História Yes... My Lady! - 1° temporada - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Agni (Arshad), Alan Humphries, Aleister Chamber (Visconde de Druitt), Alois Trancy, Bardroy "Bard", Beast, Charles Phipps, Claude Faustus, Condessa Rachel Durless-Phantomhive, Diedrich, Doll, Earl Charles Grey, Elizabeth Midford, Eric Slingby, Finnian "Finny", Grell Sutcliff, Hannah Annafellows, Joker, Lau, Madame Red (Angelina Dalles), Mey-Rin, Personagens Originais, Pluto, Príncipe Soma Asman Kadar, Ran-Mao, Ronald Knox, Sebastian Michaelis, Sieglinde Sullivan, Snake, Sr. Tanaka, Undertaker, Vincent Phantomhive, William T. Spears, Wolfram Gelzer
Tags Kuroshitsuji
Visualizações 135
Palavras 1.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capítulo VII


Fanfic / Fanfiction Yes... My Lady! - 1° temporada - Capítulo 7 - Capítulo VII


" Seu Mordomo é, Fiel"


------- ------- --------- -------- ---------

Emilly ainda não estava em casa, Sebastian observava atentamente pela janela a hora em que o carro que a trazia para casa todos os dias chegaria, ele olha impaciente para o relógio, ela  estava 4 minutos atrasada, o jantar dela já estava pronto, ele só precisava que ela chegasse em casa logo.

Mas a estrada está calma, e ele também não ouve barulho do carro, ele fecha os olhos por um minuto, ele consegue ter a visão do carro cortando caminho para não pegar mais trânsito causado pelo acidente, agora ele já sabia porque ela estava atrasada.

A lista de coisas que Emilly deveria fazer estava no bolso de Sebastian, ele a retira e dá mais uma olhada para ver se não se esqueceu de Nada.


O que ela deve fazer:

- Acordar cedo para ir para a universidade

- Acordar mais cedo aos sábados para o curso de pintura

- Ela deve ler muitos livros

- Ela deve se alimentar de salada e de carnes vermelhas

- Ela deve ir na casa de Ane às vezes

- Ela deve ser ajudada em relação ao comportamento em público

- Ela deve receber ajuda nas tarefas escolares

- Ela deve receber a visita apenas de Ane, Nathan e algumas amigas


O que ela não deve fazer ( Jamais) :

- Comer muito

- Se expor

- Ser ridicularizada em público

- Não deve desistir da universidade ou do curso de pintura

- Ela não deve usar o telefone

- Ela jamais em hipótese alguma deve sair de casa sozinha

- Não  deve ficar sozinha ( apenas se ela tiver que ir ao banheiro ou trocar de roupa)

- Não deve sair sozinha com nenhum rapaz ( nem mesmo Nathan)

- Ela não deve ter emoções muito fortes

- Ela jamais deve saber da verdade até estar preparada....


A lista era enorme mas Sebastian era capaz de seguir tudo, ele sabia que aquilo era melhor para sua Lady, Apesar de Tudo Sebastian até que estava gostando de sua companhia, ela não o incomodava e não o tratava mal por ser um empregado, ela era um pouco tímida, mas ele sabia que era por que ela estava assustada, deve ser difícil ver sua vida toda em uma casa e tudo mudar, apesar de tudo ele gostava dela, finalmente ele avista  o carro chegando.

Ele desce às escadas e anda até a porta.

- Você vai​ mesmo deixar ela viva? Sussurrou uma voz no ouvido de Sebastian

Sebastian não deixa essa voz entrar em sua cabeça, ele ignora e continua andando.

- Por que mantê-la viva... Se você pode receber muito por ela! - Insistiu a Voz

Sebastian contínua firme.

- Porque ser fiel a uma garota estúpida e filha de Papai!? Entrega essa garota e seja dono de sí mesmo! - Novamente a voz sussurrou às palavras que estavam contra o dever que Sebastian recebeu

Ela abre a porta e gentilmente sorri para Emilly.

