História Yeah, I'm Gay - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~MonsterPark

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Crossdresser, Descobertas, Jikook, Jimin Seme, Jungkook Puta, Jungkook Uke, Puberdade
Exibições 131
Palavras 2.827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PERA
FOCA AQUI UM INSTANTE
é rapidão <3

Bem, vcs gostam de princesas?
[CLaro, quem não gosta da omma Jin ¬u¬ ]
Zueiras a parte
Vcs gostam de a pequena sereia, Ariel? Aquela dos cabelos de fogo...

Bem, eu fiz uma fic Jikook baseada nela, cês devem ta pensando, que bosta, inspirado na disney... Mas pfvr, deem uma chance a ela, vou tentar não decepcionar ninguem com ela <3

Link nas notas finais <3

E finalmente, BOA LEITURA <3

Capítulo 5 - A Libido de um grávido


Fanfic / Fanfiction Yeah, I'm Gay - Capítulo 5 - A Libido de um grávido

Dois meses

Já tive amigas que engravidaram e já escutei sobre como era o período de uma gravidez e realmente, eu devia ter dado atenção ao que diziam sobre os primeiros meses ser um pesadelo. Parece que sempre tem um horário pela manhã estabelecido para eu vomitar, acordo de 5:40 somente para colocar tudo para fora, é horrível. Já é possível se ver um pequeno volume na minha barriga, Jimin todo dia que chega do trabalho vem correndo até mim, levanta minha blusa somente para dar um beijo na minha barriga. Esse é homem viu... É cada coisa que ele inventa.

Meus pais estão babando, me visitam todo dia e meus amigos também, apesar de que o Suga vive suando minha criança, aquele veado, açúcar, droguinha, ele que saiba que vacilão morre cedo.

Às vezes me olho no espelho e acho estranho o volume grande da barriga, já vi fotos de garotas com dois meses e a barriga nem sequer aparecia, porque comigo aparecia? Talvez eu esteja gordo.

Acordei um porre hoje, estava insuportável, enjoos, tonturas, uma hora eu estava querendo quebrar os vasos da casa, na outra eu estava com vontade de assistir Titanic e me afundar na depressão.

Afinal, isso é uma gravidez ou um caso de bipolaridade?

Estava todo enrolado no sofá com um pote de sorvete no colo, Jimin estava ocupado demais ultimamente devido os negócios do escritório, ele estava tentando acabar o mais rápido possível para ficar disponível para o casamento e para a minha gravidez, não o culpo, ultimamente ele tem sido bastante atencioso comigo.

Olhei para a enorme janela de vidro da sala e pude perceber que o clima estava perfeito, nublado, frio, chuvoso.

Ah trouxa, mas você está tomando sorvete...

Foda-se... Quem disse que sorvete não podia ser tomado no frio? Sorvete é perfeito em qualquer ocasião, estando calor, frio, nevando, relampeando, não importa.

Fui interrompido de meus devaneios pelo som da campainha. Com certeza eram meus pés ou os patetas dos meus amigos vindo me fazer companhia.

Fui até a porta e logo a abrir sem me preocupar de olhar pelo olho mágico, fui atacado – literalmente – por um abraço apertado, os cabelos loiros estavam quase me sufocando e o cheiro forte de perfume já estava me deixando enjoado. Na verdade, o perfume nem era forte, mas estava me enjoando bastante como se fosse um perfume forte.

[MJ] – Kookie! – A loira me apertou ainda mais em seus braços e eu pensei que fosse morrer ali mesmo.

[JK] – Min... Ji... Ta me sufocando!

Rapidamente a mulher me soltou rindo sem graça.

[MJ] – Desculpe, acho que me empolguei.

Com certeza vocês se lembram da Min Ji, não é? A mulher que veio aqui em casa dar encima do Jimin, a secretaria dele... Não sei se vocês lembram do desfecho daquela história, mas a Min Ji virou uma garota viciada em romance gay, e depois disso nos tornamos amigos, ela falou a verdade que queria mesmo o Jimin, mas depois que nos viu transando. – E que inclusive se masturbou vendo isso, bastante desnecessário eu saber disso, mas ok. – A atração que ela sentia pelo Jimin foi embora e ela só via eu e ele como um casal, ela todo mês encomenda vários mangás yaoi para ler e as vezes até me conta sobre eles, ela é muito doida. Ela já chegou a pedir para o Jimin e eu transarmos na frente dela, já pensou? Claro que recusamos, mas depois o Jimin veio atrás de mim dizendo que seria legal a ideia.

Meu cu que seria.

Ela as vezes dorme aqui, e sem problema, a Min Ji é alguém legal quando você a conhece mais a fundo, mas eu sei que ela vem aqui com a esperança de que o Jimin e eu transemos de novo para ela espiar. O que não acontece, porque eu não estou nem doido para fazer algo assim.

