História YAOI-ZÔO: Personagens gays baseados em animais. - Capítulo 220


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Coiote, Galinha, leão, Lobo, Ovelha, Papa Léguas, Raposa, Zebra
Visualizações 839
Palavras 1.549
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Heeeeeei galera!!!! Já que o último capítulo foi curto, caprichei nesse! Espero que ninguém seja contra Lemon pesado pq é o que temos para hj.



Foto abaixo: Jaguar e Antílope

Capítulo 220 - Se você não me quer, tem quem quer!


Fanfic / Fanfiction YAOI-ZÔO: Personagens gays baseados em animais. - Capítulo 220 - Se você não me quer, tem quem quer!

Narrador Antílope 


Pensei que hoje seria um dia igual qualquer outro, mas ontem fiz algo que Pant considerou imperdoável: Eu e Lion fizemos aquilo que não posso dizer porque é constrangedor. 

Pensei que estava tudo bem, pois fui sincero ao dizer que estou carente, muito sensível.

A essa altura Lion foi embora nos deixando à sós.

Estava na eminência de beijar, mas Pant foi frio e muito indiferente.

Pantera: Não me toque depois de ter beijando outro homem e sabe-se lá Deus o que mais fez com essa boca! - Disse deixando-me muito surpreso.

Sinto uma adaga atravessar meu peito.

Fico totalmente chocado com sua reação. Ele fazia cara de nojo e seu tom foi de asno, me senti pior que uma... Uma prostituta... E foi nesse clima que ele me deixou agonizar sozinho.

Pantera: Vá se limpar, aí conversamos! - Ordena rispidamente. Deu-me as costas, seguiu para as escadas e desceu à passos pesados.

Foi a primeira vez que ele me tratou assim. Sinto que dessa vez o decepcionei de verdade... Sinto que ele não me ama mais... Sinto que eu estraguei tudo, que não sirvo mais para ele.

Minhas pernas ficam bambas, então dou passos para trás até minhas costas ganham apoio na parede. 

Estou tão nojento assim?

Miro para as minhas mãos.

Desço as costas na parede até sentar no chão.

Lágrimas descem por meus olhos delineando minhas bochechas até cair no chão.

- Anty... - Clamou uma voz que conheço muito bem.

Miro para cima e deparo-me com Jaguar.

Sei que é ele pois estava com uma roupa diferente da que acabo de ver Pant usando.

Enchugo minhas lágrimas imediatamente. - Des-desculpa! - Peço nem sei porque.

Jaguar: O que aconteceu!? - Questiona puxando meu pulso me proibindo de enchugar as lágrimas.

- Por favor, m-me solta... - Peço olhando para um ponto vazio que não fosse para sua expressão preocupada. - Nã-nao olhe pra mim! 

Estou sujo... 

Jaguar: Se estiver chorando por causa dele... Juro que não vou te perdoar, Anty! 

- Não é por ele! - Falo puxando minha mão de sua posse. - Por favor, não se meta nisso.

Jaguar: Ahh, entendi. Não se preocupe! Não vim aqui pra dar atenção à quem não quer! - Disse desistindo de conversar comigo.

Me encolho contra a parede e choro baixinho.

Jaguar sentou ao meu lado. - Dei queixa do sumiço da minha mãe, contratei alguns detetives e os trouxe para cá pois foi o último lugar que a vi. - Falou me fazendo parar de chorar para dar atenção ao seu problema. 

- Espero que a encontre logo. - Desejo sorte em sua busca. Ponho minha mão sobre a sua, mas logo recordo das palavras de asno de Pant e isto me fez afastar a mão de perto dele.

Jaguar: Eu queria poder odiar você... Porque protegeu o meu pai!? 

- Hum...?

Jaguar: Já esqueceu dá vez que me acusou de pedofilia no lugar de acusar o Pantera? Eu queria te proteger e você revelou à todos sobre nós dois. Como acha que me senti?