- Boa noite My Lady! - Disse Sebastian 

Ela não parecia bem, ela Apenas dá um sorriso, e sai subindo às escadas, ele nota que algo está errado, ela deixou a bolsa no carro, ele volta para buscar e depois sobe até seu quarto, Emilly havia deixado a porta um pouco aberta, ele vê que ela não está bem, ela está deitada na cama com uma cara de choro, ainda dá pra ver a marca das lágrimas que ficaram no rosto dela, seu olhar é de tristeza, ele apenas olha para ela que nem nota a sua presença, Sebastian não se intrometia nos problemas de seus senhores, mas ele já sabia do que se tratava às lágrimas de Emilly.

Era melhor servir o jantar e entregar a bolsa depois, já se passou uma hora, ele anda até o quarto sem fazer barulho, ela acabou pegando no sono, Ele entra sem fazer barulho e a cobre, estava ficando frio, ele apaga a luz e fecha a porta deixando a Jovem dormir.

Já que não havia mais nada a se fazer ele decidi ir até o jardim, o labirinto com paredes de plantas era seu lugar preferido da casa, ele já andava tantas vezes por ali que já sabia todas às estratégias para sair daquele lugar, enquanto andava o vento gelado batia em seus rostos, mas ele não estava incomodado.

Aos poucos ele percebe que às paredes de plantas vão se unindo umas nas outras fechando a passagem, até que ele chega no centro do labirinto.

- Você realmente não têm jeito... Até quando vai me perseguir assim? - Disse Sebastian que suspirou e fechou os olhos

A silhueta feminina de uma mulher que usa roupas pretas e um chapéu que cobre o rosto aparece do nada.

- Até Quando eu conseguir!... - Disse A mulher

- Já pedi para não insistir... - Disse Sebastian ainda de costas para a Mulher

- Você sempre foi tão fiel... Que eu até queria que você fosse meu mordomo! - Disse A mulher

- Acredite! Eu jamais iria gostar de ser seu Mordomo! - Disse Sebastian

- É uma pena! Você teria gosto de me chamar de Lady... E não àquela pirralha que está dormindo naquele quarto! Como você consegue proteger àquela coisa? Ela é tão patética! E inválida! - Disse a mulher

- Também queria entender como você consegue ser capanga do seu dono... Nunca entendi o ódio dele com certas coisas... - Disse Sebastian

- Engraçado! Você dizer isso! Vocês já foram bons amigos! - Disse a mulher

- Não éramos amigos! E eu jamais vou ser amigo dele -  Disse Sebastian que se virou na direção da Mulher

- Sebastian Michaelis! Você e suas regras ridículas! Por que ser fiel a uma garota como aquela? Sendo que você tinha o coração de uma Mulher tão bela? - Disse a mulher

- Você está com Medo de quê? De eu achar My Lady Bonita? Não nego ela é bonita sim! - Disse Sebastian provocando a mulher

- Engraçadinho! Não tente me atingir! Você sabe do seu passado obscuro! E você sabe que se ela se apaixonar por você... Vocês não vão ter nada! Por que você é um monstro! Não sabe? - Disse A mulher

- Eu não estou preocupado com isso... Ela é só My Lady Pra mim! Nada mais... Além disso! Você não precisa ficar insegura! Afinal de contas eu jamais seria capaz de tocar nela então você não tem que sentir inveja por ela estar tão próxima de mim! - Disse Sebastian

Ela fica Em silêncio, Sebastian percebe que deixou a mulher pensativa.

- Ótimo! Eu jamais sentiria inveja de uma pirralha magrela e ridícula como aquela que você chama de Lady... Sou Muito mais mulher que ela! Por isso eu vou continuar insistindo até você me dar o que eu quero! - Disse a mulher

- Então eu acho que você mais uma vez tentou a toa! A resposta é Não! Agora me deixe sair daqui! -  Disse Sebastian

Às paredes do labirinto voltam ao normal, a passagem para fora do labirinto já estava a vista.

