História Yellow Eyes - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amarelo, Gato, Mistério, Originais, Revelaçoes, Romance
Exibições 8
Palavras 1.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Demorou mas é aquele ditado
Ah e o capitulo não tem imagem
to brava

Capítulo 2 - Fantasma


Á tarde, todos já sabiam da notícia.
Do sumiço de Alicie.
Já havia comunicado a polícia e feito cartazes de "Desaparecida".
Foi triste anunciar a todos, mas o mais triste foi contar para Janna, uma amiga íntima dela.
-Ajudarei em que eu puder…-Ela disse, com os olhos cheios de lágrimas.
Voltei para o quarto. Pensei que iria ficar o dia inteiro no quarto olhando a neve cair, quando alguém bateu em minha porta.
-Já vai. - Disse em um tom de desânimo.
Abri a porta e lá estava Daniel, o namorado de Alicie.
-O que você quer? -Fui um pouco grossa, mas não era minha intenção.
-Vou ajudá-la, vamos achar Alicie.
-EU vou encontrar ela.
-Precisa de ajuda, deixe-me te ajudar, eu me importava com ela assim como você e ela pode estar em apuros!
Eu iria encontrá-la, nem que, pra isso, teria que me aliar a uma pessoa que eu não goste.
-Certo. -Respondi depois de um suspiro - Só deixe-me arrumar minhas coisas.
Antes mesmo de fechar a porta, o gato que estava em meu quarto foi correndo para a direção do Daniel, se esfregando em uma de suas pernas.
-Que gracinha! É seu? -Daniel perguntou acariciando o gato.
-Não. Ele estava no meio da neve e achei uma boa ideia salvá-lo.
-Não acho que a Sílvia permita animais na Honron High.
-Irei devolvê-lo para floresta assim que o tempo melhorar.
-Okay, mas não deixem saber que  ele está aí. 
-Tá bom.
Depois ele foi embora. Decidi que era melhor tomar um banho para me preparar.
Entrei no banheiro e coloquei meu celular na caixinha de alto falante. Gosto muito de ouvir música enquanto tomo banho, me faz esquecer sobre a vida...
Coloquei na playlist, e selecionei em "aleatório".
Tirei minhas roupas, pendurei elas e entrei no banho.
 A música que estava tocando era "Ghost" da Halsey.
"Eu estou buscando algo que sou incapaz de alcançar"
 - A música começava.
Comecei a pensar no que poderia ter acontecido com Alicie.
Será que ela tenha sido sequestrada no caminho da festa? 
Ou alguém drogou ela?
Não faria sentido ela fugir, certo?
Por que ela fugiria? Ela tem uma vida ótima aqui comigo e com...o Daniel.
"Você diz que você não é bom para mim
Porque eu estou sempre puxando sua manga" 
Desde que ela passou a namorar o Daniel, ela nem parava mais no quarto, apenas para ir estudar.
Ou apenas ela matava aula.
"E eu juro que te odeio quando você sai
Mas eu gosto disso, de qualquer forma"
Eu dava tudo pra ela, sempre ajudei ela com tudo! E como ela me recompensa? Me trocando por um namoradinho de escola e sumindo? 
"Meu fantasma
Onde você foi?
Eu não posso encontrar você no corpo adormecido ao meu lado
Meu fantasma
Onde você foi?
O que aconteceu com a alma que você costumava ser?"
Terminei o banho. Desliguei o chuveiro e me vesti. 
Quando saí do banheiro, o gato estava no meio do quarto e havia um bilhetinho ao seu lado.
Fui em direção à ele e peguei o bilhete. Nele estava escrito:
"O que vocês querem encontrar, não vão achar. Ou, já acharam e não perceberam. Não me perceberam. Acharão algo que não pensavam que iriam achar, mas eu estarei bem aqui."
Estava quase ilegível, letra estava pésima.
Quem escreveu isso? Como isso está aqui?
Será que foi Alicie e o gato achou? Provavelmente.
Era uma pista, coloquei em um envelope e depois na minha mochila.
Peguei minha mochila e saí do quarto.
---
Saindo da parte dos dormitórios, encontrei Daniel encostado na porta principal.
-Eaí? Pronta? - Ele disse com um olhar confiante.
-Pronta pra que? Ainda não temos um plano.