Minhas bochechas coram. Queria poder responder, mas tudo que eu pensava nesse momento era em fugir.

Jaguar: Não precisa responder se isso te deixar desconfortável.

- Pre-preciso sim!... - Começo e novamente não sei porque falei isso.

Em parte, acho que sei sim... Ele precisa saber.

- Eu amo o Pantera... Na verdade é mais do que isso...

Jaguar suspirou pesadamente, porém nada falou, mas logo em seguida ele põe a mão em minha cabeça e começa a acariciar os dedos entre meus fios de cabelo. 

- N-nao sente nojo de mim?

Jaguar: Quando eu envelhecer vou parecer mais com o meu pai. Não pode esperar por mim?

- Sabe muito bem que amor não tem haver com a aparência!... Tá que o Pant é muito lindo e musculoso, mas me apaixonei pelo jeito dele.

Jaguar: Já fez sexo com ele? Foi melhor que eu?

- Nós não fazemos isso ainda! Ele quer esperar eu fazer dezoito.

Jaguar: Então faz comigo! - Falou na maior tranquilidade me fazer corar.

Levanto do chão. - Como pode querer um cara que gosta do seu pai!? Isso é nojento não acha!?

Jaguar: Não acho.

- Mas é muito nojento! Deveria sentir nojo de uma pessoa como eu!

Jaguar: Não sinto. - Disse também levantando do chão. 

- Ontem eu transei com outro homem, e ainda não tomei banho.

Jaguar: Então vem que eu vou te limpar direitinho. - Disse segurando meu rosto com as duas mãos e depositando um beijo em mim. 

Sua língua pede passagem e eu dou depois de muita resistência.

Sei que não é certo, mas no momento não quero pensar nisso.

Sua língua luta contra a minha por um espaço que não permito, pois quero brincar com ele.

Desço minha mão para seu pênis ainda coberto pela calça. Começo uma massagem lenta.

De repente Jaguar desfaz o beijo me fazendo gemer por mais.

Jaguar: No momento Pantera está sendo interrogado pelos meus investigadores, vai demorar um pouco... Quer dar um pulinho no quarto dele?

Engulo à seco com tal proposta indecente.


...


Nesse momento o meu bumbum estava totalmente empinado enquanto eu estava de quatro na cama.

O cheiro de Pantera estava por todo lado, então era muito bom.

Jaguar: Aquele homem enfiou alguma coisa aqui? - Questiona lambendo o meu buraquinho.

- Simmmmmmm ahhhhhh! - Berro alto.

Sinto-o separar as duas bochechas do meu bumbum enquanto afunda sua boca entre elas. Sinto sua língua passando por minha auréola e depositando bastante saliva.

Jaguar: O que ele pós aqui?

- N-naaaaaao me obrigue à falar! - Imploro dificultosamente.

Afundo meu rosto contra o travesseiro do Pantera, e lá senti seu cheiro bem mais forte.

Dou umas quicadas contra o rosto de Jaguar encenado as estocadas fortes que ele ainda não me deu.

Jaguar: Safadinho! Diz logo! - disse depositando umas palmadas fortes no meu bumbum.

- AHHHHHH AHHHHHH FOI UM PÊNIS!

Jaguar: Você gostou? - Questiona mordendo minhas nádegas com força, quase arranca um pedaço!

- NAAAAO ME FORCE A FALAR! Aahhhhhhhh hawnnnnn

Jaguar: Se não responder, eu vou prolongar sua tortura! - Disse me fazendo querer ser torturado.

- Po-por favor ~~~~ me tortura.

Jaguar: Não será aquela tortura boa, vou realmente te machucar.

- Por favor... Faça isso!

Jaguar: Ponha suas mãos atrás das costas! - Ordenou. E assim que o faço, ele trança a sua gravata em meus pulsos e amarra os dois juntos.

