História Yeah, I'm Gay - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~MonsterPark

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Crossdresser, Descobertas, Jikook, Jimin Seme, Jungkook Puta, Jungkook Uke, Puberdade
Exibições 141
Palavras 1.149
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura <3

Capítulo 4 - Insegurança


Fanfic / Fanfiction Yeah, I'm Gay - Capítulo 4 - Insegurança

Sentia minha cabeça pesada e doída, abri meus olhos lentamente logo os fechando novamente ao me deparar com uma luz ofuscante. Droga, estava sentindo todo o meu corpo dolorido. Pisquei algumas vezes até me acostumar com o ambiente e analisei o recinto a minha volta. Era tudo branco, já estava ficando tonto com tanto branco. Logo percebi que estava em um hospital e fiz uma careta de desgosto. Odeio hospitais com todas as minhas forças. Me sentei na cama e percebi que estava sem as minhas roupas, apenas com uma roupa hospitalar, tinha algo como um prendedor no meu dedo indicador que eu logo tirei. Percebi em uma agulha que estava conectada a veia da minha mãe direita e logo a tirei sem me importar com o sangue que começou a escorrer.

Ao colocar os pés no chão frio senti uma tontura e quase voltei a me sentar na cama, mas logo estava firme de pé.

Olhei pela janelinha da porta e percebi que o corredor estava silencioso e vazio, com todo o cuidado, abri a porta do quarto e olhei para o relógio de parede do corredor que marcava quatro da manhã.

Ok, missão fugir em execução.

Não aguento ficar em ambientes hospitalares, os mesmo me enjoam e somente irritam.

A cada corredor que eu cruzava a ansiedade batia cada vez mais, parecia não ter fim e tudo era apenas branco. Ao cruzar um outro corredor percebi que estava indo para a recepção. Percebi que tinha mais gente e no meio delas eu vi os cabelos platinados do meu namorado que andavam de um lado para o outro.

Resolvi me esconder, pois como eu conhecia o Jimin, ele acabaria me arrastando de volta para o quarto. Dei mais uma espiada e percebi que os três mosqueteiros estavam lá junto com o Jimin e meus pais.

Ok, voltei a andar pelo hospital e estava quase achando a saída, quando escutei um grito atrás de mim. Olhei e percebi que uma garota que aparentava 15 anos me olhava petrificada e logo para baixo, como se admirasse algo, direcionei meu olhar para a mesma região e logo percebi que a porra daquela roupa hospitalar deixava minha bunda de fora.

Que porra...

A garota saiu correndo pelos corredores e quando eu menos pude esperar, vejo dois brutamontes virem em minha direção e Jimin e Suga virem junto.

[JM] – Jeon Jungkook, o que você está fazendo fora do quarto? Você vai voltar!

O Jimin estava mesmo puto e isso era perceptível.

[JK] – Eu só estava querendo levar um vento...

[YG] – Um vento na bunda né? – O droguinha olhava descarado para minhas nádegas e Jimin que estava puto da vida, me agarrou por trás cobrindo minhas partes baixas.

Ai amor, agarra assim não que eu gosto...

Sem escolha, deixei-me ser levado por Jimin de volta ao quarto. O sangue não minha mão já estava praticamente seco, mas ainda escorria um pouco por ser uma veia e eu me sentia fraco, não somente pela perda de sangue, mas por algo a mais que eu não sabia.

Jimin apertou um botão ao lado da cama e logo se sentou em uma poltrona ao lado da cama começando a acariciar meus cabelos, eu sentia um sono com suas caricias, mas sentia que já tinha dormido demais. Não demorou muito para que uma enfermeira chegasse no quarto e percebesse minha mão sangrando e o saco de soro vazando há um bom tempo, o saco que estava pela metade, já estava quase vazio. A moça trocou o saco de soro e o injetou na minha outra mão já que a outra estava machucada e limpou o ferimento enfaixando em seguida.

Logo que ela saiu, olhei para Jimin que apenas olhava distraído para a minha barriga, já estava me sentindo angustiado com aquele silencio principalmente vindo de Jimin que não costumava se calar.