-Não precisamos de um plano.
-Claro que precisamos!
-Está bem...É...
-Olhe - Interrompi - Se vamos realmente fazer isso teremos que fazer direito. Devemos saber se ela realmente foi à aquela festa. 
-Que tal perguntar se alguém viu ela?
-Eu não conheço ninguém que foi à aquela festa...
-Mas eu conheço! Venha! - Ele fez sinal para segui-lo com as mãos.
Começamos a correr devolta para os dormitórios.
-Com quem iremos falar? - Perguntei sem parar de correr.
-Caroline Jones. Ela foi e conhece todos naquela festa.
Caroline? Jura? Ele não tinha alguém pior pra escolher?
Parei de correr.
-Espera...Caroline?! De jeito nenhum! Ela odeia a Alicie e a mim e ela provavelmente pode mentir a resposta!
-Ela não odeia vocês! Ela é gente boa, confia em mim!
"Confia em mim"...É algo que nunca vou fazer.
-Ok. Vá lá perguntar, mas eu ficarei do lado de fora do quarto.
-Certo!
Me sentei no corredor. Mas mesmo assim decidi gravar a conversa com meu celular, afinal, podia ser útil com alguma coisa.
-Hey, Caroline...- O Deniel bateu na porta do quarto.
Então ela saiu. 
Quando abriu a porta havia polícia olhando o quarto.
-O que está havendo aí?- Daniel perguntou.
-Ah...Eles estão vendo se encontram algo de Alicie aqui...Como se, eu tivesse algo haver com isso.
-Enfim...Olhe, você foi para a festa né?
-Fui. Por que?
-Você viu a Alicie lá ou ouviu dela na festa?
-O que? Não. - Ela disse com um tom de voz muito suspeito.
-Uhn, obrigado. 
Quando Daniel estava quase fechando a porta do quarto, um policial chegou perto dele.
-A polícia já está cuidado do caso. E é obvio o que aconteceu.-Ele colocou uma mão no ombro do Daniel. Ele era muito mais alto que ele.
-O que? O que é obvio?
-Ela fugiu.
Neste momento um gelo subiu em mim. Não! Ela não teria fugido! 
-Não, ela não fugiria! Por que ela faria isso? -Disse levantando do meu "esconderijo", e é claro, deixando o gravador lá.
-O que faz aí sua pi-...-Caroline foi interrompida por um pelo policial.
-Você não conhece ela. Ela estava envolvida em alguma coisa pois achamos milhares de identidades falsas em uma caixa no quarto dr vocês. Estamos suspeitos de que ela seja na verdade Rachel Linns, outra garota que sumiu com uma aparência física parecida.
Eu não conhecia ela? Esse policial não sabia o que estava falando...Mas...Indentidades falsas?! Por que ela teria isso?!
Fiquei em choque sem falar nada e com cara de assustada.
-Vamos, Rebecca...- Daniel colocou as mãos em meus ombros e me puxou para o corredor.
A porta do quarto foi fechada.
-Sabe o que é isso Rebecca? Pistas! Agora sabemos que ela podia se chamar Rachel!
Eu não sei se o Daniel era uma pessoa leal ou uma totalmente sem noção, porque, tudo indicava que Alicie escondia algo da gente, se eu posso chamá-la assim...
-Você não percebe o que está acontecendo aqui, Daniel? Ela escondia algo da gente, e isso é confidencial demais! Eu nem sei mais quem ela é e...Se ela tiver cometido algum crime? 
-Sim, ela pode ter escondido coisas mas, eu tenho certeza que o que ela fez foi com uma intenção boa! Nós conheciamos ela, certo? Não é mistério que ela era uma pessoa boa. Quando acharmos ela iremos esclarecer isso.
"Nós conheciamos ela"
Eu não conheço mais ela. Alicie, ou Rachel, escondia algo da gente! Algo muito sério para ter tido até indentidades falsas.
Mas comecei a me lembrar de quem ela era, e não podia acreditar que ela se foi, ou quase, pelo menos sua imagem havia ido embora.
Não pude segurar uma lágrima, e cobri o rosto com meu braço.
Só pude sentir Daniel me abraçando.
-Vamos achar ela...Eu prometo.
Eu acho que me precipitei.
Talvez Daniel não seja tão ruim assim.

 


Notas Finais


comentem o que acharam! Enfim, txatua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...