforcar elas?... Ou... arrancar os órgãos?... Merda, o tempo de bullying me afetou, mesmo...

Lembro que meus pais ficaram tomando conta de mim por um longo tempo... Não tiraram o olho de mim... Me mudaram de escola... Não adiantou nada... Bem, meu vô foi lá esmurra a cara daquelas vadias... Mas, vamos parar de falar sobre isso...

 

Sai andando pela calçada, haviam pessoas andando de bicicleta na rua... Outros de carro... Alguns ônibus... Tudo normal... Haviam algumas casas e prédios por ai... - O Japão não é tão ruim, afinal... – Penso, e saiu andando pela calçada, com a chave em meu bolso...

Eu encarava cada detalhe da cidade, cada casa, cada loja... Bem, achei legal os modelos de lojas e casas aqui...  

Bem, tem uma praia aqui perto... Eu iria nela, se não fossem minhas orelhas... Ninguém se mete com o meu pai por causa das orelhas dele pro ele ser... Bem... Alto, forte...
Mas, já eu; que pareço fraca... Bem, no momento não sou... Bem, quero evitar confusão; em algumas ocasiões, claro...

Sem contar a tatuagem que tenho nas costas, não quero que vejam... Bem, amanhã é sábado... Algo que ao menos, presta. Mesmo comigo não tendo aula por três dias da semana... He...
Que tal se eu... Esquece...? Deixa de lado... ...?

 

Segunda feira:

 

(Eu): o fim de semana passou tão rápido, é?... – Digo entrando na escola... Juro que ouvi alguém responder: “É......” Isso foi... Estranho... ? A, DANE-SE!

Bem, peguei as coisas no meu armário; o numero é o 098. E fui pro meu cantinho, encostada no clube de jardinagem...

Os delinquentes já estavam lá, presentes... Estranho... Não me ofenderam dessa vez...  A historia de que eu joguei a Kizana da escada já se espalhou? HÁ! Daqui a pouco então darei uma facada em alguém, então!!... Nhé, fiquei encarando os delinquentes; de longe... Eles também estavam me encarando... Normal?... Bem, lembro da época que EU era a vitima.. Agora, se eu bem quiser, eu posso ser o agressor, mas não quero. Então, se bem desejarem em por como a próxima vitima, tirem o cavalinho da chuva... Não sou a mesma de antes, o jogo virou já faz uns anos... Infelizmente, foi um pouco atrasado...

 

Decidi “provocar”... O quê fiz?... Sai do meu canto e passei na frente dos delinquentes... Encarando eles... Eles me encarando...

(Red Streak): Então, jogou a Kizana da escada? – Diz a de cabelo vermelho...

(Eu): Ela bem merecia, ela que começou empurrando os outros, apenas a joguei da escada... – Digo parando, encarando ela e ficando de braços cruzados.

(Red): Belo contra golpe, quebrou o braço de alguém... Daqui a ouço vai ta carregando tacos de baseball, que nem a gente... Pés de cabra, canos...

(Eu): Pra que armas?... As mãos estão aqui para uso.

(Purple streak): e carregar armas...

(Eu): que seja, cada um com sua opinião. – Digo, indo embora, mas um taco de baseball voa na minha direção, desvio, e olho pra eles – que que foi, heim? Tão me confundindo com patricinha, agora? – Digo num tom de voz mais pesado e sarcástico ao que costumo usar.

(Red streak): Diz, ai: Você é uma delinquente também?...

(Eu): eu seria caso eu já tivesse sofrido bullying? –Digo, me virando, tirando meu capuz, e mostrando minha cicatriz, porém deixando as orelhas escondidas pelo cabelo, depois ponha o capuz de volta e me viro pros delinquentes.

(Red streak): tacaram pedra em você?...

(Eu): se aproveitaram de alguém, numa época que a pessoa nem deveria saber o que era a merda de um pouco de sangue... Eu tava no primeiro ano nessa época, quem me fizeram isso eram do quinto...

(Red streak): Que seja... Sabe lutar?

(Eu): Quebrar pescoços vale? Enforcar?

(Red streak): puxão de cabelo ao menos qualquer um sabe; - diz num tom sarcástico.

(Eu): isso ai é pra piranhas fracas que brigam por macho, que em quanto elas tão brigando o espertão tá lá na esquina pegando a puta. – os delinquentes soltam uma risadinha – Uau, de acordo com o que ouvir dizer delinquentes não riem! Apenas ofendem!

(Purple streak): ainda sentimos algumas emoções...

(Eu): Então o lóbulo frontal está no lugar? Não é?...

(Purple Streak): agora é nerd, também?...

(Eu): E se eu fosse? Por quê acha o dos óculos?.. – digo batendo nos meus óculos com a pontas do dedo indicador direito. - Saber o ponto fraco do corpo humano ajuda na hora de fazer alguém desmaiar...

E assim foi, fiquei conversando com os delinquentes até dar o sinal para cada um ir a sua respectiva sala... Fui a minha sala. Umas da alunas estava com dor de dente... Hehehe......


Notas Finais


DESSA VEZ A # É #CICATRIZ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...