História Yes, Daddy? - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Babyboy, Bangtan Boys, Bts, Daddy, Jeon Jungkook, Jikook, Park Jimin, Vai Ter Jimin Baby Sim, Vai Ter Jungkook Daddy Sim
Exibições 815
Palavras 1.117
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoineas!

Bem, a princípio este era para ser o ultimo capítulo da fanfic
PORÉM
Decidi que vocês decidem

Vocês querem que tenha mais ou um encerramento já está bom?
Quer que eles tenham filhos? Quer que eu conte sobre algo relacionado a casamentos? Estou aberta a ideias, obrigada !

Capítulo 19 - Décimo nono ato: Qualquer lugar


Fanfic / Fanfiction Yes, Daddy? - Capítulo 19 - Décimo nono ato: Qualquer lugar

 

Jungkook estava respirando lento afinal suas costelas doíam muito e cansado de apenas ficar deitado numa maca. Aquela bateria de exames acabou com o resto de suas energias. A melhor coisa que tivera depois do que passara, foi ver Jimin sentado na sala de espera com o rosto sereno descansando sobre a parede branca atrás de si. Tanto o louro quanto Jeon se sentiam derrotados, afinal, não fora só ele que estava machucado. No final das contas tudo acabou por dar certo, o atentado de assassinos desaparecera assim que aquele desprezível ex-chefe de Park perdera a vida com uma bala prateada. Não era de se surpreender, afinal, aquele casal era imbatível e sempre conseguia se escapar das tempestades juntos. Por mais que os obstáculos tentassem os derrubar, eles se mantinham em pé, firmes e fortes esperando por outra onda.

 

Os médicos finalmente retiraram os soros do braço do moreno, fazendo-o balançar o palmo afoito pela repulsa repentina devido à agulha. Suspirou sentindo-se livre e feliz novamente. Sabia que atirou em uma pessoa, resultando sua morte ao final da historia, porém, Jungkook não se importava. Protegeu seu amado até que o pior acontecesse e isso lhe bastava.

 

Estava pronto. Suas roupas limpas trazidas de casa por Jimin estavam guardadas em uma sacola de papelão fino, assim também como seu tênis favorito, que estava embrulhado em um pano para que não sujasse. A roupa de cama do hospital fora trocada assim que os aparelhos ligados ao mais novo foram retirados e o local completamente limpo. Deu-se um tempo para comer a ultima refeição do centro clinico, antes mesmo de ver o pequeno louro que lhe aguardava. Estava faminto. Ficar de jejum durante a manhã fora uma completa tortura. Quase engoliu por inteiro a sopa que haviam lhe oferecido, assim como quase se engasgou com um pedaço de carne que estava em um lado do prato. Jeon se sentia satisfeito com tudo aquilo. Apesar de seus ideais e de acontecimentos anteriores, ele estava feliz. Feliz por ter Park Jimin ao seu lado, feliz por voltar para casa e ter certeza que um baixinho, dos cabelos claros e pele macia, estaria esperando em sua cama para dizer boa noite e dormir para mais um dia vir. Na verdade esse era seu desejo de todos os dias. Não sentiria falta do mundo se o mais velho viajasse em uma aventura intergaláctica com ele.

 

Aproximou-se dos corredores largos. Todo aquele lugar tinha o mesmo tom. Branco, pálido, alvo, esbranquiçado, sem cor, sem vida. Jungkook se sentia ruim no estômago só de sentir o cheiro repugnante de naftalina. Avistou o amado já levantado, falando com uma das secretárias e pegando os documentos do mais novo. Puxou-lhe pela cintura e o fez se chocar contra seu corpo, trazendo-o para mais perto. Fez questão de cheirar seu pescoço desnudo devido ao decote de sua camiseta e deixar um beijo estalado ali. O garoto ficou vermelho em poucos segundo e a mulher também loura a sua frente sorria sem graça. Eles atraiam olhares, porém não de repulsa como imaginavam que recebesse, era até no mínimo... Carinhoso.

