História Year After Year - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Farosella
Visualizações 81
Palavras 765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello!!! Estou fazendo o possível para manter uma certa frequência por aqui, mas às vezes é complicado. ☹
Espero que curtam o 4° capítulo!! 💜

Capítulo 4 - Kiss me before they turn the lights out


Fanfic / Fanfiction Year After Year - Capítulo 4 - Kiss me
before they turn the lights out

Paola: - Aninha, eu não...


Ana, sem dar muita atenção, interrompe Paola e a indica o caminho para a enorme varanda do apartamento. 


Ana Paula: - Por aqui amiga. Feche a porta e fique à vontade. A varanda é grande. Aqui você terá bastante privacidade caso seja isso que você queira.


Paola sorriu para Ana em forma de agradecimento e internamente torceu para que a amiga finalmente a deixasse sozinha. Feito! Ana voltou para dentro do apartamento e Carosella começou a fazer a ligação que tanto queria. 

Enquanto Paola discava o número no teclado do celular, Fogaça silenciosamente aproximou-se dela acendendo um cigarro. Paola não percebeu a sua presença. O cigarro era uma boa desculpa para que ele também fosse até a varanda do apartamento.


Paola: - Alô, Bel? Liguei para saber se está tudo bem por aí. A Fran está dormindo? Vocês estão precisando de algo? 

Bel: - Olá, dona Paola! Por aqui está tudo bem, não se preocupe. Fran está ótima! Aproveite a sua noite! 


As duas se despedem encerrando a ligação. Paola se vira para voltar para o interior do apartamento quando é surpreendida por aquela visão que mexeu com ela durante toda a noite. O homem tatuado por quem ela poderia facilmente perder a cabeça: Fogaça. 


Paola: - Cacete, Fogaça!!!!!! Que susto, homem!!!! O que faz aqui?

Fogaça: - Hahahahaha... Desculpa, lindinha! Dessa vez eu não tive a intenção de assustar você, eu juro! Vim fumar um cigarro. Aceita?

Paola: - Ohhhh no no... Odeio cigarro! Esse negócio faz muito mal, tatuado!


A essa altura da noite, ambos já estavam com altos níveis de álcool e desejo tomando conta de seus corpos e acelerando seus pensamentos para que tomassem atitudes e falassem coisas que jamais falariam sóbrios. 


Fogaça: - Tenho vícios muito piores que esse, Carosella! E bem mais perigosos! 

Paola: - Sério? E quais são?

Fogaça: - Vem cá. Antes de te contar sobre meus vícios, quero te mostrar uma coisa. 


Fogaça estava do lado oposto ao da Paola na varanda. Com o convite, Paola se aproximou do tatuado.


Paola: - Quer me mostrar o quê?

Fogaça: - Tá vendo aquela árvore ali embaixo? Aquela maior de todas? 

Paola: - Sim, estou! É bem bonita!

Fogaça: - Então, quando eu e minha irmã éramos pequenos, minha mãe dizia que quem desse 7 voltas em torno dessa árvore teria a alegria de encontrar o amor verdadeiro e alcançar a felicidade na vida. E sabe quantas vezes na minha vida eu dei essas 7 voltas?

Paola: - Que lindo! Quantas vezes?

Fogaça: - Eu fazia isso sempre que passava por aqui. E eu passava por aqui todos os dias.

Paola: - Nossa, Henrique!!! Então hoje em dia você deve ser o homem mais feliz do mundo. Certo? Hahahahaha

Fogaça: - Ainda não. Pra minha felicidade estar realmente completa, falta uma coisa...


A argentina continua rindo da sua própria piada quando Henrique lentamente aproxima ainda mais o seu corpo à pele quente de Paola, leva sua mão até a sua nuca, agarrando seus cabelos castanhos, com a outra mão puxa seu corpo mais pra perto e, sentindo toda a tensão e desejo do momento, leva sua boca até a dela num toque macio e cheio de sentimento quando, de repente, o celular dele toca e interrompe o momento tão esperado pelos dois. O celular estava na mão de Henrique e inevitavelmente Paola olhou o visor quando acendeu. Era uma ligação de Carine. 


Fogaça: - Paola, desculpe! 

Paola: - Me desculpe, Henrique! Quase fomos longe demais! Atenda o telefone. Eu já estava de saída. 

Fogaça: - Não, Paola. Não quero atender. Fogaça imediatamente ignora a chamada de Carine. Vem aqui, vamos continuar o que começamos!


Paola volta para dentro do apartamento visivelmente desnorteada, mas todos já estão bêbados demais pra perceberem isso. Despede-se de Ana, Jacquin e Rô e vai até o elevador torcendo para que Fogaça não viesse atrás dela. O elevador chega no térreo e rapidamente ela vai até o seu carro quando alguém lhe pega delicadamente pelo braço.


Fogaça: - Paola, você não pode ir embora assim.

Paola: - Fogaça, nós bebemos. Sabe qual a chance de fazermos algo e nos arrependermos depois? Um milhão de chances! Infinitas chances! 

Fogaça: - Eu sei o que estou fazendo e me responsabilizo por isso. Por favor, vamos conversar!

Paola: - Até mais!


Paola entra no carro sem pensar duas vezes, tranca as portas e acelera rumo à sua casa. Ela sabia que tinha chegado ao seu limite. Ela sabia que tinha feito Fogaça chegar ao limite dele também. O mínimo que ela poderia fazer era ir para a casa e esquecer tudo o que tinha acontecido ou estava prestes a acontecer naquela noite.



Notas Finais


Curtiiiinho, mas pretendo continuar logo logo 💜
Continuem dando a opinião de vocês!
Beijos!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...