[MJ] – O Jimin me dispensou mais cedo hoje, por isso vim fazer uma visita, faz tempo que não falo com você.

Eu sabia que não era bem assim, o Jimin era alguém bastante inquieto e com certeza mandou a Min Ji vir aqui me vigiar. Aquele homem devia ser menos nervoso, só estou de dois meses.

[JK] – Nem adianta me enrolar Min, eu sei que foi o Jimin que te mandou aqui.

[MJ] – Ah, você nos pegou no pulo – Riu – Ah Kookie, dá um desconto, o Minnie está preocupado com você, não sei se sabe, mas os primeiros meses são os mais preocupantes, minha irmã já abortou na metade do segundo mês por descuido.

[JK] – Eu pensei que fosse a partir do sexto mês a maior preocupação, afinal a barriga está grande.

[MJ] – Em toda a gravidez é preocupante mocinho, não há um estágio que tenha que se descuidar, e você sendo homem principalmente.

[JK] – Certo mamãe, entre logo.

Dei espaço para a loira entrar e ela logo passou indo se sentar no sofá, voltei a me enrolar no cobertor e tive meu pote de sorvete roubado. Ela começou a reclamar que estava frio e que não me faria bem, eu tentei pegar dela por toda a casa, mas quando me cansei, simplesmente sentei no sofá e comecei e chorar.

Sério isso?

Eu abri o berreiro, estava chorando como uma criança quando quer algo e a loira logo se desesperou, ela me devolveu o pote de sorvete e como se fosse no automático, parei de chorar e comecei a tomar o sorvete mesmo fungando.

[MJ] – Você é pior que a minha irmã, pelo amo de Deus Kookie...

[JK] – Vai se fuder, quem mandou roubar meu sorvete?

[MJ] – Yaaa, seu chato, só estava querendo cuidar de você.

Um enorme bico se formou nos lábios da loira.

[JK] – Já está cuidado, é só não me roubar nada, como o meu sorvete.

[MJ] – Está certo, gravidinho...

Um silencio se instalou na sala e só se podia ouvir o som da colher e dos meus suspiros ao saborear meu sorvete de menta e chocolate, meu favorito.

[MJ] – Tem preferência de sexo Kookie?

Parei um momento para pensar e me dei conta que nem nisso tinha pensado, menino ou menina? Eu sinceramente não tinha problema com nenhum dos dois então acho que o sexo não seria problema, se fosse um garoto, com certeza seria um mini Jimin com suas bochechas fofas, meus dentes de coelho e seus olhos grandes que ao sorrirem se formariam dois riscos, só de imaginar já sorrio feliz com a imagem. Se fosse uma menina com certeza teria meus dentes de coelho também e os cabelos lisos e sedosos do Jimin, negros como a noite, as mãos gordinhas e fofinhas e eu teria o maior prazer de conversar com ela sobre coisas que lhe interessassem, quando eu pensava assim, a ideia de ter uma criança não parecia ruim, de maneira nenhuma.

[JK] – Na verdade eu não tenho preferência, se for um menino vou ficar feliz, e se for uma menina também.

[MJ] – E sobre suas relações com o Jimin?

Lá vem ela...

[JK] – Ele se sente meio receoso em me tocar, então já faz um tempo que não fazemos nada.

Socorro, ela deu aquele sorriso maníaco e está me olhando de maneira estranha, alguém me ajuda.

[MJ] – Kookie, você sabia que é importante que na gravidez vocês transem?

O que me assusta é que essa mulher fala as coisas tão na calma, que nem parece que estamos conversando sobre sexo. É nesses momentos que me sinto uma terrível menininha.

[JK] - Mas não machuca o bebê não?

[MJ] – Depende de como vocês fazem, na gravidez a pessoa sente a libido subir e a necessidade de ter algo te preenchendo é maior.

Socorro.

[MJ] – Não se surpreenda se de repente seu pau ficar duro.

[JK] – Garota que fogo é esse seu?

[MJ] – Já devia estar acostumado querido. Mas enfim... você me deixa dormir aqui hoje?

[JK] – Não Min ji, eu já te conheço, nem pense.

 

                                                                                              ___

 

Quatro meses

 

Minha barriga já está bem grande e eu não aguento sair de casa, até aí ok.

Cara, só com quatro meses, fala sério?

Os enjoos pararam, o que é uma boa notícia, mas agora tenho que enfrentar a dor do peso da barriga, quero nem ver quando já estiver com os oito meses, vai ser bastante complicado.