[JK] – Amor... – O chamei manhoso. – Porque eu estou aqui?

Escutei o Park suspirar tremulo, como se estivesse nervoso e logo uma de suas mãos repousou sobre a minha barriga e acariciou de leve ali, eu não entendi aquele gesto de sua parte, mas pensei que fosse uma caricia qualquer e deixei para lá.

[JM] – Você desmaiou ontem na cerimônia de formatura.

Pera, como assim ontem? Dormi por tanto tempo assim?

[JM] – O médico disse que você não estava se alimentando direito e para a sua situação teria que se cuidar ao dobro.

Como assim não minha situação.

Jimin riu parecendo perceber minha confusão interna com suas palavras.

[JM] – Mas ele nos deu uma boa notícia.

[JK] – Desde de quando ficar doente é uma boa notícia Jimin?

[JM] – E quem disse que você está doente seu doido. – Riu.

[JK] – Mas foi o que você deixou claro.

[JM] – Mas não foi o que eu disse.

[JK] – Ya! Cala a boca e conta logo.

[JM] – Ta estressadinho.... Vamos ter uma criança.

E foi naquele momento que eu desmaiei de novo.

 

                                                                                                              ___

Uma semana se passou e eu ainda não acreditava no fato de que uma vida nascia dento de mim. Tive que fazer o teste umas cinco vezes e em todas as vezes dava positivo. Não que eu não quisesse a criança, longe disso, era um fruto meu e do Jimin, era um pedacinho do céu que eu teria o maior prazer de cuidar.

Mas é que o fato de ser um homem me deixava confuso, sou gay, passivo, a mulher da relação, mas sou homem. Me deixava com medo o que as outras pessoas iam pensar de mim, e mais, como eu criaria essa criança, sendo que eu tenho o comportamento de uma criança.

Uma criança vadia, mas ok.

Era meio estranho pensar nisso e não me preocupar. Que Jimin queria a criança eu já sabia, que a minha família e amigos queriam a criança, eu também já sabia. Então esse não era o problema, meu problema era sempre estar fazendo merda, e com uma criança eu não poderia vacilar, qualquer descuido poderia acarretar na morte do meu filho e só de pensar nisso já me dava vontade de chorar.

Jimin estava me abraçando neste momento enquanto eu chorava em seus braços, ele estava acertando algumas coisas em seu escritório para logo vir para casa e quando chegou, me encontrou encolhido na banheira enquanto chorava baixinho, eu sempre fazia isso quando estava deprimido. E a única coisa que ele disse foi:

Vamos criar esta criança juntos, você não estará sozinho.

Somente essas palavras trataram de me acalmar e me lembrar que eu tinha meu agora-noivo comigo.

E sim! Eu aceitei o pedido de casamento do Jimin, não tinha nem como negar, eu o amo com todas as minhas forças e me vejo preparado para passar o resto da minha vida, o aturando, dando bronca nele, fazendo greves, cozinhando para ele, dando carinho a ele, dando a bunda para ele, mas acima de tudo, oferecendo toda minha alma a ele. 


Notas Finais


Hello Pessoas <3
e este é o ultimo chap de Yeah! I'm Gay

...

MENTIIRA, TROSLEI KKKKKKKKK
Acho - so acho - que essa fic só terá mais dois chaps
E sim, para todos que desconfiaram JK ta gravidinho da silva...

Esse cap foi um pouco curto, pq eu só queria relatar sobre o JK acordando depois do desmaio e reagindo a gravidez.
YAAA, ja viram a nova capa? Quase que eu não fazia, tava sem ideia KKK, mas acabou saindo KKK

Sobre os autores da fanfic... é uma pessoa só ta? Eu tenho duas contas, uma dedicada ao shipp riren [tiaminnie] e outra dedicada ao Jikook [monsterpark] Coloquei as duas contas como autoras para que o social não ache que to plagiando a estória I'm not gay que foi inteiramente escrita por mim.

Desde já, agradeço a todo que me acompanham, se quiserem ler minhas outras fics Jikook, elas estão na conta @MonsterPark <3
Obrigada a todos <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...