- Sebastian! Como vai ser quando ela descobrir? - Disse a mulher

- Ela vai saber a verdade! E dependendo de como às coisas estão! Pode ser em breve... - Disse Sebastian

- Eu não vou desistir tão fácil! Você sabe não é? - Disse A mulher

- Colocar Uma meta na sua vida e se iludir achando que vai acontecer...  Deixa a vida menos Triste! - Disse Sebastian

De novo ela fica em silêncio, ele sai andando sem dizer mais nada.

- Ainda vamos nos ver Sebastian! - Disse a mulher

Sebastian sabia que apesar de ele não ceder às ofertas dá mulher, ela ainda tentaria de todas às formas destruir a vida de Emilly, ele já sabia o motivo exato, mas Emilly não sabia da existência de nada disso, Então ele precisava manter a descrição e só contar na hora certa.

---------- ----------- --------- -------- --------- ------

No dia seguinte eu acordei com uma dor de cabeça enorme, acho que eu chorei até dormindo, meu celular está com três notificações novas, é Nathan de novo.

" Se você quiser guardar a mágoa pode guardar.. Mulheres como você geralmente guardam mágoa, e ficam sofrendo caladas... Só não chore pelos cantos como uma patética!"


Eu Odeio quando ele faz com que eu me sinta fraca, ainda espero o dia de devolver em troco todas essas humilhações​.

- My Lady! Você recebeu uma correspondência... - Disse Sebastian que bateu na porta antes de entrar

- Se for uma carta! Deixe em cima da mesa! - Eu respondi

- Não é uma carta! É uma Caixa! -  Disse Sebastian

Ele entra com uma caixa, toda enfeitada com um lacinho bonito em cima, quem será que mandou isso?

- Deixe em cima da mesa eu abro Depois... - Eu respondi

- Tudo Bem My Lady... Ah Por favor se arrume! Não pode chegar atrasada hoje! - Disse Sebastian

Ele sai do quarto, eu ando até a caixa que ele deixou em cima da mesa, essa caixa está tão bem enfeitada que me dá até pena de estragar o Lindo laço.

Eu pego a ponta do laço, estou prestes a puxar, a imagem de uma cabeça cortada toma conta da minha visão, eu arregalo os olhos, Mas que diabos! Foi isso?

Eu olho ao redor ainda apavorada pela cena que veio em minha mente, eu respiro fundo e rapidamente abro a caixa, dentro última papel branco cobre o que está dentro da caixa, eu retiro o papel e me deparo com um tecido branco em baixo de uma carta com​ um selo vermelho.

Eu pego a carta, e a leio:


" Um presente da alta sociedade de Paris para a Senhorita Stuarts para o evento do ano..."

 

O tecido embaixo da carta é branco, eu puxo com delicadeza, mesmo que já sabia do que se tratava.

Eu pego e vejo que é o vestido de casamento que eu escolhi para o casamento com Nathan, ele não é muito estravagante, é longo porém sem brilho, sem emoção, só o branco é uma pequena renda na cintura, Apesar de ser simples me dá pena de estragar um pouco da beleza que ele têm.

Meu casamento com Nathan é chamado de:

"  O Evento Do Ano..."  

Sempre Achei que o evento do ano seria o meu enterro, e não estou errada em pensar assim, por um lado será! Pelo menos para mim, fui forçada a escolher um vestido não tão básico pela minha mãe, ela na verdade deveria ter ido na loja em Paris escolher para mim, por que eu quase não experimentei o que eu quis, e também nem queria algo caro e chamativo,  Não Valeria a pena...

Eu vejo o vestido pendurado no cabide, me dá pena dos tecidos gastos, do tanto de mãos que tiveram que trabalhar para fazer este vestido, mas infelizmente eu deitei a primeira a usá-lo só que de uma maneira errada.

Eu suspiro ainda pensativa, mas ao lembrar que eu ainda tenho universidade e que hoje vou iniciar um quadro me animo e guardo o vestido no fundo do guarda roupa, e vou me arrumar para a aila









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...