A força com que me prendeu foi dolorosa, mas temo dizer que a "tortura" não parou num simples nó de gravata.

Jaguar: Desse jeito, não poderá me impedir...

- Não faria isso, nem se quisesse. - Falo. 

Imediatamente ele retira o cinto do cos da calça e dobra ao meio fazendo um açoite improvisado.

Jaguar: Vou te dar umas palmadas, e toda vez que fizer quero que agradeça.

- Ooooo que!?

Jaguar: Não gosto de falar duas vezes quando dou uma ordem!

- Desculpa. - Falo nervosamente, e nesse momento ele bate no meu bumbum com seu cinto. - Ahhhhhhh i-isso dói! 

Jaguar: Isso é pra nunca esquecer que eu só falo uma vez!... Então? Como se diz?

-... O-obrigado!

Jaguar: Veio de um internato, certo? - Questiona e antes que eu pudesse responder sou punido por uma açoitada no bumbum. 

- SIMMMMM Ahhhhhhh!

Jaguar: Eu soube que era um internato religioso.

- Sim, todo dia tínhamos que rezar e... - Nesse momento recebo uma chicotada no bumbum interrompendo-me.

Jaguar: Mandei você falar?

- Des-desculpa.

Imediatamente recebo três açoitados seguidas. - NÃO PEÇA DESCULPAS! A MIM VOCÊ PEDE É PERDÃO! 

- S-sim 

Jaguar: Sabe aquilo que as pessoas fazem ao ir para a igreja confessar seus pecados?

Assinto.

Jaguar: Vamos fazer isso aqui também. Você me fala seus pecados e eu te puro adequadamente.

- M-mas você não é padre! - Falo e tão logo me arrependo pois sou golpeado no bumbum quatro vezes seguidas. O sinto arder e isso me fez lacrimejar.

Jaguar: Não gosto quando me desobedece, Anty!

E novamente ele me bate e eu agradeço. Faz tantas vezes que minha garganta arde de tanto gritar, só para quando meu bumbum fica corado.

Jaguar: Me fala o que fez ontem com aquele cara que não era eu nem o meu pai.

Queria poder negar, mas isso me custaria o couro da minha bundo, e eu preciso dele!

- Eu chupei ele.

Jaguar: Aonde?

- N-no pênis... 

Jaguar: Mamou nele!

- Ele era grande, quase não entrou em mim.

Imediatamente Jaguar desceu a calça e sacou seu membro para fora. Miro para a sua tora por cima do ombro, estava imensa, ele a enfiar em mim de uma vez.

Solto um berro forte e então afundo o rosto contra o colchão contendo minha voz.

Não quero que Pant escute algo.

Jaguar: Ele é maior do que eu? - Questiona fazendo disso uma competição.

- Nã-não...

Jaguar: RESPONDE DIREITO! - Mandou depositando uma chicotada no meu bumbum tão forte que sinto ter aberto um corto em minha pele.

- NÃO, MESTRE! Ahhhhhhhh hawnnnnnnnnn 

Jaguar deixa de lado seu cinto e poe-se a estocar fortemente dentro de mim. Meu corpo segue seu ritmo, pra frente e para trás fazendo a cama de madeira ranger e entregar o que fazíamos ali para a casa inteira.

Mas não ligo, apenas quero aliviar seus desejos profanos! Esse animal sedento que quer me dar prazeres que nunca experimentei.

Ele deita em cima de minhas costas me pressionando contra a cama e tirando meu fôlego com seu desejo ardente.

O perfume de Pant não me permitia esquece-lo. Penso em como é excitante fazer isso no quarto dele.

Já que ele me acha "nojento" e não quer me beijar, então não o quero também! 

A única coisa que poderia fazer estando amarrado era gemer, gemer loucamente até acabar com a minha voz!

Acho que amo o Jaguar! 


Notas Finais


Vejo vcs nos comentários 💜💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...