 

- Que bom que já esta bem para voltar para casa. – Disse o menor com um sorriso largo entre os lábios. As linhas adoráveis apareciam em sua face, deixando as bochechas gordinhas arrebitadas. Jeon retribuiu-o dando-lhe um selar.

 

- Tenho algo para você assim que chegarmos. Mas antes eu gostaria de fazer algumas coisas ainda. Importa-se de me seguir, pequeno? – Jimin gostava de ser chamado por apelidos carinhosos pelo moreno. Era estranho se acostumar com sua altura e ser denominado daquilo, mas de certa forma, era bom...

 

Assim que Park assentiu Jungkook o puxou pela mão, entrelaçando seus dedos com os do louro, guiando-o para algum lugar misterioso qualquer. Caminharam lentamente por locais desconhecidos aos olhos do mais velho. Era estranho perambular pelas ruas de Seul  de manhã, já que ninguém se encontrava na encosta da janela ou no pé da calçada para lhes observar. O que não deixava de ser totalmente agradável também. Era tão vazio que fazia o peito de Jimin ansiar por gritos. Adoraria gritar para todo mundo como se sentia e o que vivera. Adoraria gritar e despejar tudo o que um dia guardou em seu peito. Adoraria poder voar em meio aos seus devaneios mais louco. E tudo isso seria feito ao lado de quem mais amava.

 

O pequeno sentiu mãos grandes cobrirem-lhe os olhos e ser arrastado pela figura. Pelo calor reconhecer que seria Jeon, ainda levando-o para o misterioso lugar que prometera. Não esperava nada daquilo vindo dele, mas apenas aceitou. O mais novo era recheado de surpresas, era o que o louro mais gostava naquela criatura tão bela. Pararam bruscamente e os olhos de Jimin foram descobertos, revelando uma bela paisagem de uma montanha. As casas ficavam pequenas ao olhar de tão de cima. Chegava a ser engraçado.  A grama verde era bem evidente e se fazia mais presente na imagem. Sorriu ao ver de longe as pessoas caminhando e as nuvens acima se movimentando conforme o vento.

 

- E o que me diz sobre este lugar Jungguk? – Questionou o menor surpreso, sendo abraçado por trás, devolvendo o aconchego.

 

- É uma filosofia que criei quando eu vinha até aqui. Eu era pequeno e gostava de refletir sobre a vida, me constando na arvore mais próxima e pensando em como eu seria em alguns anos. Parece que hoje eu descobri o que tenho e o que vou ter daqui a mais algum tempo. – Sorriu largo mostrando os dentes de coelho.

 

- E que filosofia é esta? – Virou-se para Jeon enquanto o garoto ainda rodeava sua cintura.

 

- Essa imagem tão reduzida agora e nós dois aqui no topo significam que somos os donos do mundo. Nada poderá nos abater e ir contra a nossa correnteza. Significa que vamos ser livres e podemos escolher o que quisermos até mesmo colocar nossos planos em prática. Viajar por estrelas e galáxias à anos luz. Significa que tudo é nosso e depende de nós tornarmos esse mundo realidade. – Uma pequena lágrima salgada se formava no canto dos olhos de Park, aconchegando-se no peito alheio e recebendo um carinho gostoso nos cabelos claros.

 

- E o que quer tornar realidade agora? – Perguntou com a voz embargada, choroso e esperançoso.

 

- Criar laços ainda mais fortes com você. Ter uma família e ver seu rosto todos os dias até o meu ultimo suspiro de minha vida. Quero estar com você em todos os lugares do mundo. Se desejar ir para lá ou para cá, basta apenas dizer que eu lhe levarei sem demora.

 

- E você? Quer ir a algum lugar?

 

- Qualquer lugar, desde que seja com você. 


Notas Finais


E FOI ISSO :D

COMENTE!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...