Já pensei que começar a trabalhar no hospital central que é aqui perto, mas todos, absolutamente todos me proibiram. Primeiro foi Jimin com os surtos dele que só falta me colocar numa bolha, depois foram meus pais e as amaças da minha mãe de que se me visse andando pela rua ia arrancar minhas bolas. Depois foram os três mosqueteiros que chamo de amigos, o Jin também ameaçou, o Taetae me abraçou e disse para eu me cuidar se não ficaria triste. – Aí que fofo – E o Suga disse que não queria o bebê doente por causa de um irresponsável – vulgo eu – com essas palavras ele disse na minha cara, mas eu não o culpo, eles têm razão em se preocupar. E para fechar com chave de ouro, minha própria obstetra disse que não podia, pois, as bactérias do hospital podiam me afetar e afetar o bebe, então eu me convenci a ficar quieto em casa.

Quando a Min Ji tinha dito que na gravidez eu sentiria muita necessidade pelo Jimin, eu não acreditei, mas agora eu me arrependo de não ter acreditado nas palavras daquela louca, minha obstetra disse que a relação podia, era só tomar cuidado com a barriga para não esmaga-la e com as posições para eu não me cansar, mas fora isso, podia tranquilo, só lá para os sete meses que as coisas se complicariam.

Estava nesse momento deitado na cama totalmente bagunçada, ofegava com força devido aos espasmos que estava sentindo circulando pelo corpo, estava totalmente duro e o pré-gozo já vazava manchando minha cueca de cor vinho, estava sentindo tanto tesão e agonia com aquilo tudo, e o Jimin nem em casa estava.

Com pressa, peguei o telefone fixo que estava do lado da cama e disquei os números do escritório do Jimin, foram os primeiros números que me vinheram na cabeça, a Min Ji atendeu e quando escutou meu tom de voz só faltou pirar pois já sabia o que estava acontecendo. Esperei ela passar a ligação para o Jimin e gemi quando senti uma pontada no baixo ventre ao escutar sua voz do outro lado da chamada.

[JM] – Kookie? Está tudo bem? Está passando mal?

Sempre que eu ligava para o Jimin ele me bombardeava com perguntas. Suspirei e Jimin parecia estar desesperado por escutar minha respiração pesada.

[JK] – Jiminie... – Sussurrei roucamente – Eu preciso.... Está doendo Jimin...

[JM] – Onde Jungkook? Onde está doendo, calma que eu já vou aí amor, não se mexe. Pude escutar o barulho de chaves e de coisas se movendo.

[JK] – Não amor, eu quero você Chimchim, estou sentindo tanto tesão.

Como se fosse instantâneo, o meu noivo parou uns segundos analisando aquilo, sua respiração estava mais ofegante e aquilo só me fazia delirar mais. Levei a canhota ao meu pênis apertando enquanto o escutava.

[JM] – Tesão Jungkook?

[JK] – Tesão, muito tesão Minie, quero você dentro de mim.

Alguns minutos se passaram e eu pensei que o Jimin tinha entrado em pane naquele momento até que ele voltou a falar, sua voz mais rouca fez com que os pelos da minha nuca se eriçassem em deleite.

[JM] – Já fez sexo por telefone Kookie?

Socorro. Aquele homem queria me matar.

É verdade que nunca fiz tal coisa, apesar de ser vadia, todas as coisas que fiz até hoje foram com o Jimin e mais ninguém, e por isso não tinha experiência.

Neguei e logo ele disse que hoje praticaríamos.

[JM] – O que está usando princesa?

[JK] – Somente uma cueca oppa.

Me senti constrangido dizendo aquilo, mas logo me senti orgulhoso ao escutar a respiração do meu noivo aumentar somente com aquela palavrinha dirigida a si.

[JM] – Onde está e como está?

[JK] – Na nossa cama, enrolado nos lençóis, e você Minie?

[JM] – Estou no momento usando apenas minha camisa social e a calça, sentado no sofá do escritório, totalmente duro.

Oh meu deus.... Que tentação, só de imaginar aquilo já sentia minha boca salivar, como eu queria me ajoelhar em frente a ele e engolir seu pau.

[JM] – Sabe o que eu faria com você Jungkook?

[JK] – O que Jiminie?

[JM] – Eu lamberia e chuparia cada pedacinho desse seu pescoço tentador, te agarraria com força e te beijaria com volúpia e maestria dominando todos os seus sentidos.

Nunca fiz sexo por telefone, mas aquilo parecia tão fudidamente bom. Coloquei minha por dentro da cueca tocando de leve a minha glande que se encontrava inchada devido aos estímulos.

Escutei um barulho no fundo, parecia ser algo batendo na porta e logo o Jimin xingou algum palavrão.

[JK] – Jimin?

[JM] – Estou aqui amor, podemos continuar.

Eu não sabia o que havia ocorrido, mas deixei passar, o tesão era mais importante.

[JM] – O que você faria comigo baby?

Pronto, agora era a minha vez e eu estava nervoso, e se eu fizesse errado?

[JK] – An, Jiminie.... Eu passaria minhas mãos pelos seus cabelos os puxando suavemente do jeito que você gosta, apalparia suas costas e logo passaria minhas unhas de leve te arranhando, apalparia tão forte sua bunda que ficaria a marca dos meus cinco dedos nela.

[JM] – Bom babyboy.... Muito bom. – Escutei algo como se fosse um gemido e mais um barulho bem familiar para mim.

[JK] – O que está fazendo daddy?

[JM] – Me masturbando pequeno, estou imaginando essa sua boquinha linda e rosada no meu pau, sugando e fazendo um belo de oral no papai, massageando minhas bolas e chupando todo o mastro do seu homem.

As palavras sujas do Jimin me faziam sentir mais quentes e correntes elétricas passarem pelo meu corpo me causando uma sensação gostosa, mordi os lábios e resolvi fazer o mesmo que ele. Tirei os lençóis de cima de mim pois estavam me deixando sufocado e retirei minha cueca boxe ficando totalmente nu e de pernas abertas. Sem cerimônia, agarrei meu pênis começando os movimentos de cima para baixo.

[JM] – Está se masturbando não é amor? Imagine que são minhas mãos que estão apertando e te masturbando com força. Chupe dois dos seus dedos imaginando que são os meus, imagine que irei te preparar babyboy...

[JK] – Own, Jiminie...

[JM] – Shh amor... Ta bom, não é? Ah.... Você não sabe a vontade que eu tenho de te fuder agora...

Assim como ele indicou, levei dois de meus dedos a minha boca os chupando e humedecendo com a minha língua quente, até mesmo o ato de chupar meus dedos me excitava, imaginava que era seu pau ali, apesar de que ele era muito mais grosso que meus dedos. Aumentei a velocidade da minha masturbação gemendo igual uma puta ao telefone.

[JM] – Coloque o telefone de lado no viva-voz.

Fiz como ele pediu e abri mais as pernas para que pudesse fazer tudo que o meu daddy pedisse.

[JM] – Bom garoto... Agora calmamente, introduza devagar um de deus dedos, bem devagar, eu saberei se tiver enfiado tudo de uma vez...

Fiz como ele pediu e senti minha entrada dilatar coma medida que eu enfiava meu dedo indicador, a dor era inexistente visto que eu estava anestesiado pelos efeitos que circulavam pelo meu corpo. Quando o dedo todo entrou, soltei um gemido manhoso com aquilo, que obvio, Jimin escutou.

[JM] – Ótimo, movimente esse dedo em seu interior e logo penetre o segundo.

Fiz como mandou e as sensações pareceram dobrar de intensidade, arqueei as costas ao sentir meu baixo ventre pulsar fortemente devido a dupla masturbação que eu estava fazendo.

[JM] – Isso baby, está indo muito bem. Agora estoque com força e sem parar, quero que goze para o seu daddy.

Quase gritei quando o obedeci, caramba nunca pensei que fazer esse tipo de coisa com Jimin seria tão bom, as estocadas eram rápidas e fundas, mas não tão fundas como as de Jimin, não conseguiam atingir minha próstata. Senti o suor escorrer por meu corpo e as minhas pernas doerem um pouco pela posição continua em que eu estava, mas ignorei e passei a gemer igual uma puta no telefone, chamava por Jimin a todo instante e quase que gritava, escutava também seus gemidos abafados acompanhados de suspiros, ele estava adorando aquilo. Eu estava quase alcançando o ápice.

[JM] – Goze para o seu daddy...

Somente de escutar aquilo senti a contração forte do orgasmo e jatos longos e grossos de sêmen praticamente voarem, meu pênis esguichava gozo pela cama, havia sido muito para apenas uma masturbação.

Aos poucos as sensações iam se esvaindo me trazendo uma sonolência, pude escutar o gemido rouco do Jimin no telefone e sabia que ele tinha gozado. Aos poucos fui fechando os olhos ainda escutando seus suspiros pós-orgasmo. Mas antes de apagar, escutei suas palavras doces ecoarem em meus ouvidos quase como uma canção de ninar.

Durma bem meu bunny.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Fanfic baseada na pequena sereia, versão jikook :

Amor cristalino --- > https://spiritfanfics.com/historia/amor-cristalino-7157037

Obg por tudo <3
Estamos alcançando os 100 favoritos, e olha que eu iniciei essa fanfic a muito pouco tempo ashuashuashu
obrigada mesmo a todos <3 e até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...